Templates by BIGtheme NET

O Simbolismo das Trombetas: o que elas anunciam?

 

 

O que poucos sabem é que a música destas trombetas não é de todo ruim… pelo contrário, parte do que elas anunciam é um regresso, é um reencontro, é um feliz recomeço! Temos somente que aprender a ouvir melhor essa música dos tempos…

Trombetas sugerem anúncio de muitas coisas.

A imagem bíblica das trombetas anunciava toque de recolher ou grandes reuniões do povo de Israel, para celebrações, êxodos, etc.

É a partir dessa analogia que temos que tirar o simbolismo secreto destes sons misteriosos no mundo moderno, em todas as partes do Globo, desde 2011 e primeiramente numa região da Rússia (sempre a Rússia…)

O retorno dos deuses, a chegada do Mestre, como o Senhor da Casa que retorna após a longa viagem, tendo deixado sua casa, família e bens nas mãos dos seus servos…

Mas não só a Bíblia, especialmente o Apocalipse, mas outras escrituras antigas falam desse retorno dos “deuses” no final do Grande Ciclo da Terra, esse Ciclo que tanto o Calendário Maia, como o hebreu e como o hindu estão localizando para a presente época.

Sendo que essas mesmas escrituras e profecias mencionam tais trombetas que anunciam os Anjos ou deuses… que, numa linguagem simbólica, pode perfeitamente estar falando de UFOS e alguma forma de sinalização – como os crops circles.
Sons de UFOs, em inúmeros relatos e gravações, tem som extremamente parecido com o de trombetas, uma espécie de som metálico grave e baixo, quase como um ronco perto dos infrassons.

Uma simples e direta sinalização de um fim de Ciclo e transformações que se seguem na Terra. Na Bíblia, a trombeta também tinha um sentido de reunião do povo. Era o seu sentido mais especial.

Acredito que esses sons podem inclusive comportar, em sua estrutura oscilatória, padrões de comunicação, aqueles que o SETI tanto procura.

De qualquer forma, bem mais que o Apocalipse, acredito que esta passagem bíblica do ÊXODO 19 é a que melhor ilustra esse paralelo entre UFOs descendo e trombetas soando:

“E aconteceu que, ao terceiro dia, ao amanhecer, houve trovões e relâmpagos sobre o monte, e uma espessa nuvem, e um sonido de TROMBETA mui forte, de maneira que estremeceu todo o povo que estava no arraial.
E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus; e puseram-se ao pé do monte.
E todo o monte Sinai fumegava, porque o Senhor descera sobre ele em fogo; e a sua fumaça subiu como fumaça de uma fornalha, e todo o monte tremia grandemente.
E o sonido da TROMBETA ia crescendo cada vez mais; Moisés falava, e Deus lhe respondia em voz alta.
E, descendo o Senhor sobre o monte Sinai, sobre o cume do monte, chamou o Senhor a Moisés ao cume do monte; e Moisés subiu.

Êxodo 19:16-20

De qualquer forma, segundo os cálculos dos rabinos e cabalistas que lidam com o Calendário hebreu, no dia 13 de Setembro de 2015 entrou a Festa das Trombetas, que alguns estão interpretando como o toque da sétima e última trombeta do Apocalipse.

Outros transferiram esses anúncios proféticos para 2017, por causa do grande alinhamento na constelação de Virgem (em 23.09.2017).

Interpretações a parte, as coisas estão acontecendo, e cada é livre para entender e sentir como quiser.

Porque tudo é novidade, até para a ciência, e se a ciência ainda não explicou o fenômeno, ninguém poderá ser culpabilizado por “mistificar” o que quer que seja.

Estas coisas sempre aconteceram no mundo inteiro. A visitação extraterrestre tem registros em toda parte. O que mudou foi a forma como a consciência humana vem interpretando tudo isso.

Antigamente, havia menos ciência e mais fé. Hoje, estamos com muita ciência, e a especulação tomou conta sobre as coisas que não se podem ver e, portanto, provar segundo modelos acadêmicos vigentes.

Mas uma coisa são todos estes fenômenos, que, por si, são reais, estão lá. E a outra, como a humanidade, em sua mudança de padrão de pensamento, interpreta tudo isso. O observador pode interferir com alguns eventos, mas não todos. Há dois mundos com os quais interagimos, o mundo dos fenômenos que podemos interagir e mudar, e o mundo dos fenômenos que só podemos observar, em nada mudar. Alguns até conseguem interagir. Mas são minoria. Que fenômenos? Deus, espíritos, extraterrestres, etc.

E até fenòmenos naturais, como terremotos, eventos cósmicos, etc. Nosso alcance é apenas de observação. Em algum grau, interação. E em nenhum grau, modificação. E no universo dos fenômenos, até pelo que a Física Moderna nos assegura, não podemos mais falar em coincidências, senão que somente em Convergências.

O Universo é permeado por um tecido que, por vezes, concentra inúmeros “vetores causantes de eventos” num mesmo ponto do espaço-tempo, e o senso comum (ignorando tudo isso) chama tal situação de COINCIDÊNCIA, contudo, a consciência mais preparada percebe tais CONVERGÊNCIAS no fluxo das SINCRONICIDADES que as acusam, e entende que esse ponto, assim saturado de “vetores causantes de eventos”, na verdade, está sofrendo um acelerado PROCESSO DE TRANSFORMAÇÃO.

E tais situações, previsíveis por uma ciência e conhecimento das leis e funcionamento do universo superior a nossa, podem ser escritas na forma de PROFECIAS, assim estabelecidas segundo a regularidade ciclica daqueles mesmos fenômenos apontados.

Essa seria uma outra forma de explicar as transições cíclicas do Universo e entender a ciência por trás das profecias, sempre acompanhada de inúmeros “sinais”, estes mesmos sinais que elas tentaram, no passado, localizar no futuro, como sintomas de uma doença que evolui para quadros previsíveis, se não curada a tempo, para que então as pessoas do futuro se preparassem para as tais transformações, acompanhando-as no mesmo ritmo… isso para o bem de sua própria evolução espiritual e ganho de consciência… é aquela velha história: o UNIVERSO FALA, mas estaríamos surdos às suas Vozes?

 

 

JP em 24.07.2019

Comentários