Templates by BIGtheme NET

Evolução e Involução

O duplo giro da Roda

Nem só nas pernas da evolução a natureza marcha. Existe também a involução. A barata, por exemplo, é uma involução dos besouros.
É difícil estabelecer uma linha divisória entre evolução e involução para compreender suas sutis diferenças. Espécies se deformando (um sentido negativo de transformação) para se adaptarem a meios ambientes cada vez mais hostis.
Deus não criou baratas. Ou criou?


Deus criou besouros, e o escaravelho, por exemplo, era considerado sagrado no Egito. A joaninha é outro besourinho cheio de valores positivos a ele associados pela cultura popular. Mas por que não é possível alegar qualquer valor positivo ás baratas?


Por serem repulsivas, por transmitirem doenças, por apreciarem o lixo e as porcarias residuais das casas e dos meios urbanos… sim, podemos ver que evolução e involução acontecem. A involução entra em cena quando a natureza não consegue mais suplantar um sistema colapsado, como as grandes cidades.


Os pombos nem sempre foram assim, ratos voadores altamente perniciosos.
Os pombos já foram limpos e isentos de doenças, mas o que aconteceu?
Muitas espécies animais entraram nas cidades e começaram a INVOLUIR, por causa do desligamento da sua cadeia natural perfeita.
E os ratos, as terríveis ratazanas? Ratos nem sempre foram animais perniciosos.


Existem ainda muitos roedores de aspecto natural nas florestas.
O Ser humano, ao destruir a natureza, fere o equilíbrio da vida em cadeia, e se torna o agente direto da involução de muitas espécies animais e vegetais.
Ele mesmo se torna o agente de sua própria involução.


Teorias dizem que a involução acontece porque determinados modelos mentais negativos se agregam às matrizes vivas e as modificam para pior, deformando-as segundo sua natureza original pura.

A involução mede o grau de uma entidade viva desligada da cadeia natural. A cadeia natural evolui, mas essas criaturas são fruto de desligamento da cadeia natural, seja por fatores planetários, ou fatores humanos. No caso a barata. Um animal carregado de doenças não podemos chamar de evolução natural. Essa é a linha divisória a que me referi.

Não basta sobreviver no mundo para ter o selo da evolução. Para ter o selo da evolução, uma forma de vida tem que espelhar harmonia, beleza, equilíbrio e, principalmente, integração com a cadeia natural, da qual baratas, ratos e outras espécies urbanas já se desligaram.

Tanto que se voce pegar essas espécies urbanas e as introduzir na natureza, elas não mais se encaixarão, daí o selo de involução para elas, ou ruptura com a cadeia natural, que promove evolução considerando o conjunto das espécies envolvidas num bio-sistema.


A verdadeira evolução programa a vida em cadeias de seres, nunca em forma isolada. Os evolucionistas não percebem esse detalhe. Quer um exemplo? A célula cancerígena. É uma evolução ou uma involução (bastante feia) de uma célula?

Ela representa exatamente o conceito de involução, de uma entidade viva que rompe com o biossistema. a evolução genuína considera os elementos de uma cadeia de seres vivos interligados para medir seus elementos, coisa que a barata urbana, os ratos e outras pragas não incorporam, daí serem qualificadas como involução da natureza que foi destruida e onde houve ruptura.

A evolução natural não mede apenas as transformações individuais dos seres, mas tambem e principalmente as transformações de todo um conjunto vivo em escala global, planetária. Não é tão simples qualificar, portanto, a evolução, mas a involução é uma força real da natureza colapsada, sofrendo rupturas e desequilíbrios em relação ao modelo original da Vida coletiva.

A vida é um fenômeno coletivo, o erro comum é julgá-la em partes, a medicina solucionaria diversas doenças se encarasse o corpo físico dessa forma. Os parâmetros da evolução devem considerar as adaptações dentro de uma espécie qualquer em relação ao sistema pertencente, seu grau de adaptação e funcionalidade maximizada em relação ao mesmo, rendendo um melhoramento global, um beneficiamento maior para todas as partes envolvidas daquele sistema. Espécies como baratas, ratazanas, greys… não se encaixam nesse modelo a partir do momento em que crescem à sombra, após uma ruptura, e se tornam nocivos para os mesmos sistemas que os criaram na origem. Lhes falta simetria, beleza, harmonia e senso de conjunto, tanto que são caracterizados como “pragas”, de reprodução desordenada – exatamente como a célula cancerígena.

E transportando aos domínios do espírito, esqueçam doutrinas que pregam evolução automática e sempre para cima. Existe a involução e o tempo-limite para uma alma tomar decisões em melhorar e evoluir por seus próprios esforços a partir de MUDANÇAS nas coisas que a natureza nem o tempo podem mudar por nós, em nosso lugar.
Após esse tempo limite, que não dura para sempre, a alma viva começa a INVOLUIR. E não a evoluir, como se prega, reencarnando sempre para cima. Erradíssimo isso.


Evoluir é MUDAR CONSCIENTEMENTE.

Se o tempo, apenas o tempo, evoluísse as almas nos mecanismos da reencarnação, pessoas idosas, por influência do tempo, tinham que ser, todas elas, necessariamente bondosas e sábias… o que está longe de ser verdade. Pelo contrário, estamos cansados de ver pessoas de idade não espiritualizadas, e mais materialistas, mais sensuais e apegadas a matéria, ao dinheiro e as distrações da vida e suas ilusões.


O tempo não evolui ninguém. Essa é a maior mentira de todos os tempos. Até porque o tempo é cíclico e ele sempre retorna ao ponto de partida. Uma roda não sobe e nem desce, apenas gira e repete tudo.
Só a decisão da mudança quebra esse mecanismo.
Como fez Buda, decidindo-se pelo Nirvana e colocando todas as suas forças nessa decisão revolucionária.

Não é a evolução nem o tempo que nos aprimora, mas as mudanças conscientes efetuadas através das escolhas. E elas não dependem de tempo e nem de reencarnações para acontecerem. Se uma alma estiver madura e decidir AGORA pela Mudança consciente, ela encontrará a chave da renovação e se libertará da Roda dos renascimentos, diferentemente do que pregam doutrinas vendidas ao Inimigo, que se infiltrou em tudo.

Deixar para o tempo e o mecanismo da reencarnação fazer é assumir o risco de involução.
Até porque o Apocalipse é claro: a Evolução não será eterna, haverá um julgamento de almas, e ele se aproxima, e a Evolução será interrompida, dando lugar ao outro movimento da Roda, chamado Involução e a queda nas dimensões inferiores.
Quem deixa para amanhã pode amargar oportunidades perdidas diante do tarde demais…
BUDA tentou nos mostrar essa Verdade, mas desde Buda e desde Cristo, a Roda do tempo girou e o mundo voltou a dormir nas mesmas ilusões …

JP em 14.02.2020

Comentários