Templates by BIGtheme NET

Em busca dos Seres Azuis – parte 4

O Código Azul

Muitas ilustrações nas tradições antigas ajudam a confirmar essa memória e essa herança cultural, espiritual e mesmo hereditária dos místicos Seres Azuis de Sirius e outras estrelas, referidos no passado como sendo os nossos instrutores e até ancestrais de origem extraterrestre.

Muitos filmes tiveram inspiração nestes relatos sobre os povos azuis, um deles foi AVATAR.

Outro filme interessante, falando de civilizações submarinas e seres anfíbios, foi O SEGREDO DO ABISMO (sobre os seres azuis, possuem vasta simbologia que os relacionam aos peixes, e também aos animais mais evoluídos da Terra, as Baleias, e seus primos, os golfinhos).

Krishna, uma das divindades hindus retratada na cor azul

 

Os deuses hindús e outros também apareciam tingidos de AZUL

Toth e outros deuses do Egito são representados ora verdes, ora azuis

Coincidência ou não, a roupa sacerdotal de Aaron, e dos sumos sacerdotes de Israel era AZUL

Detalhes do traje sacerdotal de Aaron

Azul, a cor do amor incondicional que, como a rosa da mesma cor, não existe neste mundo natural, somente nos mundos sobrenaturais, onde o amor incondicional ou ÁGAPE é a LEI MAIOR!

A Rosa Azul

 

Os Seres Astrais e Azuis de Parravicini

Muitas mensagens do profeta argentino Benjamin Solari Parravicini falam em comunicação ASTRAL, tanto da parte das naves como da parte dos extraterrestres. No primeiro caso, comunicação de naves, esta seria através de música ou frequências específicas, muitas reproduzidas em crops circles, como 192 Hz (Chualar, 2013), e a segunda, dos ETs, via telapática, por ondas mentais, ressonância mental, de modo que isso nos direciona ao contato extraterrestre (com os seres azuis) não só por sonhos e telepatia, mas também através de Viagens astrais ao seu encontro!

 

“NAVES VOADORAS DO COSMOS CHEGARÃO A TERRA TRAZENDO MÚSICA E VOZ ASTRAL: SE APROXIMARÃO OS SEUS CONCERTOS E CONSELHOS A SATÉLITES ARTIFICIAIS. SERÁ NA DÉCADA SÉTIMA” (1960)

“O ASTRONAUTA DE GANÍMEDES TRARÁ O HOMEM DE QUARTZO. ELE SE CONFUNDIRÁ (SE MISTURARÁ) NA TERRA E DARÁ FORÇAS PARA ENCAMINHAR O MUNDO PARA A QUARTA DIMENSÃO” (Parravicini)

“O NAVEGADOR ASTRAL AZUL DEMONSTRARÁ A EXISTÊNCIA DE DEUS COM ÁRDUO EMPENHO, POIS O HOMEM SE LHE ESQUECEU POR OURO. COM PRESENÇA REAL, O NAVEGADOR FALARÁ EM FORMA TELEPÁTICA DO GRANDE UNIVERSO, DOS PLANETAS E HOMENS SUPERIORES, DE CIVILIZAÇÕES ASSOMBROSAS E DIRÁ: TUDO É OBRA DE DEUS! O NAVEGANTE, COM EMPENHO, ENFATIZARÁ: TUDO É DE DEUS COMO TU ÉS, HOMEM TERRENO. ABANDONA JÁ O FETICHISMO, O AFÃ DE NOVOS DEUSES, DE NOVOS CONDUTORES E RELIGIÕES, E APRENDE A SER DE DEUS… E SERÁS!” (1960).

“GANÍMEDES FALARÁ!” (1938).

E falou mesmo! SETI detectou sinais de comunicação de Ganímedes na década de 1980, por um breve período de tempo. A mensagem teria sido analisada por computadores na época, mas nunca chegou a ser decifrada. O presidente Reagan , na época, informado sobre o ocorrido, decidiu retransmitir uma mensagem em código morse, nos seguintes termos: “RECEBEMOS O SEU SINAL, MAS NÃO O ENTENDEMOS. POR FAVOR, REENVIE USANDO ESTA LINGUAGEM E ESTE CÓDIGO DE TRANSMISSÃO”. E depois de um mês e meio, a equipe recebeu novo sinal, que dizia, em código morse: “NÓS NÃO ESTAMOS FALANDO COM VOCÊS!”

“O ANFÍBIO DE GANÍMEDES” (1938)

“NAVEGADOR DE GANÍMEDES OBSERVA A TERRA – JÁ!” (1938)

 

Lua Ganímedes, de Júpiter, com mares subterrâneos, provando as palavras proféticas de Parravicini, muitas décadas antes, em 1938!

 

“O ASTRONAUTA DE GANÍMEDES TRARÁ O HOMEM DE QUARTZO. ELE SE CONFUNDIRÁ (SE MISTURARÁ) NA TERRA E DARÁ FORÇAS PARA ENCAMINHAR O MUNDO PARA A QUARTA DIMENSÃO” (Parravicini)

O Homem-Quartzo? Me lembrou o quinto elemento inserido na resposta de Arecibo, no crop circle duplo de agosto de 2001, em Chilbolton, Inglaterra, diante de um rádio-telescópio, intencionalmente. Naquela resposta, o extraterrestre tinha, na sua composição biológica fundamental, cinco elementos, um a mais que os humanos, e seus quatro elementos fundamentais, para toda forma de vida/biologia na Terra: hidrogênio, carbono, nitrogênio e fósforo: o quinto elemento era o SILÍCIO, que compõe m quartzo, dióxido de silício (SiO2). Estes seres de quartzo teriam silício nas conexões nervosas, o que os transformariam em seres dotados de um alto poder mental.

 

Essa simbologia estaria encerrada nos crânios de cristal maias, especialmente na extraordinária amostra de mitchell-hedges.

 

A resposta da mensagem de Arecibo, 1974, num campo inglês diante do Rádio-telescópio de Chilbolton, em agosto de 2001

O quinto planeta foi destacado na resposta de Chilbolton, e Júpiter é o quinto planeta do sistema solar em distância orbital. Ganímedes é uma de suas muitas luas. Cruzando as profecias de Parravicini com este crop circle, podemos dizer que esta resposta também pode se relacionar com Ganímedes, além de Sirius. GANÍMEDES FALARÁ! (1938). E os homens de cérebro de quartzo (silício) ajudarão a humanidade em seu retorno à quarta dimensão…

Um Sol Puro, que na analogia com o espectro das sete cores da luz, equivale ao puro Azul, entre o celeste e o marinho, a descrita cor da raça referida nas profecias de Parravicini e nos relatos das culturas antigas.

A nota Sol grave (masculina) equivale a faixa dos 192 hz, um Sol puro, tom azul entre o celeste e o marinho, tom sagrado do planeta Terra, uma espécie de espelho das ocultas realidades espirituais se movendo nesses tons, e que deve sugerir que os tais SERES AZUIS usariam essa específica faixa tônica para exercer comunicação telepática *uma espécie de padrão, e também sinalização astral a partir de suas naves. De modo que o título SERES AZUIS pode ser um código para tal status de conexões e também uma expressão literal para o matiz de sua pele.

 

 

O Crop circle genuinamente extraterrestre de Chualar, Califórnia, 29-12-2013, mostrando, entre outras coisas, a nota-chave de conexão, em 192 Hz, um Sol PURO! E na escala vocal humana!

A Nota Sol G(n) rege as faixas orbitais de todos os sistemas universais, dotados de um núcleo de energia, de camadas dispostas em uma unidade composta resultante, que manifesta fenômenos cíclicos de energia. Isso do micro ao macrocosmo, e a faixa de Sol rege também aquela lei dos saltos, quânticos nos átomos e hiperespaciais nos sistemas planetários, estelares e até galácticos, segundo as regras da Cosmologia Harmônica do Universo-Onda. Se o corpo humano é este sistema análogo, o coração é o núcleo a carregar a tônica fundamental (um Dó puro), e todos os órgãos e sistemas funcionais ao seu redor, estão operando dentro de distintas faixas de SOL, como órbitas regidas por quintas em diferentes oitavas (e as oitavas é que caracterizam cada faixa, e cada sistema-órgãos em que ela se converte).
Assim sendo, as ondas mentais dos extraterrestres devem chegar até nós por um tipo de telepatia que se guia também por saltos, o que explicaria o efeito instantâneo do pensamento em conexões mentais (o que, no campo da Física Quântica, é chamado de PARADOXO EPR, ou Paradoxo Einstein-Podolsky-Rosen, um nome complicado para descrever fenômenos de conexão instantânea acontecendo à revelia de quaisquer distâncias entre as partes conectadas, por maiores que sejam).
“NO FINAL DO TEMPO, TEMPO, NA HORA PRIMEIRA DA HORA, DE NOVO DESCERÃO À TERRA OS ASTRONAUTAS DE ONTEM, PORTANDO PALAVRAS EM ADVERTÊNCIA. CONVIVERÃO ESTES SERES AZUIS COM A VIDA DO HOMEM CEGO. SUAS NAVES SERÃO GUARDADAS NOS ALTOS CUMES DAS REGIÕES MONTANHOSAS, DENTRO DE SUAS JÁ CONHECIDAS CRATERAS. O ASTRONAUTA ASTRAL FARÁ O BEM AO TERRÁQUEO, SEM SER ESTE ADVERTIDO!” (1960)

Os Dogons da África e os Sirianos (de um planeta de Sirius B)

Espantosamente, uma tribo africana chamada Dogon, tem uma inusitada compreensão da órbita elíptica de Sirius B em torno de Sírius A. Este conhecimento aparentemente foi dado aos seus antepassados, por extraterrestres do sistema estelar de Sirius.

Os Dogons descrevem os Sirianos como anfíbios, provenientes de um planeta em torno de Sirius B e repleto de oceanos.

A CRIAÇÃO – Os Dogon acreditam (sabem) que de SÍRIUS A, a maior na foto, flutuando em um “ovo dourado”, veio Amma (ÍSIS), que criou a Terra. Mais tarde, Amma mandou os Nommo para o nosso mundo. Nommo (os “Mestres”) eram seres anfíbios, capazes de se movimentar tanto na terra como na água. Eles teriam chegado a bordo de um veículo cuja descrição lembra a de uma espaçonave.

Localização de Sírius, principal estrela da Constelação do Cão Maior (Canis Major), próxima à Constelação de Órion (centro), e a Constelação de Touro. Estrelas sagradas para todas as culturas antigas da humanidade. No Egito Sírius era chamada de Sothis e havia um festival que se iniciava em 25 de JULHO e durava uma semana em sua homenagem, festa que marcava o início do ano novo egípcio (e na América Central o início do ano novo MAIA). Sirius era a estrela de ÍSIS e Órion a de OSÍRIS.

Segundo os Dogons, a “criação” começou numa estrela chamada por eles de “Po Tolo”, uma anã branca, e que os astrônomos modernos chamam de Sirius B, a companheira muito menor da brilhante Sirius A chamada de “Sigui Tolo”, da constelação Cão Maior.
Eles já sabiam que Sirius B demora 50 anos para completar uma órbita em volta da Sirius A, o que só foi reconhecido pelos astronomos modernos. Os Dogons inclusive mencionam sobre um terceiro astro do sistema Sirius, descoberto apenas recentemente, já que possui um tamanho irrelevante perto dos dois outros astros do sistema, e por isso levou quase meio século para ser descoberto. Os Dogons chamam este terceiro corpo de Emme Ya, ou “Mulher Sorgo”, e dizem que é uma estrela pequena com apenas um planeta em sua órbita, ou um grande planeta com um grande satélite. Os modernos intérpretes dessa tradição chamam esta estrela de Sirius C. A palavra Sirius provém do Irã que significa Tistrya, originaria do Sãnscrito Tri-Stri que significa “Três Estrelas”.

Os Dogons explicam que esses conhecimentos foram adquiridos por seus antepassados através dos visitantes extraterrestres ANFIBIOS, chamados por eles de “Nommos” (que significa “associado à água”), seres parte humano e parte RÉPTIL, provenientes da estrela Po Tolo, ou seja, Sirius B.
Nommo é o nome dado ao primeiro “deus” anfíbio, enviado pelo “deus” criador do universo chamado “Amma” para semear a vida na Terra depois de descer de uma “embarcação” flamejante de cor avermelhada que fazia um barulho igual ao vento.
O curioso aqui é notar a semelhança da palavra “Amma” com a palavra “Amon” (que significa OCULTO), e provém da cultura do Egito antigo, onde também veneravam o deus Amon, mais tarde conhecido por Amon-Ra. Os egipcios davam também muita importancia à constelação de Sirius (As pirâmides são alinhadas com essa constelação).

Símbolo Dogon Kanaga
O símbolo Dogon aparece nas máscaras antropomórficas usadas pelos sacerdotes dogons em suas danças e rituais, celebrando o deus das estrelas.

Símbolos similares em outras culturas antigas do mundo

Das muitas explicações que já foram dadas sobre os significados do símbolo KANAGA desta máscara xamânica Dogon, o principal ainda falta: trata-se de um símbolo ou chave de conexão com as estrelas e os seres azuis. Analisando: as duas antenas, em direções opostas, representam o céu (a antena superior) e a Terra (a antena inferior).
Ps: notem a proporção exposta no mesmo símbolo: 3/2, ou seja, o tridente (3 pontas) e os dois pontos laterais. Isso gera 1.5, que é a proporção harmônica da nota SOL e da cor AZUL no espectro cromático análogo! Aliás, numerosos crops circles expuseram tal proporção mágica que vibra tintas azuis no astral…
O eixo que as une representa certamente a conexão, a forma de se proceder essa conexão. A imagem retrata a coluna vertebral, ligando o terminal nervoso inferior (cóccix, base dos instintos) ao terminal nervoso superior (cérebro), dois terminais ou polaridades de energia nervosa que circulam no corpo inteiro por causa do eixo de ligação, a coluna vertebral e os filamentos nervosos que lhe percorrem. Transportando tudo isso para escala cósmica, a Terra é o polo ou terminal inferior da energia cósmica, e o céu, o polo ou terminal superior.
O céu é a Mente do Universo, e a Terra, seu corpo, sua parte densa, conforme as simbologias e o conhecimento astrológico, que estuda como essas matrizes harmônicas dos astros se materializam no mundo físico. O xamã, o sacerdote e o pontífice buscam meios de ligar essas extremidades, se tornando receptores e divulgadores da Voz dos deuses. Então, estamos diante de uma chave harmônica, de frequências específicas a serem operadas para que possamos estabelecer o contato.
Este é o principal significado da máscara dogon KANAGA, dádiva de conhecimento dos seres azuis da Estrela da Grande Mãe, AMMA, também chamda TARA pelos tibetanos, e ISIS pelos egípcios. Stella Maris, a estrela guia dos mundos, e SOFIA, a Sabedoria-Luz, que tem nome de mulher… nossa criação tem a liderança da Deusa…. Vênus sempre esteve à frente de todas as tradições cosmogônicas do mundo antigo, e os maias que o digam!
A Máscara KANAGA é a chave ou o elo entre as duas extremidades do mundo, o visível e o invisível, o humano e o divino, o corporal e o espíritual, o material e o metafísico, o Yang e o Yin, o físico e o psíquico, o concreto e o abstrato… enfim, a lista é longa… se parecem com dois tridentes justapostos, representando os dois domínios do universo, os mares cósmicos superiores de Poseidon, e os abismos densos de Hades ou Plutão, ambos dotados de tridentes…com seus tronos ressoando nas extremidades macro/micro do universo…
A cor azul é mais que um símbolo de amor e paisagens do infinito: ela equivale à frequência-chave da referida conexão, no campo tonal da nota SOL. Por isso, o xamã ou sacerdote usava essa máscara na cabeça (bem ,máscara é mesmo para usar na cabeça), e função similar tinham as coroas, mitras, cocares e outros adereços que esta categoria de místicos e reis usavam sobre a cabeça: simbolizavam antenas de recepção e comunicação com os deuses das estrelas, em busca de orientação, todas elas nos levando ao chacra coronário e à glândula pineal, a real sede da sintonia com as altas esferas cósmicas, atrofiados na raça humana moderna.
 
Muitos pictogramas (como os de 1990, quando o fenômeno começou na Inglaterra) tem simbologia análoga ao sentido de KANAGA, ou seja, a ponte entre os mundos (sistemas)
Os índios HOPI têm sua famosa profecia sobre a estrela azul, erroneamente associada por muitos ao cometa ISON.
Uma antiga profecia dos índios Hopi diz que, “Quando a Estrela Azul Kachina fizer sua aparição no céu, O Quinto Mundo surgirá”. Este será o Dia da Purificação. O nome Hopi para a estrela Sirius é Estrela Azul Kachina. Ela virá quando Saquasohuh (Estrela Azul) Kachina dançar na praça e remover sua máscara.

Os índios HOPI também tinham em SIRIUS uma forte referência dos irmãos das estrelas, como praticamente todos os outros povos e antigas civilizações.

O retorno da Estrela Azul Kachina, que também é conhecida como Nan Ga Sohu, será o alarme que nos avisará da chegada de um novo dia, uma nova forma de vida, um novo mundo. É quando as mudanças começarão. Elas começarão como fogo que arde dentro de nós, e seremos queimados por desejos e conflitos se não nos lembrarmos dos ensinamentos originais, e retornarmos para um modo de vida pacífico.

Nos dias finais, olharemos para cima, para nossos céus e testemunharemos o retorno dos dois irmãos que ajudaram a criar esse mundo, no tempo do nascimento. Poganghoya é o Guardião do Polo Norte e seu Irmão Palongawhoya é o Guardião do Polo Sul. Nos dias finais, a Estrela Azul Kachina virá ficar com seus primos e eles retornarão a Terra para a sua rotação natural, que é do oeste para o leste.

Essa outra visão profética claramente descreve a inversão magnética da Terra.

Os gêmeos serão vistos nos céus do Noroeste. Eles virão para ver quem ainda se lembra dos ensinamentos originais, voando em suas Patuwvotas, ou escudos voadores. Eles trarão consigo muitos da sua família das estrelas nos dias finais.
Muitas profecias HOPI aconteceram com precisão em nossos dias.

A candidata a estrela azul da profecia HOPI, além de Sirius (simbolicamente, o retorno dos Seres azuis pode ser tomado como a vinda da estrela azui) é a Supernova de 1987, que brilhou no Hemisfério Sul na subgaláxia da Nuvem de Magalhães, no grau 7 de Aquário, concordando com a data final do Calendário da Grande Pirâmide. A Supernova foi descoberta e vista na noite de 24 de Fevereiro de 1987.
Um aspecto de lemniscata ou OITO ela configurou no céu.
Alguns importantes crops circles simularam com precisão essa disposição da Supernova de 1987:

Crop circle de 20.06.2008, UK. Note que ele simula também o sistema três estrelas de Sirius, e um anel com 50 semi-circulos parece sugerir os 50 anos de órbita de Sirius B em torno de Sirius A.

 

Crop circle de 08.08.2008 UK (8.8.8.) Triplo infinito, três oitos, três estrelas (Sirius)

 

Quando a cor azul é mais do que uma simples cor, e sim, um verdadeiro código harmônico relacionado á identidade dos primeiros seres que baixaram neste mundo com o propósito de transformá-lo em jardim e em pomar, em escola e em berçário de novos deuses…

 

O azul ´é um código, sempre foi um código que nos cercou, os criadores deste mundo nos cercaram da mensagem sem palavras do azul… é muito interessante saber que muito do azul que vemos em sonhos podem ser conexões com estes seres interpretadas nesta cor pelo Inconsciente… é um universo a ser explorado, uma viagem por um mar desconhecido. Mares de sonhos tingidos de azul por essas palavras dos mestres maiores, dos criadores deste nosso planeta azul, para nos lembrar de algo já há muito esquecido… nossos pais estelares são azuis!!!

 

JP em 21.03.2019

Veja também:

EM BUSCA DOS SERES AZUIS – parte 3

 

 

EM BUSCA DOS SERES AZUIS – parte 2

 

EM BUSCA DOS SERES AZUIS – parte 1

 

Comentários