Templates by BIGtheme NET

Base Lunar Extraterrestre

A única coisa que faz sentido em torno de toda essa polêmica sobre a presença ET na Lua é a posição estratégica do referido satélite natural em relação a Terra, perfeito para cumprir o papel de base de monitoramento do nosso mundo, uma espécie de ante-sala de recepção de sinais externos e mesmo naves. Algo assim como uma Ilha espacial nas fronteiras do Grande Continente: lembrando que essas geografias sempre foram empregadas como fortalezas naturais e mirantes de guarda em caso de guerra. 

Se os Extraterrestres não só visitaram, mas civilizaram a Terra no passado, a Lua fez parte desse projeto, como uma base estratégica de observação e defesa. E talvez ainda cumpra esse papel até os dias de hoje. O duro não é haver uma face permanentemente oculta da Lua. O duro é haver um acobertamento permanente de toda a verdade, mais obscurecido que a própria face oculta da Lua.

Inclusive, no esoterismo antigo, há uma mesma concepção da Lua e da sua esfera de influência relacionada à ideia de base, de fundamento, como o IESOD hebreu. Outro paralelo incrível é que a cidade de JERICÓ tem seu nome oriundo do nome hebreu para Lua, e Jericó era uma cidade fortemente armada e murada para guardar as terras de Canaã,invadidas posteriormente pelos exércitos de Josué.


Em muitas culturas antigas, o nome da Lua tem uma raiz de prefixo MA ou MU, (Moon inglês) termo relacionado a Mãe, ou Matriz, sentido análogo ao de base (vital e operacional) da Terra.
Bem sabemos que o satélite lunar é fundamental aos ciclos vitais da natureza, especialmente os relacionados à concepção e gestação, bem como os ciclos da natureza, regulados segundo as lunações. Este é um dos argumentos favoritos aos defensores da Astrologia como ciência legítima.

Acho interessante buscar esses paralelos nos conhecimentos do passado porque lá estão as reminiscências dos segredos que vieram dos alienigenas, aqueles que os teóricos do Astronauta antigo defendem no canal History, apresentando tantos fatos e argumentos que fica difícil pensar diferente aqui.

Já o tronco das palavras que nomeiam a Lua com letra L, como o próprio portugues, e o espanhol, e o francês, e outras (Lune, Luna), se ligam às palavras que, com o mesmo prefixo L, iniciam palavras que significam LUZ (Light, Luz, Lucis, Luce, Licht, etc) justamente pela idéia da Lua como farol noturno ou luminar menor, muito comum na antiguidade e difundida entre os povos que a usavam no seu calendário.


E da raiz MA-MU para Mãe, Matriz ou mesmo Águas, interessante comparar com a origem do nome de Atlântida (ATL = Água) que, além de sua situação geográfica no meio do grande oceano, como uma Grande Ilha continental, traz também relação daquele continente ancestral como a matriz ou mãe de todas as civilizações da nossa raça, antigas e modernas, chamada de Ária.
O espaço entre a Terra e a Lua como as águas de um oceano cósmico, a Terra como grande continente e a Lua como Ilha nas suas fronteiras, estação de desembarque terrestre, etc.

Creio que existem inúmeras pistas importantes no acervo dos conhecimentos antigos que, com as conexões adequadas, poderão nos aclarar muitos mistérios ainda por solucionar. 

JP em 05.05.2019

Comentários