Ciência

Cientistas Alertam: Uma Poderosa Explosão Solar Pode Causar o “Apocalipse da Internet” em Breve

À medida que eventos catastróficos se desenrolam ao redor do Mundo a visão apocalíptica do conto de ficção científica do escritor americano Fritz Leiber “A Pail of Air (1951)” é uma possibilidade bastante próxima. 

Mais e mais cientistas acreditam que seremos destruídos por uma catástrofe auto-induzida, como uma guerra nuclear ou uma pandemia de bioengenharia.. No entanto uma série de outros perigos naturais extremos incluindo ameaças do espaço e convulsões geológicas da Terra ainda podem acabar com a vida como a conhecemos  exterminando bilhões de pessoas ou mesmo potencialmente exterminando nossa espécie. Mas agora os pesquisadores alertaram para algo muito pior: O apocalipse da internet desencadeado pelos efeitos das tempestades solares.

O fim da internet

Cientistas da Universidade da Califórnia alertam que uma poderosa explosão solar tem o potencial de paralisar a internet por dias, com repercussão mundial. Os investigadores. Os pesquisadores vêm alertando há décadas que uma tempestade solar extrema, ou um evento semelhante conhecido como ejeção de massa coronal pode danificar as redes de energia e causar blecautes prolongados.

No entanto após um novo estudo sobre os efeitos das tempestades em tecnologias relativamente novas como a Internet as consequências de uma tempestade agora podem ser muito mais sérias. Sangeetha Abdu Jyothi, um professor da Universidade da Califórnia, sugeriu durante uma conferência no SIGCOMM 2021 que uma tempestade solar poderia danificar significativamente a internet global devido à rápida nuvem de partículas solares magnetizadas.

Os efeitos de uma interrupção prolongada da conectividade global nessa escala afetariam quase todas as indústrias e pessoas na Terra. Em entrevista à revista digital Wired ele afirmou que longos cabos submarinos conectando continentes significam que os riscos são muito maiores pois cortariam o fornecimento aos países da fonte. Basicamente seria como cortar o fornecimento de água para um prédio de apartamentos devido a um cano quebrado.


“O que realmente me fez pensar sobre isso é que com a pandemia vimos como o mundo estava mal preparado ” disse Jyothi. “Não havia um protocolo para lidar com isso de forma eficaz e o mesmo se aplica à resiliência da Internet. Nossa infraestrutura não está preparada para um evento solar em grande escala. Temos um conhecimento muito limitado de qual seria a extensão do dano. “


Os dados são limitados porque tempestades solares extremas ocorrem com pouca frequência tendo sido registradas apenas três vezes na história. O último foi em 1921 e agora outros pesquisadores apontam que a probabilidade de outro evento semelhante está aumentando . Embora não ocorram com frequência, as ejeções de massa coronal são uma ameaça real à resistência da Internet, concluiu Abdu Jyothi.


Por exemplo os Estados Unidos e o Canadá estabeleceram procedimentos para o caso de uma tempestade solar. Thomas Overbye, diretor do Smart Grid Center da Texas A&M University diz que as operadoras de telefonia fizeram algum progresso na mitigação de riscos nos últimos 10 anos. Mas ele enfatizou que, como os fenômenos solares são tão raros e relativamente mal estudados outras ameaças como mudanças climáticas ou ataques cibernéticos, têm prioridade muito maior.


“Parte do problema é que simplesmente não temos muita experiência com tempestades solares” explica Overbye. “Há quem pense que uma perturbação geomagnética seria um cenário catastrófico e há quem pense que seria um evento menos importante. Eu estou no meio. Acho que é algo para o qual certamente queremos estar preparados como indústria e tenho trabalhado para desenvolver ferramentas que avaliem o risco. Mesmo assim, há muitas outras coisas que estão acontecendo no setor que também são importantes.”

Chama solar iminente

A verdade é que temos precedentes para foguetes potencialmente destrutivos. Embora em 2012 muitas pessoas e a mídia tenham zombado do apocalipse maia, muito poucas pessoas sabem que a Terra quase retornou à Idade da Pedra em 23 de julho do mesmo ano. Quase 9 anos atrás, nossa estrela mais próxima o Sol  lançou uma das maiores erupções solares e ejeções de massa coronal já registradas. E quase atingiu a Terra. A tempestade solar de julho de 2012 consistiu em uma explosão solar massiva seguida por uma ejeção de massa coronal colossal (CME).


E antes de 2012, a maior tempestade solar registrada foi o Evento Carrington de 1859. Uma poderosa explosão solar atingiu nosso frágil planeta, destruindo grande parte da rede telegráfica na Europa e na América do Norte . 

Ilustração artística mostra Londres durante um evento solar do mesmo nível do Evento de Carrington.Créditos: William Henry
De acordo com especialistas a tempestade de julho de 2012 foi em todos os aspectos pelo menos tão forte quanto o evento de Carrington em 1859. E seja por acaso destino ou graças aos milhões de crentes que oraram este ano fomos salvos por pouco. De um verdadeiro apocalipse.


Mas, como a pandemia mostrou os governos ignoram os avisos dos cientistas, pois o pior cenário pode se concretizar muito em breve. O sol iniciou um novo ciclo de 11 anos no ano passado, e ao atingir seu pico em 2025  cresce o espectro de um clima espacial poderoso que pode ser um perigo real para a humanidade, causando o caos em um mundo que se tornou cada vez mais dependente na tecnologia. O que está claro é que mais cedo ou mais tarde uma dessas tempestades solares atingirá a Terra e então será interessante ver como o ser humano vive sem a internet.

********

Crop circles têm dado o mesmo alerta há muito tempo.
Perdi as contas de quantos deles eu já não interpretei nessa direção de mensagem de alerta!

Muito se fala dos TRÊS DIAS DE ESCURIDÃO aqui, e que, no entanto, podem durar muito mais do que isso…



JP em 31.08.2021

Comentários

Botão Voltar ao topo