Templates by BIGtheme NET

O Caminho do Zodíaco – Virgem

 

VIRGEM
(Johfra)

O TRABALHO DA DEUSA

A Viagem da semente ígnea de Áries que lançou raiz na terra de Touro, e respirou com as duas folhinhas irmãs que brotaram para capturar o ar de Gêmeos, e começaram a se desenvolver com a nutrição das abundantes águas maternais de Câncer, e chegaram à maturidade vegetal em Leão, sob a luminosidade fotossintética da consciência desperta, agora procuram estabelecer bases mais sólidas ao mergulhar raízes muito profundas de assimilação, nas terras de Virgem, quando o elemento terra sofre oitava, e o que em Touro era simples identidade de base, em Virgem se transforma em necessidade de assimilação mais profunda para melhorar a qualidade do trabalho e do serviço, porque isso é o que melhor define o signo de Virgem, daí segue: o Trabalho da Deusa.

Virgem se relaciona, no Hemisfério Norte, com o tempo da ceifa dos grãos, daí a conexão com a deusa Ceres, a mãe dos CEREAIS, donde deriva este nome. O trabalho da deusa Terra é sintetizar a semente, o fruto, quando Leão lhe fornece o máximo da luz e do vigor.

Transporte isso para os valores da escala humana, e teremos em Virgem os elementos-chave da compreensão, da síntese, da assimilação e da elaboração, como elementos fundamentais para a cristalização de um padrão de consciência muito mais profundo e blindado com ciência, com experimentação e auto-realização, que habilita este signo a servir com o melhor grau de eficiência até então.

Vemos nas mãos da Deusa um Ovo de Cristal, e em seu interior, a chama sagrada. Virgem se relaciona ao útero feminino, que é o laboratório da semente da vida. Tanto que o ventre da deusa é exposto a descoberto, porque este Ovo de energia viva saiu dali. O manto verde da deusa se confunde com a relva verde que cobre o campo, e aqui encontramos muitos mitos paralelos em diversas culturas, todos eles atribuindo à Natureza o Feminino, não o Masculino. Ao Masculino cabe a fecundação, mas ao Feminino cabe a frutificação, que é a finalização da Obra.

Obra… é a palavra que resume esta instigante imagem de Johfra, na minha opinião, uma das mais belas entre as doze.

Lembrando que Virgem é o complemento do signo de Gêmeos, da parte do raio regente, o planeta Mercúrio, e o que era ar e movimento em Gêmeos, se torna concreto e estável em Virgem. Gêmeos é a inteligência rápida mas Virgem é a inteligência concreta. Gêmeos aponta direções na velocidade do vento, mas Virgem escolhe, refina e trabalha sobre essas direções para elaborar a Obra, na ação exigida pelo tempo de sintetização do elemento terra. Ou seja, Gêmeos é a inteligência fecundante, e Virgem, a inteligência parturiente.

Neste signo, tudo é perfeição e aprumo. A espiga de trigo que a deusa segura com a mão direita está em perfeita verticalidade, e ela aponta na direção do deus Mercúrio, seu regente, e este lhe mostra os portais abertos da eternidade, quando o deus Osíris se revela, ao fundo, ressurrecto, e aqui temos o paralelo inegável com a mitologia egípcia, já que esta Ísis personificada no Anjo Querubim é aquela que, com seus trabalhos de magia, devolve a vida ao irmão e esposo, deus Osíris, morto pelas mãos de Seth (Satã), irmão rival.

O próprio evangelho anuncia que, se o grão de trigo não cair na terra e morrer, não poderá germinar e dar fruto. A chave da ressurreição nos diz que a MORTE INICIÁTICA é a porta da imortalidade. A morte comum é apenas a porta do retorno a outras vidas que ainda não se libertaram da Roda Fatal dos Renascimentos (Karma), porém, a Morte iniciática é aquela que, nos falando dos segredos do 33, nos remetem aos trabalhos que a Deusa realiza com o grão para devolver a vida ao Iniciado, mas não uma vida perecível, e sim, uma vida incorruptível, eterna, imortal.

Este é o Trabalho da Deusa em seu grau mais alto e misterioso. Por isso a Luz das Galáxias brilham sobre Osiris ressuscitado, qual Cristo que foi enterrado no ventre (sepulcro) da Deusa e, no terceiro dia, visitado pelas duas entidades (Anjos) do Espírito Santo, ressuscitou e ascendeu ao Pai. As duas entidades do Espírito Santo nos falam do segredo supremo da Deusa: a Androginia. Ela é a força mágica por excelência. Analise o processo da fecundação humana.

O homem é um. Mas somente a mulher se torna dois. O homem é um porque seu limite está definido em lançar a semente masculina da vida, mas a Mulher é dois porque, em seu útero, ela reúne as duas sementes em uma só, e o início da nossa vida, de qualquer vida, é um princípio DUAL, ANDRÓGINO, que só pode acontecer no ventre feminino. A Mãe é DOIS.

Esse poder sobre a Androginia é que define o Trabalho mais elevado da Deusa. Suas duas asas, por exemplo, são uma ilustração disso. A Deusa-Querubim. E as duas Íbis (pássaros brancos com cabeças negras) aos seus pés? Outra analogia. A Íbis é o pássaro do deus Toth, o equivalente de Mercúrio dos egípcios, que observam e guiam a Deusa Mater Maria em seu trabalho.

Um chacal, posto à esquerda, vigia tudo. O chacra é símbolo da atenção, e também, associado a morte (o deus Anúbis), porque chacais costumavam habitar nas necrópoles do Antigo Egito.

Há muito de egípcio nesta imagem, há muito de ÍSIS nesta Deusa. Há muito de Alquimia nesta paisagem. Tudo aquilo que o signo de GÊMEOS apresenta como teoria, nesse aspecto, o signo de VIRGEM define como Obra e trabalho realizado. Por isso, Gêmeos é do elemento ar (a teoria, a informação, o pensamento) e Virgem, do elemento terra (a prática, a obra, a experiência, a realização).

Ela é a Mãe dos Gêmeos, e por isso a Natureza a dotou com dois seios… porque dois são seus filhos, os gêmeos no Espírito Santo, aqueles que ela nutre com o Leite do Conhecimento… Castor e Póllux, Rômulo e Remo, enfim, a lista dos paralelos é enorme, representando que Ela é a Guia do Espírito Santo e das Almas Gêmeas em seu Trabalho de criação do elemento ANDRÓGINO que servirá de Veículo de Manifestação do Cristo, o Filho de Deus, no Templo-Corpo Santuário da Vida… o resumo da Obra alquimista da Virgem seria este, ilustrado no romance cristão que tem na Virgem Maria a protagonista…

Em Virgem encontramos grande dom para a Medicina e as terapias naturais.

O verde terrestre predomina aqui, e se mescla maravilhosamente com o azul do céu, e a idéia de Alquimia já começa neste ponto. Touro, a primeira casa de terra no Zodíaco, é a casa da produtividade na fecundidade dos campos e das sementes, mas em Virgem, essa produtividade se torna a casa da Magia.

Sim, a alquimia é a magia dos elementos. A terapia das plantas, das pedras e das estrelas combinadas em seus raios e direções, a cura e a medicina da natureza, as artes xamânicas, as propriedades miraculosas das criaturas de Deus na Natureza, enfim, tudo isso está subordinado a Deusa Mater…

Virgem equivale a casa Seis, que é a casa do Serviço prestado. Também se relaciona aos pequenos animais, dando aos seus nativos uma grande paixão pela vida animal. Porque a Grande Mãe Natureza ama todos os seus filhos, e ainda que o ser humano seja sua obra especial, Ela não deixa de amar suas pequenas criaturas, animais, vegetais, todas elas saídas e nutridas por seu calor maternal. Gaia, a Terra, é Mulher, é Mãe, e esposa do céu, Urano.

Hierogamos que se realiza porque Osíris se aproxima de Isis, e chega por entre as duas colunas do Templo: Jakin-Boaz. A Escola Iniciática começa aqui. Quando Leão atinge a maturidade da consciência desperta, a Mãe Divina de todos nós o toma pelas mãos e o conduz ao templo dos mistérios. Esse era o ponto em que a DISCIPLINA ERA APRESENTADA AO DISCÍPULO. Em Leão, ele mostrou-se vencedor sobre as provas, vencendo a si mesmo em seus instintos e limitações básicas, tal como o signo anterior descreveu.

Aqui em Virgem, o candidato vitorioso é conduzido À ORDEM, AO TEMPLO DE MISTÉRIOS, A FRATERNIDADE DOS INICIADOS, como um Iniciante ou Aprendiz. Ele terá que aprender muito ainda, ingressando no caminho da Iniciação, cuja obra poderá consumir todo o tempo de sua vida… O Símbolo de Virgem repousa sobre os pés da Deusa num Octógono estrelado azul… referência a estrela AZUL SIRIUS, que era a Estrela de Ísis para os egípcios e, também, a Estrela de Toth, o mesmo Mercúrio romano e Hermes grego… outro símbolo ligado a Mercúrio é a imagem do macaco CINOCÉFALO (SIGNIFICA CABEÇA DE CÃO) à direita, na parte superior, com uma Balança e a pena do escriba, e o Octógono místico, símbolo cabalístico do planeta Mercúrio, ordem 8 na Árvore Sefirótica, HOD).

Esse macaco simboliza a sabedoria do guia. O próprio Nome do deus Mercúrio, entre os hindus, é BUDA, o Mensageiro, e essa era a função mais nobre de Hermes entre os deuses… (analogia com o deus hindu Hanuman, o nobre auxiliador do deus Rama em suas batalhas contra Ravana, o Mal)

Na iconografia cristã, o ANJO RAFAEL é o Espírito do deus Mercúrio, e quem quiser se aprofundar nos mistérios desse nobre Anjo, aconselho a leitura do livro de TOBIAS NA BÍBLIA, e de tão poderosa que é, muitas BÍBLIAS JÁ ESTÃO RETIRANDO DE SEU CORPO DOUTRINÁRIO TAL LIVRO, ESPECIALMENTE AS BÍBLIAS EVANGÉLICAS….saberás o motivo?

Aquelas mesmas que repelem a Mãe Divina e abrigam todo tipo de fornicação consentida em casamento… somente lendo o livro de TOBIAS na íntegra poderemos desvendar isso.

Voltemos à Deusa que veio das estrelas… Astréia era o antigo nome da Donzela associada a este signo. Astréia vem da raiz Aster, Star, Ishtar, Astro, Estrela… Vênus! Sirius!

A Estrela de Ísis, a Estrela de Belém (nome que significa CASA DO PÃO – Beit Lehem) e de onde vem o pão, senão que do trigo, o trigo que foi ceifado e levado ao FORNO para se tornar Pão?

Quem entender aqui o mistério da Obra Secreta, sob o selo das simbologias, que entenda!

Onde o trigo se faz pão… onde o pão se faz carne, carne ingerida, vida eterna assumida… onde a uva se faz vinho… onde o vinho se faz sangue, sangue redentor do pacto que, ingerido, se faz aliança com Deus!

Os instrumentos da Alquimia, os manuscritos dos conhecimentos, estão aos pés da Mãe que se faz INSTRUTORA DO DISCÍPULO. Jesus foi quem foi porque teve uma Instrutora excelente chamada MARIA, e que foi concebida VIRGEM! Trata-se de outro evidente paralelo com a Divina Ísis e o circuito das deusas que, na ótica maior do mistério, se fazem Mães do CRISTO INTERNO e, para esse caminho, ensinam todo discípulo e todo filho na hora e tempo em que ele se mostrar PREPARADO, depois de ter vencido o mar de ilusões e apegos em Câncer e depois de ter lutado contra as feras do SI MESMO em Leão… o caminho da ascensão se mostrará na Roda Galáctica, e os quatro animais da Merkabá ou Trono de Deus se mostram nesse signo incrível:

Vejam os quatro seres:
Anjo (Aquário), Águia (Escorpião), Touro (o mesmo) e Leão (o mesmo), com seus signos em CRUZ, e todos eles, com quatro asas, definindo-os como QUERUBINS, que são as criaturas andróginas (Espírito Santo) a carregar todo o segredo da Deusa na realização da Grande Obra, porque o Querubim precisa ser criado.. precisa ser criado porque Ele é o veículo de androginia pelo qual CRISTO SE MANIFESTA, e não poderia se manifestar sem tal veículo.

Por isso, antes de gerar e expressar o Cristo (Filho) ao Mundo, a Virgem precisa construir, elaborar o VEÍCULO DE EXPRESSÃO DO CRISTO INTERNO, QUE É A ANDROGINIA! Isso está implícito em praticamente todos os símbolos deste signo, cuja perspectiva está centralizada no OVO DE CRISTAL COM A CHAMA SAGRADA NO CENTRO DA IMAGEM!

E dois ovos normais, menores, estão, lado a lado, formando a base de um triângulo ao se unirem ao ovo de cristal no centro, levemente elevado em relação a eles ambos.

Uma trindade:
Deus-Masculino-Feminino: este é o único triângulo amoroso que deveria existir nos casais consagrados ao caminho dos Anjos. Virgem reina aqui, porque a castidade, a pureza e a limpeza de corpo e alma deveriam reinar nos corpos-templos do Espírito santo como requisitos fundamentais à projeção da Pedra Filosofal alquímica. Se os casais vivem suas vidas debaixo de esterilidade espiritual, é porque o animal bestial das paixões, da luxúria e da carnalidade imunda predominam, e é claro, a Virgem jamais poderia realizar sua Obra Magna em templos onde arde não o amor, mas o desejo impuro. Ela então se retira e os corpos são deixados, consumindo suas vidas na prática de desejos impuros que os inutilizam para a obra nesta existência.

A Virgem é PUREZA! Este é seu maior atributo! Tanto que os códigos secretos da Alquimia diziam que a Pedra Filosofal só poderia ser obtida de um Mercúrio sete vezes destilado, extremamente puro! Repare no corpo das duas aves Íbis egípcias. A parte escura na cabeça (impurezas) está sendo transmutada.

Se este signo nos ensina o caminho da Transmutação, bem, esse caminho inexiste sem Pureza, sem Virgindade. Até porque Maria era Virgem e extremamente CASTA na sua condição de Mãe do Cristo interno.

Se existe uma via eleita, se existe uma religião excelente que supera tudo, ele está escrito aqui. Todos os livros que falam de religião, doutrina e prática, deveriam se alinhar com a simples e grandiosa verdade que foi escrita nesta imagem, e se render a ela, se render aos sagrados pés de marfim dessa Deusa Imaculada, sabendo que, sem Ela, e sem a assistência dela, discípulo algum chegará ao Pai. Porque Cristo disse: NINGUÉM IRÁ AO PAI A NÃO SER POR MIM, o que é verdadeiro.

Mas quem dá a luz ao Cristo, aquele que nos leva ao Pai?

Essa declaração dispensa maiores explicações…
Johfra, ao melhor estilo Leonardo da Vinci, incluiu códigos aqui. Por exemplo, trace linhas cruzando os quatro querubins nas extremidades, e observe em que ponto estas linhas diagonais se cruzam: exatamente sobre a ESTRELA AZUL que coroa a Deusa Virgem, estrela azul essa que é SIRIUS, a estrela de Belém, a estrela da Cristandade… templo maior dos mestres ascensionados em sua Fraternidade Cósmica, e donde vieram todos estes segredos e mistérios ao mundo, junto com eles, nos tempos da humanidade ainda criança, colonizada pelos deuses da Estrela… e das estrelas!

Mas a estrela da casa do Pão (Sirius) realmente se destaca, e uma curiosidade: a constelação de Virgem tem, por estrela alfa (a mais brilhante) uma estrela azul chamada SPICA (Espiga, latim), e que se posiciona na mão da Virgem. A Alegoria da pintura, portanto, fez também alusão a isso.

Há muito o que se dizer sobre esta representação esotérica do signo de Johfra, e dela eu poderia com certeza escrever muitos livros, mas pretendo ser sucinto, o máximo que eu puder diante de um cenário de tantas paisagens místicas como este!

As asas da Deusa desenham um M perfeito. M de Mater, Matéria, Mãe, Morte e Mistério… e as asas também fazem alusão à transmutação do Mercúrio…

Sim, em VIRGEM se abrem os portais da Escola dos Mistérios, e por isso a casa VI é a Casa do TRABALHO.

Meu caro discípulo, aquele que segue DISCIPLINA (outra palavra eleita neste signo), de nada te valerá ler todos os livros, crer em todas as doutrinas, realizar todas as práticas, se a tua Mãe Divina não estiver caminhando do teu lado. Serão apenas experiências estéreis, com o tempo atiradas no poço escuro das memórias, mas que não te conduzirão ao nascimento interno e nem à manifestação do Cristo íntimo, porque somente ELA TEM ESSE PODER, nada e ninguém além dela, já que o próprio PAI entregou a Ela as chaves da vida e da morte, da criação e da recriação. E principalmente, a Ela confiou a tarefa de ser a Mãe do Salvador interno, o Cristo íntimo ou HÓRUS na mitologia egípcia.

Nesse ponto da jornada, todo discípulo deve encarar a Deusa Mãe, como nunca encarou, e lhe perguntar:
“MÃE, QUAL A VIA?”
E quando ela se dignar a lhe responder, responderá:
“O AMOR, VIA CRUZ!”
Esse dia lhe será o bastante para começar.

Todos os outros dias terão sido vãos… exceto no sentido de preparar o discípulo para aquele dia do encontro, o grande encontro com sua Mãe Divina, a real Iniciadora da alma na Escola dos Mistérios…

E Ela te seguirá, em todos os momentos, da mesma forma como a Estrela azul no céu, te guiando os passos, cada um deles… Stela Maris é o seu nome.

No barco da vida, tu saberás vencer as ondas e navegar com segurança sobre os caprichos do mar das emoções e das paixões, ela não te deixará naufragar nos desejos… nunca mais… até que alcance a Ilha dos Imortais, e ali, com teus pés cansados e purificados da longa jornada, tu te ajoelhes e, olhando o Templo com as portas abertas lhe aguardando a entrada, dirás uma prece de amor e gratidão Àquela Mãe que realmente mais te amou em vida, em morte e em nova vida do que qualquer outro.

Porque, neste dia solene, tu enfim saberás que o Amor dela te regenerou, e nenhum outro amor poderia fazê-lo… senão que o Mais Alto Amor do céu, pelo próprio Deus eleito para se tornar o Canal da manifestação do Seu Filho no Universo.

Poderás tu suportar a mirada daquele olhar que é capaz de converter em pedra toda escuridão que a Mãe das Sombras presenciar em tua perdida alma nas dimensões inferiores da Medusa, a Guardiã do Umbral que deverás cruzar e com ela se encontrar nesta transfiguração dolorosa mas necessária da Deusa para a tua salvação?

Poderás tu te apresentar puro e limpo diante dela, espelho da tua consciência que não mente, sem medo e sem dúvida, para iniciar então a Jornada na direção de Sua Face de Sol? Saberá então que o Sol é o olhar da Medusa, que só não converte em pedra o que for santo e puro em tua alma, antes, o Sol é quem nutrirá tudo isso em ti…

Há muito o que dizer… mas agora, espero que a Tua Mãe divina diga todo o restante a ti, de lábios a ouvidos… e de coração a coração… coisas que só o Amor de Mãe sabe e poderia dizer!
Principalmente isto: Eu Sou A Doutrina, Eu sou o Caminho, Eu sou a Luz, Eu sou a Força e Eu Sou o AMOR que te levará a Cristo, que te levará a Deus! Porque Eu Sou Ele, e Ele sou Eu.Pai e Mãe de todo o Universo falando ao teu coração neste momento…
26/02/2018
RAM