Ex-oficial da força aérea afirma ser dono de Marte e reivindica à ONU

O ex-oficial médico da Força Aérea Britânica (RAF) Phil Davies tem chamado a atenção nos últimos dias, mas não é por nada relacionado à covid-19 ou à sua área de atuação. Em entrevista ao jornal Daily Star, ele declarou ser dono de Marte.

De acordo com Davies, que passa as noites apontando um poderoso laser em direção ao Planeta Vermelho, esse trabalho tem tornado a atmosfera do nosso vizinho espacial mais habitável, preparando o terreno para futuras colônias de humanos por lá, como as planejadas pelo segundo homem mais rico do mundo, Elon Musk.

Hoje, com 55 anos de idade, o ex-oficial médico diz que a sua façanha de melhorar as condições para habitar o planeta lhe dá o direito de postular a posse do território marciano. “Esse é o único método legítimo para reivindicar terras em Marte”, comenta ele.

Davies cita regulamentos da Organização das Nações Unidas, ONU, que definem as regras para quem deseja pleitear a posse do território de um planeta. Pelas leis, os interessados precisam comprovar a preparação do terreno desejado para uso sustentável, e isso o ex-oficial médico diz ter feito.

Preocupado com uma possível desatualização do Tratado Espacial, em vigor desde a década de 60, estabelecendo as normas de exploração do espaço sideral, Davies quer evitar que Marte caia nas mãos da Rússia ou então dos Estados Unidos.

Davies teme que as superpotências criem bases militares ao estilo Star Wars em Marte. “A lei do espaço está corrompida e não deveria estar. Não sou um defensor de árvores, quero que os países explorem o espaço, mas com responsabilidade”, afirmou ele.

O próximo passo de Davies é entrar com um pedido de reconhecimento de propriedade na ONU e na Corte de Direitos Humanos da União Europeia. Mas entretanto, ele precisa do apoio formal de um governo, solicitado às autoridades britânicas.

Enquanto aguarda uma resposta oficial, Davies afirma ter obtido apoio de 151 mil pessoas, de 195 países. Ele até já dividiu o planeta em lotes, entre as pessoas que compactuam com seus planos. Cada um dos apoiadores ficará com uma área de 22 km² do solo marciano.

Fonte

Comentários
Compartilhar