Direito ou Delito? O Exército de Monstros

 

 

 

Nunca se viu uma humanidade tão violenta escondendo delitos atrás de falsas bandeiras que pregam por direitos.

Não se quer mais o direito de opinar, se quer o delito de ofender, de caluniar, de zombar, de desrespeitar e de mentir.
Não se quer mais o direito de lutar, e sim, o delito de destruir, de invadir, de roubar e de sabotar o trabalho alheio.
Não se quer mais o direito de não-censura, e sim, o delito do escândalo, da pornografia, da libertinagem e de todo tipo de manifestação degradante e imoral.

O meu direito termina quando começa o direito do outro.
Se o meu direito está ofendendo, caluniando, zombando e desrespeitando o outro, se torna delito.
Se o meu direito está destruindo, invadindo e roubando o outro, se torna delito.
Se o meu direito está escandalizando, desmoralizando e desonrando o outro, se torna delito.

Aquela velha regra de sabedoria que diz: “fazei aos outros o que você gostaria que os outros fizessem a você!” simplesmente não existe mais. As pessoas possuídas pelo demônio da violência simplesmente querem que os outros façam suas vontades, e se recusadas, tentarão destruir, aniquilar estes outros que não fizeram suas vontades!
Lei do inferno sobre o mundo…

O ego das multidões manipuladas pelo Sistema está tão cego e alucinado que faz algum tempo que passou a transformar delitos em direitos, fazendo deles suas ideologias, debaixo de violência, chulismo, difamação e mentira, ostentando tudo isso como bandeira de orgulho. E esse mesmo ego organizado é que modifica leis a seu favor, legalizando o delito para que ele seja representado como direito adquirido, e assim, esse ego possa continuar extravasando sobre os outros todo o império de sua monstruosidade descontrolada…

A grande verdade é essa: o ser humano cada vez mais violento e egocêntrico, centrado na própria forma de ver as coisas e absurdamente intolerante com o pensamento dos outros, age por IMPOSIÇÃO de sua vontade, e reage com extrema VIOLÊNCIA quando a sua vontade é rechaçada, e a capacidade de discernir, de ouvir o que o outro tem a dizer, de refletir, ponderar, ver os dois lados da questão, etc etc… está desaparecendo da face da Terra.

Ou seja, todos os profetas que anunciaram os tempos da barbárie, da ausência de amor e da ascensão do ódio e da violência no planeta, estavam corretos. Vivemos já esse tempo.

Na marcha irreversível da inversão de valores, o ego destes “defensores de direitos” quer forçar você a pensar como eles, a sentir como eles, a agir como eles. Mas se você discorda, esse mesmo ego corporativo e institucionalizado investe contra você, por diferenças religiosas, políticas, sexuais, culturais, como monstros ferozes e violentos, tentando te destruir a começar pela arma da língua ferina.

O curioso é que muitos que tem esse desejo de dizer todas as suas “verdades” na cara dos outros, não suportariam o inverso, isto é, ouvirem todas as “verdades” na cara que os outros têm a lhes dizer.

A Lei moderna criminaliza somente atos físicos de violência, mas a língua pode ser tão violenta quanto um tapa na face, e ás vezes, ferir mais do que uma agressão física propriamente dita.

Há palavras que ferem como espada, mas a língua dos sábios traz a cura. (Provérbios: 12.18)

Mas eu lhes digo que, no dia do juízo, os homens haverão de dar conta de toda palavra inútil que tiverem falado.
(Mateus: 12.36)

Pois por suas palavras você será absolvido e por suas palavras será condenado”. (Mateus: 12.37)

As palavras já são consideradas ações passíveis de julgamento.

Aqui na Terra, a lei humana não julga ninguém por suas palavras terríveis e ofensivas. Muitas pessoas se tornam agressivas por efeito da língua venenosa de outros. E quando uma pessoa que foi ferida por essa língua venenosa então agride o seu ofensor, a lei humana condena apenas o agressor físico, enquanto o agressor da língua posa de vítima e sai ileso.

Mas a Lei de Deus não funciona assim. Seremos também julgados pelos frutos de nossa boca.

Quantas pessoas não passam anos a fio debaixo de humilhação, bullyng ou ofensa das línguas ferinas de outros que os perseguem e os humilham, e então, quando essas pessoas reagem, num belo dia, com grande dose de violência e agressão física, a lei humana criminaliza e prende esse agressor, enquanto os agressores da língua derrubam alguns lágrimas, e a sociedade os toma como vítimas indefesas daquele malvado agressor… hummm…. isso tem muito por aí!

E vale para ambos os sexos!

Mas Deus é justo e contabilizará cada palavra saída da boca do homem…

Se por um lado o excesso de censura é errado, por outro, um mundo onde tudo seja liberado e todos façam o que quiserem fazer, sem que ninguém os detenha ou impeça, atropelando toda moral, ordem e om senso, invadindo os espaços alheios sem qualquer consideração, há se tornar o quê tipo de mundo?

Um Inferno coberto por exércitos de monstros?

Sabe por que demônios são atirados no Inferno?

Porque não suportam regras, e o Universo de Deus é feito de regras, leis, ordem e “limites”. Por isso é COSMOS.
No Inferno, que é a dimensão do CAOS, não existem regras, leis, limites, respeito.

Por isso é CAOS. Todos fazem o que quiserem fazer.
A famosa lei do “Vale Tudo”!
E a regra maior do Universo é servir o semelhante, mas o ego-monstro só pensa em ser servido.

Por favor, olhem para o mundo, vejam o Caos se levantando, vejam a nova Babel da confusão das línguas, ninguém mais se entende, todos colidem de frente com ideologias, com egos furiosos e cegos extrapolando todos os limites!

Onde isso vai parar?

Joio e trigo, sem sombra de dúvida.

A questão Nêmesis.

O Segundo Sol é o divisor do joio e do trigo.

A Bíblia diz que o Joio e o Trigo seriam separados, mas não disse como isso se faria.

A chave esta no Evangelho de Mateus e no Apocalipse.
A seguir.

 

O Efeito Nêmesis (Segundo Sol) – Separando o joio e o trigo

 

JP em 03.11.2019

Comentários
Compartilhar