Energias em ascensão é a mensagem do novo crop circle da mandala solar

A Mandala solar
Maravilhoso e novo crop circle de 25.06.2020,, hoje
Smeathe’s Plantation, Nr Ogbourne St George, Wiltshire.
Vamos degustar a luz deste novo sol dos campos dourados de trigo da Inglaterra!

A mandala solar

Uma bela mandala solar, com 9 pétalas externas em estilo Lótus budista, e dois círculos “florais” com 18 e 18 pétalas, criando a sequência numérica 9-18-18, que eu mencionei no começo, quando apareceu aquele crop circle do ANJO, com duas asas de nove “penas” cada uma, criando a sequência harmônica 9-18, que, em termos musicais, se relaciona aos tons puros de Ré (na escala corrigida de 432 Hz), segundo a fórmula D = 9x 2^n

E hoje, a sequência se repetiu, na intenção de revelar uma gestação (9) em curso de florescimento (o duplo sol em forma de flor, como girassol), formando uma progressão geométrica perfeita nos detalhes do crop circle.

Sol, Buda, a divindade interior em processo de gestação e nascimento.
Estas orlas de nove pétalas em forma de lótus estilizado são comuns na arte tibetana.
Um exemplo está no mantra OM dentro de uma mandala hexagonal.

Um símbolo que eu começo interpretando positivamente.
E se existem dois sóis lá fora, e se essa energia toda gerada está sacudindo o planeta, temos que saber que parte dessa energia é boa, é renovadora, é direcionada ao despertar e nascimento espiritual de quem está procurando se alinhar de forma positiva com a força do Universo em mutação.

Mandalas exprimem em sua geometria abstrata o conceito de universo perfeito e dinâmico, movimento equilibrado, simétrico e integrado nas partes envolvidas.
E somos parte desse universo.

Essa é a mandala solar do Segundo Nascimento.
O Sol lá fora brilhando.
E o sol aqui dentro também.
Ps: olhe no centro da mandala, há um Sol interior.
Ele deseja nascer nas manhãs do seu pensamento renovado e brilhar nas ações luminosas da sua vida alinhada com a Verdade Divina de todo Sol e toda luz que há lá fora.

Lótus Solar

Em 2015, apareceu na China um Lótus crop circle, diferente deste, com doze pétalas externas e seis internas (totalizando dezoito, como aparece no sol externo deste novo crop circle).
E este crop circle de 2015 com uma notável peculiaridade: um perfeito perfil de BUDA desenhado numa de suas pétalas (veja no slide).

Esse Lótus apareceu em Pequim, capital da China, em 08 de maio de 2015, repetindo um crop circle anterior e idêntico da Inglaterra, ano de 2009.

O Atual crop circle combina bem as expressões de flor e sol numa mandala estilo tibetano, e representa o coração em expansão de energia e poder.

Da mesma forma que as flores desabrocham na presença da luz solar, o coração do devoto se abre e esparge sua beleza e aroma de sabedoria e santidade ao mundo na presença da Luz Divina, o Sol externo, que assim se comunica com o Sol interno do coração, por ressonância.

Se não fosse a presença destas pétalas estilizadas em torno dos dois sóis, eu interpretaria o crop circle num sentido estritamente cosmológico (a saber, o encontro dos dois sóis).

Mas preferi começar com esta mensagem.
A hora da meditação, da comunhão, da preparação, do segundo nascimento (interno) motivado pela Luz Divina, que não está nas pragas assolando o mundo.

Deus não se move nas pragas. As pragas são apenas efeitos das causas humanas equivocadas. Karma.
O que também é um forte e sólido conceito da doutrina budista.

Deus se move na beleza.
E onde houver beleza, há Deus.
Se você meditar, orar e aproveitar a energia tremenda do momento em que estamos vivendo, renascerá em cada transformação interior.

Derrubará suas montanhas de orgulho, esvaziará seus oceanos de medo, erradicará seus campos de joio, e verá que energia divina circulante que apavora os fracos e faz caçoar os incrédulos, despertará o sol interior.

E você começará a entender o que Buda ensinou sobre a aniquilação interior como chave da Iluminação que liberta.

Deus se move na beleza.
E não há nada mais belo do que o Amor.
Toda beleza saiu do Amor de Deus.
E Deus quer que nos recriemos pelo Amor.

OM

O Segredo do Manto Açafrão

As cores açafrão das vestes a serem usadas pelos monges foram definidas pelo próprio Buda e seus seguidores no século V aC. O manto e sua cor é um sinal de renúncia ao mundo exterior e compromisso com a ordem.

(O Açafrão é um tom de laranja bastante intenso, quase avermelhado.
Ele representa as mais nobres virtudes do Budismo.
Mas ele não é cor exclusiva da mística budista, tibetana ou oriental)

Está na língua árabe a origem do nome desta especiaria. Açafrão deriva de As-safra-a (الصفراء) que significa Amarela. Sua cor foi a origem de seu nome.

Julga-se que tecidos cor de açafrão foram tradição entre povos Celtas. Os gaiteiros de certos regimentos Irlandeses do Exército Britânico e das forças de defesa da República da Irlanda usam um kilt açafrão. Esta vestimenta é também usada por alguns homens Irlandeses e Irlando-Americanos como item do traje nacional. A sua cor varia de verdadeiro açafrão laranja a um leque de matizes mostarda pálida e amarelo-acastanhadas.

No Hinduísmo a cor açafrão profundo é associada ao fogo, o qual é considerado divino e necessário em muitos rituais Hindus. Como os corpos são cremados de acordo com as tradições Hindus, o açafrão profundo é visto como lembrete da mortalidade do mundo, sendo frequentemente usado por homens e mulheres sagrados hindus.

Os monges Budistas de tradição Theravada têm como tradição usar típicas vestes açafrão (embora por vezes possam ser bordô). O tom de açafrão usado pelos Monges Budistas Theravada é de cor mais clara.
Os Sikhs usam o açafrão como cor de fundo da Nishan Sahib], a bandeira da religião Sikh, na qual figura o Khanda em azul.
Wikipédia

O Segredo dessa cor está na relação harmônica com a nota musical Ré, relacionada ao planeta Mercúrio, o regente da mente, e sua cor laranja-açafrão.


E isso quer dizer que mantras emitidos essa frequência (calculada exatamente pela série exposta no crop circle 9, 18, 18 ou 9 2^n) tem um poder fenomenal de expansão dos poderes da mente, e a isso é que os monges se dedicam muito tempo em seus mosteiros e meditações. Ampliar as faculdades da mente sabendo que somente a expansão do veículo mental pode permitir a construção de consciência, que é diferente de intelecto.

Intelecto você cultiva lendo ou estudando fontes externas, mas a consciência você só pode construir quando experimenta as realidades como observador direto, lúcido, tomando parte delas.

O açafrão vibra na mais nobre faixa do raio mental de Mercúrio e suas frequências de múltiplos 9, um dos números mais sagrados (porque representa gestação, nascimento, os nove céus da cosmologia antiga, etc).

Note que a mesma série 9-18 apareceu no crop circle do Anjo, o primeiro da temporada, há um mês exato antes deste Sol duplo de hoje, 25.06.2020.
E que um raio liga a cabeça ao coração do Anjo.
O fio condutor da mente iluminada.
As asas do Anjo são simbolismos dos feixes de energia divina que o devoto emana de sua mente quando medita ou quando sua inteligência está em processo de criação, especialmente as criações espirituais.

Vigiar e orar, na expressão cristã, é o mesmo que meditar e contemplar, na filosofia budista, desprendido de tudo, observando tudo a distância sem tomar parte da confusão do mundo lá fora, mas aprendendo a cada dia com todas as situações, até com os erros alheios.
O que também é um sinal de sabedoria.

Dois sóis

Agora, algumas análises astronômicas.
A Mandala solar tem dois sóis em sua composição, o que nos leva a mensagem do sistema solar binário e o inevitável encontro dos dois sóis em breve.

E até a data parece anunciada: daqui a nove meses.
Porque, segundo as estimativas dos astrônomos envolvidos com o objeto
P 7X (Nêmesis) ele alcançará o periélio solar daqui a nove meses, em março de 2021. (Nove pétalas externas, dois sóis unidos na visão do crop circle).
O que, astronomicamente falando, é quando os dois sóis se unem em força máxima e total.

Estamos acompanhando os estudos em torno do P 7X.
Esperando que os astrônomos estejam errados…

O renascimento das estrelas
Conexão Betelgeuse

Outra informação astronômica interessante é que por estes dias, o Sol se alinha com a região de Órion e a direção da estrela Betelgeuse, estudada por astrônomos de todo mundo por causa de suas variações de brilho, magnitude e tamanho, o que acredita-se demonstrar que a estrela está em fase de se tornar uma supernova em “breve” (considerando que o “breve” das estrelas pode demorar muito na escala de tempo da Terra).

Portanto, vale a metáfora do crop circle, que associa dois sóis com um processo “budista” de renascimento: porque novas estrelas nascem da poeira cósmica das estrelas mortas no espaço sem fim.
A mesma regra pode e deve ser aplicada em nossa didática diária de renascimento espiritual.

O velho homem renascido pelo poder da Verdade.
O novo homem.
Como uma nova estrela no céu.

“Se o grão não morre, o trigo não germina”
(Parábolas de Cristo)

Novo crop circle!

Local ainda não definido, mas do dia 25 de Junho, ontem, mesmo dia daquele crop circle do Sol duplo, flor e lótus budista estilizado.
E a mensagem não poderia ser mais convergente:
A força do eclipse solar associada à Flor da Vida!

O Sol no lugar da Flor da Vida (e o Sol sempre foi associado à geometria do Hexágono, e seu valor na Árvore da Vida, segundo a Cabala, é seis 6) e a Lua em união, Pai e Mãe da Alquimia hermética gerando nova vida e consciência.

Tudo o que comentamos ontem aqui, sobre a energia da vida e do renascimento, posta em associação com as energias geradas por esse eclipse solar todo especial, que de um lado está sacudindo o planeta e, de outro, sendo filtrado por almas em sintonia, promovendo o despertar e o renascimento.

Uma grande mensagem!

JP em 26.06.2020

Comentários
Compartilhar