Templates by BIGtheme NET

O Apocalipse de Nostradamus (o Livro perdido de Imagens) – parte 1

 

 

Figura 48: o Touro e a Lua

 

As oito figuras-chave do Livro de Imagens de Nostradamus

“Em 1994, enquanto fazia um trabalho de investigação na Biblioteca Nacional em Roma, a jornalista italiana Enza Massa tropeçou com um manuscrito incomum intitulado Nostradamus: Vatinicia Code. Estava assinado por Michel de Notredame, conhecido como “O Profeta Nostradamus” e continha ilustrações feitas pelo próprio autor. Como este livro teria chegado até ali? Por que se manteve escondido por mais de 400 anos?”
(Da série History Channel)

 

Imagem associada ao dragão do Apocalipse (Anticristo)

(***)

Tanto as quadras (centúrias) de Nostradamus quanto o seu Livro de Imagens nos dão a certeza de que a Astrologia era uma das ferramentas proféticas daquele sábio, aliás, usada por muitos magos, alquimistas e estudiosos da época, braço direito de muitos reis.
Os próprios reis magos citados na Bíblia não seguiram a luz de uma estrela para chegar ao Messias anunciado?

Neste precioso Livro, contendo imagens de todo tipo (88, ao total) que ilustram papas, reinos e guerras, entre outras coisas misteriosas, símbolos, códigos, etc, existe um grupo de 1+7 imagens relacionadas a arcanos astrológicos, algo como se fossem as Sete Trombetas dos Sete Anjos do Apocalipse (que tem nos sete planetas os seus templos) na execução dos processos finais da humanidade.
Trombeta é uma forma mística e antiga de dizer: influência planetária.

 

 

Neste grupo de oito imagens, destacadas dentre aquelas oitenta e oito totais (e aqui já vemos uma referência indireta ao código 888) existem informações sobre o Tempo, o fim do ciclo e a ação de cada um dos sete raios planetários durante os sete últimos anos proféticos: é como se os SETE ÚLTIMOS ANOS DA HISTÓRIA HUMANA, conforme o cruzamento com as profecias bíblicas, e os sete anos de tribulação (Daniel) contados a partir dos 70 anos da Nova Israel (em 14.05.2018) carregassem a energia das transformações da Terra através da ação dos sete espíritos planetários.

 

 

Ao menos, essa era a linguagem da Astrologia conforme os antigos: os planetas eram os templos dos Sete Anjos diante de Deus Todo-Poderoso (os Sete castiçais de Ouro, as sete estrelas na Mão direita do Senhor, etc).

Desde a penúltima reunião planetária (dos sete planetas) em 04.02.1962 no signo de Aquário (alguns teorizam que a Era de Aquário começou neste dia) e em 03.05.2000 no signo de Touro, as transformações da humanidade e a própria saúde de Gaia tem sido marcadas por eventos intensos, acelerados na curva do tempo. Estas duas reuniões dos sete planetas nos signos de Aquário (o céu) e de Touro (a Terra) foram realmente os gatilhos da transformação, conforme os anúncios do Apocalipse, sob a força dos sete anjos – templos planetários.

 

Com a entrada de URANO em Touro, entre 2018 e 2019, os sete anos finais (o tempo que Urano cobre cada signo do Zodíaco) serão ainda mais acelerados no sentido de transformações em curso.
O que os videntes chamavam de profecias, os astrólogos chamavam de Destino das estrelas, porque AMBOS conseguiam ter acesso aos mecanismos da Roda (dos ponteiros do Grande Relógio) antes de que eles alcançassem suas posições marcando eventos futuros.

Vamos então ás oito figuras do Livro de Nostradamus.
Comecemos pelo grupo alinhado dos sete planetas, seus anjos e signos, e eventos marcados.

Figura 66
O SOL
Signo de Leão

 

 

O Sol rege o signo de Leão, e por isso, o Sol brilha sobre um Leão majestoso na planície vasta que ele domina.
No alto, essa Roda de oito raios (aqui, estranhamente, faltando um raio) mais as flâmulas e bandeiras ornamentais, são elementos PADRÃO em todas essas oito imagens, o que é uma chave para reuní-las dentro de um sentido de mensagem completada.
O Sol parece cobrir o Leão real com uma veste vermelha, que é a cor da dignidade real, sacerdotal, imperial, etc.

O Sol aparece também com sete raios e sete chamas, diferentemente do estilo tradicional, 16 raios, 8 raios, etc. O Sol dentro desta concepção setenária nos fala então do líder do grupo dos Sete Anjos, que é o Anjo Miguel, chamado ARCANJO ou primeiro Anjo por essa razão. Daí o fato de a roda do tempo e do Sol estarem dentro de uma simbologia setenária.

O Sol e o Anjo Miguel iniciam o período dos sete anos de transformação planetária direcionadas pelos sete Anjos do Apocalipse!

O Sol concede a sua energia ao Leão, certamente a representação de reis, de líderes poderosos que se levantarão no final dos tempos.
A primeira ideia é a respeito do Leão de Judá, Jesus Cristo, o regresso anunciado.
No alto, uma estrela de seis pontas anuncia a relação de tudo isso com a nação de Israel (e a data dos 70 anos em 2018).

Há outra imagem dentro do livro que é semelhante a esta:

Imagem 42

 

Mostra o mesmo Leão (andando) com o símbolo no ar parecido com a imagem de Leão-Sol, uma trindade, alguma aliança entre três poderes, três nações e lideranças, ou simplesmente o número 6 repetido 3 vezes…

Por outro lado, sob a mesma regência solar extrema, virão os grandes tiranos, os líderes a imagem e semelhança do Anticristo no final dos tempos, de tal modo que este Leão também pode representar o Anticristo se levantando na Terra, já que o leão também foi usado para simbolizar o Diabo nas Escrituras.

O que me leva a intuir que aquele pequeno símbolo em forma de triângulo, no alto, direita da imagem, pode representar o número tríplice da Besta, 666.

O Cristo e o Anticristo se levantando como os protagonistas de todo o cenário do Apocalipse, e isso explica esta imagem abrindo o grupo dos sete planetas ou Anjos do Apocalipse.

Ps: esta pequena estrela ao lado do Sol, poderia ser também uma clara referência ao SEGUNDO SOL em aproximação no final do grande ciclo.

(***)

Figura 67
JÚPITER
Signos de Sagitário e Peixes

 

 

Essa é uma das gravuras mais estranhas de Nostradamus.
A Roda do tempo está com seus oito raios completos.
E abaixo dela, um homem misterioso, um rei, muito cabeludo, abrindo um Livro. E dentro do livro, uma página com coisas escritas, e entre estas coisas, a palavra “Male”, e na outra página, uma árvore.

Ele não segura o livro com as mãos, mas com os cabelos, muito longos.
E está coroado, um rei.
Abaixo, os signos regidos por Júpiter, que são Sagitário e Peixes.

Note que a bandeira ou laço/flâmula ornamental, no topo, forma a letra grega ÔMEGA, que significa O FIM
“Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o último, o princípio e o fim!”
E quase todas as figuras setenárias (exceto Leão, o Sol, onde o ômega foi levemente modificado, com mais dobras, mas ele continua lá) possuem esse ÔMEGA marcado nos ornamentos das faixas.

Algumas pistas de quem seria esse homem cabeludo?

 

 

Nostradamus tinha um filho chamado CÉSAR, a quem inclusive endereçou uma de suas cartas proféticas.
Este pode ser o “link” desta imagem, primeiro porque CESAR é nome (título) dos antigos reis de Roma, tem o seguinte significado:
César: Significa “imperador”, “rei”, “o que tem o cabelo comprido”, “cabeludo” ou “cortado”, “talhado!

Ou seja, um rei coroado com todo esse cabelo, só pode ser uma referência ao seu filho, e o livro, uma indicação a Carta escrita para ele.

E lendo essa carta, ela não fala de profecias e eventos específicos, mas tem uma retórica generalista sobre o espírito da Profecia relacionado aos tempos do fim, e temos a sensação de que, além de entregar ao filho as chaves do seu trabalho, Nostradamus espera dele um tipo de continuação de obra (o que leva muitos estudiosos a julgarem que esse livro de imagens é de autoria do filho, instruído pelo pai).

Nesta carta vemos também a estima que o sábio tinha pela Astrologia e Zodíaco, usado como instrumento auxiliar de profecia, sempre se guiando pelas inspirações divinas regradas pelas Escrituras e o Apocalipse. Nostradamus faz questão de acentuar tudo isso.

Há uma passagem que eu destaco aqui, porque será usada na interpretação da Oitava figura:

“No firmamento da oitava esfera, uma dimensão onde Deus Todo-poderoso completará a revolução, e onde as constelações retomarão seu movimento que fará a terra estável e firme, mas só Ele permanecerá inalterado para sempre até que o testamento dele seja cumprido.”

Aqui, o texto completo da Carta de Nostradamus ao filho Cesar
http://asprofeciasdenostradamus.blogspot.com/p/carta-cesar.html

Então, o Homem (Male) referido no livro daquela figura 67 (Jùpiter) pode se relacionar ao filho César, a quem Nostradamus entregou sua herança como mestre da profecia, da astrologia e da premonição, e de algum modo, César teria continuado a sua obra, provavelmente tomando parte da feitura do Livro de Imagens, e se auto-retratou nesta lâmina de Júpiter.

Esta é uma lâmina com conteúdo profético altamente positivo, porque, como vimos em outras ocasiões, o Anjo de Júpiter se relaciona diretamente a entidade humana e divina encarnada de Jesus Cristo.
É o Sexto Anjo, relacionado ao Sexto Selo, quando o Sinal do Dia do Senhor aparece no céu e na Terra.
É o Anjo relacionado a salvação da humanidade.

(Veja o Selo de Salvação da Humanidade)

 

O SELO DE SALVAÇÃO DA HUMANIDADE

 

Desse modo, a Árvore do Livro pode se referir a Árvore da Vida, cujo caminho será aberto por um homem (porque estava fechado e guardado por querubins flamígeros desde a queda do Éden), e o caminho aberto para os frutos da Árvore da Vida significa o dom da imortalidade (o dia da Ressurreição) bem como a consumação do Apocalipse e dos tempos proféticos, conforme o capítulo 22.

Não sei o idioma que estas palavras foram escritas neste livro, mas se male (no inglês) é macho (homem), me parece ler, logo abaixo, a palavra FATHER (pai) no mesmo idioma, o que tem relação com o planeta Júpiter, porque Zeus-Júpiter é o Pai de todos os deuses, o equivalente greco-romano do Senhor (ABBA PAI) biblico.

 

Continua

JP em 22.03.2019

 

Veja também a parte 2:

O Apocalipse de Nostradamus (O Livro Perdido de Imagens) – parte 2

 

Comentários