Espiritualidade

Amor ou Adoração?

AMOR OU ADORAÇÃO?

Adoração! Acho que essa palavra é sempre muito comprometedora e se liga a outra, FANATISMO, e como disse antes, não se vincula exclusivamente ao campo religioso.

Pessoas ADORADORAS de futebol entram em guerra aberta e até matam em nome do seu time identicamente a grupos religiosos fanáticos.

O mesmo podemos dizer das pessoas ADORADORAS de seus partidos políticos, criando guerras a céu aberto com pessoas de outros partidos, e também dispostas a matar em nome do seu líder ou ideal, tudo por causa de uma adoração cega. Acho que nem ETs e Anjos querem ser adorados. Há uma pista que demonstra isso.

Está numa passagem do Apocalipse 22: 8-9

“E eu, João, havendo-as ouvido e visto estas coisas, prostrei-me aos pés do Anjo para adorá-lo, e ele me disse: Não faças tal, pois sou servo como tu. .. Adora a DEUS!”

Deus não quer adoradores. Deus quer pessoas que saibam amar.

Artigos relacionados

Nem o ANJO quis ser adorado. Muitos defendem teorias de que os deuses vieram aqui no passado para instalar cultos de adoração, mas só se forem deuses caídos, porque deuses e Anjos não querem ser adorados, e na sua humildade, dizem: somos todos servos do Criador como vocês!

ADORAR a Deus na forma de um amor consciente é diferente.
Não se associa de modo algum a sentimentos fanáticos carregados de cobiça e interesses do ego, que já descaracterizam imediatamente qualquer espécie de amor.

Essa emoção humana mal resolvida dentro da alma que, necessitando sempre descarregar suas paixões em objetos externos, é realizada com pouca racionalidade e muito fanatismo, motivando guerras ideológicas em toda parte.

O Amor não precisa se manifestar com adoração cega.
Porque o Amor não é cego, mas consciente. Só a Paixão é cega e cegante.

Os relacionamentos onde se manifestam adoração extrema nunca acabam bem… muitas vezes, em episódios de crimes passionais e assassinato. Como sempre, a causa do problema não está no objeto externo (religião, ufologia, relacionamentos, etc) mas no psicológico deturpado da humanidade.

E bem como disse Jesus: Ama a teu próximo como a ti mesmo. Essa é a forma mais simples de se amar: se colocando no lugar dos outros e compreendendo o outro lado. Aqui não existe adoração, e sim, compreensão.

Adoração, paixão, emoções intensas demais, etc, ferem a velha lei do equilíbrio, que diz que o Meio é a senda que conduz a Verdade. Os extremos sempre matam. Porque o AMOR é o meio termo entre as paixões de adoração e os ódios devotados. Quem adora, se contrariado, pode odiar. Mas quem ama, sempre ama e nunca mudará. Temos que aprender a amar, então o nosso coração se iluminará e viverá em equilíbrio com todo o resto do universo.
O que mata é o excesso.

Tudo isso é carência da alma humana, que fanatiza tudo e tudo transforma em objeto de adoração, apego, posse, cobiça. Amor não é nada disso. Espiritualidade é caminho do meio, é visão centralizada, é foco, é fé consciente. Amor devotado de entrega, mais do que de possessão. Nunca de possessão.

O ser humano anda histérico, encontrando canais para botar pra fora toda sua paixão reprimida e sua violência e frustração contida.
Quando vejo adoração cega, vejo problemas na alma, e dos grandes.

JP em 20.08.2021

Comentários

Botão Voltar ao topo