Templates by BIGtheme NET

Exorcizando as religiões do próprio objeto a quem elas foram destinadas – o ser humano

¶ Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo.
E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome;
E, chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães.
Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.
Então o diabo o transportou à cidade santa, e colocou-o sobre o pináculo do templo,

E disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui abaixo; porque está escrito: Que aos seus anjos dará ordens a teu respeito, E tomar-te-ão nas mãos, Para que nunca tropeces com o teu pé em alguma pedra.
Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus.
Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles.
E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.
Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás.
Então o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam.

Mateus 4:1-11

Muitos pregam que as religiões foram criadas para controle da massa humana, mas isto não é verdade, as religiões verdadeiras foram criadas em cima do testemunho de homens despertos, mas então vieram os tiranos e os maus ministros e das religiões tiraram formas de controle da massa pelo poder não da fé consciente, mas da crença cega.

Assim, as religiões que foram criadas puras, saídas do testemunho de almas escolhidas para o contato pessoal com o Espírito de Deus, em várias épocas e lugares da história do mundo antigo, hoje precisam ser exorcizadas porque outros seres humanos, de linhagem perversa e pervertida, as tornaram repletas de “demônios” saídos do seu próprio ego. E como o ego não pode ser canal do divino, assim aconteceu que as doutrinas sagradas do passado se encontram completamente deturpadas na era moderna.

Isso muda completamente a sua abordagem!

Porque, quando o ser humano chega ao ponto de se tornar o seu pior inimigo e, por extensão, do seu semelhante, tudo o que o seu ego tocar, se transformará em arma de controle, manipulação e destruição do próximo, e sem saber, o ser humano acabará por se auto-destruir no final do processo.

O testemunho de Cristo é um claro manifesto da existência daquele Reino Tenebroso e das formas como podemos detectá-lo. E um dos melhores exemplos é a tentação no deserto por parte do Espírito caido, Satan.
Vejamos:

Aqui, pedras convertidas em pães para matar a sua fome significam nutrir a alma com um falso pão de conhecimento e é aí que todo adormecimento começa, quando ingerimos alimento errado, pão que veio de pedras e não de trigo, claro, metaforicamente.

Segundo, a clara renúncia de Cristo aos poderes constituídos de Satan, porque é ele quem dá participação vital nos lucros e postos privilegiados e seu reino.
E diz: tudo tereis se me adorares.

A resposta de Cristo é bem enfática e clara quanto a sua posição.
Por fim, a última tentação: te atiras daqui, quer dizer, inverte de lado e passa para o nosso time, o nosso exército – se tornando como um de nós, um caído, um Nefilim, um espírito da esquerda.

Como poderia Jesus estar a serviço do sistema se nos advertiu, nesta e noutras passagens, repetidas vezes, sobre a existência do sistema e de como se desligar dele?

Se o sistema se baseia numa ligação, consciente ou não, com o seu líder principal, por uma questão de lógica, somente a ligação com Cristo pode nos isolar desse sistema. É o que ele tentou dizer, ligação não somente com a sua Pessoa divina, mas também com os valores espirituais que ele pregou toda a sua vida, e depois de sua vida entre nós.

Essa passagem, da tentação do deserto, é uma das mais claras a respeito da existência de um sistema e das formas de se tomar parte dele, ou seja, comendo ideologias falsificadas *pães de pedras, atirando-se do alto (invertendo o lado) e finalmente, adorando o Senhor e mestre de todas as riquezas e poderes mundanos constituídos.

Todos os antigos mestres e iluminados que por este mundo passaram, tentaram nos avisar sobre o estado real das coisas. O testemunho deles se faz muito valioso em nosso tempo, de tal modo que, cedo ou tarde, teremos que passar a examinar esses relatos com profundidade e sem preconceito, porque chegará o dia em que eles serão a única luz e guia confiável.

Se é que este dia já não chegou!

Há uma frase, creio, de Santo Agostinho, que define com perfeição a natureza do Mal por completo:

O Diabo é como um cão feroz acorrentado, que só nos morde se entrarmos em seu espaço”.
O sentido é bastante evidente.

Todo o mal que há neste mundo só pode nos ferir se encontrar alguma ressonância em nosso coração. Em outras palavras, o mal que ainda carregamos dentro e insistimos em carregar é que se tornam as portas abertas para o mal do lado de fora entrar e agir. Portanto, se livrar deste mal interno, pecado, imperfeição etc é a primeira batalha a ser travada.

Depois virão outras, certamente, contra o mal externo, mas num contexto diferente, que não nos move por ódio, vingança ou crueldade, pelo que então cairíamos no buraco do qual acabamos de sair. O que move a batalha divina não é ódio e nem vingança, mas sentido de Ordem, Justiça e Direito, movidas pelo mais puro e consciente Amor.

E no estado psicológico em que nos encontramos ainda não podemos conceber batalhas sagradas em tal disposição. Na nossa condição de herdeiros do mal que vem de dentro, tendemos a ver vingança na justiça, e ódio no amor.
Portanto isso ainda nos torna despreparados para as Batalhas do Arco Maior da Luz.

O preparo começa exatamente com as batalhas internas, e depois que o mal interno for eliminado, então veremos a luz.

“Hipócrita! antes de condenar teu irmão, tira a trava do teu olho, e então, verás claramente e não mais julgarás quem quer que seja antes de julgar a ti mesmo!”
Jesus Cristo.

As pessoas em geral se focam no problema do Mal lá fora, e ficam temerosas e inseguras em relação ao futuro, mas não equilibram com as necessidades de autoconhecimento, esquecendo que todo o mal que há no mundo saiu, um dia, de dentro do homem, assim como todo o Bem. Desde o início dos tempos, trazemos o reservatório de todo o mal e todo o bem, e no exercício das escolhas é que construímos o mundo. Se ele é bom ou mau, em tal ou qual proporção, ora, ele foi construído por nossas próprias mãos. A mensagem que fica é: somente nós podemos destruir esse mundo por completo, ou refazê-lo maravilhosamente. Esse poder ninguém pode tirar de nossas mãos, nem Cristo e nem Satan. E seja qual for a nossa escolha, haverá ajuda de um e de outro lado, que irá depender do lado escolhido.

¶ Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei.

E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo.
Do pecado, porque não crêem em mim;
Da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais;
E do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado.
Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora.
Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir.
Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar.

Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.

João 16:7-15

“¶ E vi outro Anjo forte, que descia do céu, vestido de uma nuvem; e por cima da sua cabeça estava o arco íris, e o seu rosto era como o sol, e os seus pés como colunas de fogo;
E tinha na sua mão um livrinho aberto. E pôs o seu pé direito sobre o mar, e o esquerdo sobre a terra;
E clamou com grande voz, como quando ruge um leão; e, havendo clamado, os sete trovões emitiram as suas vozes.
E, quando os sete trovões acabaram de emitir as suas vozes, eu ia escrever; mas ouvi uma voz do céu, que me dizia: Sela o que os sete trovões emitiram, e não o escrevas.
E o anjo que vi estar sobre o mar e sobre a terra levantou a sua mão ao céu,
E jurou por aquele que vive para todo o sempre, o qual criou o céu e o que nele há, e a terra e o que nela há, e o mar e o que nele há, que não haveria mais demora;
Mas nos dias da voz do sétimo anjo, quando tocar a sua trombeta, se cumprirá o segredo de Deus, como anunciou aos profetas, seus servos.”

Apocalipse 10:1-7

O Paráclito já está entre nós.

E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória;
E todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas;
E porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda.
Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;
Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;
Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver.
Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?
E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos?
E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te?

E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.
Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos;
Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber;
Sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e enfermo, e na prisão, não me visitastes.
Então eles também lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te servimos?
Então lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim.
E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna.

Mateus 25:31-46

A religião (verdadeira) existe para melhorar o homem. O homem comum tem consciência de que é imperfeito, só os tolos se acham perfeitos e infalíveis. E por incrível que pareça, quanto mais aumenta a consciência em um homem ou mulher, mais ele se sente imperfeito e impuro, isso porque a sua consciência aumentada faz ele ver com maior extensão o que significa perfeição e pureza no Universo espiritual.

Quero dizer que isso não pode no entanto servir como justificativa para nos contentarmos com a imperfeição e a impureza. A religião nos motiva a buscar sempre o melhor, e nos ensina o caminho da constante auto-superação. O conformismo é para os fracos. Mas a perfeição é a real taça dos que lutam nos domínios do espiritual, sempre procurando elevar a cada dia a condição humana, fazendo a sua parte no grande projeto da evolução.

Cristo nos deu uma lei perfeita, lei de conduta e código moral, e virá para cobrar, virá como Juiz das almas. Não podemos nos fixar somente nas partes da Bíblia que convém às nossas comodidades e omitir as outras. É o mesmo Cristo manso e de amor que fala igualmente do dia do Juízo e do rigor, especialmente contra aqueles que viveram no ego e nada acrescentaram para o semelhante em termo de amor, caridade, serviço, mesmo que nas pequenas coisas. Cada coração só pode dar o que tem. Quem nada tem, tende a tomar dos outros. Esse mundo está ficando feio, grotesco, por causa disso. As pessoas enlouqueceram nessa coisa de ter, ter e se dar bem. Um estranho na rua é quase, potencialmente, um inimigo. Vivemos o tempo todo de máscaras, e quando alguém abre seus braços para a fraternidade, é mal interpretado. Criou-se uma tradição em que o honesto é um otário, e que o ser amoroso e dedicado é um servil. Errado. Os fortes são os que amam. Bem aventurados os puros, eles verão a Deus. Bem aventurados os mansos, eles herdarão a Terra.

Jesus disse: os mansos terão a Terra, e não os violentos.

Então, temos que refletir seriamente sobre o testemunho de Jesus, isso no caso de nos considerarmos, de alguma forma, cristãos ou religiosos, porque, para os não cristãos e não religiosos, os que seguem a vida somente para a sua própria satisfação, tanto faz como tanto fez.

Mas o que semeia sempre volta para colher um dia.

A Lei foi resumida da seguinte forma:
Amai a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo.

Não haverão códigos de leis enormes sobre a mesa do Grande Juiz. Só haverá esta sentença na parede, gravada em letras de um ouro eterno de Verdade, palavras visíveis e legíveis a todos os seres, e uma Grande Balança posta diante de Sua Face, e que nos pesará e nos medirá segundo a prática daquela Lei.

Que cada um então possa dar o seu melhor para Deus e para o próximo. Para que, algum dia, possa ser chamado de legítimo Filho de Deus, e voltar para a Casa do Pai.

Porque é somente isso que todos nós queremos, de uma forma ou de outra.

Ser bom é a única religião que existe.

Fazer o bem é andar com Deus, de verdade.

Somente amando é que somos bons e fazemos o bem.

Do que se deduz: Amar é a única religião que existe, é a Lei Maior do Universo, é Deus em manifestação.

Procurar fazer disso mais prática do que teoria é o desafio que cabe a todos nós, todos os dias de nossa vida.

JP m 11.02.2020

Comentários