A Roda dos Cinco Elementos

Diante do mundo atual e sua caoticidade cada vez mais flagrante nas notas de desequilíbrio da natureza, com terremotos (elemento terra), inundações (elemento água), furacões (elemento ar) e vulcões (elemento fogo) desencadeados em feixes de onda crescente sobre um sistema planetário em visível situação de entropia, isso nos traz a lembrança as velhas teorias dos sábios da antiguidade a respeito dos quatro elementos que, em equilíbrio, regiam o estado ideal de coisas numa natureza estável, intocada e harmônica.

A origem da Suástica como símbolo de poder se vincula ao conceito dos quatro elementos visíveis e sensíveis como expressões de um quinto elemento invisível e predominante, implícito a todos eles, e que, de acordo com as modernas teorias da Física Quântica, pode ser procurado além dos conhecidos quatro estados da matéria, a saber: plasma (fogo), gasoso (ar), líquido (água) e sólido (terra), em escala decrescente de densidades. Se os quatro elementos são substâncias vibrando em diferentes temperaturas, ou mais precisamente, em diferentes amplitudes de onda, o que modifica em razão direta as suas densidades no nível atômico, o quinto elemento vem antes dessa condição térmica, e guarda um elo de ligação com a quarta dimensão, um salto acima e além do mundo 3D onde, então, as quatro densidades operam na constituição de todos os sistemas cósmicos.

E se transportarmos a cruz dinâmica (Suástica) para o sistema Terra, veremos que o centro da cruz intercepta o núcleo planetário, que seria então o centro do sistema que, recebendo energia adicional, distribui essa energia para a periferia do sistema e os demais elementos e modelos materiais de densidade, criando então essa aceleração dos fenômenos naturais em função de uma intensificação da energia matricial do sistema. É como contemplar uma roda que está acelerando e atirando para níveis cada vez mais periféricos a sua energia interna nuclear em todos estes efeitos constatados.

E qual seria a fonte externa de energia adicional que o núcleo do sistema Terra está capturando?
Podemos pensar que sucessivas ejeções solares têm enviado para a Terra muita energia quântica de cargas (estilo efeito fotoelétrico), mas isso não explica tudo.
Podemos acrescentar aqui um modelo gravitacional de ondas (porque gravidade também gera ondas) de alguma fonte externa perturbadora, enviando então energia gravitacional para o núcleo da Terra que, intensificando seu pulso interno de energia, irradia toda essa energia excedente (por transformações de energia) na forma dos distúrbios crescentes da natureza em todos os quatro reinos elementais, o que significa a aceleração da Roda, da Suástica.

De qualquer forma, esse quinto elemento alterado a partir do núcleo do sistema seria o ponto de apoio sobre o qual os estímulos gravitacionais estariam sendo aplicados como uma alavanca dinâmica de efeitos secundários, imprevisíveis e em escala crescente, sobre todos os departamentos da natureza e da Psique coletiva, de acordo com as analogias entre elementos e temperamentos.

Então, se quisermos saber onde está a causa de tudo isso, ela procede sim de uma alavanca estelar/solar de incremento de energia sendo aplicada no ponto de apoio chamado núcleo-Terra, o que significa ajuntar aqui os distúrbios de campo magnético da Terra (intimamente relacionado com o misterioso núcleo da Terra) e todas as inúmeras perturbações associadas, dentro de uma cadeia de efeitos que alcança todas as partes do mesmo sistema em nota de entropia, inclusive a Vida estabelecida nesse sistema.

JP em 03.04.2020

Comentários
Compartilhar