Índia leva China ao tribunal internacional pela Guerra Biológica do COVID-19

Como um impacto direto de extensos relatórios da GreatGameIndia sobre o aspecto sinistro do Coronavírus sendo fabricado como arma biológica, agora a Índia arrastou a China para o tribunal internacional por travar a guerra biológica usando o COVID-19 . A denúncia da Índia ao Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas em busca de compensação da China apresenta especificamente como evidência  o relatório da GreatGameIndia  sobre como os agentes e cientistas chineses de guerra biológica roubaram o coronavírus de um laboratório canadense e o armaram no Wuhan Institute of Virology .

Além da denúncia da Índia, também foi instaurado um processo de US$ 20 trilhões contra a China por guerra biológica no Tribunal Federal do Texas, alegando que a China criou e liberou o coronavírus como uma arma biológica no mundo.

A GGI sofreu um ataque maciço por relatar essas histórias de organizações verificadas como NewsGuard, que são financiadas por Bill Gates para limpar seu nome. A grande mídia deve ao GGI um grande pedido de desculpas por caluniar nosso nome, deixando de fazer a pergunta básica de ‘conflito de interesses’.

A reclamação

O Conselho Internacional de Juristas (ICJ) e a All India Bar Association acionaram o Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas em busca de compensação da China por “desenvolver sub-repticiamente uma arma biológica capaz de destruição em massa”.

A queixa foi escrita pelo advogado sênior Adish C. Aggarwala, presidente da All India Bar Association e presidente do Conselho Internacional de Juristas, no cenário da disseminação do mortal coronavírus, que já matou milhares de vidas em todo o mundo.

“É humildemente solicitado que o CDHNU possa ter prazer em indagar e dirigir a China e compensar adequadamente a comunidade internacional e os estados membros da ONU, particularmente a Índia, por desenvolver clandestinamente uma arma biológica capaz de destruir em massa a humanidade”, afirmou Aggarwala na denúncia.

O advogado exigiu remuneração da China por infligir graves danos de saúde, psicológicos, econômicos e sociais ao mundo. Aggarwala também apontou os efeitos da pandemia na economia da Índia, o desequilíbrio na demanda e oferta de mercadorias e a migração em massa de pessoas marginalizadas.

“A atividade econômica do país esta suspensa, causando um enorme impacto na economia local e em geral na economia global”, acrescentou a denúncia.

A denúncia alegou ainda que a China elaborou meticulosamente uma conspiração para espalhar o coronavírus no mundo e violou as disposições do Regulamento Sanitário Internacional (RSI), dos Direitos Humanos Internacionais e cometeu graves violações do Direito Internacional Humanitário e das cláusulas da DUDH.

“Ainda é um mistério como o vírus não se espalhou para todas as províncias da China, mas ao mesmo tempo se espalhou para todos os países do mundo. A especulação apenas aumenta a probabilidade de o COIVD-19 ser uma arma biológica cuidadosamente montada, destinada a paralisar os principais países do mundo, deixando apenas a China como beneficiária ”, apontou a denúncia.

O autor da denúncia alegou ainda que o vírus foi desenvolvido no Laboratório de Virologia de Wuhan, de onde foi cuidadosamente implantado para afetar um minúsculo 0,001% da população chinesa.

Ele disse que o país vizinho implantou o vírus do coronavírus em uma tentativa de controlar a economia do mundo comprando ações de países que estão à beira do colapso econômico de suas empresas.

O governo chinês havia deliberadamente censurado as informações e ocultado os primeiros avisos do Dr. Li Wenliang, que foi, de fato, repreendido e inicialmente preso e punido pelas autoridades locais na China, por alertar nas mídias sociais o início da contaminação, disse ele.

“O governo chinês também não conteve e não restringiu suficientemente as viagens de pessoas infectadas para contaminar ainda mais o mundo.”

Impacto GGI

A denúncia afirma que o governo chinês planejou meticulosamente a execução e a disseminação do novo coronavírus e o mesmo pode ser inferido na maneira como a China considerou a situação e também o curioso caso da disseminação do vírus em todo o mundo. . Como apontado anteriormente, permanece um mistério o modo como o vírus não se espalhou em todas as províncias da China, mas ao mesmo tempo se espalhou para todos os países do mundo.

Processo de US $ 20 trilhões contra a China por guerra biológica

Além da queixa Índia ao Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, também foi instaurada uma ação judicial de US $ 20 trilhões contra a China por travar uma guerra biológica , alegando que desencadeou o coronavírus como uma arma biológica no mundo pelo advogado e ativista conservador americano Larry. Klayman, sua Company Buzz Photos e seu grupo Freedom Watch.

No processo, Klayman argumentou que, porque a China já havia concordado com o  tratado da Convenção sobre Armas Biológicas em proibir tais armas c. Em novembro de 1984, essas ações não podem ser ações governamentais oficiais da República Popular da China e, portanto, a China não pode reivindicar imunidade legal do processo de ação coletiva.

Klayman acrescentou em um comunicado: “Não há razão para que o contribuinte americano deva, ao contrário do estabelecimento em Washington, DC, pagar pelos danos tremendos causados ​​pelo governo chinês. O povo chinês é um povo bom, mas seu governo comunista não é e deve pagar caro por isto. ”

Klayman está buscando US $ 20 trilhões em danos e pediu que os americanos afetados se inscrevam em seu site  Freedom Watch USA  e se tornem parte do processo de ação coletiva. O caso deu entrada e esta arquivado em um tribunal federal do Texas.

Fonte

Comentários