Lua, um Grande Potencializador das energias cósmicas

Sempre pensamos no Sol para tudo, nas explosões solares, nos ventos solares, no magnetismo solar, etc, o que está certo, já que o Sol é a grande fonte de energia da Terra e do sistema solar inteiro.

Mas, por outro lado, sempre nos esquecemos do astro que está mais perto da Terra, a nossa Lua.
E de como ela funciona, muitas vezes, como um potencializador das energias cósmicas (gravitacionais, em especial) por causa desse detalhe, a sua proximidade, a exemplo das marés mensais.

Temos um bom exemplo acontecendo hoje, na verdade, de ontem para hoje, entre 19 e 20 de março.

Isso porque, de ontem para hoje, a Lua transitou exatamente sobre o campo de direção do objeto P 7X em relação a nossa observação aqui da Terra (conjunção), e de ontem para hoje, os gatilhos gravitacionais tiveram um pico, bem como a taxa de ventos solares e, por efeito, a ionização do Campo Magnético, como podemos ver nos dois gráficos abaixo. Bastou a Lua sair da linha de conjunção, o vento solar começou a diminuir sua taxa de velocidade.

Isso porque a Gravidade é a grande energia matriz do universo, e por transformação, produz todas essas derivadas energias de impacto caindo tanto no núcleo da Terra como por sobre a sua cobertura magnética, causando tantos efeitos durante épocas de agrupamento, tal como este mais recente anunciado aqui, efeitos na fora de sismos, vulcões e anomalias magnéticas, para citar os mais comuns.

Lua passando pelo objeto P 7X na reunião planetária prevista entre 18 e 20 de março 2020

São todos estes causas e efeitos que vão se encadeando numa progressão linear, e a Lua alinhada tem um papel de potencializador de toda essa energia cósmica sendo gerada entre os astros mais afastados, como foi o caso desse agrupamento planetário previsto envolvendo Marte, Júpiter, Saturno e Plutão entre os dias mencionados antes.

Por estar bem próximo da Terra, a Lua funciona não só como um radar, mas também, um potencializador das energias gravitacionais quando suas ondas entram em colisão direta com sua órbita em relação à Terra.

Sabendo que a Lua, em suas fases cíclicas, também interage profundamente com a biologia e até com a psicologia da humanidade, temos a certeza que a Lua é o segundo astro em importância dentro dessa engrenagem de energias que tem na Terra o centro de nossa observação do universo ao redor!

Talvez um pouco da paranóia moderna em torno de tudo o que está acontecendo, seja uma influência lunar, gerando teorias conspiratórias “lunáticas” em série…

São essas coisas tão reais ao nosso redor que a Astronomia oficial considera apenas como “coincidências”.

JP em 20.03.2020

Comentários
Compartilhar