Templates by BIGtheme NET

O Raio do Amor

Muitas teorias modernas, colhendo elementos dos conhecimentos antigos, teosóficos, herméticos, e misturando com outras e outras linhas modernas, tentam definir os sete raios planetários a reger a existência de cada ser humano, e isso é verdade, ou seja, cada um de nós nasceu “espiritualmente” sob a regência de um determinado raio planetário e atributos relacionados, o que nada tem a ver com Astrologia, que rege destinos da vida física, e não da identidade espiritual, muito mais profunda que este (novo) corpo e personalidade recebidos em novo nascimento, cuja validade vai até o exato dia de nossa morte, quando a alma descarta tudo outra vez, corpo, personalidade e destino embutidos nas efemérides astrológicas do nascimento, que se tornam inválidas, portanto, no dia da morte.

Algumas dessas mesmas linhas místicas modernas trata de localizar, entre os sete raios, um raio do AMOR, o que está totalmente errado, já que o Amor não pode ser tomado como um dos sete raios espirituais isolados, porque ele mesmo é a fonte de onde brotam os sete raios.
Assim sendo, a tabela setenária dos raios espirituais relacionados aos atributos dos sete planetas, conforme as ciências herméticas antigas, é esta:

LUA, o raio da maternidade, governa os nascimentos, o universo das crianças, o poder sobre o novo que nasce.
O raio que alimenta, nutre e cuida do novo nascido. Também é um raio muito relacionado à natureza, porque a Natureza também é Mãe, a grande Mãe do mundo. O Arquétipo Mãe. E também, da criança pequena. Cor azul.

MERCÚRIO, o raio da cura e das ciências técnicas em geral. Prevalece a Medicina, mas todo tipo de técnica e tecnologia se relacionam à inteligência rápida e prática de Mercúrio. O conhecimento, as informações a serem partilhadas de forma imediata, as comunicações. Pelo lado de Hermes-Mercúrio e sua Alquimia, é também um raio fortemente conectado com a magia. O Arquétipo do cientista e do mago. Cor laranja.

VÊNUS, o raio da Vida. Muitos místicos tomam este raio como sendo o raio do Amor, mas é o raio da vida, e talvez porque a Vida seja o maior ato de Amor de Deus Criador, a associação seja feita. Mas tudo o que governa a vida, a evolução das espécies, a genética, o DNA, células e todas as fórmulas que permitem a existência da consciência na forma material, está sob a regência de Vênus, também governando a Arte, a Música e a beleza, a harmonia, na mesma razão em que a vida é a arte do espírito esculpindo consciência na matéria (forma).

Vênus também domina todo o conhecimento por trás da Criação, em especial, nas relações da alma com a matéria cuja resultante final é a Vida. É como se todos os raios trabalhassem, no final, para gerar esta resultante, a Vida, que é regida por Vênus, destacando assim esse raio entre os sete.
O arquétipo do artista, do criador. Cor verde.

SOL, o raio das lideranças e dos líderes. Política é um dos lugares mais fortes para este raio, ou qualquer instituição e área onde os dons da oratória, da liderança e da força de comando sejam aplicados. O arquétipo do rei, do imperador, do líder. Cor amarela.

MARTE, o raio da força, da purificação. A imagem dos guerreiros, não exatamente líderes (a liderança vem da influência solar). Raio da guerra, da força justa quando necessária. Polícia e exércitos são imagens do raio de Marte. São os agentes iniciadores das coisas. O raio da disciplina, da rigidez, da autoridade.
Iniciativa, ímpeto, energia dos começos. Arquétipo do guerreiro.
Artes marciais derivam-se de Marte, o conhecimento do antigo oriente no uso do corpo como instrumento de luta e defesa, bem como de disciplina. Cor vermelha.

JÚPITER, o raio da sabedoria. Tudo o que eleva a mente em contraponto à influência de Mercúrio. Este raio eleva a mente acima das questões práticas e concretas, e a torna afinada com as realidades superiores, aquelas reguladas pelas religiões, pela metafísica, ciências da alma, e conhecimento que regula as instituições da Lei, por exemplo, os Tribunais e as ordens eclesiásticas. O raio da filosofia, do conhecimento abstrato, das esferas superiores onde a alma, e não o corpo, é a temática central do conhecimento. O Arquétipo do grande juiz, do Papa, do Sacerdote, do sábio, filósofo. Cor violeta.

SATURNO, o raio da morte, e o mais injustiçado dos sete raios, porque se opondo ao raio da Lua, nascimentos e começos, ele rege todos os fins. Por isso, é a morte. É um raio que habilita a mente com grande conhecimento de números, e muitas vezes, grandes matemáticos nascem sob sua influência, por que Saturno tem que ter um conhecimento preciso do TEMPO para poder encerrar as coisas no momento certo, nem antes e nem depois. É o raio da cosmologia, do conhecimento das esferas, do relógio do tempo definido pelos astros, e muito relacionado ás ciências do céu, como Astronomia, e desta relação, atribui-se o controle do Karma. O Arquétipo do velho sábio e experiente, do leitor dos astros. Cor anil ou índigo.2.O AMOR, a fonte de todos os sete raios! Cor branca.

Porque todos os sete raios fazem tudo o que fazem com todo o seu talento e com todo o seu Amor na qualidade de instrumentos do Criador, o Amor como fonte! Do alfa ao ômega dos sistemas, do início ao fim da vida de cada um de nós, e de cada estrela e universo, os Sete Raios trabalham em suprema harmonia, para que todas as coisas sejam criadas, nutridas, desenvolvidas e desfeitas no tempo de acordo com a Vontade do Perfeito.

E se o Amor é o oitavo raio, porque veio antes dos Sete, é porque o Oito deitado simboliza o Infinito, onde todas as forças se encontram, se enlaçam e se unem na Grande Cadeia cósmica, e quando isso acontece, o Amor por si só se torna a Lei Maior e a Medida de todas as coisas a reger todos os seres.

Da luz branca brotam sete cores, quando o raio de luz atravessa o prisma, e quando as sete cores atravessam o prisma, elas se somam de novo no branco original. Assim é no espírito, o Branco é o Amor, soma e origem de todos os sete dons, cores, raios e direções.

Parte fundamental do Auto-conhecimento é descobrir o raio em que seu espírito foi criado, e já adianto, nada tem a ver com Astrologia e mapa astral. Trata-se de uma informação que mapa nenhum revela, apenas um contato mais profundo com o espírito interno, que pode nos revelar nossa linha de dons e talentos espirituais naturais e que são os mesmos, em todas as reencarnações sob signos diferentes, aqueles dons e talentos que o próprio Criador nos abasteceu quando nossa existência foi lançada, qual chispa que subiu de um grande incêndio, incêndio esse que foi a Criação do Ato de Amor do Criador, antes que existisse tempo e mundo.

Porque esse conjunto de dons e talentos revelam a nossa verdadeira identidade na Terra, no céu e em qualquer lugar e tempo, por se tratar de uma dádiva eterna que sempre nos acompanhará, esperando apenas a nossa descoberta e desenvolvimento na sua direção, que nos tornará cada vez mais poderosos e conscientes pelo simples fato de nos encontrar trabalhando na direção certa do nosso espírito em seu raio localizado.

A astrologia e os signos temporários servem para nos educar ou aprimorar em determinada direção que ficou faltando em vidas passadas, e que serão necessárias nesta e nas vidas futuras. São ensaios da alma em aprendizado na busca da sua identidade espiritual eterna e sua vibração pessoal definida por um dos sete raios e notas musicais.

Mas, seja lá qual for nosso raio, se fizermos tudo com amor, então teremos aprendido a maior das lições da vida.

ADONAI

JP em 16.01.2020

Comentários