Templates by BIGtheme NET

Pesquisadores europeus confirmam: julho de 2019 é o mês mais quente da história!

 

Anomalia da temperatura do ar da superfície de julho de 2019 em relação à média de julho no período 1981-2010. Crédito: ECMWF, Copernicus Climate Change Service.

 

A onda de calor que invadiu diversos países da Europa no recente mês de julho não era qualquer uma e julho de 2019 é considerado o mês mais quente da história no mundo, pelos pesquisadores do Programa Copernicus, órgão ligado à União Europeia.

A temperatura média registrada em diversas localidades ultrapassou o recorde anterior de 2016. Os termômetros passaram de 40°C e grandes incêndios florestais foram novamente observados, inclusive na Sibéria e no Alasca.

A Alemanha, a Bélgica, a Holanda e a França enfrentaram muito calor no mês passado.

A temperatura chegou a 42,6°C em Paris, nunca registrado na capital francesa. Outro dado importante é que as temperaturas médias de julho no período entre 1981 e 2010, ficaram acima da normalidade no Alasca, Groenlândia, parte da Sibéria, da Ásia Central e da Antártida, além da África e da Austrália. Isso sem citar, o calor intenso enfrentado pela população do Japão e da costa leste e o centro-oeste dos Estados Unidos.

Alerta Global

O ponto preocupante é que os estudiosos do Programa Copernicus afirmam que a temperatura média global tem aumentado todos os meses do ano nas últimas quatro décadas. Os anos entre 2015 e 2018 foram os quatro anos mais quentes já registrados. Julho de 2019 foi um pouco mais quente que julho de 2016, considerado o recorde anterior.

A Organização Meteorológica Mundial (OMM) estima que 2019 fique entre os cinco anos mais quentes já registrados na história.

O que diz a NOAA?
Já a NOAA ainda não divulgou seus dados. Segundo a Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos EUA, julho de 2016 continua sendo o mês mais quente da história desde 1880. Os números de 2019 deverão ser divulgados na próxima semana.

O El Niño é apontado como um fator que elevou as temperaturas globalmente em julho deste ano, mas os especialistas continuam chamando atenção e alertando principalmente para as emissões de dióxido de carbônico na atmosfera e as alterações no clima da Terra.

**************************

Agora eu entendo porque os crops circles em junho e  julho mostraram tantas e repetidas vezes os modelos de alinhamentos planetários e eclipses gerando poderosas ondas de energia que alcançariam a Terra.

Fora terremotos, enxames sísmicos e vulcões no mesmo período, temos a onda de calor, que não se deve ao mitológico aquecimento global, e sim, às energias cósmicas caindo no núcleo da Terra e se convertendo em outras frentes de energia ao se dispersarem na direção da superfície terrestre.

Liberação de gases, El Niño e desmatamento até podem contribuir para PIORAR a situação, mas não são em si mesmos a causa de tudo isso.
A causa … é mais em baixo, literalmente.
No núcleo da Terra hiperativado!

E os crops circles nos advertindo sobre tudo isso desde o começo, antes dessa onda de calor chegar!

 

 

JP em 06.08.2019

Comentários