As profecias de Benjamin Solari Parravicini 2

“Humano Senhor da Hora Hora, prepara-te!
Já é o instante, anunciou a estrela, lhe disse a flor, e já a desejada palavra reparte o Sol contigo.
A transporta o pássaro, a comporta a nuvem, a leva a onda.
A entrega a voz, a alcançou o templário. O sereno monte, a rosa do lugar, o branco trigal, os montes de fogo, as terras partidas, as pedras que falaram, o homem de idade.
A Palavra, a Palavra, lhe repete o vento na praia em festa!
PAZ PAZ”
BSP 1960

A imagem mostra um sábio discursando a outro, debaixo de um grande Sol brilhando entre as nuvens, e três pássaros no céu e três círculos pequenos em disposição triangular.
Note esse triângulo composto de três pequenos círculos, porque ele vai aparecer em muitas imagens proféticas de Parravicini, como um padrão de assinatura: três, a imagem de Deus na Santíssima Trindade e, em outras analogias, um sinal venusiano (que fica na terceira órbita da Terra, no sistema geocêntrico).

Parecem dois monges dialogando entre si sobre essa Verdade anunciada pelo Universo em coro.
E além de profeta, Parravicini nos brinda com poesia nesta linda mensagem.
A chegada da Palavra Divina dos tempos, que irá ser ouvida e repercutida por toda a sua criação e pelos homens de coração em sintonia, permanecendo infelizmente surda para o resto do mundo materialista.
É a Hora da Palavra de Deus transformar tudo.
Recriar tudo. Reiniciar tudo.
Por isso, é preciso estar preparado para ela.

JP em 01.09.2020

“Na argentada paz, o homem falará de Deus nas ruas como no final dos tempos, porque nelas retornará o Peixe e porque serão neles a pomba da palavra santa. Serão na dimensão do divino ser!”
BSP 1960

Argentada, aqui, significa prateada, a prata branca, metal associado a paz, e o profeta diz que, tanto em tempos de paz como em tempos do fim, pelas ruas o homem falará em DEUS, porque serão tempos em que o PEIXE retornará, e com ele, a pomba do Espírito Santo, renovando a Palavra que Deus entregou aos seus santos e profetas do passado.
Na dimensão do divino ser.
Essa profecia exige uma análise cuidadosa, incluindo a sua imagem.

Primeiro, o peixe não significa somente um selo crístico. Ele também se refere as naves dos Anunnaki de Vênus e Sirius, conforme outras profecias de Parravicini, que, como os Dogons, falava em naves no céu semelhantes a grandes peixes de fogo (cor vermelha, principalmente).
A imagem mostra dois seres gêmeos na qualidade de profetas, mensageiros, e que podem estar ilustrando as duas testemunhas do Apocalipse 11, que a Bíblia declara serem os dois últimos profetas e mensageiros enviados por Deus ao mundo no final, para completarem a obra de Jesus Cristo ao tempo da colheita dos “peixes voadores”.

Estes dois seres formam uma unidade espiritual na imagem do profeta, e por trás deles, um Sol geométrico de seis raios cruzado com uma Lua crescente, uma imagem que costuma aparecer em vários crops circles.
Noto muitas conexões entre as imagens de Parravicini e os modelos crop circle, tanto em design como em conteúdo.

Pomba e Peixe, símbolos do Espírito Santo e do Filho, respectivamente.
A imagem da divindade dual como coluna erguida sobre a Terra, onde algumas flores se abrem, flores de espiritualidade em almas alcançadas pela palavra renovada destes “homens”, anjos ou seres de outros mundos infiltrados entre nós, ensinando as mesmas verdades do Alto, como ensinaram no passado.

Ou seja, o Espírito Santo sela, e o Peixe engole e leva embora… como foi com o profeta Jonas, engolido por um grande peixe na praia e levado para outras dimensões do espírito.

JP em 03.09.2020

Comentários
Compartilhar