A Hora de Deus

 

 

 

 

Se a Hora Nona (3 da manhã) é uma hora de intensa circulação de energia, na qual o ciclo das horas do dia recriam os mesmos ângulos de abertura das grandes pirâmides de Gizé (e a conexão estelar), envolvendo toda a Terra no salto harmônico do Fá musical (4/3), como vimos antes, energia que faz qualquer um saltar literalmente da cama, sem distinção de qualidade espiritual (uma porta neutra de energia que serve tanto a luz quanto as trevas, dependendo da polarização de cada alma), temos que falar de uma Porta sagrada que serve de Hora real de comunicação direta com as esferas espirituais mais elevadas, a chamada Hora de Deus.

Trata-se de uma faixa de horário muito mais qualificada para o exercício da meditação profunda do que a hora nona, por se tratar de uma porta mais espiritual do que energética, acima mesmo do conceito dimensional de vibração. Primeiro, porque ela se baseia no ângulo de 72°, o ângulo do Pentagrama, e 72 é o número-mestre de toda a Cabala. O Número de Deus.
Esta hora pode ser localizada pela mesma regra de três feita anteriormente:

Se 90° equivale a 6 horas (360 minutos), então 72° equivalerá a 288 minutos, o que nos leva a 4h 48m no relógio, ou 72 minutos antes das 6 horas da manhã, hora de referência do nascer do Sol. O arco de 6 horas noturnas cobre 360 minutos de tempo, ou 5 grupos de 72 minutos (360/5), o que significa que o horário das 4h48m da manhã se abre para o último período de 72 minutos antes das 6 da manhã, sendo muito especial por isso.

Alguns crops circles já fizeram menção a essa geometria da pirâmide áurea de 72 graus, e selecionei dois.

O primeiro, de 2010, mostra a pirâmide e um Olho no topo (Olho de Deus, a Onisciência) e ela penetra num anel, como um portal espiritual de conexão e contato.

O outro modelo, de 2014, associa o triângulo áureo (72°) com três círculos, o que poderia ser uma ligação com o Sistema Sirius 3 ou, genericamente falando, uma conexão com a simbologia da Presença Divina da Santíssima Trindade que se apresenta na Hora 12, ou última hora (dupla) antes da primeira hora da manhã.

O Signo de Peixes, signo 12, também é representando por uma Trindade: o Pai e os dois peixes, chamas gêmeas do Espírito Santo, na faixa violeta. E o Peixe é um dos signos mais fortes na associação com os valores sirianos nas culturas antigas. O Peixe do evangelho de Cristo.

Às 6 horas da manhã, o sol se aproxima do nascimento, e entra em vibração o signo de Áries, o primeiro, representando o despertar de toda atividade física, o que significa dizer que esta última porta noturna, a porta da Hora 12, Hora de Peixes, é a mais espiritual das doze horas duplas do relógio solar diário. Por isso, é nessa faixa a partir das 4:48 que temos nossos melhores sonhos.

Sobre a Hora 12, as tradições dos antigos judeus mencionavam a hora da chegada do Messias e a redenção da humanidade caída no pecado. Já Eliphas Levi comenta a hora doze de Apolonio de Tyana:

 

“Aqui se realizam pelo fogo as obras da eterna luz!”

 

Essa sentença resume bem o tipo de energia que circula na Hora 12 do Sol, a hora da Presença Divina, quando então as almas voltam do Umbral, do Astral e da Quinta dimensão e são atraídas aos seus corpos, e um balanço de todas as experiências fora do corpo é realizado. Daí que esta é a hora perfeita para iniciar uma sessão de meditação, o cérebro estará renovado e descansado em uma noite de sono.

O Signo de Peixes, o último, vibra na faixa da cor violeta (a chama violeta), que é a cor do espírito tríplice que vibra na hora 12 antes da hora vermelha de Áries, o primeiro signo, a Hora primeira do dia que começa. A maioria dos monges prefere meditar na hora 12 do que nas horas anteriores, exatamente nesse período de duas horas (ou 72 minutos) antes do nascer do Sol, porque nessa hora se cria uma espécie de linha direta de comunicação com Deus, e as orações têm mais chance de receber respostas, em sonhos ou em meditações conscientes.

Observação: Na antiga Núbia (atual Sudão africano) se construíram muitas pirâmides do tipo, diferentes em estrutura das pirâmides clássicas de Gizé ou daquelas das Américas, entre o período de 2600 aC e 300 dC, servindo de túmulos reais. A antiga Núbia ficava nos vales do rio Nilo. Cerca de 255 pirâmides foram construídas, e podemos ver que a abertura delas é a mesma do Pentagrama, 72°.

 

 

A energia divina se concentra totalmente aqui!
Basta pesquisar o número 72 na Cabala e saberemos o motivo de tudo isso. O 72 fala na linguagem divina!

O Número do Grande Mistério!

Uma chave que está acima de portais e dimensões, e que nos remete ao Coração do Pai, nos educando diretamente na Sua Verdade brotando da fonte mais pura do SER!

JP em 28.10.2019

Comentários
Compartilhar