Deixem que os mortos enterrem seus mortos!

 

 

 

Dia dos mortos… mas quem celebra o dia dos mortos não acredita em Deus… me desculpe o tom.

Quem lamenta por seus entes queridos sobre sepulturas não coloca na prática as leis fundamentais da vida além da vida…

Quem cultua cadáveres na eternidade de cemitérios não demonstra fé na vida eterna… ou na simples lei da reencarnação… de repente o filho chorando pelo pai que já voltou e está do lado dele, como seu neto (filho do filho que chora pelo pai desencarnado)…

Quem se apega a memória das pessoas que já se foram e sofre de saudade crônica não acredita de fato na lei da reencarnação e, melhor que isso, na graça transcendental da ressurreição aos que alcançarem o merecimento em vida pela prática real dos ensinamentos de Jesus Cristo.

Por tudo isso e muito mais está escrito:

E outro de seus discípulos lhe disse: Senhor, permite-me que primeiramente vá sepultar meu pai.
Jesus, porém, disse-lhe: Segue-me, e deixa os mortos sepultar os seus mortos.
Mateus 8:21,22

Então, quero dizer o seguinte:

O verdadeiro espiritualista não cultua dia dos mortos em cemitérios a cada 2 de Novembro…. o verdadeiro espiritualista tem os seus entes queridos no coração, não em sepulturas. O verdadeiro espiritualista carrega a lembrança da alma que se foi mas voltará um dia, e não a memória triste dos ritos fúnebres, que se tornam outro golpe do comércio para faturar em mais um feriado…

O verdadeiro espiritualista apenas acredita no que Cristo disse:

EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA.

E acredita que a morte não encerra a vida de ninguém, apenas a muda de lugar.
De repente, alguém chora por um parente falecido há alguns anos e que já é uma criança que nasceu há pouco tempo no seio de sua família, balbuciando as primeiras palavras, manifestando familiaridade com as pessoas do novo lar que é o antigo…

Eu falo duma coisa que eu mesmo pratico, porque tenho um pai que está enterrado há mais de 20 anos num cemitério qualquer, e eu nunca fui lá, nem no dia do seu enterro. Nem sei em que túmulo ele se encontra.
Mas, por outro lado, por acreditar com toda fé na vida após a vida, sim, aprendi a reconhecer o seu retorno na minha mesma família, e ele já está com quase 4 anos…

São coisas que temos que por em prática.
Quem cultua a morte não acredita na prática na vida eterna.

Nada adianta falar de Deus e da fé na vida além da vida e ir chorar sobre sepulturas velhas que só guardam ossos e nada além de ossos…

Abrindo os olhos, reparamos que em poucos anos as almas queridas sempre retornam, e como parecerá perda de tempo continuar as peregrinações aos cemitérios com esta consciência no coração!

Os tibetanos e as culturas do Oriente tem uma compreensão muito maior e melhor sobre a morte do que os ocidentais materialistas.

A morte é um conceito equivocado que ganha força no materialismo, ou o apego ao mundo das formas e da matéria. O verdadeiro espiritualista sabe disso.

E reparando bem, como todo o resto, há uma grande indústria de lucro se valendo TAMBÉM da morte e faturando alto com produtos relacionados. Já viram quanto custa o caixão mais barato?
Como diz a sabedoria popular, pagamos para nascer, pagamos para viver, pagamos para morrer…

Ps: desculpe alguém se minhas palavras parecerem radicais ou ofensivas a alguma sensibilidade… mas é que o caminho espiritual é assim mesmo. Tem que ser radical.

Caso contrário, a humanidade nos envenena com sistemáticas crenças e comportamentos equivocados, e nos acaba por tragar no vórtice dos seres condicionados como rebanho ao abate.

 

JP em 02.11.2019

Comentários
Compartilhar