“OVNIs desarmaram nossas armas nucleares”, reafirma senador americano e pede investigação

O ex-senador dos EUA Harry Reid repetiu as afirmações em um novo documentário de que os OVNIs interferiram nas instalações de armas nucleares dos EUA – até mesmo proibindo o lançamento de armas por completo.

No documentário “O Fenômeno”, lançado na terça-feira, Reid disse, repetindo afirmações que lhe disseram: “Se eles tivessem sido chamados pelo presidente para lançar [as armas nucleares], não poderiam ter feito isso”.

Reid, que foi uma figura proeminente na formação do programa secreto de OVNIs do Departamento de Defesa, disse que houve vários avistamentos de OVNIs por oficiais de lançamento nuclear.

Ele não elaborou nenhum detalhe adicional que apóie suas afirmações no documentário, mas disse que “a maioria” das pesquisas sobre OVNIs “não viu a luz do dia”.– PROPAGANDA –

“Ninguém precisa concordar por que está lá, mas não deveríamos pelo menos gastar algum dinheiro para estudar esse fenômeno?” ele disse no documentário. “Não deveríamos estudar as coisas? A resposta é sim. E era só isso. E por que o governo federal todos esses anos encobriu, colocou pastilhas de freio em tudo, parou. Acho que é muito, muito ruim para o nosso país ”.

Reid não é o primeiro a discutir a interferência dos OVNIs nas armas nucleares. O proeminente pesquisador de OVNIs, Robert Hastings, alegou em 2010 que pelo menos 120 ex-militares dos Estados Unidos testemunharam OVNIs voando em torno de instalações de armas nucleares, alguns dos quais alegaram que as armas nucleares se tornaram inoperantes na presença de OVNIs, informou a CBS News. .

Relatos de OVNIs interferindo nas operações militares dos EUA não são novos. Na verdade, o Congresso pressionou o Pentágono por respostas sobre relatos de OVNIs voando pelo espaço aéreo militar. O Pentágono formou a Força-Tarefa de Fenômenos Aéreos Não Identificados em agosto, em um esforço para melhorar sua identificação e compreensão dos OVNIs, bem como sua potencial ameaça à segurança nacional.

A porta-voz do Departamento de Defesa, Sue Gough, disse em agosto: “O Departamento de Defesa criou a UAPTF para melhorar sua compreensão e obter informações sobre a natureza e as origens das UAPs. A missão da força-tarefa é detectar, analisar e catalogar UAPs que podem representar uma ameaça à segurança nacional dos EUA. ”

O Departamento de Defesa e os departamentos militares levam muito a sério quaisquer incursões de aeronaves não autorizadas em nossos campos de treinamento ou espaço aéreo designado e examinam cada relatório. Isso inclui exames de incursões que são inicialmente relatadas como UAP, quando o observador não consegue identificar imediatamente o que ele ou ela está observando ”, acrescentou Gough.

A formação da força-tarefa ocorre cerca de três meses depois que o  Pentágono divulgou três vídeos oficiais  mostrando “fenômenos aéreos não identificados”. Um dos vídeos mostrou um encontro em novembro de 2004 e os outros dois mostraram um encontro em janeiro de 2015 com UAPs.

Fonte

Comentários
Compartilhar