Templates by BIGtheme NET

O Surfing Astral – técnicas de Viagem Astral consciente

 

Generalidades

O Surf é uma prática desportiva que consiste no atleta se equilibrar sobre uma prancha que desliza sobre o mar, aproveitando o impulso das ondas.

Quanto maior a onda, mais valorizada nesse esporte ela se torna.
Surf, o termo, parece ter surgido do transporte do som das ondas quebrando na praia. A origem do Surf é disputada entre os polinésios e os havaianos. Mas o mais certo é que teria começado na Polinésia e chegado ao Havai através do rei polinésio Tahito, embora relatos também mencionem os antigos peruanos ligados a esse esporte, com canoas de junco.

Para os antigos praticantes, o Surf não era um esporte competitivo, e sim, uma terapia que ajudava a relaxar, descarregando energias negativas
***********************************************

 

Procede aqui uma perfeita analogia com as práticas de viagem astral comparáveis ao Surf, em vários aspectos, a começar pela dimensão astral, da mesma natureza “líquida” (elemento água, quinta dimensão, 5D), que significa menor densidade que a dimensão física 3D (associada ao elemento terra e à terceira dimensão).

Ondas podem ser comparadas a determinadas faixas noturnas onde a energia astral (ou o contato natural com outras dimensões) é mais intensa, e atinge picos, como é o caso conhecido da faixa das três da manhã (e especialmente 3:33) e a faixa das cinco da manhã, ou cerca de uma ou duas horas antes do nascimento do Sol.

 

O primeiro Surfista brasileiro é de Santos, SP, Osmar Gonçalves, 1938

 

Outra alegoria de interpretação das ondas também funciona em relação ao próprio SONO.

As ondas do sono (em termos neurológicos) são as responsáveis diretas por transportar a consciência de vigília para a consciência onírica. Então, numa interpretação livre e direta, pegar uma Onda Astral significa estar no controle destas ondas neurológicas que invadem o cérebro e passar para o outro lado sem tombar no sono, como normalmente acontece.

A Prancha é, genericamente, o corpo da técnica que voce emprega para alcançar esse feito, o de flutuar acima das ondas repetitivas do sono, que começam a estourar na mente quando voce se deita.

 

Osmar Gonçalves. 1938, Santos SP

 

Os mitos antigos do Surf diziam que cada praticante deveria construir sua própria prancha, transferindo para elas suas energias, o que significa aqui que cada um deve eleger e elaborar sua própria técnica, aquela que melhor lhe funcione e dê resultado.

O mundo físico é a terra, e o mundo astral é o oceano aberto. A praia é o ponto de encontro entre estas duas dimensões, é a transição entre o corpo físico e o corpo astral usando a prancha mental.

As ondas do sono vem e vão na sua praia quando voce se deita para dormir. O controle e atenção mental que você passa a exercer sobre essas ondas, no desejo de uma prática bem sucedida, é a prancha que vai usar para surfar sobre as ondas do sono.

 

 

Práticas de respiração profunda e controlada intensificam as ondas neurológicas do Sono, o que significa aumentar o impulso das ondas. Praticando a respiração, você terá ondas de sono mais intensas do que se deitar sem prática alguma, aumentando seus picos (intensidade), para que a onda tenha potência para uma experiência astral lúcida. Se não praticar nada ao deitar – a menos que já tenha o dom – certamente não terá uma experiência a altura, e somente irá sonhar, ou nem isso (sono sem lembranças).

O Surf na verdade pode ser lido como uma prática de viagem astral.
Quando a pessoa dorme, ela submerge no astral inferior, plano de vibração mais densa, e então, sonha. As imagens são diluídas, turvas, imprecisas, vagas e nebulosas, confusas, exatamente como a visão que se tem em baixo da água.

 

 

Agora, imagine se voce se coloca por cima da onda, ao invés de afundar nela (tomar o caldo), o que verá? Imagens lúcidas, precisas e perfeitas do cenário do mar, das ilhas, dos pássaros, nuvens e todo o resto iluminado pelo Sol. Mas tente ver isso debaixo d’água.

Sentiu a diferença? Essa é a precisa diferença entre sonhar e sair em astral em termos de experiências fora do corpo.

A visão sobre a prancha mental mostra as imagens sob a luz clara da consciência, muito útil, por exemplo, para encontrar pessoas, seres, lugares, etc, o que se faz inviável no processo do sonho comum, tomado por imagens submersas, turvas, embaralhadas (embora exista o sonho lúcido, intermediário entre o sonho comum e o astral desperto).

A visão astral é nítida, sem a nebulosidade das imagens de sonho e distorção de imagens submersas.

A prancha é o estado mental de atenção e alerta, para que voce possa captar o instante preciso em que uma onda de sono sobe até o cérebro e está prestes a te adormecer. O surfista astral não submerge no astral inferior dos sonhos, mas flutua no astral superior e vê os cenários e entidades com total nitidez.

 

 

A Técnica

Deite, relaxe, respire profunda e calmamente.

Firme-se na prancha (atenção mental) esperando a Onda Perfeita (sono). Conforme voce fique prestando atenção no sono, ele se tornará uma onda variável, pode vir, pode ir embora, e voltar depois, ao invés de chegar e te tombar poucos segundos após fechar os olhos.

O diferencial aqui será voce colocar atenção no sono, coisa que normalmente não se faz. Mas prestando atenção nele, de forma concentrada, sem perder o foco com outros pensamentos, o padrão vai mudar. Em termos de transferência de consciência do mundo físico para o mundo astral, sonho e viagem astral são o mesmo fenômeno, muda apenas pelo fato de que o sonho acontece no astral dimensional inferior, e a viagem astral, no astral superior, um nível mais elevado de vibração.

Repetindo esse exercício, é normal cair da prancha uma, duas, três vezes… até que se começa pegar a prática e ficar firme sobre ela, e deslizar por cima da onda, em vez de afundar nela.
O equilíbrio sobre a prancha significa ir controlando aos poucos a mobilidade astral já fora do corpo.

Resumidamente, a técnica é esta.

Deite, puxe a onda do sono com a respiração e fique relaxado e o máximo atento possível. Pode ser que perca o sono algumas vezes, mas ele sempre volta.

Focalizar a mente neste único intuito, deitar com o forte propósito da viagem astral para transferir devidamente o comando da vontade ao Subconsciente.

O fato de se pensar intensamente nessa experiência, de uma forma contínua, já vai implantando lentamente no Subconsciente a ideia que, cedo ou tarde, o cérebro executará durante o sono.

 

O Tubo da Onda representa perfeitamente a transição da consciência de uma dimensão para outra, quando novas luzes e paisagens aparecem diante dos olhos do surfista astral…

 

***

Se você aprender a surfar as ondas do sono, conseguirá vislumbrar paisagens deslumbrantes do Astral Superior, aquela porção de mar que fica por cima das ondas, iluminadas pelas luzes do Sol de um novo despertar em sua vida… tudo, mas tudo mesmo, é uma questão de técnica e paciência!

 

JP em 13.05.2019

Comentários