O que Jesus Cristo realmente quer de nós?

Fidelidade a Cristo não significa estar numa Igreja e repetir AMÉM JESUS a tudo o que diz o padre ou pastor… e sim, estar consciente dos erros e pedir PERDÃO SENHOR a todos os erros que são cometidos em estado de fraqueza, tentando sempre lutar para melhorar como pessoa, se aperfeiçoando segundo o próprio exemplo dado pelo Mestre Maior.

Fidelidade a Cristo não quer dizer estar dentro de uma Igreja crendo que isso basta para a salvação, mas estar dentro da Verdade nos teus atos, passos e pensamentos, fazendo o Bem e evitando o mal, da forma como ele nos ensinou.

Fidelidade a Cristo não tem nada a ver com ser batizado com água ou declarar o nome dele perante um grupo de pessoas, mas sim, ser batizado pelas lágrimas sinceras do teu arrependimento perante os Olhos de Deus, que tudo vê e sabe quando as coisas não passam de teatros montados sem o coração ali presente.

Fidelidade a Cristo significa ser, ou tentar ser como ele foi, sempre que possível servindo o próximo, porque a Lei nos foi dada: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo. A ação do cristão não se limita a rituais vazios dentro de templos, muito pelo contrário, o templo é o mundo aberto, e o ritual que vai realmente preencher a tua alma é o serviço ao semelhante, porque este é o sacrifício que mais agrada ao Pai.

Fidelidade a Cristo passa longe de ficar apontando o dedo e condenando os que não são de tal Igreja, seita ou religião, porque estes que assim se comportam longe estão ainda da salvação que crêem possuir em suas ilusões pessoais. Significa sim, antes de tudo, saber compreender os erros dos outros por causa de suas fraquezas e ignorâncias e, principalmente, saber perdoar os mesmos outros porque eles são como nós mesmos, com nossas fraquezas e erros. Como pensar no perdão divino se mal alcançamos o perdão humano?

Fidelidade a Cristo não é ficar falando o dia inteiro em passagens da Bíblia que não são vivenciadas na prática, e sim, ficar AMANDO o dia inteiro da forma que puder e a quem puder, e disso encher o peito, todo o tempo. A melhor forma de amar a Deus está na obediência às Suas leis e verdades e também na doação ao próximo.

Fidelidade a Cristo não implica em tomar a Bíblia como única referência da Palavra de Deus, e sair atacando todas as outras doutrinas e religiões, aquelas que são espelhos da própria Escritura, como uma árvore com galhos se estendendo para outras direções, desde que comunguem de uma mesma verdade revelada… fidelidade a Cristo não usa o fanatismo para provar a sua devoção, e sim, o altruísmo. Não usa a guerra para destruir os inimigos da fé, mas usa a arma do Amor e da Compreensão para transformá-los em amigos e irmãos…

Enfim, fidelidade a Cristo não necessita ser demonstrada com bandeiras e templos, com Igrejas e pastores, com rituais vazios e teatros organizados.

Fidelidade a Cristo é apenas ser ou tentar ser, na medida das tuas próprias forças e capacidades, como ele mesmo foi, um Filho obediente ao seu Pai e que amou todas as pessoas e as serviu, bons e maus, honestos e ladrões, santos e devassos, sem julgar pelas aparências, mas apenas atento ao chamado dos corações que muito sofrem e na maioria das vezes não tem ou não sabem mais a quem recorrer…

Se voce entendeu essa mensagem e compreendeu o valor real da Fidelidade a Cristo, então estará em paz nas passagens do Apocalipse que se sucederão a frente.
E a mesma fidelidade a Cristo conservada é que atrairá o teu coração ao coração dele.

Para que ele te chame de IRMÃO algum dia, como eu te chamo agora.

É o Amor podendo mais do que tudo, Deus em manifestação!
Não hajam quaisquer dúvidas quanto a isso.

Em um tempo onde tantos sinais bíblicos estão acontecendo diante dos nossos olhos, e tantos movimentos se dedicam a destruir o Nome e a Verdade de Cristo, entenda o que Cristo realmente quer de nós, além de toda crença, de todo fanatismo e de todo conceito distorcido por humanos que ainda não foram capazes de sentir a nota-chave da sua Verdade chamada Amor…

Ele não quer que você seja um religioso frequentador de igrejas e dizimista ou coisa assim… quem quer isso são os humanos que pretensamente dizem falar em seu Nome, mas nunca falaram.
Muitos sairam ao mundo com a Bíblia para explorar a boa fé da humanidade.
A Igreja de Cristo não era um templo de pedra, mas era a harmonia entre os irmãos, e a Palavra de Cristo não era uma Bíblia a tiracolo, mas era todo ensinamento saído do coração e de boas ações vividas na prática.

É preciso resgatar com urgência a imagem do Cristo real do meio destes falsos Cristos deturpados pelo fanatismo dos crentes e pela exploração dos mercadores da fé… a imagem do Cristo que eles vendem ao mundo por 30 moedas da imagem do Cristo que é pura e gratuita doação de amor…

Observação:
Muitos usam o velho argumento de que a Bíblia está muito deturpada para ser seguida…

Deturpada ela não está, porque existem os registros originais. Mas as interpretações variantes das passagens de igreja para igreja existem. O que existe mesmo é a manipulação do conhecimento da Bíblia, aliás, como a manipulação do conhecimento de qualquer coisa.

Mesmo assim, a mensagem essencial e central da Bíblia e dos evangelhos foram conservadas, e todo mundo conhece, apesar de muitos usarem esses argumentos de “Bíblia deturpada” para escapar da prática da cristandade na vida, isto é, amar a Deus, o próximo, fazer caridade, não fazer o mal, etc.

O essencial as pessoas tem diante de suas consciências, de modo que esse argumento não vai servir no dia do Grande Juízo, tentando justificar o ego e as maldades.

No resumo, todo mundo já entendeu o recado de Deus, mas se querem continuar na maldade, na gula, no materialismo e na sacanagem, é por conta e risco de cada um. E Deus conhece a santidade ou a malandragem de cada alma.

JP em 24.06.2020

Comentários
Compartilhar