Templates by BIGtheme NET

Se a Terra pulsa como possuindo um coração, então ela também pensa, possuindo uma mente!

Afirmam cientistas italianos.
Sim, é uma descoberta antiga, publicada na década de 1980, porém, ela se atualiza a cada dia.
Pulsos gravitacionais regulares procedentes do núcleo da Terra!
Um precedente para a teoria da Terra Viva!
A matéria diz:
“Um grupo de físicos italianos da Universidade de Roma descobriu, após 10 anos de ondas gravitacionais de estudo, uma pulsação ou vibração rítmica da Terra, que ocorre a cada 12 horas como o bater de um grande coração. A equipe de físicos liderada por Edoardo Amaldi e Guido Pizzella trabalha desde 1970 na pesquisa, com base na teoria da relatividade, de acordo com que os corpos celestes, além de emitir ondas eletromagnéticas, também lançado para o espaço ondas gravitacionais, efeito da atração universal dos corpos originados pela massa, quantidade de matéria contida em um corpo.
Verificar isso foi muito difícil, porque o filtro é quase transparente para as ondas gravitacionais.
Depois Uma série de experimentos, Weber relatou que ele tinha provas da existência de ondas gravitacionais, mas ninguém conseguiu obter esse resultado e foi pensado que ele estava errado .Os físicos de Roma seguiram as investigações de Weber, com antenas parecidas e mais sensíveis, que levaram aos resultados agora tornados públicos”
(Publicado em 27.09.1983)

http://elpais.com/diario/1983/09/21/sociedad/432943212_850215.html

Transformando pulsos gravitacionais em frequência musical, como seria?

Um pulso a cada 12 horas dá uma frequência de cerca de (1/43200 s) = 0.000023148 1/s (Hz), o que equivale a uma nota SOL extremamente grave.

Junte-se com as frequências hertzianas da oscilação eletromagnética da Terra, ou frequências da Ressonância Schumann, temos aí os parâmetros para a Teoria da Terra Viva.

E curiosamente, a ressonância Schumann (~7.8 Hz) e seus harmônicos estão na mesma faixa das frequências da atividade mental do cérebro humano – embora as últimas medições mostrem que esse valor já subiu acima de 10 ou 11 Hz atualmente, ou até mais do que isso.

A analogia é óbvia, e a conexão permite-se em cima dela.

A conexão com a ressonância Schumann!
E se essa Terra tem um coração e vive, ela tem uma mente, um cérebro, e pensa!

Um dia descobrirão que os cristais e gemas no subsolo, principalmente o abundante quartzo, formam a rede neurológica da própria Terra, que “pensa” em sua própria frequência! E talvez essa rede seja justamente os famosos registros akáshicos de informação e memória do planeta, em todas as suas eras! E mais, podemos entrar em sintonia com a Mente planetária e aprender com ela, diretamente de seus arquivos e sabedoria, tal como faziam os místicos do passado em meditação!

Então os teóricos juntarão com o fato de que há um coração que pulsa no núcleo e… abracadabra:

a Teoria da Terra Viva será confirmada!

Teremos descoberto e compreendido como funciona o cérebro pensante e o coração vibrante e pulsante do planeta, e o tanto que a humanidade vêm produzindo derrames cerebrais e enfartes nesse mesmo mundo vivo com sua tecnologia de destruição desenfreada…

Eu já ouvi dizer que os padrões atmosféricos da quarta dimensão servem como uma lente de aumento que aproxima todo o campo visual do cosmos para bem mais perto, de modo a vermos, a olho nu, galáxias bailando bem pertinho, como a Lua.

Complicado tentar explicar isso, apenas imaginar que, numa outra dimensão, coordenada superior, as leis da Óptica mudam, e todas aquelas leis de refração, reflexão, velocidade da luz/onda a carregar as imagens dos objetos distantes, sofrem profundas modificações, e porque não dizer, são transcendidas por leis superiores, estas mesmas que permitem que a curvatura do céu se torne como uma grande lente de aumento para as Galáxias distantes…porque a curvatura do Espaço distorcido numa dimensão superior – a quarta – é que promove todo tipo de efeitos estranhos e inimagináveis no comportamento da luz visível e das ondas em geral, mudando também toda padronização dentro da visualização de objetos conforme as conhecidas leis da Óptica.

O que é longe fica mais perto em outras dimensões, e o conceito de distância vira do avesso! Aliás, como todos os outros conceitos da Física, da Química e das ciências clássicas e tradicionais e seus parâmetros de medição nesta dimensão de Espaço-Tempo 3D em que nos encontramos.

A idéia é mais ou menos parecida com a imagem que segue.

JP em 04.03.2019

Comentários