O Sábio me disse (3)

 

 

 

 

A luta contra o Ego

Infelizmente, poucos compreendem a sutil diferença entre SER e ter EGO, parece a mesma coisa mas não é. Jesus disse EGO SUM: EU SOU. Mas o EU de Jesus era o Ser realizado, o Ser individual em comunhão com Deus, o Ser Infinito. O Ego humano é construído em cima de desejos e ilusões, sendo portanto edificação sobre areia, já que tal individualidade é falsa, carece de realidade… se os sonhos e os projetos materiais desmoronarem, o ego desmorona logo em seguida… basta a morte do corpo para zerar a equação dos desejos do ego…

Ser… é tudo o que o ego não é… ser em Deus, ser na Verdade, ser no amor… Quanto ao ego da aparência, ego do corpo, dos instintos, do desejos, das posses, das ilusões, estas são as matrizes do ego, e ele desaparece junto com todas elas.

Tudo o que não se pode levar para o infinito e para a eternidade é pura ilusão.

O Ego não passa de desejos cristalizados… se tirar a fonte de alimentação dos desejos, o ego começa a perder força… se ele for compreendido a luz da consciência, aí começa a morrer…

Poucos compreendem a diferença: ego é um estado falso de consciência, construído em cima de ilusões, de coisas passageiras. Elas passam, o ego passa junto. O Ser reclama a eternidade do amor e da verdade nos corações… mas muitos não escutam sua voz…todos edificam seu ego em função das ilusões, dos dados dos sentidos carnais, poucos conseguem edificar o SER em função da energia do espírito, feita do poder do Amor e da substância da Verdade. A estes, costumamos chamar de mestres, de imortais, de iniciados… mas aqueles outros, de meros mortais, homens comuns, fadados ao eterno retorno ao pó…e a grande maioria é levada nesse caminho não só por ignorância, como dizia Buda, mas também por puro desinteresse pelas letras dos sábios, o que eu acho bem pior.

 

 

Somos a semente da Árvore cósmica que, se devidamente trabalhada, está destinada a tocar o céu e respirar os mesmos ares que respiram as estrelas…enquanto suas raízes firmes e sólidas mergulharão em profundidades e mistérios da noite cósmica que só aos iniciados é dado conhecer… e se assim você compreender, verá que o mito de Hércules lutando sem armas contra o Leão de Neméia, cuja pele (couro) era impenetrável a qualquer arma, é mais uma lição de psicologia avançada dos antigos, quando o Ego assume o lugar do Leão, e o ser dentro de ti, o herói buscando libertação da fera interior que não pode ser vencida por armas, apenas pela tua força plena em razão pura, razão possível e somente possível quando o Ser, e não o Ego, passa a pensar, sentir e agir em tua existência, agora, real!

Moral da história: Hércules conseguiu matar o Leão somente por sufocamento.
Então, para se matar o ego, é preciso tão somente tirar tudo o que damos de alimento para ele: ilusões!

 

O Sábio me disse:

Contempla as doze virtudes da alma:

1. HUMILDADE
2. PERSEVERANÇA
3. RESPEITO
4. HONRA
5. AMOR
6. SACRIFÍCIO
7. VERDADE
8. COMPAIXÃO
9. VALENTIA
10. FORÇA
11. GENEROSIDADE
12. SABEDORIA

Entende que três delas são as primeiras para te tornar um Aprendiz:
HUMILDADE, RESPEITO E HONRA.

Sem elas, sem a humildade perante teu mestre, seu o respeito perante o semelhante e sem a honra perante a vida, não terás condições de aprender a sabedoria do alto.

Depois, quando cristalizares teu caminho como Discípulo, outras três te serão companheiras inseparáveis, para conquistares a meta. São elas:

PERSEVERANÇA, FORÇA E VALENTIA.
Porque do aprendizado, passas agora para a via da luta, da boa luta do guerreiro da luz.

Então, quando o teu caminho te converteres num Mestre, então outras três virtudes serão acrescentadas a tua alma dispensadora de dons ao mundo, e são elas:

GENEROSIDADE, COMPAIXÃO E SACRIFÍCIO.

Porque, se quiseres subir além do Mestre, para a altura de um Filho de Deus Vivo, certamente terás que abrir a porta final, a porta do Sacrifício, que é aquela que, no final da estrada, derramará a tríplice fonte divina em teu coração como Canal Eterno da Presença:

SABEDORIA
VERDADE
AMOR

Então, tu serás a Árvore da Vida plantada no meio do Paraíso, vertendo os doze sagrados frutos da alma para o mundo… com as raízes plantadas na Verdade, com a luz da Sabedoria iluminando tuas folhas, e com os frutos do Amor brotando de teu Ser para alimentar todos os que chegarem a tua sombra protetora… Porque estes são os três Sóis da Divindade que agora brilham para sempre dentro de ti!

E no final, serás um humano solar, emanando os doze raios de poder ao mundo.

Sem a consciência do real significado dos símbolos da sabedoria antiga, vasos repletos de elevado conhecimento, tudo será como letra morta, sem valor de transformação da alma, apenas depósito de crenças e teorias sem vida…

 

O Sábio me disse algo da Felicidade verde, de poder eu estar em ti e tu em mim, Madre Natura, fartura de Alma Pura, pelo céu tocada, pelo Amor gerada e pela Vida beijada…

O Sábio me disse algo sobre a Alegria verde, daquela cor que me cura, porque é textura da seiva da vida em fartura, correndo aqui e ali, no leite e no mel, nas estrelas do céu em licores cantantes e amores vigilantes…

O Sábio me disse algo sobre o Manto da Terra, coberto de pedras preciosas talhadas pelos instrumentos do fogo divino, celeste e agreste, nas forjas do Sol e dos vulcões, inflamados corações ardendo de afeto pela deusa ternura em seu útero-santuário de milagres…

O Sábio me disse algo da bondade materna… que cambia verde e azul, do norte ao sul, trazendo no arco-iris da Arte nua toda face sua e eterna, Mãe minha, Mãe Nossa, Igreja e templo que congrega vida, alma, desejo e harmonia, em todos os seres a partir de mim, e em mim a partir de todos os seres num tom de branco que não posso mais dissociar em meus olhos… apenas venerar em meu coração…

O Sábio me disse algo sobre a nova religião: abre as cores do teu coração em leque de bons sentimentos e captura a Natura, toda pura, toda alvura, na dimensão do que puderes amar e contemplar no Todo, em ti mesmo. Faz dela teu alimento e teu remédio, teu sonho e teu lícito assédio de felicidade.

Aprende a beijar toda flor em teu caminho, entende que jamais caminhas sozinho, e que toda flor te acompanha, e que todo campo te ganha quando o campo semeias, não cruzando as matas com indiferença e nem deixando de olhar o rastro de paz trazido pelas estrelas na noite que chega e te convida a outra celebração da vida que dorme, para acordar vida novamente, com nome, com sopro, com alma indolente, apenas contente com tantos presentes… beija toda flor em teu caminho e ela te revelará um segredo de imortalidade, de semente que volta, de coração sem revolta…

Faça disso a tua religião… sê UM com a Natureza e estarás sendo UM com Deus na dimensão de todos os entes… e nunca te esqueças da oração diária ao céu, ao Sol e ao luar, a todo verde do mar e todo azul estelar que inalam teus pulmões e digerem teu corpo e mente em sagração com a Vida:
a oração da GRATIDÃO!

O Mestre disse:
Eu venci o mundo! O que está dentro de mim é maior do que está no mundo!E o Sábio me disse:

Só há um modo de vencer o mundo! É vencer o pequeno que está em ti para que o grande que está em ti se manifeste em poder, saber e amor.
Só há um modo de escalar a mais alta montanha da tua vida, ou cruzar o mar mais profundo do teu desafio, para alcançar a luz mais brilhante diante do desejo incessante da tua mente: é fazer-se montanha, é fazer-se mar, é fazer-se luz. Se tu fores a montanha, poderás subí-la… se tu fores o mar, poderá cruzá-lo… se tu fores a luz, poderás ver…
E todas estas coisas você fará quando, e somente quando, aquilo que é maior que o mundo e que está dentro de ti acordar e guiar a tua vida.
Porque disse o Mestre: se a tua fé for como um grão de mostarda, dirás ao monte: mova-se, e ele se moverá.Não é exatamente o monte que se moverá diante de ti… mas o monte dentro de ti é que se moverá sob os teus pés… e então subirás às Moradas…porque aquilo que está dentro de ti, e que é maior que o mundo mesmo tendo o tamanho de um grão de mostarda… nada mais é do que a semente do divino amor que Deus depositou em teu coração, esperando germinar…

O SÁBIO ME DISSE:

Uma mente sem imaginação é como um barco sem velas…seus pensamentos são os ventos: a mente pensa, pensa, e não sai do lugar comum do conceitos, como o barco: os ventos sopram, sopram, e ele segue à deriva no mar desconhecido.

Ele me disse: enquanto a dourada Terra da tua procura não cintilar no campo dos teus sonhos, você nunca a descobrirá nos mares da tua existência…

A imaginação consciente é a bússola das grandes descobertas! Ela é o magnetismo astral que nos conduz aos horizontes ainda desconhecidos pelos humanos de mente comum…perdidos nos ventos sem direção da especulação racional! Todas as grandes verdades descobertas não vieram de especulações da razão, mas sim, de lampejos de imaginação brilhando no campo fértil da intuição!

O Sábio me disse sobre a mais nobre das paixões:

Essa paixão se chama a Busca do Conhecimento, e vem da mente curiosa, e vem da alma sedenta pela Verdade, alavanca de impulso de todo progresso e motor que empurra para frente e para cima a raça humana, e todas as raças, em sua jornada evolutiva rumo ao Infinito, a cada passo dado de superação, desafiando todos os limites e cruzando todas as barreiras que, antes, intimidavam o fraco e o vacilante, o covarde e o acomodado.Essa paixão pelo mistério, esse amor pelo desconhecido, essa necessidade em sair do comum e viver o extraordinário, sim, são muitos os agentes psicológicos que fazem arder no espírito humano essa febre luminescente e essa linfa de idéias circulantes que é todo o combustível da ciência!

Rumo ao Império do Sol!
Que é a CIÊNCIA DA CONSCIÊNCIA!

O equilíbrio traz alívio… o alinhamento dá contentamento… já que todo excesso é retrocesso, e todo abuso, mal uso…
Seja grande ou pequeno, enorme ou tacanho, não importa o tamanho… ou a massa, grande ou escassa… tudo o que importa é colocar no ponto a tua porta, e no centro o teu universo dentro…
E vereis o elefante bailando na folha, e a montanha dançando no vento, e neste momento, entendereis que se a vida descansa no centro, então tudo o que estiver fora se fará dentro… e o compasso do Criador Infinito encontrará apoio em teu coração.
E o mundo? Estará na palma da tua mão!

O Sábio me disse:

A toda INFORMAÇÃO, acrescente INTUIÇÃO, e depois, passe para o Conhecimento integrado.

AO CONHECIMENTO INTEGRADO, acrescente CONSCIÊNCIA, e passe para a visão desperta do Universo DEUS, que é muito mais que a simples soma das partes.

A informação vê as coisas aos pedaços.

O conhecimento vê as coisas interconectadas.

Mas somente a CONSCIÊNCIA contempla o TODO ORIGINAL, O UM PRIMORDIAL antes de sua fragmentação no Universo criado.

Porque o Universo criado é somente uma casca dentro do exercício de contemplação da mente, escondendo todas as profundezas do mistério real donde todas as coisas saíram.

Nessa consciência, perceberá que não existe mais separação entre objeto e observador, e que o observador se torna igual ao objeto que estuda, o que torna a sua experiência uma fonte de conhecimento muito acima da mera informação constatada pelos sentidos que sondam na casca ou superfície do universo dos fenômenos.

E neste estado, sentirá que a CONSCIÊNCIA É APENAS O AMOR, o Todo Original que chamamos de DEUS!
Esse AMOR, que é Tudo e o Todo, é mais que a soma das partes, é a fonte de todas as partes e a fonte de tudo ao mesmo tempo, é a medida perfeita que situa a consciência que então, recobra o status integral de Verdade Desperta.

Ps: a ciência moderna se encontra no estágio 1, coletora de informações somente, e informações do nível mais superficial do universo, o nível dos fenômenos.  Daí a sua tendência marcante ao ateísmo.

O nível 2 opera com o conhecimento integrado, mas somente o nível 3 contempla o TODO antes de qualquer estado de separação entre objeto e observador, alcançando aqui a Consciência Perfeita.

O Grande Espírito

O Grande Espírito da Sabedoria já assumiu inúmeras encarnações ao longo das eras da História humana, vidas pontuadas pelo contato direto que Ele tinha com a Mente de Deus, em cada obra que produzia, em cada livro que escrevia, em cada ensinamento que proferia.

No Egito, teve o distinto nome de Toth, que os gregos transformaram em Hermes.

Declara-se que o mesmo foi Moisés, que codificou toda a sabedoria do Alto nas letras e linhas do Torá ou Pentateuco, e depois voltou como o iluminado João Evangelista, o vidente do Apocalipse.

Passou por Rama na Índia, e por Zoroastro na Pérsia, e até por ENKI, nos primórdios da humanidade. Alguns o associam também à encarnação do maior mago de todos os tempos, Mirdzzin, mais conhecido como Merlin, o mais alto druida de sua casta.

E se comenta que ele já renasceu em nosso tempo e retornará como Maitreya, o grande Buda da Iluminação, aquele que irá restaurar toda a Sabedoria divina totalmente desfigurada no Mundo de Babel (Babilônia), onde as religiões se multiplicam, as opiniões se confundem, e a fraternidade se divide cada vez mais em ideologias do abismo.

E é exatamente pela ausência da Divina Sabedoria na Terra que o homem não está conseguindo mais falar um só idioma de consciência, e a desunião e até as guerras ideológicas serão inevitáveis.

Toda essa lista de encarnações do Grande Espírito, também reconhecido pelos indígenas da América pré-colombiana, e por eles associados ao planeta Vênus, tiveram como objetivo criar nessa alma uma vasta experiência para enfrentar as trevas que, neste exato momento, nunca estiveram tão poderosas e destruidoras sobre o nosso mundo, iludindo mentes, traindo corações, abatendo almas…

Ele é Aquele que virá e nos ensinará a olhar novamente para Deus, o mesmo Deus de todos os seus filhos espalhados na Terra, que é como o mesmo Sol, único Sol iluminando todas as retinas com uma mesma luz…sabedoria universal!

O DOM MAIS DIVINO QUE EXISTE

O Sábio me disse: ENSINAR É UM DOM DIVINO!

Um professor ensina não o que acha, mas o que sabe. Isso não significa impor conhecimento. Apenas ensinar. Cabe ao aprendiz decidir se quer confiar no que ele ensina ou não. Desde o início dos tempos, o nosso mundo recebeu professores espirituais, e com eles, alunos se polarizaram em simpatia ou não com as coisas que eles tinham que ensinar. Nunca começam sua cátedra declarando: “eu acho isso, eu acho aquilo”. Apenas falam das coisas que sabem, que viram, que ouviram, que deram por testemunho de verdadeiro.

Eles têm que estar seguros do que ensinam. Isso não significa que estejam a impor, apenas que estão certos e seguros do que ensinam, o que deve servir didaticamente para passar segurança aos alunos. O ato de ensinar é um dever, e o ato de aprender, um direito.O que não significa que os professores saibam todas as coisas. Nem que os alunos ignorem todas as coisas.

Contudo, no mundo da informatização, a informação é trocada na velocidade da luz, e em grande quantidade, e não há filtro de certo e errado ou verdade e mentira acompanhando consultas on line. De modo que cada coração seja livre para aprender o que quiser, com quem quiser. Ou não.

No mundo em que vivemos, dar é mais difícil do que receber.
E acrescento: ensinar é muito mais difícil do que aprender.
Porque para aprender, voce recebe de um. Mas para ensinar, ensina para muitos. Harmonizar estes muitos dentro do mesmo ensino é o que há de mais difícil, dada a grande diversidade de mentes, pontos de vista, conceitos, ideologias e níveis de consciência.

Mas não tem como evitar. Aquele que reparte seus conhecimentos, se torna professor, mesmo que não perceba, porque haverá muita gente aprendendo. E se há gente aprendendo, você está ensinando. E se está ensinando, isso te qualifica como professor. O grau da proficiência vai depender de dois fatores: do acervo do teu saber e da didática de segurança com que passas estes conhecimentos.

Neste vasto mundo, estamos, cada um de nós, entre duas extremidades, entre o ato de ser aluno (aprender) e o ato de ser professor (ensinar). Não existe nenhuma das duas condições em modo absoluto. Ninguém é somente aluno que não tenha algo a ensinar, como ninguém é somente professor que não tenha algo a aprender.

Que isso nos leve a maiores responsabilidades sobre as nossas palavras.

Agora, exibir conhecimentos não é o mesmo que ensinar. Professores exibicionistas deixam de sê-lo, porque apenas estão querendo exibir o quanto sabem. Tem muito disso também. O professor genuíno só tem um interesse e devoção: fazer com que o aluno compreenda a lição. Seu alvo é o aluno. Não ele mesmo. E quando o aluno aprende, ele se sente recompensado. É como um filho espiritual, que ele ajudou a gerar neste mundo. E para esse tipo de trabalho, ele tem que ensinar com o coração, não com a mente. O coração é o mestre. Engraçado que, na Sabedoria Antiga, o ofício de instrução era algo “feminino” e lembremos as deusas do conhecimento, e que Sabedoria tinha nome de mulher (Sofia). A Sabedoria é tratada na Cabala como entidade feminina, ao lado do Poder, a entidade masculina,aquela que lhe completa.
E ambas assumem, juntas, a feição de Deus.

Todo professor se torna como uma mãe daqueles que ensina, e passa a amá-los. Isso é imagem reconhecida nos modelos do conhecimento antigo. É uma relação muito próxima aquela existente entre discípulo e mestre.

A grande instrutora de Jesus foi a Virgem Maria. O leite de Ísis, símbolo da ciência e do conhecimento que instruia os divinos Heróis, como Hércules e o leite da Cabra Amaltéia. O leite que vem do coração, não do cérebro. O leite de deusas ou da Cabra sagrada gerou heróis. Este leite é o conhecimento, que tem que sair puro e nutritivo do peito da Mãe… isto é, do coração da Mãe… leite de ciência superior gerado no órgão do amor…

Ensinar é como dar alimento a alma, a relação é a mesma. Daí a conexão com o materno ofício de alimentar seus filhos, desde o ventre, desde os seios, com o leite do amor, com a substância da própria carne.
Ensinar é nutrir outra alma com o melhor da própria alma. É partilhar espírito, de muitas formas.

Tudo isso quer dizer que o professor verdadeiro ensina com o coração, porque ama o que faz, e amando, impregna suas palavras de uma ressonância especial que ajuda o aluno a compreender, porque suas palavras são carregadas pelo coro do Universo dizendo AMÉN… porque o universo nunca é surdo e indiferente às palavras vibrando com amor no espaço aberto.

Elas sempre vem acompanhadas de energia divina.

Ensinar é um dom divino.

JP em 27.09.2019
Comentários
Compartilhar