Templates by BIGtheme NET

Mais sobre o mundo subterrâneo

Porque será que se desenterra tanto em Tiahuanaco, em Teotihuacan, nos sítios maias, nos sítios astecas ou em Gizé?

Creio que eles já descobriram essa rede subterrânea, e o sítio de Bucegi já está na lista dos terminais de superfície ligados à Agarthi interior (que ainda está em atividade, dizem os esotéricos) e é de se deduzir que todos eles foram construídos debaixo de um plano, de um modelo similar para algum propósito grandioso.

No princípio, isso funcionava da mesma forma como as cidades são ligadas por estradas e sistemas de transporte.

Agarthi era tudo isso, uma rede complexa de construções e o modelo recorrente das pirâmides era parte fundamental do grande projeto.

Toda a tecnologia dentro das pirâmides, e abaixo dela, nos profundos níveis do subsolo, é algo tão surpreendente que, pelos relatos, estamos diante de uma tecnologia do tipo auto-sustentável, que se nutre até hoje deste sistema operacional construido na rede piramidal, e que faz circular uma misteriosa energia pelos túneis de ligação, como veias subterrâneas de um organismo vivo, algo plenamente compatível com os relatos sobre Agarthi dos antigos.

Edificada pelo antiquíssimo sacerdote OM, os deuses do passado souberam manipular essa energia fantástica, abundante e desconhecida, que é a energia telúrica que circula nas camadas intraterrestres, à semelhança de um organismo vivo e seu sistema circulatório, o sangue vital de uma estranha forma de energia que liga todas as partes da pele (superfície) bem como seus órgãos internos.

E adaptaram essa energia a uma estranha tecnologia que se auto-sustenta até hoje, energia telúrica bombeada a partir do coração do sistema, o núcleo da Terra, e se esparramando por toda essa rede interna de sub-núcleos debaixo de cada pirâmide e de cada cidade sagrada, aos deuses e reis divinos dedicada, todas ligadas por um complexo sistema de túneis que repercutiam a sagrada vibração de OM, conservada na sabedoria hindú como sendo a vibração primordial do Universo.

Será que algo teria a ver com aqueles estranhos sons que se ouvem em todo o mundo, sons de ronco, de trombetas, do Apocalipse ou de Agarthi aflorando na superfície?

Os antigos mestres levaram ao pé da letra a Teoria da Terra como Ente vivo, e adaptaram toda uma tecnologia amplamente desconhecida por nós para essa realidade vital bem debaixo dos nossos pés, tecnologia de suporte a essa energia abundante e circulante, camada por camada, nos niveis intraterrenos, ligando todos os pontos da superfície, mesmo os continentes separados por mar, justamente por essa rede de túneis debaixo de pontos marcados na superfície, em geral, por pirâmides, e também por megalitos (como Stonehenge e os muitos da França, Inglaterra, Europa e outras partes do mundo). Pedras enormes como marcadores ou terminais dessa energia misteriosa da Terra?

E tudo isso confere com a descrição que os antigos faziam de Agarthi, um vasto e extraordinário reino oculto sob a superfície, que monitorava todas as cidades no andar de cima, controlando o destino das nações e de cada ser humano dentro de um super psiquismo circulando naquela mesma energia vital-telúrica!

Um reino poderoso, onde coexistiam mestres humanos e extraterrestres, envolvidos dentro de um grandioso projeto que conseguiu replicar o modelo da Terra viva, bem como aproveitar com tecnologia apropriada essa enorme fonte de energia limpa a serviço de homens limpos.

É como se a civilização subterrânea fosse a matriz de todas as civilizações que já existiram na superfície da Terra.

Vindo as catástrofes, as civilizações caem, a face da Terra é transformada mas o povo de Agarthi continua por lá, monitorando todos os princípios e fins, dotados de uma super-tecnologia, um elevado Conhecimento, e um grande poder, e no trono central de comando com suas três supremas hierarquias, Mahatma, Mahanga e Brahatma, este último, o Rei do Mundo, cargo este vitalício.

A cada descoberta sobre as evidências de nossas origens extraterrestres é que vejo quantos livros de História vem ensinando mentiras nas escolas com aquelas fábulas chatas de homúnculos das cavernas como nossos ancestrais, única referência de passado da civilização que eles querem ensinar… para reforçar a doutrina de que a modernidade é superior à antiguidade, e que os donos do mundo hoje nunca foram superados ontem por civilizações muito mais poderosas e evoluídas que realmente possuíram o mundo com sabedoria, ligados aos divinos que estavam!

Vamos ter que voltar ao tempo da Idade Média, com pilhas e pilhas de livros na fogueira… mas desta vez, por um bom motivo, não por intolerância: é que a História deverá ser toda reescrita.

JP em 06.06.2019

Comentários