O Giro Angular e a Viagem Astral Consciente

A viagem astral é relatada desde a antiguidade nos livros sagrados dos xamãs e dos sacerdotes que cumpriam suas funções espirituais nesta vida e no mundo estelar, fora do corpo físico, e inclusive a Bíblia faz referências a ela em sua própria linguagem, exemplo, “eu fui arrebatado aos céus em espírito!”

Cientistas suíços estabeleceram, pela primeira vez, relações experimentais entre a viagem astral e uma parte do córtex cerebral chamada Giro Angular, destacada na imagem.
(na região do lobo parietal inferior).

Olaf Blanke, neurologista da École Polytechnique Fédérale de Lausanne, na Suíça, que realizou os procedimentos, disse que as mulheres tinham uma história psiquiátrica normal e ficaram impressionadas com a natureza bizarra de suas experiências.

A edição de 21 de setembro da revista Nature inclui um relato do Dr. Blanke e seus colegas da mulher que sentiu uma pessoa sombria atrás dela. Eles descreveram as experiências extracorpóreas na edição de fevereiro de 2004 da revista Brain. Tais reações foram obtidas nas pacientes por estímulos de eletrodos implantados diretamente no seu córtex cerebral.

De qualquer forma, sabemos que todas as funções voluntárias e involuntárias do organismo são antes processadas na forma de comandos neurológicos complexos nas diversas áreas do córtex cerebral (massa cinzenta), e que cada área sua realiza uma função ou habilidade especifica do indivíduo.

O que a neurologia não sabe ou ainda não demonstrou é que todas essas funções comandadas por áreas do córtex cerebral em atividade neurológica podem ser desenvolvidas muito além de sua faixa normal, ou ainda, adquiridas quando sequer existem, tal o caso da viagem astral consciente.

No caso da Viagem Astral Consciente, se ela começa como uma habilidade expandida pelo estímulo neurológico do giro angular (isso porque, na faixa normal, todos nós abandonamos o corpo quando caímos no sono), sua fonte de energia se relaciona com o chakra coronário, que é a porta da saída da alma, através do vórtex de energia que aquele chakra pineal emite quando dormimos: e o termo chakra pineal serve para ilustrar que, por trás de tudo, está a glândula pineal, aquela que fabrica o hormônio do sono, a melatonina – porque sem este hormônio, não conseguimos dormir. Isso sem esquecer da ação da energia vital que ascende pela coluna vertebral até a região do cerebelo, quando se diz que a força vital alcançou a sétima órbita, antes de que inunde todo o cérebro nos fenômenos acima relatados.

E se existe uma segunda substância secretada pela glândula, o DMT, diretamente envolvida com os processos psíquicos superiores, substância essa que só é secretada sob condições especiais do cérebro, entendemos que a Viagem Astral Consciente, na verdade, é uma resultante psíquica final de uma série de eventos neurológicos relacionados dentro de uma cadeia sequencial de fatores não tão simples assim de serem mapeados pela ciência médica oficial, mas claramente conhecidos pela experiência prática dos projetores astrais e daqueles que sabem induzir sua mente ao estado que propicia tal experiência singular e rica nas horas do sono.

Esta é mais uma demonstração de que toda ciência começa com a consciência, e toda consciência só pode ser fabricada nos caminhos do auto-conhecimento, quando, antes de qualquer laboratório experimental, você aprende na prática que não há melhor laboratório que o corpo físico, e melhor instrumento de observação e pesquisa que a mente treinada para além de suas capacidades normais!

JP em 29.02.2020

Comentários
Compartilhar