Desenhando a Cruz de Luz no coração

Se você gosta de usar um crucifixo no peito, tudo bem.
Se você se sente bem numa Igreja, nada contra.

Mas saiba que essas ações, por si só, não colocam a Presença de Cristo no coração.

São as orações mais as ações de Bem que desenham a Cruz do Senhor no coração.

O poeta italiano Dante Alighieri, que escreveu a Divina Comédia, poema que traduz suas viagens de alma fora do corpo pelas dimensões de baixo e de de cima do Universo, viu, ao lado de Beatriz (sua alma gêmea), no Quinto Céu (planeta Marte) a Cruz de Cristo desenhada por Anjos.
E escreve:

“Naquela Cruz resplandecia Cristo,
e por mostrá-lo, outra expressão não tenho”
Paraíso, Capítulo XIV, versos 104-105

Portanto, quem desenha a Cruz do Senhor em nosso coração são os Anjos, esses intercessores da Bondade divina.
A oração sincera cria um altar de manifestação de Anjos, enquanto que as boas ações nos fornecem a medida justa para todo merecimento do Alto recebido.

Crucifixos de metal no peito ou assistências em templos de pedra não comovem os Anjos.

Mas somente a confissão de Amor pelo Mestre, que será o patriarca da futura raça após a renovação planetária… o único espírito vivo e presente capaz de nos reconectar ao Pai em sua fonte de Poder, Saber e Amor primordiais.

Mas isso custa a entender aqueles todos que seguem deuses pequenos e falsos ídolos da Babilônia, em sua plenitude de confusão. E ainda arrotam com arrogância:

“Nós não precisamos de salvadores!
Nós podemos nos arranjar sozinhos!”

Ah é?
Coronavírus que o diga…

Tem certas coisas que as pessoas precisam passar para o seu próprio bem., coisas que resgatem a nossa imensa impotência e fragilidade diante de Deus. E nos tornem humildes e agradecidos.

JP em 28.03.2020

Comentários
Compartilhar