Templates by BIGtheme NET

O Universo desconhecido da Mente

A mente humana é como a caixa do gato de Schrodinger.
A caixa está fechada para o mundo externo, o pensamento dentro dela é o gato, e os eventos (aparentemente) aleatórios no mundo externo, os elementos que podem (ou não) acionar o contador Geiger, ou estados sensíveis de consciência aos eventos.

Do lado de fora, não podemos imaginar o que ocorre dentro da mente humana (e esse lado de fora inclui nós mesmos, os donos dessa mente ainda não conhecida) de tal forma que não poderemos prever a reação do pensamento frente aos eventos do lado de fora, aleatórios(?) conforme o tempo que passa.

Digo isto no tocante aos poderes proféticos, em sonhos ou visões. Apenas um paralelo ou uma analogia com o referido experimento.

O que há dentro da mente humana, visto do lado de fora da razão sensorial?
Como essa mente se conecta com o fluxo-tempo e seus eventos, tempo que impregna toda matéria na função cíclica da energia?

E principalmente, o que realmente o nosso pensamento pode captar deste tempo no instante presente de seu movimento? Passado? Futuro? Os dois simultaneamente?

A superposição quântica pode ser comparada à superposição de imagens e à própria superposição de tempos dentro do instante presente.

O que os nossos olhos realmente vêem? O que deixam de ver? E o que veem sem perceber que viram, e sem saber, transferem ao inconsciente, e processam do mesmo modo inconsciente na forma de premonições? Qual o somatório de toda a informação que fica guardada dentro da caixa e que não sabemos racionalmente que possuímos?

Mensagens subliminares vão nesta via de funcionamento.

Até que ponto somos nós pensando? Até que ponto somos fabricados sem saber pelo estímulo dos eventos não percebidos em níveis interiorizados, e por impressões psíquicas que fluem dentro de nós na zona obscura do nosso desconhecimento?

Trata-se de um universo desconhecido a ser considerado diante de profecias e premonições, que realmente ocorrem, em pequenas e grandes escalas, com todos nós. Sinceramente penso que esse mundo das profecias tem tudo de quântico aí inserido.

Uma boa maneira de começarmos a compreender o mundo quântico é pela analogia com o funcionamento da nossa própria mente conectada ao universo, quando ambos deixam de agir como entidades separadas.

Em tempo: até dentro deste mesmo contexto “quântico” para a análise das profecias, proponho outra abordagem: podemos realmente olhar as coisas e não ver tudo. Mas em termos.

Vemos tudo, mas não damos conta de tudo o que vemos. Porque, de repente, outras dimensões podem estar abertas diante de nossos olhos, mas eles não vêem numa certa camada de percepção, contudo as vêem em outras camadas.
Todas as dimensões podem estar entrando agora mesmo em nossos olhos e ouvidos porém nossa capacidade sensorial só alcança determinada faixa (tridimensional) e todo o resto entra sem que percebamos (os iluminados perceberiam).

Essa informação “estranha” e “invasora” se acumula em nosso cérebro e fica armazenada no inconsciente, onde todos teríamos de forma latente o potencial dos gênios e iluminados, estes que realizam obras acima do comum e da média justamente por causa dessa sensibilidade rarificada, exaltada.

Nessa leva podemos incluir Ufos, Espíritos e demais eventos se passando em dimensões cegas ao olho físico, mas plenamente visíveis ao inconsciente. Como profecias, ou simples imagens do futuro no caso de profecias. Os gênios e iluminados teriam acesso mais consciente e controlado desse potencial interno.

É como dizer: TUDO ISSO SEMPRE ESTEVE LÁ, NUNCA DEIXOU DE ESTAR, MAS AGORA É QUE COMEÇAMOS A PERCEBER.

Camadas, dimensões, niveis de realidade superpostas, todas penetrariam na nossa mente.

E o que distingue os gênios e iluminados de nós é que eles percebem (em seu próprio grau) e nós, não. É como o estranho universo quântico, que altera seus padrões conforme as observações: isso prova que, neste universo nú, todas as realidades se somam, inclusive, objeto e observador.

“Nessa leva podemos incluir Ufos, Espíritos e demais eventos se passando em dimensões cegas ao olho físico, mas plenamente visíveis ao inconsciente”.

Por isso essa atração estranha e irresistível que temos pelo assunto, como se já estivesse dentro de nós, e está, como se a verdade estivesse dentro de nós, e está, sem que nenhum sistema manipulador de informação possa ou consiga negá-la ou mascará-la por muito tempo.

Porque se nossos olhos cientes ainda não viram os Ufos e outras realidades, os olhos não cientes vêem o tempo todo, armazenam na memória inconsciente e depois a alma se sente atraída pelo que ela acha que seja desconhecido, mas nunca o foi, porque, de alguma forma, e sem saber como, intui que tudo é absolutamente real.
Porque tudo está, literalmente, dentro de nós. E a fé é apenas o sentimento dessa certeza, variando grandemente de pessoa para pessoa.

Isso explicaria porque os Gurus do passado sempre nos exortavam a buscar a verdade das coisas dentro de nós e não (somente) fora. Por isso nos sentimos fascinados, atraídos, intimidados e instigados pelo Desconhecido que nunca o foi, embora temos sido educados pelo sistema a acreditar que sim.

Tudo implica numa simples função de despertar. Porque este é o caminho, cedo ou tarde. Despertar. Uma vez que nunca, jamais, poderemos negar ou fugir do que está dentro de nós mesmos…

O último paralelo que deixo entre estes experimentos quânticos (fenda dupla, gato) e profecias é o seguinte: se um observador interage com um experimento de modo a alterar o resultado da observação final, então é possível que uma profecia revelada possa ter seus resultados alterados ao cair no conhecimento coletivo.

Se não houvesse a revelação de um evento futuro no presente, ele alcançaria o seu momento no tempo natural, e se realizaria sem alterações; mas o fato e a possibilidade de ser evocado antes em visão premonitória pode lançar mão deste recurso, de alterar o resultado futuro pelo simples fato de ser o evento trazido à análise consciente – como a experiência da fenda dupla.

Até sonhos premonitórios pessoais podem nos chegar com essa intenção, a de mudar eventos futuros que deixam de ser unidirecionados para assumirem várias possibilidades no efeito quântico do universo. Em outras palavras, se um evento importante é revelado antes de acontecer, pode ser alterado pelo fato de se tornar observável, como se a simples reflexão sobre o evento alterasse seu direcionamento no plano quântico.

Pode ser justamente esta a intenção dos espíritos quando revelam às mentes sensíveis eventos, geralmente negativos, com um desejo que a humanidade tome ciência deles e possa alterá-los a seu favor, positivamente.

O caminho A do evento no futuro deixa de ser inexorável, e assume várias linhas paralelas de possibilidade: B, C, D, etc, conforme a observação que se fará dele em seguida e a consequente mudança de atos, conforme a lei de causa e efeito.

Realmente, um Paradoxo de Incerteza se impõe aqui: aquela que proverá um determinado caminho quando o curso “natural” de um evento é alterado na dimensão das profecias.

Isso tem muita quântica funcional! E digo mais: a Física Quântica é a ferramenta que temos hoje para provar a realidade das profecias.


A MENTE É A QUINTA DIMENSÃO.

A QUINTA DIMENSÃO É O PLANO QUÂNTICO.

Logo… a Mente é Quanticamente a nossa ponte com a Quinta Dimensão!
Saber que a nossa mente é o único instrumento real de biotecnologia espiritual capaz de interagir conscientemente com o Universo quântico da Quinta Dimensão é uma afirmação que, diretamente, declara os limites da ciência tridimensional e seus conceitos expostos de observações saídas de olhos totalmente cegos para aqueles universos dimensionais para os quais justamente o cérebro como instrumento da mente foi construído… não há tecnologia alguma capaz de substituir a mente quântica no seu papel primordial.
JP em 02.06.2019

Comentários