Templates by BIGtheme NET

Mais uma pedra extraterrestre desconcertante!

 

A misteriosa pedra de Aztlán faz parte deste grupo de pedras chamado “Ojuelos Piedras”, que foram analisadas por pesquisadores e parecem descrever a visita extraterrestre e contato há 27.000 anos

A história da descoberta das pedras de Ojuelos mudou ao longo do tempo. Após a descoberta desses artefatos cerâmicos fez há alguns anos atrás, em que números impressionantes assumiu que tinham origens pré-hispânicos, a peculiaridade destas figuras é que eles  parecem mostrar os povos indígenas da região que tiveram contatos com extraterrestres.

As figuras mostram os rostos do que é interpretado como extraterrestres cinzas (padrão grey) e discos voadores.

As investigações de García Sánchez e outros permitiram encontrar mais figuras (dependendo do lugar que você olha, o número de adesivos varia de 300 a 3 000), a identificação de pelo menos três crânios de espécies (provavelmente estrangeiras) desconhecidas, pertencendo à região árida de Ojuelos, na história que faz parte da cidade asteca, isto é, a mítica cidade de Aztlán.

 

A Pedra Aztlan, similar ao famoso calendário ou pedra asteca

 

Não é coincidência que a famosa pedra circular de Aztlán seja uma daquelas peças que parecem, ou melhor, mostram faces de Aliens no meio do calendário asteca.

Ojuelos, nos dizem, também foi uma área densamente povoada de diferentes culturas, como Aridamerica e Mesoamérica, bem como os povos Sioux, Cheyenne, Hopi, maia, olmeca, teintihuacans, misturado, Huastec, Chichimec, etc, cada um em sua linha de tempo na história desconhecida da América contactada.

De acordo com “relatórios” por pesquisadores de OVNIs, as estatuetas foram analisadas usando métodos de carbono-14, concluindo que eles têm pelo menos 27.000 anos de idade.

No início, apenas as redes sociais, assim como os jornais locais (como o jornal La Jornada Guerrero), falavam sobre essas estatuetas de Cerâmica, que incluíam desenhos de contatos com  extraterrestres.

Após a análise, o ufólogo mexicano Jaime Maussan apresentou um programa especial na Tercer Milenio seu programa, durante o qual o pesquisador austríaco Klaus Dona e físico teórico Nassim Haramein  comentaram sobre a pesquisa realizada em Pedras de Ojuelos. Para eles, se mostram como um autêntico mistério.

Assim, após um curto período de análise e pesquisa, o governo mexicano decidiu divulgar vários objetos arqueológicos, incluindo as tais pedras que descrevem um contato extraterrestre que ocorreu há 27.000 anos.

Em apoio a tudo isso, o jornalista investigativo Jaime Maussan lembrou que tudo isso está relacionado à descoberta de múmias exóticas de Nazca no Peru.

Múmias exóticas são idênticos aos desenhos encontrados em cerâmica de Ojuelos a mostrar Grays  com olhos muito grandes e uma cabeça muito grande, que entraram em contacto com as pessoas locais da Mesoamérica.

Até as pedras do primeiro contato mostram o mesmo tipo de seres cinzentos que entraram posteriormente em contato com o povo maia.

 

 

Análise da pedra, um antigo UFOnauta no cenário terrestre com o perfil do nosso sistema solar delineado, além de outros símbolos recorrentes em diversas pedras

 

Vídeos:

 

 

 

Aztlan é o nome asteca referente a raça anterior a nossa, raça regido pelo Sol Atl, Sol de água, nome aliás que encontra um incrível paralelo com o nome Atlântida, conhecido nos relatos de Platão, na antiga Grécia, num ponto do tempo e do espaço totalmente separado dos mundos pré-colombianos.

Uma prova cabal da origem comum de todos estes artefatos e conhecimentos, uma raiz comum que localiza, na data assinalada (27 mil anos atrás) a localização de Atlântida, que acabou num dilúvio universal há cerca de 13 mil anos.

O que prova que a visitação extraterrestre aqui na Terra é continua, certamente, desde o primeiro Sol, aquele Sol ou período (Era) que abrigou a primeira raça “humana” neste planeta-escola, que, por tal condição, se fez acompanhado e instruído de perto pelos mestres das estrelas. Até os dias de hoje, embora a maioria não os veja… e por isso não lhes atribua crédito.

Uma coisa é certa: por mais que essas pedras identifiquem semelhança com os atuais Greys, o contato legítimo e aberto dos povos pré-colombianos registrados na História paralela da América se deu com nórdicos, altos, louros, com barba e olhos claros. E eles mesmos disseram donde vieram e donde retornariam um dia:

VÊNUS!

JP em 28.05.2019

Comentários