Templates by BIGtheme NET

Os Portais Dimensionais segundo a Geometria Harmônica do Universo – parte 1 – matéria, consciência e dimensões

 

Começo este tema levantando uma primeira questão:

O que separa uma dimensão de outra, dentro deste nosso universo multi-dimensional, semelhante a uma cebola com muitas camadas?

Resposta: o Tecido do Espaço-Tempo

(***)

 

 

Esse tecido, digamos assim, “forra” todos os objetos e volumes tridimensionais de uma maneira “rígida”, mantendo suas estruturas num estado constante de forças em equilíbrio, estruturas essas porém, que sempre mudam dentro dos múltiplos processos naturais ou artificiais de energias operando sobre a matéria.

Mas isso é somente a parte de “fora” da questão dimensional. A Geometria Harmônica pretende compreender a parte de “dentro” a sustentar todas as estruturas do Universo 3D, sistemas de matéria-energia que são.

 

 

 

Há que se saber que, antes da matéria e da energia existirem como a conhecemos, a Geometria Harmônica, dita Sagrada, fixou seus “volumes fundamentais” como padrões da Criação, e em cinco volumes regulares, e somente cinco (Tetraedro, Hexaedro/Cubo, Octaedro, Dodecaedro e Icosaedro) dispôs todas as estruturas materiais existentes a partir de ligações químicas estabelecidas.

 

Cubo de Metatron, a fonte de toda a geometria sagrada, segundo a sabedoria antiga

 

Esses cinco volumes e, de modo geral, todos os padrões e modelos da Geometria Sagrada, são uma propriedade do tecido Espaço-Tempo, independente ou antes de existir matéria sólida e volume material estável.

E tais estruturas dimensionais que dão suporte às ligações químicas e natureza 3D da matéria conhecida, tais estruturas foram estabelecidas por meio de leis musicais e matemáticas combinadas (algo que esbarra na moderna Teoria das Cordas, e mais uma vez, Einstein acertou no seu pensamento ao dizer:

 

“O Universo deve se resumir a notas musicais e leis matemáticas”

Matrizes Harmônicas vibrando no tecido do Espaço-Tempo estão por trás de tudo o que foi criado, e a Geometria Harmônica é o primeiro reflexo destas matrizes.

Um Arquétipo perfeito do Cosmos antes mesmo dele se tornar o que é, uma sabedoria secreta e muito antiga explorada por muitos cientistas do passado, como Kepler, inspirado por Pitágoras e motivado a desvendar a identidade do Universo elegante e harmônico, com estruturas de suporte puras como música afinada, simétricas e belas, definidas pela Geometria Sagrada antes mesmo de existirem os corpos materiais.

 

 

Essa informação é importante para se compreender melhor o mecanismo dos portais, que envolve diretamente as chaves harmônicas de construção da geometria sagrada inerente ao Espaço-Tempo, sensível ás leis da matemática e música combinadas no formato de ONDAS-VIBRAÇÕES, porque é isso o que nasce da combinação daquelas duas coisas, nos domínios do Universo-Onda, anterior ao Universo matéria-energia, regido por frequências, ressonâncias e sintonias!

Se pudermos reduzir todas as coisas à ondas, não somente a luz, a gravidade ou o eletromagnetismo, mas tudo mesmo, cada átomo, cada molécula, cada entidade viva, cada sistema de matéria-energia, então estaremos perto de encontrar o Santo Graal da Física: a Teoria de Tudo!

Até o que nos ensinou Einstein, velocidades elevadas e campos gravitacionais intensos produzem perturbações significativas no tecido do espaço-tempo ao ponto de gerar portais no hiperespaço 4D. Mas estas não são as únicas maneiras do Universo produzir tais perturbações.

Aqui, o Universo criado aplica seus efeitos sobre o espaço-tempo para gerar perturbações (gravidade e velocidade são efeitos do universo em movimento pós-criação) porém, estou falando de um terceiro modo de interagir com o espaço-tempo, a partir das causas da própria criação, anteriores ao universo gravitacional das acelerações… e esse modo envolve os procedimentos harmônicos, que se alinham com as causas da Criação, ou seja, as causas musicais e matemáticas definidas por ondas, vibrações, frequências, sintonias, interferências e ressonâncias.

Ou seja, combine-se os princípios matemáticos aos musicais e o Criador plasmou o fenômeno ONDA (oscilações harmônicas) e a partir dele, escreveu a partitura de tudo o que haveria de ser criado posteriormente. Se assim é, podemos regredir nos movimentos da Criação em busca destas matrizes harmônicas e suas ondas secretas, compreendendo o Universo em mecanismos mais abragentes.

E teremos como entender melhor o comportamento do tecido do espaço-tempo, sensível a estas matrizes harmônicas, porque ele foi criado como MEIO UNIVERSAL para todo tipo de fenômeno oscilatório (não esquecendo de que ondas acústicas atravessando meios materiais estão atravessando, antes deles, o tecido do espaço-tempo, e que sem esse tecido, o meio material simplesmente não existiria… )

Compreender o tecido do espaço-tempo como o MEIO original de propagação de todas as formas de oscilação harmônica, inclusive as ondas gravitacionais, é a solução inicial para compreender o mecanismo dos portais dimensionais.

 

 

No final, sabemos que a solidez material é uma grande ilusão, e o que se encontra por trás dela são suportes estruturais pré-existentes no tecido do espaço-tempo, dispostos pelos mecanismos harmônico-musicais da Criação, que soaram antes das grandes massas se formarem, para em seguida deformarem estes mesmos tecidos no nascer da gravidade equilibrante.

 

Se a matéria sólida é ilusória, e se a geometria dos volumes possíveis que dão suporte à matéria sólida é anterior a ela própria, qualidade inerente do tecido do Espaço-Tempo (o meio universal de propagação das ondas) então, quando um objeto qualquer passa de uma dimensão para outra, ele deve necessariamente sofrer uma redefinição estrutural ao nível daquele tecido, porque inclusive os cinco sólidos perfeitos de Platão representam as cinco geometrias básicas do Universo de sete dimensões fundamentais, conforme a sabedoria clássica:

1. HEXAEDRO (Cubo, 6 faces quadradas) = 1, 2, 3° dimensão
2. TETRAEDRO (4 faces triangulares) = 4° dimensão
3. OCTAEDRO (8 faces triangulares) = 5° dimensão
4. DODECAEDRO (12 faces pentagonais) = 6° dimensão
5. ICOSAEDRO (20 faces triangulares) = 7° dimensão

 

(Sólidos perfeitos e suas antíteses geométricas)

 

Inclusive, as relações matemáticas e harmônicas fundamentais das sete dimensões básicas do Cosmos (porque existem n subdimensões) podem ser extraídas destes cinco sólidos perfeitos, de acordo com procedimentos secretos e não-publicáveis da Geometria Sagrada, os mesmos procedimentos que Johannes Kepler não conseguiu definir em seus modelos de sistema solar onde reinaria a geometria harmônica nas órbitas planetárias, gerenciando os fenômenos astronômicos.

 

Cinco sólidos e o Cubo de Metatron

 

Então, não importa qual seja a estrutura cristalina de determinada substância ou matéria, atômica, molecular, até celular em nosso mundo, todas elas estarão estruturalmente definidas pelas leis do Cubo, leis das três dimensões básicas plantadas por matrizes harmônicas “cúbicas” inseridas no tecido do espaço-tempo 3D.

E quando esta matéria, corpo ou substância se desloca de dimensão, ela necessariamente muda de modo estrutural harmônico e se acomoda ao plano dimensional para onde se deslocou.

 

 

Antes de avaliarmos como funcionam esses teletransportes, temos que entender como funciona o esquema matéria-energia nas dimensões superiores. Porque há dimensões simplesmente “imateriais” no Universo 7D, para as quais nenhuma matéria transformada poderá ser deslocada.

Fica difícil falar em matéria mental ou matéria espiritual, associado aos níveis mais altos do universo.
Matéria quântica? Matéria das cordas vibrantes?
Se é matéria, certamente ela se condiciona num formato estrutural totalmente ignorado por nós.

 

A Hiperesfera e a solução geométrica do Buraco Negro

O que podemos tatear aqui, tanto pela teoria disponível quanto pelos experimentos práticos considerados, é o translado de objetos do plano 3D para o plano 4D (e vice versa) no conhecido teletransporte ao hiperespaço, que comporta o deslocamento de matéria física 3D.

Certamente que esta matéria física, viva ou não, no teletransporte e mudança de coordenada dimensional ( de x – y – z) para x – y – z – t), assumirá comportamento totalmente diferente na nova dimensão, da mesma forma que um objeto qualquer, aqui em nosso plano, se comporta com diferenças se colocado no fogo, ou na água, ou na terra em repouso, ou no ar em queda livre.
Ele cai, ou flutua, ou derrete, etc…

Dimensões diferentes, leis diferentes!

Um salto ao plano da quinta dimensão não se daria por teletransporte. Porque aqui chegamos a um limite imposto pelo universo para os corpos tridimensionalmente definidos em identidades atômica, molecular e celular!

 

Hipercubo – Tesseract (modelo teórico 4D projecional)

 

Na quinta dimensão, apenas subsiste a essência quântica dos ditos objetos. Nesse caso, se possível, um objeto que saltasse deste plano 3D ao plano 5D seria reduzido a sua essência quântica, o que seria uma espécie de morte ou desintegração do objeto, e não exatamente um teletransporte, quando características do objeto são preservadas, embora mudando a resposta do objeto aos fenômenos da nova dimensão.

Agora, saltar para dimensões como Sexta e Sétima, com naturezas inteiramente psíquicas e espirituais, seria o equivalente a extrair uma essência ainda anterior à própria essência quântica (mental) de toda matéria … seria o equivalente a extrair apenas a alma e o espírito das coisas, sua real quintessência, como os antigos denominavam… e aconteceria um desdobramento ao contrário, já que o espírito e alma das coisas projetam identidades mentais (o mundo do Quantum) e a partir destas, naturezas materiais são criadas (átomos, partículas, moléculas, células) na lenta edificação para o surgimento da forma viva no nível final da partitura cósmica, o plano 3D.

Podemos dizer que todo o comportamento do mundo atômico, molecular, e intra-atômico, seguindo leis determinadas e até padrões de estranheza, equivalem aos mesmos arquétipos mentais que regem a mente superior, já identificados pela moderna Psicanálise, ou seja, modelos de comportamento MENTAL (baseados no princípio inteligente da forma), tanto para a matéria microcósmica como para a mente pensante, o que permite um vínculo entre forma e pensamento, e garante explicações científicas para as leis que regulam a mente em suas estruturas capazes de se conectar a rede quântica do Universo (rede de informação inteligente), que é a rede pensante do mesmo Universo emaranhado… e fenômenos como a telepatia ou o Emaranhamento quântico tem que ser investigados dentro dessas conexões e definições…

 

Emaranhamento quântico

 

Qualquer objeto tem níveis e níveis de matéria, e o que resta ou existe na quinta dimensão é a rede quântica deste objeto, que é a sua mente pensante e seu arquivo de informação. No âmbito da experiência com a consciência humana, a projeção astral consciente ou o sonho subconsciente podem ser considerados como atividades de nossa parte astral ou psíquica atuando naquela faixa 5D. Se a mesma regra vale para todos os objetos, não precisamos portanto desintegrar nossa massa física para saltar ao plano 5D, fazemos isso por desdobramento psíquico (todas as noites).

 

 

Uma pedra que hipoteticamente saltasse para a quinta dimensão, seria desintegrada, reduzindo somente suas configurações eletrônicas (quânticas). Falar aqui de quinta, sexta e sétima dimensões da existência material é complicado para a ciência 3D muito limitada ainda em seu campo de observação, porque são dimensões onde a natureza existencial que as compõem é feita de energia consciente e pensamento inteligente, o que ainda não faz sentido para os modelos teóricos atuais de um universo saído do caos e do acaso, puramente material, energético e acidental em seus movimentos, forças e transformações cíclicas… falar em Deus, nem pensar… é assinar termo de demissão e voto de segregação nestes círculos acadêmicos…

 

Desdobramento quântico da alma = projeção astral/mental

Contudo, o objetivo deste tópico é avaliar as questões dimensionais do teletransporte 3D – 4D e as articulações da Geometria Harmônica sobre o tecido do Espaço-Tempo.

Aumenta-se uma coordenada ao objeto (t) e ele se teletransporta.
E o que isso tem a ver com … tetraedros?

 


Continua na parte 2.

(***)

Comentários