O Segundo Sol e o objeto P 7X – uma possibilidade astronômica (IV)

Prefácio

O objeto P 7X em janeiro de 2020

imagens do dr SAM

Percebemos que, depois dos eclipses de dezembro 2019 e janeiro 2020, vários vulcões entraram em atividade, e mais recentemente, muitos terremotos espalhados pela Terra começaram a acontecer.
Ninguém sabe, na verdade, quando os gatilhos gravitacionais dos alinhamentos planetários começam a fazer efeito.


Muitas vezes, durante o tempo dos eclipses, mas outras vezes, depois deles.
Nas imagens do dr Sam, entre 15 e 20 de janeiro, o Sol se alinhou com o objeto P 7x na constelação de Sagitário a Capricórnio, perto de Saturno.
E na imagem da Soho, em 20.01.2020, como o Sol passou sobre a região do objeto P 7X, podemos ver uma imagem semelhante a um grande cometa, no entanto, ainda não visível para nós, seja por razões de distância, seja porque esta é a época da ocultação do Sol, ou seja, a região celeste onde o Sol transita ficará alguns meses oculta por sua luminosidade, e é por lá que o objeto P 7X se move.


E pela imagem, já dá para ter uma noção do seu corpo e comportamento de cometa.
Ao estilo Nêmesis e o Dragão celeste de longa cauda do Apocalipse 12, derrubando estrelas pelo caminho…

A partir de Abril a Maio, o objeto volta a ser visível por telescópios no céu, e quem sabe, em breve, por nossos olhos…

JP em 23.01.2020


Os primeiros rastros do Segundo Sol?
O objeto P 7X diante da SOHO da NASA

Para a maioria das pessoas que não dispõem de um telescópio e conhecimentos técnicos para avaliar os objetos distantes no céu e aqueles invisíveis a olho nu, como é o caso do objeto P 7X estudado por astrônomos do Oriente Médio, Rússia e outros lugares, as imagens da SOHO da NASA podem comprovar a sua existência.

Temos na imagem duas tomadas, a primeira, em azul, no dia 2 de dezembro de 2019, e a segunda, em vermelho, no dia 20 de janeiro de 2020, 48 dias depois.
Vemos claramente que se trata do mesmo objeto, um objeto que deve estar se movendo a grande velocidade, porque já apresenta uma grande cauda atrás de si, e um rastro de materiais dispersos no espaço.

Vemos também a mudança angular o objeto em relação ao Sol centralizado no foco da SOHO, e em 48 dias, o Sol, em movimento aparente, se deslocou cerca de 50° de arco no céu, o que também está demonstrado pela mudança do eixo de posição do objeto em relação ao Sol nas duas tomadas.

E se não há nenhum cometa importante naquela região do espaço nesta época do ano (entre as constelações de Escorpião e Sagitário) no tempo do registro das duas cenas, que objeto é esse, senão que, confirmadamente, o objeto P 7X, diante da SOHO, para quem quiser ver?

Se este objeto é ou não é o Segundo Sol, Nêmesis, a estrela marrom ou vermelha, estrela gêmea, de grande massa e que se comportaria como cometa ao se aproximar do Sol, não se tem ainda absoluta certeza, apesar de todos os efeitos causados na Terra durante a época prevista dos alinhamentos, especialmente na época dos últimos eclipses de 26 dezembro de 2019 e 10 janeiro de 2020.

Porém, uma coisa é certa:
o objeto existe, está lá, é real.
E se aproxima da Terra rapidamente.

Ps: em 14 de dezembro deste ano, 2020, teremos outro eclipse solar total na região da constelação de Sagitário, onde o objeto se localiza, e até lá, bem mais próximo do Sol. Será uma época interessante de avaliar nova onda de energia gerada e efeitos sobre a Terra.

Aliás, Nostradamus tem uma quadra que disse que o “monstro” seria revelado no céu por um eclipse solar.

E que a humanidade lamentaria por não tê-lo previsto ou interpretado corretamente…

JP em 24.01.2020

Agrupamento planetário, eclipses e onda de terremotos em janeiro de 2020

Como sabemos, tivemos dois eclipses importantes, um eclipse anular (solar) em 26 d dezembro de 2019, e outro eclipse (lunar) penumbral em 10 de janeiro de 2020, e os efeitos logo apareceram, a princípio, numa incrível atividade vulcânica em toda a Terra, acordando inclusive vulcões dormentes há décadas, como foi o caso do Vulcão Taal nas Filipinas.

Agora, chegando num período em que um raro agrupamento planetário acontece, de uns dias para cá, e principalmente de ontem, 28 de janeiro, para hoje, 29, muitos terremotos acontecendo no planeta, com índices 5, 6 e 7, inclusive com um terremoto de quase 8 graus atingindo o mar do Caribe, perto da Jamaica, com risco de Tsunami (que já foi descartado), o que significa uma tremenda energia símica no planeta.

Analisando o céu, percebemos que, além dos eclipses citados (que sempre servem como gatilhos de energia gravitacional propagante), nestes últimos dias, com o movimento da Lua, um raro agrupamento planetário acontece, exatamente entre 27 e 29 de janeiro (hoje), colocando os planetas dentro de um arco celeste de cerca de 135 graus, o que significa outro fator de turbulência da maré gravitacional nos espaços.

Mas o fator principal é que o SOL, nestes dias, está transitando exatamente sobre a região do objeto P 7X, atualmente entre as constelações de Sagitário e Capricórnio, então incluido no citado agrupamento.

Seria outra demonstração experimental da sua existência muito relevante no cenário astronômico?
Ps: novos eventos poderão ocorrer.

JP em 29.01.2020

O Objeto P 7X em 20.02.2020

Segundo o diagrama postado pelo dr. Sam, o objeto P 7X estará hoje reunido com Saturno e Plutão, mais a Lua quase nova transitando naquela região do céu.

Júpiter estará próximo, junto da estrela Albaldah, da constelação de Sagitário.

Na verdade, o objeto P 7X está fazendo essa conjunção com Saturno e Plutão reunidos naquelas fronteiras do Zodíaco faz algum tempo, e o diferencial do dia de hoje é a passagem da Lua sobre essa região, incentivando um alinhamento.
Vamos prestar atenção ao dia de hoje em possíveis impactos no Sol e na Terra.

Ps: o objeto P 7X ainda está ocultado no céu pelo trânsito do Sol.
Lá para Abril ou Maio, ele volta a ser observável por telescópios.

JP em 20.02.2020

Mês de Março, alinhamentos planetários a frente, efeitos posteriores na Terra

Conforme o planeta Marte avança e se aproxima da região do céu onde está Júpiter, Saturno e o objeto P 7X, se criará um agrupamento planetário que poderá causar impactos na Terra e no Sol nos próximos dias.
O ápice se dará entre os dias 18 e 20 de março, com a Lua quase nova passando sobre a região assinalada.
Será mais um dado experimental da força gravitacional amplificada pela presença do objeto P 7X neste canto do céu.
Ps: a reunião Marte, Júpiter e Saturno no céu é relativamente rara.

JP em 07.03.2020

COLABORAÇÃO DA ASTRÔNOMA AMADORA PATRÍCIA PAIVA

O Objeto P 7 X (Nêmesis)

Pela astrônoma amadora brasileira Patricia Paiva

Sou astrônoma amadora, já algum anos pesquiso esse astro que vem do Sistema Nêmesis, sistema binário ao nosso.

Esse astro adentra no nosso sistema por ter uma órbita elíptica fora do comum, isso acontece quando há uma reaproximação do Sol negro do Sistema no qual esse e outros astros pertencem, além do cinturão de Kuiper, a órbita elíptica desse astro percorre os 2 sistemas em 3.600, deixando claro que esse astro não obedece as leis de Kepler, obtenho informações de pesquisas sérias através do Dr wissan (Sam) astrofísico sírio que estuda o P 7X há 30 anos, e juntamente com uma equipe de cientistas, em conjunto com astrônomos russos, também obtenho informações do astrônomo amador americano Hill Brousard, muito competente em suas pesquisas, faço parte de vários grupos sérios onde esse astro é monitorado, (no momento no país de origem desse pesquisador árabe, o astro está em meses de ocultação, mas aqui no Brasil já se pode observar as constelações de Sagitário/ Capricórnio, nas mediações de Saturno a esquerda e a sudeste, já se pode começar a procura e tentar capturar esse astro, que é real.

Apesar do grande governo e a Nasa omitiram sua existência, infelizmente as pessoas não fazem a menor ideia dos impactos que esse corpo celeste trará no nosso pequeno planeta azul.

Sou administradora de grupos árabes de pesquisadores, professores e cientistas como Dr Sam e Muhammed Taybe. Eles confiaram em mim para ser administradora dos grupos que as pesquisas sobre esse astro estão a todo vapor.
Faço observações noturnas com telescópio

Também quero deixar bem claro que astronomia é uma ciência que exige mta seriedade, não é só apontar o telescópio e capturar o astro. Temos que levar em conta a velocidade da Terra ( 1.700 km/h) e tbm a velocidade do corpo celeste que se observa, não é tão simples,e esse corpo celeste ainda não ultrapassou a linha de órbita de Júpiter, não adentrou no nosso sistema Solar interior, esse corpo celeste possui uma nuvem pesada e intensa de óxido de ferro, assim como seu corpo central. Por isso as observações necessitam de uma lente especial de infravermelho.

Sobre o objeto P 7X ( planeta cometa) sua cauda atualmente já ultrapassa 1 AU.

Em termos aproximados, a unidade astronômica pode ser definida como a distância média entre a Terra e o Sol, cujo valor definido aproximado é 150 000 000 km.
A cauda do P 7X ultrapassa essa distância, segundo estimativas.
A imagem abaixo é um registro recente, do ano passado (2019)

(Patricia Paiva, astrônoma amadora brasileira, nossa nova parceria de estudos e informações sobre o objeto P 7X)

(Em 12 de Março de 2020)


A Face do Dragão

O P 7X poderá ser observado com telescópios potentes e também de longo alcance. Acima de 200mm

Também quero deixar bem claro que astronomia é uma ciência que exige muita seriedade, não é só apontar o telescópio e capturar o astro. Temos que levar em conta a velocidade da Terra ( 1.700 km/h) e também a velocidade do corpo celeste que se observa, não é tão simples,e esse corpo celeste ainda não ultrapassou a linha de órbita de Júpiter, não adentrou no nosso sistema Solar interior, esse corpo celeste possui uma nuvem pesada e intensa de óxido de ferro, assim como seu corpo central. Por isso as observações necessitam de uma lente especial de infravermelho.

Patricia Paiva

************************************************************************

A foto acima é com infravermelho, e as definições de anã vermelha ou marrom, que geralmente são objetos sem luz visível, parecem confirmada.
Nesta foto incrível, vemos o objeto com suas pequenas luas ou planetóides.
E reitero as palavras de Patrícia, a astronomia não pode ceder à especulação que existe na Internet, e tudo o que aparece no céu é Nibiru.
Eu mesmo sempre tive muita cautela sobre o assunto, e refutei quase todas as teorias de Nibiru do passado com base em argumentos sem demonstrações.
Mas agora, o objeto P 7X é real e pode ser detectado por qualquer um que disponha dos e dispositivos tecnológicos necessários.
Sabemos muitas coisas sobre ele, principalmente as suas coordenadas.
Segundo Patrícia, ele se aproxima já da órbita de Júpiter, o que em breve poderá torná-lo visível no céu, a olho nú. E também já o acompanha uma cauda poderosa, de mais de 1 U.A. (distância-padrão Sol-Terra).
É aguardar para ver.
De minha parte, além dos efeitos na Terra que podemos classificar, em tempos de alinhamento do objeto com outros astros (como o agrupamento planetário próximo, ápice entre 18 e 20 de março), os crops circles sempre fizeram referência ao Sol como sistema binário.
E desse fato, desse novo status do sistema solar, eu nunca tive dúvidas.
(A imagem, eu creio, é um registro do dr Sam).

Uma reflexão sobre o objeto P 7X
Patrícia me fala que este objeto é um planeta que vem de um Sol Negro (oculto) provavelmente na região de Órion, e este Sol negro seria o real irão gêmeo do nosso Sol, e que o P 7X é um dos seus planetas, talvez o maior, se aproximando ciclicamente do nosso Sol a cada 3600 anos… pessoalmente, não vejo base científica dessa teoria, apenas algumas releituras do Nibiru de Zecharia Sitchin.

De minha parte, prefiro seguir acreditando na teoria de que o P 7X já é, ele mesmo, o segundo Sol no formato de uma estrela anã vermelha ou marrom com um ciclo de aproximação muito maior que 3600 anos, talvez na casa das centenas de milhares de anos, e que traz seu sistema de planetóides, e que realmente, por manifestar já uma cauda pronunciada a essa distância do Sol, deve ter uma massa poderosa e compactada.

Mas posso estar enganado. Porém espero provas e dados mais sólidos do que releituras de Sitchin.

JP em 17.03.2020

Novos alinhamentos do P 7X e impactos em abril 2020

Início do mês de abril e novos impactos dos recentes alinhamentos planetários, que apontamos desde fevereiro, e que estão sendo disparados.
Dr Sam apontou um importante alinhamento entre Marte, Saturno e o objeto P 7X, como os mapas dos programas por ele empregados assinalam.

Mais uma vez, e cada vez mais, o Dragão Vermelho do Apocalipse, em seu contexto astronômico, aparecendo para ferir a Virgem Celeste, que representa a Terra, em seu aspecto igualmente astronômico (Gaia), além do Comunismo e do Materialismo tentando ferir o Espírito do Eterno Feminino, que significa as religiões de toda a Terra.
(A Mulher, Virgem Maria, o simbolismo da Igreja ou União religiosa como Madre, Mãe espiritual das almas renascidas pelo poder da Doutrina do Verbo)

Profecias se cumprindo ou se intensificando desde 14 de Maio de 2018, como anunciado.
Vigiai e orai.
O destruidor de mundos e almas se aproxima!

Efeitos anunciados dos agrupamentos e alinhamentos planetários com o objeto P 7X no final de março e começo de abril de 2020
Explosão do Vulcão Krakatoa!

https://g1.globo.com/mundo/noticia/2020/04/11/vulcao-krakatoa-entra-em-erupcao-na-indonesia.ghtml

Efeitos anunciados dos agrupamentos e alinhamentos planetários com o objeto P 7X no final de março e começo de abril de 2020

Forte ressaca no litoral brasileiro, parecendo mini tsunamis!

https://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2020/04/11/drone-flagra-mar-tomando-conta-de-praia-e-avenidas-em-sp-imagem-impressiona.ghtml

Efeito vulcânico em série de ontem para hoje!
Não somente o poderoso Krakatoa, mas 15 vulcões registraram forte atividade desde ontem

Cada vez mais com a certeza de que o agente secreto de todos esses efeitos em Terra já se move nos céus e abala o equilíbrio gravitacional do sistema de forma progressiva.E o mundo preocupado só com a Pandemia…

JP em 11.04.2020

O que disparou a erupção em 15 vulcões ao mesmo tempo na Terra?

Na noite de sexta-feira até a manhã de sábado, 15 vulcões ao redor do mundo tiveram ejeção de cinzas, erupção ou lançamento de material incandescente, inclusive o Popocatépetl.
Aqui está a lista dos vulcões que mostraram atividade:

-Klyuchevskoy, em Kamchatka, Rússia: Jogou cinzas a uma altura de 6.100 metros.

– Shiveluch, em Kamchatka: Ejetou cinzas vulcânicas a uma altitude de 36.000 pés.

– Aso, Kyushu central, Japão.

– Kuchinoerabu-jima, localizado nas ilhas Ryukyu, Japão.

– Sakurajima, localizado em Kyushu, Japão.

– Ibu, em Halmahera, Indonésia.

– Krakatoa, localizado no estreito de Sunda, na Indonésia. Ele registrou uma ‘erupção discreta’, segundo o Centro Consultivo de Cinzas Vulcânicas de Darwin (VAAC).

– Merapi, em Java Central, na Indonésia. Ele emitiu uma coluna de cinzas que subiu a uma altitude de 6.100 metros.

– Semeru, localizado no leste de Java, Indonésia

– Dukono, em Halmahera, Indonésia. Cinza vulcânica emitida.

– Kerinci, na Sumatra

– Popocatépetl, no centro do México. Às 22h15, registrou-se uma explosão que gerou uma coluna eruptiva próxima a 1 km de altura e a emissão de fragmentos incandescentes a uma curta distância.

– Sangay, Equador. Ele expulsou cinzas a uma altura de 5.800 metros.

– Sabancaya, localizado no Peru. O vulcão emitiu cinzas que atingiram uma altura de 7.300 metros.

– Nevados de Chillán, está localizado em Chile.

A maioria expulsou cinzas, mas a erupção mais forte foi em Krakatoa, que lançou uma coluna eruptiva com até 15 km de altura, gerando um raio vulcânico.

Desde o dia 9 de Abril, um dia antes, os planetas Marte e a Terra se alinharam com objeto P 7X, formando um corredor ou túnel de energia gravitacional amplificada que caiu direto no núcleo da Terra e acionou o magma circulante do Anel de Fogo, o que significa que o objeto P 7X realmente tem uma massa muito grande para gerar tamanho gatilho gravitacional.
A má notícia é que ele está se aproximando da Terra, e os efeitos tendem a ser cada vez mais intensos e catastróficos.
O dragão vermelho que João de Patmos viu há dois mil anos está próximo.

JP em 12.04.2020

A Lua alinhada daqui a dois dias e mais eventos gravitacionais de impacto?

Daqui a dois dias, em 16 de Abril, a Lua mingante vai entrar no campo de alinhamento dos planetas Marte, Júpiter e Saturno, todos reunidos na constelação de Capricórnio e na região onde, atualmente, transita o misterioso objeto P 7X.
Novos gatilhos de energia gravitacional poderão ser disparados em breve.
(A marcação do objeto P 7X procede do dr. Sam)

Vamos acompanhar o antes, o durante e o depois…

Ps: ainda que o objeto P 7X seja invisível opticamente falando, ele já é bastante visível em termos de energias de impacto, todas as vezes que essas reuniões planetárias acontecem em sua vizinhança, e isso já é prova suficiente para provar não somente a sua existência, mas a sua massa poderosa gerando tanta força de propagação nas ondas da maré gravitacional.

Acúmulo planetário 2020

Nesta época, temos visto muitos disparos de energia na Terra.
Uma das explicações é que existe atualmente um acúmulo planetário na direção de Capricórnio, onde se encontra transitando o misterioso Nêmesis-P 7X, e reparei que, mensalmente, todas as vezes que a Lua passa sobre essa região, acontecem eventos na Terra, por amplificação da energia gravitacional propagante.

Em março, os primeiros disparos aconteceram entre 18 e 20 de março, quando a Lua passou nessa região, e agora, um mês lunar depois, a Lua passará outra vez, em 16 de abril.

Ciclos planetários, energias reciclando tudo no nosso mundo!
É assim que funciona na Máquina Cósmica de engrenagens planetárias, as quais, agrupadas, promovem transformações.
Os Maias contemplaram com precisão esse conhecimento do céu, e os acadêmicos modernos ainda tentando entender alguma coisa de tudo isso…

JP em 14.04.2020

Efeitos gravitacionais do período
Lua agrupada com os planetas de Capricórnio,
Marte, Júpiter e Saturno em linha, mais o objeto P 7X, dos estudos dos astrônomos independentes,

e a Lua, desde o dia 14, está passando sobre esta região.
No mês passado, na primeira passagem da Lua, vimos muitos efeitos sendo gerados na Terra.
Como estes planetas se agrupam por algum tempo, e tem massa grande (Júpiter, Saturno), o somatório de energia é grande neste período.
E conforme o objeto 7X se aproxime do Sol, os eventos serão cada vez mais intensos e imprevisíveis.

E como eu anunciei, os terremotos já dispararam.
Acima de 5.0 graus, tivemos vários deles, de ontem para hoje,
e hoje, dia 16 de Abril, um forte terremoto de 6.3 graus na região das Honduras.
Eles sempre aparecem na época destes agrupamentos todos, denunciando cada vez mais o invisível P 7X por meio de efeitos visíveis e sensíveis.

Seguem os efeitos anunciados da reunião da Lua com a área de planetas e o objeto P 7X na constelação de Capricórnio entre os dias 15 e 16 de abril de 2020.
Dois terremotos de 6.0 graus no dia de hoje, em Honduras, e outro em Burma, região de Myanmar, além de diversos outros terremotos acima de 5.0 graus no mesmo período.
Está mais do que demonstrado o efeito gravitacional disparado na presença astronômica do objeto P 7X em épocas de agrupamento planetário.
Poderão vir outros eventos no dia de hoje e nos próximos dias.

Atualizações do objeto P 7X
(15.04.2020)

Objeto P 7X que todo mundo chama de Nibiru mas NÃO É Nibiru

(Nibiru das teorizações de Zecharia Sitchin quase nada tem a ver com o objeto P 7X, mas o termo se tornou tão popular que já é automático da maioria chamá-lo de Nibiru, infelizmente).
Somente quando ele se tornar visível e sensível para todo o mundo é que as agências oficiais de Astronomia serão obrigadas a sair da zona do silêncio e prestar todos os esclarecimentos científicos necessários para elucidar finalmente o mistério. Por ora, só temos as fontes da Internet, que devem ser sempre filtradas, e os estudos de poucos astrônomos sérios envolvidos com essa pesquisa.

Como há muita especulação e fantasia popular em torno do nome NIBIRU, temos que filtrar muito bem tudo o que aparece na rede. Cerca de 90% desse material é fake, ou é outra coisa tomada por Nibiru, como cometas cíclicos, asteroides e até UFOs perto do Sol.

Conforme estas atualizações mais recentes, o objeto P 7X estaria na casa dos 800.000.000 Km de distância do Sol, o que significa que está muito perto da órbita de Júpiter. A distância média entre Júpiter e o Sol é de 778 milhões de quilômetros, e isso justifica o aumento das perturbações na Terra pela propagação de energia gravitacional, tal como temos avaliado nos últimos tempos.

“HOJE 15/04/2020 CHEGANDO A 800 mil KM DA TERRA. ACELERANDO EM SUA TRAJETÓRIA DE CRUZAMENTO E JUNTO COM ELE MUITOS OBJETOS COMO COMETAS E ASTEROIDES.
Em seu artigo, Konstantin Batygin e Michael E. Brown analisam o movimento de 6 objetos trans-netunianos (90377 Sedna (2003 VB12) , 2012 VP113 , 2013 RF98 , 2004 VN112 , 2007 TG422 , 2010 GB174) com o objetivo de entender a causa de seu alinhamento incomum da órbita do Sistema Solar cuja existência foi conjecturada nos últimos anos como uma possível explicação para o alinhamento observado nas órbitas de um grupo de asteróides trans-neptunianos.

JP em 16.04.2020

Será que Nêmesis P 7X já é visível no céu?

Segundo o aplicativo SN 8 PRO, o objeto NÊMESIS P 7X (vulgo Nibiru) já é visível a olho nu na madrugada, perto de Saturno e Marte.
Ele fornece as instruções.
Quem quiser acordar por volta das 3 horas e conferir um objeto brilhante junto daqueles dois planetas, no leste, fica aí como exercício.
Ps: este não e NIBIRU de Sitchin, mas é o termo popular (errado) para a estrela gêmea do Sol.
O programa nomeia o objeto como Nibiru e o classifica como cometa, e dá as suas coordenadas.
Com telescópios, ele já é visível. A Olho nu, só acordando de madrugada num céu limpo e tirar a prova.
Ele estará pertinho de Marte (ponto vermelho) e Saturno (ponto branco)
Nessa época do ano, P 7X estará entre Marte e Saturno; e esse programa vai monitorar o objeto P 7X sem a necessidade de recorrermos mais às páginas suspeitas da Internet … essa é a melhor notícia, até o dia em que o objeto brilhe a olho nu nos céus do planeta inteiro.

Terremoto de 6.6 graus no Japão

(Ainda da parte dos efeitos anunciados da Lua cruzando a região celeste do objeto P 7X)
São esses efeitos que demonstram não só a presença do objeto naquela região, mas a sua grande massa, que sempre gera forte perturbação gravitacional nestes episódios planetários.

O Painel Global destaca um intenso abalo sísmico que atingiu 6.6 magnitudes foi registrado no Japão, 209 km a oeste de Chichi-shima às 08:25 UTC (18/04). O violento abalo teve seu hipocentro localizado sob as coordenadas 27.13N e 140.10E, a 453 km de profundidade. Apesar da grande intensidade do abalo, a profundidade em que ocorreu o evento favorece a dissipação da energia antes de chegar à superfície.

http://www.painelglobal.com.br/boletim_sismico.php

JP em 18.04.2020

Comentários
Compartilhar