Genética humana alienígena nos códigos crops circles

Dia 28.08.2002, na Inglaterra.

Este crop circle de 2002 representou o nosso DNA numa estranha cadeia circular em estrutura hexagonal (que é a estrutura celular de fundo) e com o padrão 11 em cada hélice, formado por duas pontes (sendo que o DNA tem quatro pontes moleculares por hélice, A-T-C-G).

Ele representou o mesmo número de padrões 11 (seis grupos) que o crop circle da Borboleta humana, que representa a metamorfose genética e espiritual do novo homem.

O mesmo padrão 11-11 nas asas da borboleta humana de 08.08.2009, Holanda

O hexagrama é a matriz do Cosmos e tudo o que no Cosmos existe.
E a criação final do Cosmos, para onde toda matéria e energia estabilizadas converge, é a Vida, sua resultante final.

O Cubo de Metatron é a solução do Hexagrama, a matriz da Geometria Sagrada.
E como sabemos que no universo tudo vibra, e toda vibração é regida por números, números harmônicos em leis ondulatórias, claro que cada célula, tecido e órgão do nosso corpo estão enquadrados pelas mesmas leis.
Incluindo nosso DNA e cada gene dentro dele…

Cada asa da borboleta humana foi ornada com 9+10 círculos, totalizando 19+19 círculos em cada asa, ou 38-38 círculos, que emprega os números 3-8 que somam 11 (padrão 11-11).

E da mesma forma que o crop circle do DNA em cadeia circular, seis vezes o número 11 foi traçado nas asas, o que repete o jogo de seis por 11, considerando as duas pernas e as duas antenas como 11-11 em simbolismo gráfico.

A imagem já mostra então essa dupla ligação interna dentro das seis hélices como um padrão 11-11 que, cruzando seus eixos, forma três eixos 11-11, o que reproduz exatamente o símbolo 11-11 encontrado naquela formação do Homem Borboleta, Holanda, em 08.08.2009, sete anos depois!

Basta comparar!

Vejamos os números do crop circle da cadeia genética circular.

Cada hélice é formada em 12 linhas curvas com números desiguais de unidades quadriláteras:

13 – 14 – 14 – 4 – 5 – 5 – 5 – 4 – 5 – 5 – 5 – 4 (totaliza 83)

Isso significa que o total de linhas para compor seis hélices foi de 12 x 6 = 72.
O Número de Deus, da Natureza, espiral áurea, a vida e o código do Pentagrama na alma humana!

Cada gomo de hélice é formado por uma faixa mais grossa, tripla, de fileiras de quadriláteros, colocando 13 unidades na lateral, e 14 unidades em duas fileiras centrais.

E mais uma vez, a relação com o Silício (elemento 14) e as conexões nervosas alteradas conforme a inclusão do silício nos neurônios, uma sugestão que apareceu desde a mensagem-resposta de Chilbolton 2001 (um ano antes deste crop circle), quando a tabela dos elementos fundamentais a vida humana teve, na resposta crop circle de 2001, a misteriosa inclusão do Silício 14!

Associado ao número-arcano 13, o código fala em transformação do DNA pela inclusão do elemento 14, o Silício, não necessariamente no DNA, mas como um novo comando genético que determine à mente a inclusão de silício nas fibras nervosas e neurônios para amplificar os poderes do veículo mental em termos de aquisição e emissão da onda pensamento e das funções da inteligência como um todo.

Muitos outros crops circles já identificaram o mesmo tema, isso pode ser constatado aqui:

A carga genética está contida no núcleo e todas as células de um organismo. Em todos os seres vivos, o DNA é formado por uma fita dupla composta por 4 letras – A, T, C e G. Essas letras representam compostos orgânicos: o A é a adenina, o T é a timina, o C é a citosina e o G é a Guanina.

No RNA, são encontradas a citosina, guanina, adenina e uracila. O DNA apresenta duas fitas, mas o RNA é possui fita simples.

Mensagem de Arecibo direita) em 1974 e resposta de Chilbolton crop circle (esquerda) em 2001

Os valores do crop circle Chilbolton 2001

Primeiro, os dados da mensagem de Arecibo 1974 nos termos da genética humana:

  1. Representação dos binários em números atômicos dos elementos Hidrogênio, Carbono, Nitrogênio e Fósforo, respectivamente. Esses são os elementos básicos essenciais da formação da vida na Terra.
  2. Representa uma fórmula para as moleculas dos açúcares e bases de nucleotídeos do DNA humano. Observe que é uma seção maior da mensagem .
  3. Representação Gráfica da “dupla-hélice” do DNA humano. No Centro o n º dos nucleotídeos do DNA.

E os valores enviados em 2001:

Setor (Chilbolton): Indicam os n º atômicos dos elementos químicos essenciais a vida na Terra, acrescido de um valor EXTRA, inserido CORRETAMENTE na sequência binária original. Esse elemento adicional tem número atômico 14, que é o n º do elemento SILÍCIO (amplamente utilizado pela humanidade para fabricação de chips de computadores, inteligência artificial).

Setor (Chilbolton): Mesma simbologia binária para uma fórmula estrutural dos açúcares e bases formadores dos nucleotídeos da molécula de DNA humano.

Setor (Chilbolton): Observa-se um “ramo” a mais do lado esquerdo da dupla-hélice do DNA. Também há uma mudança sem código binário dos números dos nucleotídeos do DNA.

Essas mudanças estruturais do DNA podem estar associadas à inclusão do Silício na composição nervosa dos alienígenas e do homem-cristal antes da queda na geração animal e mortal.

Voltemos aos números do crop circle:

13 – 14 – 14 – 4 – 5 – 5 – 5 – 4 – 5 – 5 – 5 – 4 (totaliza 83)

Cada gomo de hélice dupla é composto por 12 fileiras de unidades quadriláteras na sequência numérica acima, e totalizam 83 quadriláteros, o que soma 11, usando os mesmos números 3-8 dos códigos da Borboleta humana (acima).

Note que os algarismos 3 e 8 se destacam no modelo sefirótico da Árvore da Vida por representar a dimensão do planeta Vênus (terceiro céu) e mais acima, a dimensão estelar, oitavo céu, e entre as estrelas, o destaque para Sirius, a estrela mãe da humanidade.

Ou seja, nosso parentesco celular com os primos venusianos e todos partilhando a mesma semente Anunnaki vinda de Sirius 3. Estes algarismos 3-8 sempre se repetem em vários crops circles, destacando então aqueles EONS cósmicos, entre as outras possibilidades numéricas (1+10, 2+9, 4+7, 5+6).

A sequência 13 – 14 – 14 – 4 – 5 – 5 – 5 – 4 – 5 – 5 – 5 – 4 ( que totaliza 83) fornece um arranjo interessante:

13-14-14-4-555-4-555-4 (distribuição simétrica de valores)

Primeiro, o número 45 é o número do nome ADM, Adão, o ser criado do barro da Terra (evolução mineral) e da semente genética estelar, em cujo veículo finalizado o Senhor YHWH soprou alma consciente.

Se 14 é o número do Silício, 15 (5+5+5) é o número do Fósforo, elemento fundamental da estrutura genética.
São 12 fileiras marcadas por séries de pontos (quadriláteros) e 12 é o número atômico do Carbono, outro elemento fundamental da vida orgânica como a conhecemos.

Além disso, os místicos falam em 12 fitas do nosso DNA estelar:

Há muitos anos, a ciência reconhece que nós temos duas fitas de DNA. Temos, também, mais 10 fitas energéticas de DNA, as quais estão em estado latente nos seres humanos. Estas fitas latentes de DNA foram descobertas pelos cientistas que, sem saber a função delas, as identificaram como DNA “lixo”.

Ácido desoxirribonucléico (DNA) é um ácido nucléico que contém todas as instruções genéticas usadas no desenvolvimento e funcionamento de todos os seres vivos. O DNA é nosso mapa pessoal, e como tal, contém todas as nossas informações mentais, físicas, emocionais e espirituais. O Ser Humano original tinha 12 fitas ativas de DNA trabalhando e mantendo as funções totais do ser humano como um Ser Estelar.

Uma teoria interessante que se engancha com a teoria do Silício nervoso e do cromossomo 24 perdido…

Inglaterra 09.08.2005

Em 2005, o mesmo padrão 83 cruzado foi empregado neste crop circle em somas de códigos binários, rodeando a face alienígena. Este é um dos principais padrões crop circle, enviado na forma de pictogramas desde o início do fenômeno como mensagens inteligentes, ano 1990, Inglaterra.
Abaixo, o primeiro pictograma 11-11 do estilo:

Chilcomb Farm, Cheesefoot Head,23-5-1990

Em 1996, outra estranha formação pareceu sugerir ensinamentos sobre o DNA humano ao alienígena conectado:

Aparecendo na Inglaterra em 17 de junho de 1996, este modelo mostra as duas hélices emparelhadas de forma incomum, ao longo de doze circulos maiores de seu eixo, e cada onda comportando 10 círculos menores, fazendo de cada círculo maior do eixo central o ponto 11 da sequência, outra forma de insinuar o 11-11 nestes modelos (doze círculos centrais no eixo, a teoria das doze fitas do DNA original).

No universo numérico das sincronicidades, a expressão 11-11 significa uma correspondência entre dois planos, mundos, dimensões e consciências aparentemente separadas. No contexto genético, esse 11-11 associado a estes crops circles pode estar querendo mesmo dizer do nosso parentesco genético com outras espécies alienígenas, como os venusianos, os autores por trás do fenômeno desde o seu início.

East-Field-Wiltshire-UK-15-07-2002

O crop circle acima apareceu na mesma temporada 2002 chamado de Árvore da Vida, com uma árvore carregada de frutos e raízes expostas, e o tronco em dois galhos comportando a letra Y bem visível, inicial do Nome do Senhor YHWH, o criador da espécie humana (e de outras).

A Árvore da Vida é o mistério maior da nossa existência, o segredo da nossa vida oriunda do mesmo motor cósmico de potência (Verbo) que criou todas as coisas.

Farley-Mount-Hampshire-UK-15-08-2002

Se tivemos a Árvore da Vida, então não poderia faltar a Árvore da Ciência, que também apareceu em 2002 (Farley-Mount-Hampshire-UK-15-08-2002) representando a série exponencial de 2 (2^n) nas ramificações do seu tronco na sequência 1-2-4-8-16, e seus frutos. Essa simbologia representa a multiplicação celular (mitose) e a geração sexual.

Em 4 de julho de 2002, Inglaterra, bem diante do monumento de Stonehenge, apareceu um gigantesco crop circle em formato hexagonal. Ele era composto de seis grandes fitas, girando num vórtex em uma incrível perspectiva 3D.

Cada fita trazia uma “onda” completa, alternando a cor claro-escuro em relação às faces externa e interna.

Cada um dos seis eixos trazia três faces da mesma fita, e no centro, uma curva ligando cada uma delas ao centro da formação. E isso totaliza 4×6 = 24 unidades geométricas.
O mesmo número do cromossomo perdido, 24, porque a identidade genética da humanidade termina nos cromossomos sexuais, o par 23 (todos os cromossomos são pares).

Se Stonhenge é um monumento composto para avaliar alinhamentos e direções estelares no céu, então a primeira mensagem “subliminar” deste crop circle é a de que nossa herança genética é estelar.
E nossa identidade cromossômica total é de 24 pares cromossômicos (48 cromossomos).

O nosso DNA é uma fita helicoidal dupla, representada pelo número 8.
O crop circle veio em estrutura hexagonal (6), e se multiplicarmos o Hexágono 6 (a matriz do Espírito) com a cadeia 8 (o laço, a vida – porque toda vida resulta num laço entre vidas, a vida é um fenômeno de coletividade de vidas, a partir do próprio conceito celular) isso gera 48.

Se diz que a Terra foi povoada por doze tribos de quatro “raças” distintas, na antiguidade representada pelas cores vermelha (indígena), amarela (oriental), negra (africana) e branca (caucasiana).
Multiplicando o número das tribos pelas raças, 4 x 12 = 48.
A Bíblia é repleta de codificações envolvendo os números 12, 24 e 48, além de 72 e 144.

Aliás, no hebraico, 48 é o número do termo KUKB, Estrela.
O que, mais uma vez, demonstra que nosso corpo até pode ter vindo de evolução mineral neste mundo (o barro do Éden), mas certamente a nossa alma e a sua identidade genética vieram ambas das estrelas… da nossa Mãe Sirius.

Também em 2002, mesmo estilo do crop circle da cadeia circular do DNA em seis gomos. Voltemos a ele:

Hexágono, porque a Vida se associa ao hexágono, matriz da geometria sagrada, primeiro polígono construído na base do compasso e do esquadro, os símbolos do Criador nos conceitos da Maçonaria.

Seis gomos em formato de número oito, isso sugere 6×8 = 48, aquele misterioso arranjo de 48 cromossomos da humanidade original antes da queda. A mesma proposta do crop circle anterior, mesmo ano, com o mesmo tipo de mensagem.

Números totais do crop circle:
Cada gomo de hélice dupla tem 83 pontos marcados. Seis gomos totalizam
6×83 = 498.

Se temos 12 linhas totais em cada gomo, marcadas por diferentes quantidades de quadriláteros, conforme aquela sequência (13 – 14 – 14 – 4 – 5 – 5 – 5 – 4 – 5 – 5 – 5 – 4), e considerando preencher todas as 12 linhas com seu número máximo de pontos, 14, então ficaria 14×12= 168 quadriláteros totais por gomos.
Fazendo 1+168 = 169, temos o quadrado de 13 (arcanos da mutação genética).

E o total de quadriláteros em seis gomos? 6×168 = 1008.

Ou 14 x 72, o número do Silício pelo número secreto de Deus, do Espírito, do Pentagrama e das hierarquias espirituais do Universo. O pentagrama humano no homem auto-realizado em todos os seus potenciais humanos e espirituais desenvolvidos em conjunto harmonioso.

O número 14 é, além de referência ao silício, a carta arcano das leis da Alquimia, que revelam que todas essas modificações celulares são possíveis a partir da obtenção de energias andróginas mentais em circulação nos dois hemisférios cerebrais polarizados em igual medida de energia, conforme as leis do Caduceu de Mercúrio, que sintetiza todos os procedimentos alquimistas que transformam o homem em Anjo imortal (a alegoria da carta).

A proposta do Homem vitruviano de Leonardo da Vinci, retomado então, no crop circle da Borboleta humana e seus códigos 11-11 de ressonância estelar.

São como peças de um enorme puzzle encontrando encaixe perfeito!

O que falta para que a geração humana atual recobre a sua identidade divina?
Crops circles vêm revelando arduamente e repetidamente os mesmos códigos de uma verdade perdida pelo tempo e abafada pelos rumores da nova ciência de laboratório que subestima os poderes do espírito na fonte de toda a vida…

JP em 20.08.2020

Comentários
Compartilhar