Para andar com Deus é preciso zerar todo o orgulho!

 

Mas, o homem é obra e crianção de Deus….ou, como Ele mesmo afirmou “Seus filhos”……..até mesmo aqueles que se corrompem…..

Exato, mas se aos seus filhos não fosse dado o livre-arbítrio, não teriam como crescer e se transformarem em filhos de Deus por seus próprios méritos, e poderíamos alegar, com toda certeza, que Deus é realmente um tirano, e não passamos de escravos, bonecos de barro em suas mãos, quase fantoches.

Mas não é assim. Deus quer nossa participação real, e tudo começa pelo simples ato de arrependimento, de saber olhar para os erros cometidos, ter consciência das imperfeições e soltar a mão do acelerador. Sim, temos que frear o carro antes de atirá-lo ao abismo, na aceleração de nossa cobiça e arrogância.

E ainda que Deus nos fira pelo nosso próprio orgulho, e os imperfeitos filhos tenham que aprender com a dor, sabemos todos nós que a dor também é remédio de cura, na verdade, é o único que nos cura quando nos encontramos naquele estado de completa cegueira e desenfreada loucura.

Acredito num Deus que é todo Amor, e que move-se em sabedoria infinita mesmo quando nos aplica medidas dolorosas de cura. Qual pai e qual mãe não sabem disso, quando tem que proceder o castigo doloroso mas necessário aos filhos que já não os escutam mais, e caminham resolutos para a estrada da perdição?

Deixo uma última sentença, que sempre gosto de evocar nos momentos de crise e medo:

“Eis que Jesus se dirigia para jantar na casa de um cobrador de impostos, e lá haviam mercadores e prostitutas.
Então, um dos apóstolos se dirigiu a ele, dizendo: Senhor, não deveis se misturar com essa gente! Não vai soar bem para a tua pessoa!
Ao que Cristo respondeu: filho, o Coração do Senhor é Misericordioso!”

Mas para alcançarmos tal misericórdia, temos que nos arrepender, temos que ouvir a voz do nosso Pai. Temos que soltar o acelerador e frear enquanto há tempo.

É disso que eu falo. Os Irmãos Maiores estão prontos para nos ajudar, mas porque o ser humano comum está sempre pronto a se recusar, julgando orgulhosamente que ele tudo pode e tudo sabe?

Mas eu digo: ele nada pode e nada sabe, ainda que pense o contrário.

Tudo começará com um simples ato de arrependimento, com um simples abrir de mãos, de despojamento, de renúncia.

Porque a humanidade tomou o caminho errado, foi inúmeras vezes alertada sobre isso mas até agora não saiu da velha estrada, nem mudou a direção dos seus passos.

E então, terá que aprender com os próprios erros. Foi avisada: não siga por aqui, esse caminho é largo mas leva à perdição. Não deu ouvidos, foi em frente e não procurou mudar a direção.

O que mais Deus pode fazer, senão que deixar que a dor de barriga nos purifique do alimento indigesto? E que o espinho no pé nos faça desacelerar da marcha resoluta a abismo?

Deus é sábio até quando age na negativa de seu auxílio.

“Quando a dor de continuar vivendo erradamente for maior que o medo da mudança, aí a gente muda!”

Freud

Todos sabemos daquela velha parábola do poço: quando estamos no fundo do poço, só há uma saída: para cima!

Pois bem, e me parece claro para todos que a humanidade chegou nesse fundo do poço. Sabemos que existem auxiliares lá em cima, com a mão estendida para nós, e apenas nos resta compreender a situação de “fundo de poço” e estender a nossa mão, ao invés de cruzarmos os braços e, no orgulho cegante, achar que temos que sair sozinhos dali de dentro. Não está agindo assim a moderna ciência?

Não seria muito mais genial começar a trabalhar em tecnologias, de larga escala, em busca da despoluição de rios e mares, da cultura natural sem agrotóxicos, da cura natural sem o uso intenso de drogas alopáticas, do restauro da terra, do reflorestamento, da preservação da fauna e flora, etc… Não seria muito mais genial investir agora na Terra do que em Marte?

Ou ainda, investir agora na vida e não na tecnologia, e se for investir nesta, que seja em prol da vida que ainda resta?

Sinto que agora está nas nossas mãos, e ainda que a sentença da civilização já tenha sido dada, dum modo generalizado, ela ainda não restringe as pessoas em isolado ao ato do arrependimento e da mudança que levam ao despertar da consciência, quando então veremos o poço, e constataremos nossos pés no fundo dele. E veremos lá em cima uma forte mão estendida em nossa direção, e tudo o que nos restará fazer é descruzar os braços e ceder no orgulho, levantando a nossa mão para ela.

Para andar com Deus, precisamos zerar todo o orgulho. Mas que ninguém tente vestir o manto da falsa humildade, que travese o orgulho por baixo de palavras mansas ou posturas camufladas. A humildade não é uma questão de pose para os olhos das pessoas, e sim, um ato de contínua submissão e obediência perante os olhos de Deus.
O que significa que muitos por aí podem até parecer humildes aos nossos olhos, mesmo não sendo.
Falar de Deus ou posar de santo e justo não quer dizer nada.

Na verdade, muitos lobos disfarçados em pele de cordeiro usam exatamente esse disfarce.
Nem sempre o exterior reflete o interior.

A falsa humildade é um orgulho invertido, disfarçado.
Haverão momentos em que a conduta do falso humilde se revelarão, momentos de contradição em ações e palavras nada humildes em explosões ou reações não contidas.
O verdadeiro humilde é sempre o mesmo, e suas ações, reações ou palavras nunca o contradizem, porque são por fora o que são por dentro.

 

“E tu, Daniel, encerra estas palavras e sela este livro, até ao fim do tempo; muitos correrão de uma parte para outra, e o conhecimento se multiplicará.” (Daniel 12:4)

 

Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça, como as estrelas sempre e eternamente.
Daniel 12:3

 

E ele disse: Vai, Daniel, porque estas palavras estão fechadas e seladas até ao tempo do fim.
Muitos serão purificados, e embranquecidos, e provados; mas os ímpios procederão impiamente, e nenhum dos ímpios entenderá, mas os sábios entenderão.
Daniel 12:9,10

 

Percebemos claramente que Deus faz distinção entre conhecimento (ciência, tecnologia, Internet, globalização da informação, etc) e sabedoria, que é o ato ou efeito de se usar de forma justa, verdadeira e bondosa todo conhecimento conquistado, coisa que à ciência acadêmica não tem interessado.

E os verdadeiros mistérios de Deus estariam selados até o fim da data marcada.

Se há um motivo para se celebrar, seja este, o de que o tempo das revelações chegou, incluindo a realidade extraterrestres.

E essa é a religião e ciência que realmente importam.

 

JP em 24.09.2019

 

Humildade,
a arte de se fazer pequeno diante do Grande,
de se fazer vazio diante do Pleno,
de se fazer modesto diante do Abundante,
de se fazer obediente diante do Poderoso
de se fazer agradecido diante do Misericordioso
e de se fazer ouvinte diante do Sábio.

Se o céu tem portas,
a humildade é a chave que abre todas elas…
por isso, o orgulho é sempre o primeiro a cair das alturas da sua ignorância.

Humildade,
porque o Amor só pode ser correspondido pelo Amor.
E se o humilde se coloca debaixo desse Amor sem nenhum questionamento ou dúvida,
mas com toda a sua fé,
concluímos que o orgulhoso, por amar apenas a si mesmo,
acaba se isolando do Universo criado e sustentado pelos Propósitos do Amor Maior
e enquanto não abrir o seu coração para a humildade
seguirá caindo na eternidade
naquele buraco escuro e sem fundo chamado ignorância
e se o orgulho nasceu para cair,
tolice de sua parte imaginar que voaria tão alto assim…
porque a ascensão dos humildes é uma atração dos céus,
quando os céus são atraídos por corações que se esvaziaram do EU
e se tornaram plenos de Deus.

Se o Inferno está sempre cheio
que ninguém culpe a Deus por isso,
mas sim, o orgulho,
que prefere reinar no Inferno do que servir nos céus….

O Inferno é criação do orgulho humano.

JP em 26.09.2019

Comentários
Compartilhar