Templates by BIGtheme NET

O Caminho do Zodíaco – Capricórnio

Capricórnio – Johfra

 

O PODER MAIOR QUE O TEMPO

A semente de Áries se tornou árvore espiritual carregada de frutos em Sagitário, quando o elemento FOGO emite sua terceira oitava de poder (1.corpo, 2.alma/mente, 3. espírito) e agora, o ciclo da árvore termina à entrada do Inverno, em Capricórnio, quando o movimento da planta agora é descendente, em direção a terra que a gerou.

Nesse aspecto de morte como fim de ciclo é que o signo de CAPRICÓRNIO se distingue do sentido de MORTE NO SIGNO DE ESCORPIÃO como agente de transformação, não necessariamente e, na verdade, não relacionado ao processo de defunção ou morte natural.

A morte natural pelo efeito do tempo (ciclo) é de domínio capricorniano, tanto que seu Anjo, o Anjo da morte e do tempo, está intimamente relacionado ao deus regente do signo, que é Saturno, Cronos (grego), o tempo e o fim de todas as coisas.

E tal lei já aparece estampada no signo de Johfra, na simbologia do bebe que nasce (parece brotar das rochas – do pó da terra, segundo o Gênesis 2) e se torna criança e homem, e depois contempla o ancião diante de si, com a foice e a ampulheta, o arquétipo do próprio CRONOS na idade que a todos alcança e leva para o outro lado da matéria.

Num outro contexto da mesma simbologia, a criança não nasce do pó, mas da rocha da montanha da superação do tempo, o que converte todo discípulo num autêntico HÉRCULES, porque Saturno é o professor das provas dolorosas e difíceis da vida, e quem vence as provas de Saturno, renasce em vida não do pó, mas da rocha, da pedra viva (o Espírito Santo), símbolo da vontade diamantina que superou todos os obstáculos do destino na subida da montanha da Iluminação! E renascer não do pó, mas da rocha, significa assumir imortalidade, ou natureza imperecível, porque o desejo, o agente secreto da morte (o pecado) foi esmagado sob os pés do auto-controle inabalável!

Isso explica os símbolos que associam esta criança (o Cristo interno) em evolução a figura de Hércules, como as duas serpentes que ela esmaga, ou o crocodilo (caos primordial, as águas da morte e da dissolução que tragam as almas ao Hades) sobre o qual ela se sobrepõe e, finalmente, a serpente que o homem esmaga sob seus pés: conceito que nos liga a virgindade vitoriosa de Maria, que esmagou a cabeça de Satanás ao receber do Espírito Santo a presença de Jesus Cristo em seu ventre, e sem contato sexual (a geração animal) mas pela geração divina (a Palavra)!

A própria nudez desta mesma personagem em vários estágios de sua vida espiritual de evolução significa que o tempo (destino) nos desnuda para nos revelar todas as fraquezas contra as quais teremos que lutar enquanto escalamos a montanha da Iluminação do autoconhecimento, que nos transforma em Hércules, semi-deuses, quando o topo é alcançado. E em vez de ossos, o mestre Cronos nos entrega o cajado de poder e sabedoria, se identificando com o Eremita do arcano 9 do Taro.

Saturno é o Senhor do Tempo, e por isso, abre o Inverno, porque o Inverno marca o fim do ciclo vegetal na natureza e também assinala a época de descanso (hibernação) de várias espécies animais.
É o tempo em que as sementes dos frutos de Sagitário (final de outono) devem cair de volta a terra (do pó viestes e ao pó tornarás) para descansar e maturar no longo inverno, já que sem isso, não poderiam despertar na primavera seguinte, completando o ciclo e abrindo um novo ciclo em Áries-Ram (1+12 = 13). Morte que é renascimento (13).

O severo frio do inverno, a neve congelante, a energia da vida (calor) é retirada, para que toda vida imploda sobre si mesma e entre em repouso… o Shabat (descanso) precede o renascimento, e sem ele, não haveria aquele… é a descida da semente a sepultura do subsolo e a descida das almas ao Orco.

Porque, grão que não morre, não renasce, já dizia Jesus!

Capricórnio é o signo 10, e 10 é a Roda, Arcano da Roda, quando ela sobe ao ponto mais alto (ápice, Meio do Céu, X) e deste ponto é que começa a descer. Por isso, Capricórnio rege a conclusão de todas as coisas, e nesse sentido rege os valores da ambição, da árdua escalada aos objetivos e, generalizadamente, o Destino acontecendo em ciclos.

O Tempo é como o Mar, e tudo o que se atira no Ciclo, o Ciclo devolverá a frente, e isso se chama KARMA, a Lei da Balança, Ação e Reação, e ela só pode ser transcendida pela consciência que, detectando erros e falhas, cessa a ação negativa e introduz a ação positiva, que, de acordo com a Ordem Universal e o Bem Maior, acrescenta méritos à Balança e Karma positivo (Dharma) ao Destino. O Ciclo 10, o eterno retorno do fim ao começo (1), já que 1+0 = 1.

No mapa astral, a casa X marca o ponto do Destino, aquele para o qual todas as 11 casas restantes convergem. É o terceiro signo do elemento terra e, como Sagitário e as três oitavas de fogo, Capricórnio marca as três oitavas do elemento terra, que significa o poder concretizador do trabalho e da ação.

(1. Touro – corpo, 2. Virgem – Alma/mente,
3. Capricórnio – espírito).

A terceira oitava (espírito) fala das experiências mais profundas sendo concluídas e assimiladas pelas partes superiores do nosso Ser em escola no tempo da Terra, ao longo das reencarnações e evoluções/involuções, ou curso espiral (aberta ou fechada) da alma planetária.

Capricórnio se opõe a Câncer, o primeiro signo da água, e sua natureza lhe é inteiramente oposta. Câncer é a imaginação, e Capricórnio é o lado mais concreto possível. A ambição capricorniana não constrói a partir de sonhos, mas de trabalho duro. Digamos que o elemento terra represente o verbo do TRABALHO, e cada um dos três signos trabalha a sua maneira.

Touro trabalha no sentido de acumular, Virgem trabalha no sentido de aperfeiçoar e selecionar, e Capricórnio, este trabalha no sentido de se superar, de vencer, de realizar suas metas, fechando o triângulo terra. Câncer é família mas Capricórnio é solidão na carreira. Mas são extremos que se completam, porque muito da força e idealismo de Capricórnio nascem de berço, e do apoio da família.

É um signo de tremenda força, persistência, perseverança e ambição, e desde que não se torne um materialista frio e calculista, esse signo é a marca dos vencedores, porque geralmente empresta às almas nativas uma perseverança de escalar os montes mais altos e escarpados, e superar aquelas dificuldades que faz a maioria desistir no meio do caminho.

Mas capricórnio não pode controlar todas as forças, não!

Na verdade, ele é o signo mais submisso ao TEMPO, e nos parece que, propositalmente, o TEMPO costuma dificultar sobremaneira a vida de todos eles, para que justamente encontrem aquela FORÇA MAIOR QUE O TEMPO, e que os outros signos desconhecem, essa mesma força de impulso capaz de vencer a lei natural da gravidade e a lei psicológica do desânimo e da desistência diante de empresas demoradas e difíceis.

No mapa astral, o eixo Saturno-Capricórnio marca o ponto kármico mais forte daquela existência, a provocar chamadas na vida do nativo a cada 29-30 anos (o terrível ciclo de Saturno, do qual ninguém escapa).

Por essa razão, capricornianos costumam ser bons matemáticos, sabem lidar muito bem com números, com economia e contabilidade. Os Anjos do Karma e do tempo precisam ser bons com números, já que, na sua balança de avaliação, não pode faltar e nem sobrar um minuto sequer dentro dos cômputos que avaliam a duração de todos os nossos eventos dentro do Destino, especialmente o tempo de vida.

Dizem os bons astrólogos que a data da morte já vem embutida e camuflada na data e tema do nascimento, e que é possível calculá-la, como uma espécie de data de validade presente no momento natal. O Anjo da Morte deve comparecer no dia e hora determinados, porque se Câncer, o signo oposto, regido pela Lua, representa o nascimento, Capricórnio é a Morte, e o fio de VIDA que se estende de um a outro, de Câncer-Lua a Capricórnio-Saturno, do nascer ao morrer, é a espiral de tempo que se enrola sobre si mesma e é levada ao mundo astral (Limbo) para ser avaliada pelos Juízes do Karma, programando o novo destino a seguir (isso foi avaliado no signo de Libra, aliás, o setor onde o planeta Saturno se exalta).

Capricórnio é representado não exatamente por um bode, mas sim uma Cabra híbrida, com a metade inferior do seu corpo na forma de PEIXE, e isso acrescenta informação ao signo.

Note o signo que lhe é oposto, Câncer, e a representação do crustáceo dentro de uma concha espiralada. Na verdade, o eixo Lua-Saturno (o primeiro e o último planetas do setenário astrológico) nos signos de Câncer-Capricórnio, é que sustenta a bobina do TEMPO na vida e destino de todos os seres (não somente humanos).

Na verdade, Saturno não julga, ele apenas colhe e apresenta o montante da colheita de uma vida diante da Balança do Juízo (Libra), aquela que expede, de acordo com a colheita apresentada, o destino futuro da alma, de acordo com as leis de Causa e Efeito.

Para isso, Saturno precisa de um tremendo rigor matemático, para não deixar de fora nenhum detalhe, nenhum evento importante, nenhum grão da seara de uma vida… e essa colheita já começa para a pessoa prestes a morrer naquele famoso processo da RETROSPECTIVA de sua vida, relatada por muitas pessoas que já passaram por experiências de EQM (Experiência de Quase-Morte).

Essas conexões com o tempo costumam refletir atributos interessantes para capricornianos típicos, e um deles, é aquele que diz que eles já NASCEM VELHOS, e além da expressão mais madura para a idade, parece mesmo que eles já nascem com mais experiência e maturidade para os aspectos da vida.

São crianças já com feição e cabeça de “adulto”. Dizem os astrólogos que as coisas ficam melhores na vida deles somente com a idade, o que faz sentido, já que os capricornianos nascem sob condições geralmente difíceis e que os impelem a lutar e a sofrer mais que os outros, seja por uma situação kármica do passado (Capricórnio é um signo de forte experiência kármica) seja por uma necessidade presente de aprender a lutar e a superar as forças do tempo e da dissolução… porque a grande verdade é que Capricórnio e nenhum outro signo luta diretamente contra o tempo, e sim, contra os efeitos psíicológicos do tempo, da perda, da privação e das dificuldades, como o desânimo, a desmotivação, a desistência e até os casos mais graves de depressão.

Talvez pessoas marcadas por dispersão, falta de objetividade e desistência em vidas passadas tenham que nascer agora sob Capricórnio para aprender as lições que lhe faltaram – e essa é uma regra geral para as condições de reencarnação, geralmente nascemos sob um signo que preenche certas lacunas de vidas passadas a serem preenchidas nesta existência.

Uma boa citação para os capricornianos vencedores seria esta:

“A diferença entre subir uma montanha e andar em círculos na vida é que, ao subir a montanha, o céu vai ficando cada vez mais perto dos nossos olhos, consolando a nossa alma cansada, enquanto que o caminhar em círculos apenas repete os mesmos passos errados não corrigidos na vida, sem novos céus, estrelas e acontecimentos transformadores a brilharem em dias de manhãs iguais indicando que os seus pés não estão subindo na vida e nem as suas asas estão voando para um novo Destino assinado por Deus!

Saturno rege o metal CHUMBO, o mais denso e pesado de todos, e mesmo determinando uma existência difícil para seus nativos, a experiência para a transmutação do chumbo em ouro é maior aqui, mesmo que os nativos corram o risco de tomarem suas vidas como fardos muito pesados e se inclinarem à depressão e a desmotivação, como se precisassem carregar o peso do mundo nas costas… força, porém, eles têm. Sõ não podem se deixar levar por estados de alma pesados ao ter que transmutar o chumbo das muitas experiências negativas, antigas e atuais no ouro da consciência por meio de árduas escaladas em série!

Na ordem planetária, Saturno guarda o Sétimo céu ou círculo celeste. Sua potência é a inteligência criadora, Binah, ao lado da Sabedoria conservadora, Hochma, pertencente ao planeta Urano. Inteligência e Sabedoria, dai-me a coroa!

É um signo de grande inteligência prática, e um certo instinto de vencedor, com faro para se aplicar nas empresas certas. Mas não é o tipo que se atira de cabeça em nada, antes é um prudente e meticuloso planejador, como seus outros irmãos de terra (Touro, Virgem).

A Cabra capricorniana é metade peixe, e sua cauda se enterra na dimensão marinha. Isso ilustra a representação do mundo dos mortos (guardado por Saturno) como um plano “aquático”, ou seja, infradimensões astrais, as mesmas para as quais submergem as pessoas comuns e vivas em tempo de sono e sonho, se encontrando quase sempre, mas sem saber, com os mortos no mesmo plano de inconsciência e adormecimento.

Essa concepção do mundo dos mortos na imagem do MAR está de acordo com as lendas antigas, inclusive no Apocalipse 20, o mundo dos mortos é comparado ao MAR que os recolheu e os devolverá no dia do Juízo Final. Essa ligação com o mar, dimensão líquida (astral, quinta dimensão inferior submersa) se alinha com o signo de Câncer no pólo oposto, Lua, formando o eixo do TEMPO.

Note que, se somarmos 4 + 10 (Câncer + Capricórnio) teremos 14, o Arcano 14 do Anjo da transmutação, que fica jogando um líquido de uma ânfora para outra, prata e ouro. Se a prata é feminina e o ouro, masculino, essa imagem pode representar, entre tantas outras coisas, a transmutação do tempo ao longo das reencarnações, quando a mesma alma (o líquido) alterna de recipiente (vaso de ouro, vaso de prata, ouro, prata etc).

O anjo em questão seria o nosso espírito superior no controle da operação. E as lições de Capricórnio, regidas por Saturno, falam do valor da EXPERIÊNCIA ADQUIRIDA como meio para se atingir consciência.

Experiência não induz forçosamente a consciência, mas a consciência precisa da experiência para brilhar no terreno fértil do destino. Capricórnio ensina o caminho da superação em cada montanha desafiadora, em cada escalada necessária para se atingir o sucesso ou para se completar um trabalho ou missão que ficou inacabada em vidas pregressas.

O tempo é a Matriz das Experiências da alma encarnada, mas somente o PODER MAIOR QUE O TEMPO se torna a matriz da consciência, que está acima da experiência, e uma vez que essa consciência divina é alcançada na montanha de capricórnio, o Iniciado pode despojar-se de suas vestes (ou não) e subir aos céus, á morada dos Anjos, porque é nisso que ele se transformou em sua vida de sacrifícios e trabalhos disciplinares e iniciáticos específicos. Caso contrário, morrerá como os comuns, e voltará várias vezes, rodando no giro do tempo até aprender como se volta para casa.

O Tempo não melhora, aperfeiçoa ou evolui ninguém, como apregoa erradamente o Espiritismo, e se assim fosse, olhem para a humanidade, ela é bastante antiga no planeta, mas os textos sagrados dizem que as raças anteriores a nossa foram melhores, e que nós pioramos muito em relação a elas… não ocorreu evolução, e sim, INVOLUÇÃO. Demônios são a prova da existência da INVOLUÇÃO CONSCIENTE E DECIDIDA NO MAL, conforme a sagrada lei do livre-arbítrio.

O caminho de retorno da alma ao mundo incessantes vezes está longe de ser solucionado por todo esse monte de crenças e modas religiosas acumuladas na cultura moderna, muitas delas, distorcendo a verdade, que apenas disfarçam a vida sensual e materialista das almas comuns. A senda crística é a única que pode nos libertar da Roda, senda essa que, por tão difícil que seja, raramente encontra uma alma sequer em todo o mundo e em séculos de tempo corrido, alma essa que, quando aqui se levanta, se faz um HÉRCULES, um híbrido ou semi-deus, nascido pelo poder da Vontade consciente.

E antes de explicar a ilustração do signo com HÉRCULES como protagonista dessa vitória, vamos esboçar um pouco de cosmologia a luz deste signo chamado O TEMPO.

Antes de explorar mais a fundo outros elementos psicológicos deste nobre signo, vejamos a COSMOLOGIA embutida nos seus elementos.

Capricórnio rege os ossos do corpo, é o signo do nosso ESQUELETO, e da mesma forma, o TEMPO é o esqueleto kármico de todas as coisas visíveis saídas da energia terra de Capricórnio, elemento de condensação. O Tempo é o Karma, podemos dizer assim, tecendo no Espaço todas as conexões criadas dentro da Lei de Causa e Efeito no Universo mental.

O Karma (Tempo) é, portanto, o esqueleto do Destino.
Como vimos antes, Saturno guarda o mundo inferior. Paradoxalmente, a Cabra sobe a montanha e é chamada a lutar e vencer, contra a gravidade do mundo inferior, ou a RODA DO TEMPO, interceptada pelas infradimensões e suas leis de retorno e recorrência postas em movimento.

O Mundo dos Mortos é representado pelo MAR QUE GUARDA A ALMA DOS MORTOS (Apocalipse 20), e esse plano inferior também é alcançado pela LEI DA RODA, o Tempo, no sentido de regular a evolução bem como a involução das almas atadas ao Karma planetário.

A Terra, como receptora das almas (que no conjunto se chama ALMA PLANETÁRIA) que evoluem e involuem nessa dinâmica de espaço-tempo, matéria e energia, é a Grande Escola, e sobre essa Terra, sobre essa matriz, foi plantada a ÁRVORE DA VIDA ou Árvore cósmica, aquela Árvore de dez sefirote, e a décima e última sefirá é justamente o nosso planeta, Malkut- o Reino, cujas raízes se aprofundam nas dimensões inferiores escalonadas em nove níveis, e cada um destes nove níveis ou andares de baixo se relaciona energeticamente com os nove níveis ou andares de cima da Árvore da Vida.

Essa cosmologia é fundamental para compreendermos os trabalhos de alto nível dos Iniciados que alcançam, após Sagitário, a dura esfera construtora e criadora de Capricórnio. Cada um dos nove céus do sistema solar tem um ponto de conexão nos mundos inferiores do planeta Terra, o que levou Dante Alighieri, em seu poema A DIVINA COMÉDIA, a contar nove círculos inferiores e chamá-los de INFERNO (*regiões inferiores, latim INFERNUS).

Em Botânica, sabemos que tudo o que está na raiz e na semente, está na árvore por inteiro, e que a semente significa o retorno da árvore. Saber que a semente das estrelas está no interior da Terra, e que, para nascer como Anjo e Hierarquia do Universo, o Iniciado, qual Hércules, qual Jesus, deve descer esses mundos inferiores, camada por camada, da Lua (umbral, mundo dos mortos, o primeiro círculo, e seguir para mercúrio, vênus, sol, marte, júpiter, saturno, urano e netuno, que é o núcleo e a saída para os universos de Aquário e os céus estrelados – signo a seguir – e saber que, nessa viagem de profunda interiorização, dentro e fora da dimensão natural, o Iniciado sagitariano é profundamente TRANSFORMADO em Anjo, e em cada arco superado, em cada planeta assimilado em sua alma, esse Iniciado vai renascendo em cada nível de Hierarquia, que são nove, conforme a Cabala dos Anjos, Arcanjos e gênios menores da Magia Branca e da Teurgia… e que essa descida a matriz intra-terrena representa a entrada no SEPULCRO, NO VENTRE DA TERRA, sentido Materno em escala cósmica, escala de nascimento de mais um Anjo no Universo… e que não poderia nascer e subir se não descer e morrer… a Cabra que sobe a montanha é o Hércules que desce o abismo e cumpre todos os seus doze trabalhos no giro zodiacal das simbologias correspondentes.

Aqui, subir é descer.

Axioma crístico!

A Montanha tem uma forma triangular, e uma pedra ao lado (direito) de Cronos-Saturno, em forma também triangular, abriga o símbolo deste signo, porque o número de Ordem do planeta Saturno na Cabala é 3, e seu nome, na Árvore Sefirótica, é Binah, ou Inteligência criadora de universos. O triângulo também significa que a partir de Saturno, a alma penetra na dimensão divina, aquelas três forças ou três faces de Deus na coroa sefirótica estabelecida: Saturno-Urano-Netuno, quando então se pode nascer em espírito e em presença crística, que é Presença cósmica abrindo mais um canal em uma consciência individual levantada em Terra de suas provas e iniciações internas!

Gnomons são os elementais da terra, os guardiões dos tesouros, dos cristais, dos metais preciosos e da semente de estrelas nos cofres de Agartha, o Reino Oculto que também está na morada de Saturno, mas numa dimensão paralela superior que não toca o Inferno das almas em expurgo!

O código alquímico VITRIOL (V.I.T.R.I.O.L.) significa um acróstico: “VISITA O INTERIOR DA TERRA E, RETIFICANDO, ENCONTRE A PEDRA OCULTA”… sim, o tesouro da Alquimia, a pedra oculta, semente de estrelas e embrião de Anjo e divindade imortal no homem mortal, é o grande tesouro da busca caprina e hercúlea, para não dizer, cristã e crística!

Aquário, o signo seguinte, representa o Império das Estrelas que se apóia sobre o edifício de Capricórnio, o tempo e a matéria sólida, quando Anjos redimidos na Escola da Terra, após imensos sacrifícios e batalhas, merecem subir às moradas que já foram suas um dia, antes da queda…

Nesse aspecto, há um mistério indizível da religião, porque esse mistério teme subverter o dogma e se aplicar como algo que é premeditadamente MAL na vida e no destino das almas em aprendizado e experiência… falo da conexão SATURNO-SATÃ.

Saturno é o planeta considerado o GRANDE MALÉFICO da Astrologia, porque geralmente sua influência é computada de forma negativa nos mapas e destinos por ele assinalados, trazendo todo tipo de obstrução, impedimento, dificuldade e demora – não sabendo a maioria que estes são justamente os instrumentos do TEMPO para edificar almas fortes, hercúleas e crísticas na Terra, peneira que retém somente os fracos, os covardes, os indecisos e os sem amor constante e fé…

Contudo, se a alma passa a vibrar no positivo, ela assumirá todas as qualidades saturnianas de forma igualmente positiva, e nele encontrará o maior e melhor professor de suas virtudes, e se lembrará que o CARVÃO SÓ SE TORNA DIAMANTE SE FOR SUBMETIDO A GRANDE PRESSÃO E CALOR NO INTERIOR DA TERRA… como a sua alma!

Satan, e NÃO CONSIDERE AQUELE ANJO CAÍDO, LÚCIFER, SENHOR DA HIERARQUIA NEGRA E PRÍNCIPE DA CASTA DE DEMÔNIOS, TRANSGRESSORES DE TODA LEI CÓSMICA E ORDEM UNIVERSAL, ESPALHANDO MALDADE E SOFRIMENTO NO MUNDO…que isso fique muito claro, eu estou falando de uma página muito secreta das Escrituras, quando Satan se torna a face oculta, inferior do próprio Deus, uma sombra dele que se faz necessária para tentar e testar as qualidades das almas no deserto da Vida.

O oposto do Sol no mesmo contexto de simbologia.

Deus não cria o MAL, nele tudo é BEM e ORDEM, mas, por causa do livre-arbítrio das almas, é inevitável que o Mal surgirá aqui ou ali, neste ou naquele momento da Terra ou de outros lugares… assim sendo, Deus não cria o Mal, mas DEUS TAMBÉM USA O MAL PARA NOS ENSINAR. Isso criará perturbação nas mentes dos crentes que julgam que Deus está lá só para cumprir nossas vontades egocentristas, que esculpem um Deus bonzinho que não existe, a partir do momento em que é o homem que tem que mudar perante Deus, e não Deus se dobrar para satisfazer a vontade humana… e isso é uma grave distorção diabólica das filosofias pseudo-religiosas de nosso tempo.

PORQUE, NA GRANDE MAIORIA DAS VEZES, SÓ NOS CURAREMOS DO MAL QUE CAUSAMOS QUANDO SOFRERMOS AS CONSEQUÊNCIAS DESTE MESMO MAL EM NOSSA PRÓPRIA VIDA. Esta é a lição mais importante do KARMA dentro dos domínios de Saturno-Capricórnio.

Em toda tentação, por pior que ela seja, existe a Mão do Pai de toda a Sabedoria e Perfeição. Satan, em hebraico, significa OPOSITOR. Aquele que se opõe. O Karma é, nesse sentido, satânico, e eu explico: quando você está marchando numa direção errada, o DESTINO TENTA LHE AVISAR, SE OPONDO, E AS VEZES ATÉ FAZENDO VOCÊ SOFRER UM POUCO PARA TENTAR TE AVISAR… dizem que a Dor é a segunda opção, quando o Amor no bom conselho não conseguiu te ensinar, e isso é uma grande verdade.

Na vida, nem tudo é prazer e comodidade. Isso nos tornaria uns covardes e acomodados. Vida sem luta é vida sem sentido. Vida sem dor é vida sem mérito. Se voce arrancar todos os espinhos da roseira antes dela brotar flores, pode estar certo que as flores não virão. Os espinhos preparam os caminhos das rosas… Essa é a parte difícil da doutrina que muitos religiosos não compreendem.

Que DEUS enxerga a ferida na nossa alma e o câncer no nosso espírito chamado EGO, DONDE TODO EGOÍSMO é nascido, e que DEUS, em sua sabedoria, criará no destino a volta as condições necessárias para a nossa cura, ainda que na maioria das vezes elas sejam difíceis e dolorosas, ainda que nós reclamemos e até blasfememos contra a sua Medicina, como o doente que protesta contra o médico… mas o médico sabe, conhece a fundo o tratamento para curar suas doenças, mesmo que esse tratamento seja agressivo e doloroso. Ora, se aceitamos as medidas dolorosas dos médicos em nome da saúde do nosso corpo, por que resistimos em aceitar as medidas dolorosas de Deus em nosso destino para curar nossa alma… do ego… de nós mesmos?

Não protestar contra as dificuldades, mas suportar tudo em silêncio e avançar com firmeza na direção da superação, esta é a marca registrada dos vitoriosos e das mais belas almas. Pessoas que lamentam e protestam todo o tempo e ficam a julgar o mundo antes de tirar a trava do próprio olho para poder enxergar melhor, mostram toda a sua fraqueza e cegueira interior, e não estão preparadas para suportar a lenta edificação crística do Espírito Santo em suas efêmeras vidas.

Lutar ao lado de DEUS significa confiar, ter fé.

O próprio Jesus vacilou diante da Cruz, mas no final, aceitou cumprir a Vontade do Pai, e não a sua, e o resultado daquela dor que durou pouco tempo foi a vida na eternidade e na felicidade do Universo! Parece que as pessoas se esquecem que maligna é somente a dor que o ego delas causa a si mesmas, mas quando essa dor, provação, obstáculo e dificuldade vem das Mãos de Deus, é para nos libertar, nos ensinar, nos curar, e que elas durarão pouco tempo, e depois desse pouco tempo, se superado, virá a eternidade nos abrir seus portais de luz, felicidade e abundância eternas, encontrando assim nossa alma transformada justamente para tudo isso!

As pessoas pecam, pecam e pecam, mas querem se dar bem no final? Ah, essa didática não funciona com Saturno. Podem reclamar o quanto quiserem, isso só piora a situação diante do irremovível Karma, que é a Lei. Arrependimento é a primeira porta. Mas arrependimento com mudanças! Não só da boca para fora. Saturno não pode ser subornado por dramas emocionais…pelo contrário, ele está bastante prevenido contra as chantagens sentimentalistas do ego velhaco de sempre!

O simbolismo do Bode também faz alusão a essa antiga representação do espírito projetado na matéria, a face inferior porém tão divina quanto a superior, já que raiz e frutos são todos eles partes da mesma entidade chamada Árvore.

O termo demônio vem do Grego DAIMON, que simboliza uma espécie de gênio tutor. Esse gênio do mundo inferior é o mesmo professor das provas, das lutas, das dificuldades, e se liga ao Anjo ou gênio superior num eixo com duas extremidades e duas inteligências de um mesmo corpo, a inteligência inferior ou de natureza instintiva, animal (que nos assiste com determinado grupo de virtudes em forma de potenciais latentes) e a inteligência superior ou de natureza intuitiva e espiritual, completando aquela.

São páginas de uma ciência muito rara e profunda que poucas mentes têm acesso, devido a prisão aos dogmas e crenças fixas, congeladas numa consciência que nunca experimentou de forma direta e objetiva as realidades dos universos de cima e de baixo a partir do universo interior lúcido.

Então, Capricórnio, na linguagem esotérica mais oculta, é a Matriz de Anjos, de Seres crísticos! Daí sua relação com notas de severidade e dor… a montanha da Cabra e a Cruz de Cristo são uma mesma coisa. A ascensão da Cabra e a elevação de Cristo são uma mesma coisa: são ordens de trabalhos que a alma deve passar na carne, na forma humana, ainda que seu espírito tenha uma identidade de grande hierarquia divina. Faz parte da Escola pela qual todos passam, animais, humanos e deuses. E se diz que, nessa escola, quanto mais consciência e maior o grau, mais duras e apertadas serão as condições da tua luta!

Note a representação no signo da criança que esmaga as duas serpentes nas mãos, uma alegoria ao semi-deus Hércules, que se trata da leitura mitológica grega de JESUS CRISTO, filho concebido por Zeus, o Pai, repleto de poderes para ajudar a humanidade. No final, o homem nu (protótipo de Hércules) pisa a serpente na cabeça e a esmaga: a vitória da alma sobre o corpo, da mente sobre o desejo, da iluminação sobre a existência circular, e toda a montanha resplandece em luz de inteligência nascente.

Não é que o tempo cure as feridas… ele apenas te faz esquecer delas. Vencer o tempo é vencer o esquecimento. Só o amor vence o tempo, já que ele nunca esquece o que ama…

Uma roseira primeiro se cobrirá de agudos espinhos antes de se encher de rosas perfumadas. Que os espinhos não te façam esquecer da promessa das flores em tua vida, da mesma forma que os espinhos cravados no corpo e na alma do Mestre não o fizeram esquecido das promessas que o Pai lhe entregou antes da Cruz, e que cumpriu depois da Cruz… quando os paraísos celestes das muitas Moradas e suas rosas estelares se abriram para recebê-lo de braços abertos…emanando e espalhando as fragrâncias da sua vitória espiritual no espaço! A vitória do seu Amor, o Poder maior que o Tempo e a Morte!

No fundo, é o amor que impele a cabra a subir, e é a fé nas promessas desse amor que lhe mantém o fôlego durante a árdua escalada. Sem esse amor por combustível, certamente ela não conseguiria… porque esse Amor é como o Sol brilhando no alto do céu, lhe guiando a marcha lenta porém firme até todos os píncaros da vitória…

O ponto positivo de Capricórnio é essa fé, é essa segurança e certeza da vitória, e fazendo a leitura dos símbolos esotéricos do signo, essa força caprina é a própria energia crística em sua fé direcionada a única ambição perdoável e até louvável de todas: a ambição espiritual pelas muitas Moradas do Pai, que o Iniciado alcança lá no topo da sua existência… a subida da montanha equivale a cruz que Cristo carrega no calvário do mundo…

Capricórnio é o banco onde todo o DINHEIRO do sacrifício é depositado pelos caixas do tempo. Dharma só se consegue com SACRIFÍCIO, especialmente sacrifício pelos semelhantes, e sacrifício em causas nobres e elevadas. Karma e Dharma, ou dívida e mérito (crédito) são igualmente registradas no Banco das contas do Espírito, e todas essas contas são quitadas a cada renascimento. Então, que ninguém estranhe quando, de um lado, crianças nascem sob condições tão difíceis de vida enquanto que, de outro, crianças nascem abastadas.

São as contas postas em dia. Karma e Dharma, ou dívida e mérito, e os servos de Saturno não deixam passar nada em branco. Tudo é cobrado e tudo é pago, centavo por centavo. Mas isso não significa que almas que nascem abastadas nessa vida não possam vir a perder seus créditos com a Lei Maior, cometendo coisas erradas que venham a pesar negativamente na Balança e, da mesma forma, isso não significa que aquelas almas que nasceram em sofrimento e pobreza não possam reverter o quadro, aprendendo as lições e realizando ações positivas que comprem seus créditos perdidos de volta, quando então o Destino melhora a sua volta…

Saturno não é uma divindade negativa todo o tempo, é que ela infelizmente só encontra almas devedoras em seu caminho. Porém, quando encontra almas com méritos espirituais, os deuses de Saturno são os primeiros a cobrí-las com todos os tesouros do mérito espiritual no seu destino.

A alma se chama Raiz. O dom se chama semente. O Mérito se chama Fruto. E o trabalho? Este se chama ÁRVORE, cujo esforço só o tempo combinado com a experiência pode manifestar! A árvore, que é a mesma coisa que a montanha de Capricórnio, que só tem valor se elevar-se ao céu carregada de frutos para o mundo!

A Árvore morre em Capricórnio (estação do Inverno que começa) para entregar seus frutos a terra, espalhando as suas sementes para o novo ciclo que virá. Mas se a raiz da árvore é forte, ela não morre, apenas dorme, e despertará na próxima estação. Esse é o segredo maior da ressurreição contida no signo de Capricórnio, quando Cristo mesmo desce aos mundos inferiores para ascender ressurrecto ao terceiro dia. Não é a toa que a Igreja colocou seu dia de nascimento sob Capricórnio, em 25 de Dezembro!

E então, chegamos à resposta de qual seja o PODER MAIOR QUE O TEMPO… E ELE É O AMOR. Esse Amor de ascensão, esse amor pelas coisas maiores e melhores do que nós, e que nos impele a subir, em todos os sentidos, vencendo a gravidade dos desejos e o peso das opulências materialistas da vida, com suas ilusões multiplicadas.

O Amor de ascensão é o amor por Deus e pelas coisas sagradas, é esse amor de saudade da casa antiga e do lar dos Anjos que já fomos um dia, desgarrados que estamos da Grande Família que nos espera lá em cima e que se comprometeu a nos ajudar em tudo aqui, durante o nosso exílio (porque os ANJOS SÃO OS MELHORES E OS MAIORES AMIGOS DA HUMANIDADE).

Sem esse Amor de ascensão, amor de vitória, amor de atração pelo que é do céu, do espiritual e do cósmico, infinito e eterno, nenhuma alma terá força para subir a montanha de seus desafios no destino e alcançar o terraço das estrelas, onde se abre o Império de Aquário e o mundo estrelado a seguir, e essas estrelas podemos ver acima da montanha severa de rocha pura e solidão intensa do signo… o amor por esse tipo especial e saudável de solidão que se torna forja de deuses nos desertos da existência, a mesma solidão contemplativa de um Buda em meditação procurando quebrar a Roda do tempo, a mesma solidão compassiva de um Cristo na cruz sangrando sozinho e chorando sozinho por todos os pecados da humanidade…

O Anjo da Morte e do Tempo é um lindo deus em sua austeridade, e o Ancião que lhe representa é o mais sábio de todos, porque em sua mente todas as verdades do tempo estão guardadas.

A vida sem a morte não é vida, é acidente. Nascimento e morte se tocam, e quando a criança e o ancião dão as mãos, universos nascem por aí. São duas forças iguais e opostas, e toda a beleza de uma criança inocente existe também num ancião cheio de vivências… é só saber olhar direito! É só aprender a não julgar pelas aparências! E esse amor de ascensão nos ensinará!

Esse amor de calvário é o que elevou a alma vitoriosa até as alturas de si mesma, aniquilando os mundos pequenos e mentirosos onde seu ego vivia antes, amor que lhe deu superação sobre todos os obstáculos e, principalmente, amor que a fez transformada a cada passo dado para cima e para dentro, a cada gota de sangue derramada em sacrifício pela Verdade, e a cada lágrima de dor sincera de arrependimento, renúncia e desprendimento das coisas do pequeno mundo que ficou lá embaixo e que ainda agita os mortais que continuaram no sono da matéria e no pesadelo interminável de suas próprias ilusões projetadas, aquelas que não puderam vencer.

“Onde estão os fortes em Deus capazes desta gloriosa subida rumo ao Império Celeste?”

 

 

JP em 15.05.2019

Comentários