Templates by BIGtheme NET

Pesquisadores afirmam terem encontrado a entrada para a mística Hiperbórea

Um antigo observatório e a escultura de um gigante perto das margens do Lago Seydozera, que significa ” lago sagrado ” na língua dos povos indígenas Sami, são claros indícios que apontam para a terra há muito esquecida de Hyperborea – uma terra sagrada semelhante a de Shambhala e Atlântida.

hiperborea - To no Cosmos

Kuiva o gigante, uma silhueta colossal incorporada no penhasco da montanha Kuivchorr sobre o lago sagrado guardando a entrada secreta para a lendária cidade. De acordo com as crenças locais, Kuiva o Gigante era um velho bruxo que já lutou contra a Sami local. Eles tinham seu próprio assistente e enfrentaram o gigante com bravura, mas sem sucesso. Quando a batalha parecia estar perdida, o povo Sami invocou a ajuda dos deuses, numa última e desesperada tentativa. Os deuses responderam, e enviaram relâmpagos de fogo em direção ao gigante que ficou paralizado contra a superfície da montanha.

O site russo RBTH, nos fala da impressão do corpo do gigante caído é visível até hoje na rocha Angvundaschorr, o pico mais alto da tundra Lovozerskaya. Uma observação curiosa é que pedaços de rocha, onde o gigante encontrou seu fim estão desmoronando, mas a marca do gigante permanece intocada. É possível que ele esteja aqui como um marcador que conduz à entrada secreta para Hiperbórea?

mapa hiperborea - To no Cosmos

No caso de você não ter ouvido falar de Hiperbórea, eles eram um grupo de pessoas míticas descritas na mitologia grega que moravam ” além do Vento Norte “, em uma terra supostamente utópica, onde o sol brilhava vinte e quatro horas por dia, o que de acordo com a conhecimento atual poderia ser em algum lugar dentro do Círculo Ártico. Outros analistas sugerem que a terra de Hiperbórea não tinha localização definida, como de acordo com o poeta grego clássico Píndaro, “nem pelo navio nem em pé iria encontrar o maravilhoso caminho para o lar dos Hiperboreanos “. Isso também pode significar que este mítico lugar era bem escondido, e quem pôs os pés para encontrar ele só teria chegado a um beco sem saída, a menos que eles sabiam sobre a entrada secreta e como rompê-la.

Outras contos gregos referem-se aos Hiperboreanos como as pessoas que possuíam conhecimento sagrado por causa de estarem em uma relação estreita com os deuses. Diz-se que o próprio Apolo desceu do céu para visitar essa cultura antiga.

lago seydozera - To no Cosmos

Imagem do lago Seydozera, na região.

Apoiando a teoria acima, Valentina Sharipovadirector, diretora de Hiperbérea que é uma organização de pesquisa a partir do porto-cidade de Murmansk, afirmou que as origens do nome “Kola” estão relacionados com o nome do deus do sol eslavas, Kolyada, que poderia ser também uma personificação de Apollo. Outro aspecto intrigante é a tradução do nome “Hiperbórea”, que em grego significa “para além do vento norte”. Somando isso, a equipe russa de pesquisadores acreditam que estão perto de encontrar esta cultura há muito tempo esquecida.

“Recentemente, eles encontraram restos de um observatório: pedras com depressões, que foram dirigidos para a estrela polar”, afirmou Sharipova. “Muitas rochas têm inscrições ou runas esculpidas para eles .”

Outros aspectos enigmáticos da história envolve a descoberta desde o início do século 20, de uma entrada subterrânea perto das margens do Lago Seydozero. O Explorador Alexander Barchenko que encontrou a fenda foi posteriormente morto a tiros e sua descoberta foi sufocada pelas elites dominantes da comunidade científica.

kuiva - To no Cosmos

Na imagem é possível ver o gigante estampado.

É provável que Hiperbórea seja mais do que um mito, porque o início das suas referências detalhadas vêm das historias de Heródoto “que escreveu cerca de 450 aC. Em seu livro, o historiador grego também menciona outras três fontes que falaram sobre Hiperbórea, entre eles, sendo Hesíodo e Homero, poetas de renome e pensadores da Grécia antiga.

Comentários