“Quem não tiver pecado, que atire a primeira pedra!”

A Escritura da Lei não pode ser inflexível e imutável diante do coração arrependido. E os fariseus do tempo de Jesus já haviam endurecido o seu coração na lei, nunca considerando o arrependimento dos pecadores e, por efeito, esquecendo da existência da compaixão divina, que é a Lei acima de todas as leis, porque se a lei menor é dura (e deve ser dura mesmo) para coibir o pecado, a Lei Maior chamada Amor deve abraçar totalmente a alma dos pecadores com Graça e Perdão, não só da parte de Deus para conosco, mas também, da nossa parte para com os semelhantes!

Disse um sábio:
A Lei foi feita para os homens, e não os homens para a Lei!”

O Propósito do Amor não é punir os pecadores, mas ensiná-los a andar de forma consciente nos caminhos da Verdade e da Justiça, quando a Luz dissipa a ignorância que causa toda dor para sempre.

O Amor é a Primeira Lei, a Lei da Unidade, e todas as leis menores saíram da Lei do Amor para direcionar o homem à verdade por seus próprios méritos e conquistas.

Foi por isso que ele perdoou a mulher adúltera. Porque esta mulher só era adúltera por lhe faltar amor no coração, dominada então pela luxúria. Mas depois que o amor do mestre preencheu todos os espaços vazios de sua alma, curando o seu coração, ela despertou para a verdade do adultério, e se transformou, quando então passou a ser regida por outra lei.
Não mais a lei dura da Torá e seus apedrejamentos, porém, pela Lei superior da compaixão.

Se o homem sofre, e se as diretrizes do Apocalipse estão caindo dolorosamente sobre a humanidade, é porque, infelizmente, a alma humana, apesar de tanto tempo nessa escola da Terra, ainda é regida pelo Egoísmo, e não pelo Amor. E para o Egoísmo se aplica a lei das pedras, e não a lei do perdão.

Porque, se o Egoísmo não consegue perdoar os outros, além de ferí-los, como poderemos esperar outra coisa da lei senão que todo o mesmo?
O Amor que temos é o amor que damos.
O Perdão que Deus nos dá é o perdão que aprendemos a entregar aos que nos feriram.
Se não temos nem o Amor e nem o Perdão, é porque o egoísmo nos isolou da Lei maior, quando então nada resta a Deus senão que nos tornar regidos pela lei menor, a lei das pedras.
Porque pedras é o que ainda atiramos nos outros…

Está em nossas mãos atrair pedras ou compaixão da Justiça divina.
E o pior de tudo é que o orgulho humano, na maioria das vezes, prefere as pedras do mundo do que as mãos redentoras de Cristo…

JP em 19.03.2020

Comentários
Compartilhar