Templates by BIGtheme NET

O Cavaleiro da Peste

Uma análise da relação entre as pragas do Apocalipse e os defeitos da natureza humana

Na magia antiga, os quatro elementos eram relacionados com o universo humano de duas formas simples (numa espécie de ressonância energética entre os quatro estados da matéria e o corpo/psique):

1. Os quatro temperamentos fundamentais da psicologia humana
2. Os quatro instintos fundamentais do corpo físico (humano e animal)

Quanto aos quatro temperamentos fundamentais, que são: sanguíneo, melancólico (nervoso), colérico (belicoso) e fleumático, eles se relacionam com disposições da personalidade única de cada indivíduo, conforme as predominâncias dos elementos na carta astral da pessoa, de acordo com as equivalências entre temperamentos e elementos.

Mas quanto aos quatro instintos básicos da nossa natureza (de fundo animal), as relações conhecidas eram estas:

1. FOGO (Instinto da Agressividade, da luta diária) se converte em IRA
2. Ar (Instinto da Nutrição) se converte em GULA
3. TERRA (Instinto da Conservação, sono) se converte em PREGUIÇA
4. ÁGUA (Instinto da reprodução, sexual) se converte em LUXÚRIA

Fora de suas órbitas naturais por causa dos abusos cometidos, os instintos naturais se convertem em quatro dos conhecidos sete pecados capitais, e na magia antiga, esses defeitos eram representados por forças animais degeneradas numa esfinge quaternária, quando o leão se torna um cachorro, o touro se torna um porco, a águia se torna uma galinha e o ser humano, um macaco. Símbolo das inversões mentais causadas pelos instintos fora de controle naqueles quatro defeitos.

Comer sem fome = Gula
Agredir o semelhante sem necessidade ou motivo de defesa = Ira
Fazer sexo sem necessidade de reprodução = Luxúria
Dormir sem estar cansado ou com sono, vida sedentária = Preguiça

Além destes argumentos todos da magia antiga, existem a relação conhecida entre estes quatro defeitos da natureza humana (instintos pervertidos) e as quatro pragas do Apocalipse, que retratam o somatório do Karma de todas as ações passadas da humanidade em contexto global. Lei do retorno.

Assim, fica fácil construir os vínculos entre os quatro cavaleiros e os quatro defeitos da natureza instintiva humana, aqueles que causam impacto direto na energia dos quatro elementos planetários, disseminando todo tipo de caos e destruição (como sempre, o Inferno criado por nossas próprias mãos).

A Ira coletiva atrai, obviamente, a Guerra, e a Gula coletiva, a Fome.
Relações diretas aqui.
E a Preguiça? O Sedentarismo? Esse atrai as catástrofes naturais que obrigam os acomodados a se moverem, e saírem de suas esferas de comodismo.
E a Luxúria? Ela se relaciona ao cavaleiro da peste, doenças.

Vamos investigar a relação intrínseca entre Luxúria e doenças.

Tudo começa no fato de que a construção da nossa vida biológica começa através da reunião dos códigos genéticos dos nossos pais. E se doenças, além de caracteres mentais negativos, são inscritas em nossa vida através do DNA (defeitos genéticos) então a primeira relação entre sexo e excessos cometidos nesse instinto em particular com doenças aparece.

Outro fator envolvido: a luxúria (especificamente o orgasmo) é a atividade física que maior quantidade de energia vital descarrega do corpo físico (sendo comparado a uma “pequena morte” justamente por causa disso).

Assim, se a pessoa é luxuriosa e precisa descarregar sua vitalidade toda hora em atividades carnais que de longe nada tem a ver com direções de reprodução, viverá com o corpo vital todo descarregado e vulnerável, o que pode implicar até em queda da Imunidade, considerada como energia de proteção vital, antes de ser construída por boa alimentação.

O instinto de reprodução sempre foi associado, entre aqueles quatro, ao elemento água.
Considere que a vida veio do mar (água) e que nós fomos gerados dentro de uma bolsa de água no ventre materno.
A relação, então, dos antigos magos, está correta.
E a Luxúria era retratada na magia pela imagem de “águas imundas”, poluídas.

Inclusive, aquela estrela que cai ao toque da terceira trombeta do Apocalipse, chamada Absyntho, e que contamina as águas das fontes e rios com amargura que traz a morte, faz uma relação direta com doenças desconhecidas surgindo no mundo. Porque, na linguagem do Apocalipse, essas fontes e rios se relacionam com a saúde e a fonte da vida relacionada com a sexualidade.

Fácil estabelecer a conexão aqui: pensamentos morbosos contaminando a energia vital relacionada ao instinto sexual dentro do corpo. Outro fator que torna a luxúria um ímã de atração das doenças, por uma questão de ressonância vibratória.

Considere que, quando uma pessoa mantém pensamentos morbosos de luxúria todo o tempo na cabeça, ela se cercará de uma aura impura, contaminada, e essa aura irá atrair com mais força os elementos impuros do mundo exterior, como bactérias, virus e germens. É como se o corpo físico ficasse mais vulnerável às nocividades do mundo exterior quando mantém uma conduta de pensamentos impuros, atuando aqui a lei da atração, além do fato de que a intensa atividade sexual desgasta muito o corpo vital, derrubando nossas defesas e realmente nos deixando mais vulneráveis.

Outra doença fortemente relacionada com a Luxúria é o Câncer.
Alguns dos tipos mais comuns de Câncer acontecem justamente nas regiões sexuais do corpo físico, Próstata nos homens, útero e mama nas mulheres.
E como se comporta a célula cancerígena?

As células tumorais crescem desordenadamente em agrupamentos. É, portanto, na disposição do crescimento celular que se fundamenta a principal diferença entre as células normais e cancerosas. Dividindo-se rapidamente, estas células tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores, que podem espalhar-se para outras regiões do corpo.

São células, que “de repente” começam a se multiplicar desenfreadamente.

E como funciona a luxúria?
Atividade sexual desordenada, e em países pouco desenvolvidos e sem controle de natalidade, super populações se formam, extinguindo os recursos de áreas que não comportam mais tanta gente.

A analogia funciona muito bem. É como se a luxúria produzisse uma descarga em algumas células que, de repente, passam a se reproduzir desordenadamente, causando tumores por causa do “excesso de indivíduos celulares” nascidos dessa condição anormal!

A medicina pouco ou quase nada conhece da dinâmica do Câncer, mas com certeza está muito longe ainda de estabelecer tais modelos de causa e efeito, que os postulados da magia antiga já conheciam.

Conclusão
Em tempos de Coronavirus se espalhando rapidamente pelo mundo, é muito bom ter na lembrança, então, não somente o conhecimento dos antigos magos dos quatro elementos, como também as prescrições bíblicas sobre as duas regras fundamentais da saúde e proteção quando nos expomos nos diversos ambientes:

1. Moderação em tudo
2. Pureza e castidade em tudo

Segundo os conselhos da sabedoria antiga, estes dois procedimentos nos dariam boa saúde e proteção contra os males externos. Porque a luxúria interna funciona como um ímã, não só desencadeando diversas debilidades internas como atraindo gérmens e nocividade externa.

O conhecimento antigo sabia associar com precisão os eventos externos com causas de atração interna.
Mas, se por um lado, ser puro e ser moderado faz bem e é bom para tudo, segundo a Bíblia, funcionaria como selo de proteção nos dias difíceis que já nos alcançam.

A mesma fonte da sabedoria antiga é que dizia, com muita precisão, que todos os delitos da carne só podem ser pagos na carne, o que explica porque, em questão de tempo, toda a taça de prazeres indevidos que se bebe na juventude, normalmente se torna taça de amargura e doenças na idade mais avançada.

E cada um de nós sabe muito bem sobre essas coisas. Cada um conhece sua cota de uso e abuso nesta vida.

Uma vida dedicada à todo tipo de extravagância e imoderação não poderá ser remendada no futuro só com “pensamentos positivos”. O Karma arquivado no corpo certamente virá cobrar sua taxa na forma de dor e doenças.

(***)

A definição do Apocalipse é aquele cenário quando os quatro cavaleiros do Apocalipse, que caminham sobre a Terra desde sempre, mas em lugares e tempos diferentes, cavalgassem todos ao mesmo tempo em todas as partes do mundo.

E a grande verdade é que a luxúria humana vem poluindo e contaminando este planeta todo, desde o primeiro dia em que a humanidade manchou as águas sagradas do rio da vida com sua morbosidade imunda.

E de repente, a cura de tudo isso é tão simples e elementar que ninguém mais consegue enxergar, entupindo a mente de teorias tamanhas que a torna cega para a simplicidade da vida reta e justa. Tanta teoria quântica porém ninguém mais consegue ser criança novamente…

A besta instintiva ainda está no controle de tudo.

JP em 27.02.2020

Comentários