O Universo do Ser


A tendência da ciência é a convergência com a visão religiosa, já dizia Einstein, e falando em relatividade, tudo o que somos e temos em nós tem conexões e relação direta com tudo o que nos rodeia.

A própria palavra UNIVERSO faz essa alegação, a Unidade da Diversidade, e a existência de padrões é uma demonstração de tudo isso.

O Universo é variado do lado de fora, mas unificado do lado de dentro, e a medida que nossa consciência se eleva no plano da observação, saindo da ignorância limitadora 3D e elevando-se para patamares maiores, a diversidade vai diminuindo, e a mente vai experimentando cada vez mais estados de Unidade e Unificação, onde os conceitos como tempo e distância vão cedendo a outros, e a sensação de que se é eterno e onipresente aumenta.

A realidade do Universo não começa a partir da nossa dimensão 3D, e a ciência erra ao tentar definir modelos a partir do nível 3D de observação. A verdadeira forma e estrutura do Universo deve ser procurada a partir do centro, e não da periferia.

Vejam os estudos que levaram ao conhecimento do átomo e partículas, ele teve que começar nas camadas exteriores e ir se aprofundando, e hoje, a noção mais avançada nos levou a Física Quântica e ao comportamento “estranho” das partículas.

Mas isso ainda não é o centro, a essência da realidade do átomo e da matéria.

Tanto pelo lado do macrocosmo como pelo lado do microcosmo, penetrando mais fundo, subindo mais alto, descobriremos sim que a realidade final de tudo é o mesmo objeto que liga tudo entre si, o Ser consciente cuja maior prova de existência é e sempre será a VIDA.

Eu te pergunto: as células do corpo existiram sem o corpo?
Creio que a disposição do Universo é a mesma.
O Universo existiria sem as infinitas consciências que vivem nele?

Mesmo havendo independência funcional entre as células, creio que a lei do organismo veio antes da própria leis das células, e lhe subordina.

O projeto organismo veio antes, as células (diferenciações) foram aparecendo em função desse projeto original, e a Vida é o fenômeno de ligação entre todas as partes do conjunto. Por isso não acredito em partes isoladas do universo, mas concordo sim, num modelo em que seja garantida a independência, ainda que relativa, das consciências atuantes dentro de um sistema, seja ele qual for.

O Ser é a causa do Universo. Não pode haver uma verdade superior a essa.
A ponte entre o Ser (causa) e o Universo (efeito) é o alvo de todos os caminhos da ciência, arte, filosofia e religião. Nem tudo é ciência e nem tudo pode ser explicado apenas por ciência. Existe também o argumento da Arte: porque o Universo se fez belo.

Existe também o argumento da filosofia: porque o Universo levanta propósitos na existência. E finalmente, existe o argumento da fé, a única capaz de responder porque o Universo é regularidade perfeita para a ciência, é beleza inspiradora para a arte, e é filosofia que enriquece a mente com perguntas e buscas infinitas… no final, a última palavra será dada pela fé.

Ela dirá porque o Ser criou tudo perfeito, belo e carregado de propósito.
O buscador da Verdade deve ter mente científica, artística e filosófica para começar a compreender o Como e o Porque de tudo isso. E nessa jornada, quanto mais avançarmos, nossa resposta não será tão diferente daquela dada pelos nossos irmãos do passado: DEUS.


Sim, essa foi a solução final do Universo para um modelo que a consciência individual captou por verdadeiro e o compreendeu como algo muito maior do que a sua ciência, arte e filosofia puderam definir, cabendo então a FÉ tentar aceitar sem resistência tudo isso que nos envolve, nos atravessa e é parte de nós, como somos parte dele… numa cadeia tão perfeita, tão precisa e tão poderosa de conexões que, se a solução final dependesse de uma última coordenada para a Equação do Mistério, o Amor seria essa coordenada…

JP em 03.03.2020

Comentários
Compartilhar