O Significado de 12:12:12

 

 

 

Ano passado, em 11.11.2018, se formou o padrão numérico 11-11-11, e realmente, coisas estranhas aconteceram no mundo naquele dia, por exemplo, um sinal oscilatório atípico e singular que vibrou em todo o planeta na manhã de 11 de Novembro de 2018, e que pouco depois das 11 horas da manhã, iniciou sua propagação na região da ilha francesa de Mayotte, a leste de Moçambique, na África (dentro de uma sincronicidade prevista para este dia) e que percorreu todo o planeta por cerca de 20 minutos, emitindo uma nota tão pura e uma frequência tão singular que desafiou todas as explicações plausíveis e razoáveis da ciência… porque não foi causada por uma atividade sísmica comum!

Uma frequência harmônica cujo período se estabeleceu entre 16 e 17 Hz (ciclos por segundo)… cujas origens não foram decifradas até agora!

Mas hoje, 13 meses depois (13!) acontece o padrão numérico 12:12:12 na data de 12.12.2019, e o último padrão numérico assim ocorreu a 99 anos atrás, em 12.12.1920, tornando esse arranjo numérico sempre raro.

O conceito de 12:12:12 é diferente do 11:11:11, cujo atributo central é FORÇA, (arcano 11), elevada ao grau máximo, triplicado (somando 33, número-mestre da Cabala e Maçonaria).

No caso de 12:12:12, a soma é 36, metade de 72, número de ouro da Cabala, relacionado ao Pentagrama e seus ângulos internos (36°, 72°) e uma grande quantidade de correspondências simbólicas dentro e fora da Cabala.

Percebemos que os três números-arcanos 11, 12 e 13 se relacionam numa matriz harmoniosa de tríplice atribuição, pois:

11: Força (a chave)
12: Sacrifício (a porta)
13: Transformação (a passagem)

 

E a leitura mais simples aqui, numa fórmula que serve para aplicação em todos os desafios, é esta:

Avalie-se que estes três argumentos do Taro (números) aparecem APÓS o Arcano X, a Roda, os limites da existência circular do nascimento à morte. Então, 10 é 1-0, o eterno retorno, aquilo que nos faz andar em círculos, que nos faz subir até um limite e depois, descer, crescer até um limite e depois, envelhecer e morrer, ou seja, o eterno dilema do tempo, a grande prisão universal.

Baseado nisso, 11 se torna a força secreta capaz de transcender a mecânica da Roda (X).

Na alegoria dita, 11 é a chave: é preciso buscar a chave que transcenda a Roda (1+1 = 2) que se relaciona ao conhecimento secreto (Arcano II).

Se 11 é a força que comporta a chave, 12 é o sacrifício.
O sacrifício é a porta, sempre será porta. Não há outra.
Jesus falava na porta estreita que conduz ao Reino de Deus. E essa porta estreita e áspera, repelida pela grande maioria, que prefere os caminhos largos e fáceis, é a porta real da ascensão.

A raiz se sacrifica para manter a árvore.
As folhas se sacrificam para gerar flores, e as flores se sacrificam para gerar frutos, que por sua vez, se sacrificam para produzir sementes. E as sementes, caindo na terra, morrem, se sacrificam, para rebentar novas plantas!

Essa é a lei da Porta: 12.
Curiosamente, no capítulo 12 de João, aparece Jesus montado no jumentinho, cruzando a Porta de Jerusalém, triunfante, porque ali é que ele encontraria seu grande sacrifício!

E sem o sacrifício, não acontece a PASSAGEM, 13! Morte que é Transformação!

Você tem uma porta fechada diante de si e quer passar por ela: 11-12-13, saltando os limites que ficam para trás (10).

Precisa de uma chave. É o começo. Essa chave é o conhecimento legítimo capaz de gerar uma força, um impulso para frente e para cima. Então, quando essa chave abre a porta, você entende em seguida que terá que realizar sacrifícios. Arcano 12, o homem dependurado, que perde tudo para ganhar tudo! Uma troca justa?

Perder as ilusões para ganhar as revelações?
Perder as prisões materiais para ganhar asas de ascensão?
Claro que sim.

Uma vez que o sacrifício é aceito sem oposição, então, dentro do devido tempo, esse sacrifício irá realizar a morte da transformação interna! E quem já não viveu períodos de dificuldade na vida os quais, depois dele, saiu plenamente transformado? Esse é o conceito do arcano 13.

Assim, leia 11.12.13 da seguinte forma.
Quer transcender a mecânica, a mesmice e os limites da vida material comum cíclica (10)?
Adquira um conhecimento puro e perfeito capaz de gerar força (11).
Aceite os sacrifícios que essa força trará com ela (12).
E suporte o tempo devido até a transformação ou passagem de um estado de consciência inferior para outro superior (13).

Um exemplo interessante dessa fórmula está no capítulo 11 do Apocalipse, no drama das duas testemunhas.
Primeiro, elas assumem força nas palavras para profetizar, e ninguém poderá com elas (11).
Depois, aceitam o sacrifício, sendo mortas pelo Anticristo (12).
E depois de 3.5 dias, o sacrifício se transforma em imortalidade, porque ressuscitam e passam para o universo superior (13) na sua ascensão.
Essa é a mesma sequência de mistério que tocou a Jesus Cristo realizar em sua obra.

Assim, para entender a sequência 12:12:12, ela precisa ser associada ao 11 e ao 13 numa sequência lógica.

E após o 13, vem o 14, que significa associações com seres e consciências mais elevadas, associações estas que prometem inserir muito crescimento na nova vida assumida, vida essa que buscou a chave verdadeira da porta única que conduz a transformação.

Viver a vida somente nos regalos do materialismo não tem qualquer sentido espiritual.
Vai confortar sua carne por um tempo, mas são ilusões acumuladas que trarão débito kármico no futuro.
Ao buscador da Verdade, tudo começa com a chave do conhecimento real capaz de gerar força e impulso real na vida, transcendendo o comum (10).

Depois, esse conhecimento atrairá provações, e sacrifícios terão que ser realizados.

Se o buscador da verdade suportar esses sacrifícios no devido tempo por eles exigido, sairá transformado, passará de um estado de consciência inferior para outro superior.

E é nesse estado de CONSCIÊNCIA RENOVADA que ele atrairá novas situações na sua vida nova que irão trazer real crescimento, até que novas portas venham pela frente, para que sucessivas transformações completem a metamorfose do humano no divino plenamente!

Assim foi escrito na sabedoria das pirâmides e nos códigos das estrelas, que foram humanos um dia antes de ascenderem ao universo dos deuses imortais…

JP em 12-12-2019

Comentários
Compartilhar