Templates by BIGtheme NET

Crops Circles 2019 (VI)

A Face Alien de 2019

Um surpreendente e inédito crop circle revelado por drones na Inglaterra, sem local ainda não identificado, mostra um objeto já colhido (os famosos crop circle fantasma), com a imagem de uma face alienígena, dentro de um anel exterior de 18 compartimentos, e com uma coroa de 12 raios.

Esses números e formas têm muito a dizer!

Primeiro, porque esta face Alien lembra muito o padrão formiga, o que nos conecta diretamente com o belo crop circle formiga, do dia 21 de Junho, previsto no Solstício de Junho.
Isso quer dizer que podemos relacionar os dois objetos.
Esse crop circle provavelmente é de agosto, faces Alien com essa complexidade costumam surgir nesta época, já no final das colheitas.

Uma espécie de apresentação dos verdadeiros autores das mensagens, extraterrestres, que não precisam ter necessariamente essa cara ou face, apenas usam-na para se identificarem como tal, porque a face Alien Grey já se tornou um logotipo mundialmente conhecido, associado então às inteligências extraterrestres e, por essa razão, usada por eles, mesmo que eles tenham, na maioria das vezes, aparência muito humana, como mostrou a face de Chilbolton 2001.

Os números da formação acrescentam mais informações.
Uma coroa de 12 raios está sobre a cabeça do Alienígena, e consigo ver claramente a associação com os argumentos do Apocalipse 12 e a “Criança” nascida. Além disso, o penúltimo crop circle da temporada UK, do dia 19 de agosto de 2019, nos trouxe uma Lua em disco de eclipse cercada por doze símbolos no anel externo. Estes crops circles estão ligados.

Outra coisa, o anel externo tem 18 compartimentos. E 18, no Tarõ, é a carta da Lua.
E a Lua (mãe, concepção) apareceu inúmeras vezes na temporada crop circle 2019.
E qual a associação com a formiga?

O Arcano Lua se relaciona a letra hebraica 18, Tsade, que significa telhado, sentido de refúgio.
O refúgio das bases subterrâneas.

Formigas vivem no subterrâneo, e os índios Hopi falavam da existência do povo formiga, isto é, civilizações que moravam no interior da Terra e que, na época do fim de ciclo da Terra e catástrofes, apareciam na superfície para resgatar algumas pessoas.

O Arcano 18 tem esse sentido de telhado do mundo, refúgio, deserto da Mulher coroada de doze estrelas e que fugiu do Dragão para o refúgio no deserto… ou no subterrâneo em cidadelas alienígenas preparadas, teoria alinhada com os mistérios de Agarthi e a interação entre civilizações secretas da Terra com os povos das estrelas trabalhando em conjunto.
E o Dragão continua furioso lá para as bandas do Oriente Médio… não falta muito para o colapso acontecer.
Aliás, debaixo desse “telhado”, a proteção contra asteroides é total, e os cientistas já afirmam que a chance de ocorrer uma colisão em breve é de 100%, conforme a análise das probabilidades recentes e o grande aumento de objetos no céu.

Mas até esse dia, a Criança nascida estará segura em seu retiro.
E os seus companheiros também.
A temporada 2019, incluindo os 15 objetos da França, desenvolveram toda a temática geral do Apocalipse 12, que eu encontro outra vez nesta formação, relacionada com o crop circle da formiga e estudos feitos na época.

Ps: estamos trabalhando para obter melhores imagens nas próximas postagens.

*******************************************************************************************

Alien Face e Valiant Thor

A última face Alien que apareceu num crop circle antes dessa nova (e perdida) formação 2019, veio em 2016, nas colinas de Reigate, UK.

O padrão da face se repete em ambas, isto é, um modelo ALien Grey que lembra uma formiga – a conexão com o povo formiga dos antigos mitos dos índios HOPI.

Na face de 2016, o Alien recebeu uma coroa de 14 raios, que lembram penas: o cocar do Irmão Branco Pahana, a divindade estelar dos antigos indígenas das Américas, semelhante ao mito de Quetzalcoatl, e que retornaria, conforme prometeu aos povos daquele tempo.
Estaremos diante de um anúncio de retorno nesta nova formação?

Aliás, na face de 2016, uma grande letra T foi traçada na testa do Alienigena.
O Tau de Cristo, o selo de sangue do cordeiro nos umbrais das casas… ou a letra T de THOR?
Valiant Thor e a teoria dos venusianos?
Confere, porque, desde sempre, símbolos venusianos são anexados aos crops circles.
E todos os índigenas da América pré-colombiana falaram de venusianos descidos do céu entre o seu povo.
Aqueles extraterrestres brancos, barbados e de olhos claros.

E sabemos que Valiant Thor é real, e se declarou o líder supremo dos venusianos.
E a coroa na cabeça é sempre um símbolo de realeza, de liderança. Muitos crops circles com face Alien vieram coroados por esse motivo: lideranças do espaço longínquo… ou do nosso vizinho Vênus, muito referido nos mitos dos povos da antiguidade.
Interessante essa repetição de padrão em 2019, formando o binário numérico 2016-2019 ou 6-9 (Sol Lua, Yang Yin, códigos alquimistas).

Aqui, o magnifico trabalho de reconstituição do crop circle perdido da Inglaterra pelo artista gráfico Lucas Berri:

A Face Alien coroada – padrões

Desde 2005, crops circles enviam imagens de faces alienígenas coroadas, o que significa, de forma muito clara, que não se trata somente de extraterrestres se comunicando, mas de lideranças extraterrestres, as mesmas reconhecidas pelos nativos da América pré-colombiana sob nomes variados, como Quetzalcoatl, Kukulkan, Viracocha, etc… todos, porém, assumindo hierarquias de comando relacionadas ao planeta Vênus, como é explícito em muitas culturas e lendas nativas.

Na imagem de 2005, um ET coroado, existe um código binário simples que, resolvido, fornece quatro grupos de números, grupos repetidos:
(14-21-21-27) somando 83
Sendo quatro grupos de números na coroa do Alien, temos:
(83-83 // 83-83) dispostos em cruz, o que resulta em:
(11-11 // 11-11)

O mesmo código que, desde os pictogramas de 1990, aparece, como um sinal de comunicação, conexão, sintonia.
Este primeiro crop circle apareceu dentro de um anel com 20 compartimentos, o mesmo número de selos e tonalidades do Calendário maia-asteca (uma das fontes dos conhecimentos pré-colombianos associados diretamente aos deuses de Vênus).

Mais tarde, em 2009, o famoso crop circle índio assombraria o mundo, portando o mesmo código numérico envolvendo padrões com 11-11 cuja solução final resultou em dois números 13-17, que são exatamente os dois selos que regem a temática da pedra asteca do Sol: selo 13, no topo da pedra (Acatl. água, cano de água, tempo) e selo 17, no centro da pedra
(Ollin, terremotos). Uma serpente foi delineada na parte superior da coroa, reforçando a conexão Quetzalcoatl.

Em 2011, outra bela face coroada ET apareceu, cercada de 20 pirâmides (10 e 10, sentidos invertidos) no anel exterior, novamente repetindo o número-chave do Calendário maia-asteca de procedência venusiana.

Em 2013, uma face alienígena coroada dentro de um anel com 13 setores (selo 13, Acatl, tempo, túnel do tempo) com ornamentos espiralados que repetiram o primeiro modelo, de 2005.

Em 2016, finalmente, apareceu o último da lista, um Alien com coroa de penas, 14 penas (7-7), numa linguagem alquimista de números, e uma grande letra T impressa na testa: o líder
Vênus T (eu só conheço um, Valiant Thor).

E agora, repetindo padrões, esse crop circle que quase se perdeu, não fosse um drone encontrar sua formação fantasma nos campos da Inglaterra, já ceifado (provavelmente do mês de agosto).

Se compararmos estas faces alienígenas com as cabeças de Quetzalcoatl no mundo pré-colombiano, como as cabeças encontradas nas pirâmides mexicanas, então a confirmação acontece, e saberemos ver a diferença entre o mito e a realidade, entre o arquétipo venusiano Quetzalcoatl e sua atual liderança encarnada em forma humana, conforme os registros proibidos do Pentágono, entre 1957 e 1960.

JP em 18.09.2019

Chave de expansão do poder mental do crop circle

Falando um pouco mais sobre o “crop circle perdido” de agosto de 2019, que só foi registrado por um drone já na sua fase “fantasma” (apenas suas impressões sobre o campo após a colheita) e que talvez tenha sido o último crop circle real da temporada de 2019, e não aquele anterior, de 3 Luas, do dia 24.08.2019, eis que, em outro arco de interpretações, esse modelo (como os outros modelos de face Alien coroada) está claramente expressando chaves de poder mental, em números que eu publiquei anteriormente aqui (para quem está lembrando, as chaves do Templo e da Egrégora mental baseada nos múltiplos de 9 (9n Hz), e relacionados com os ângulos do Pentagrama (18°, 36°, 72°, 144°)

Primeiro, notemos que o anel externo tem 18 setores, enquanto a coroa, com 11 setores, possui 12 raios. Uma imagem de relação com o chakra coronário, a glândula pineal ativada e o despertar dos poderes da mente nos arcos da experiência paranormal. O chakra coronário tem 972 pétalas totais, sendo 960 externas e 12, justamente 12 no miolo do chakra, o mesmo número dos raios da coroa do Alien.

Porém, me veio a ideia de expandir os 12 raios da coroa do Alien, e o resultado foi surpreendente.

Primeiro, se eu traçar um círculo completo na totalidade da coroa, ele cruzará a BOCA do Alienígena, o que nos dá associação entre mente e o poder da palavra, por exemplo, nas orações e nos mantras, com poder de expansão da energia mental e como chaves auxiliares da concentração. O centro geométrico deste círculo estará exatamente no meio da testa, onde os raios da coroa se cruzam, interceptando-o, exaltando a importância do chakra Ajna no processo da ativação mental ligado às forças da concentração, vitais para a abertura deste chakra.

O grande poder do chakra da laringe está na função de amplificação da vibração mental através do uso dos sons na garganta, que podem sintonizar com todas as frequências alinhadas com cada ckahra ou departamento cerebral ou físico a ser trabalhado por meio da ressonância de amplificação.

Segundo, o cruzamento de todos os raios projetados acontece exatamente na altura da TESTA do Alien, onde repousa o Terceiro Olho ou Chakra Ajna, que significa CONTROLE, e que tem plena relação com a força da concentração.

E terceiro, considerando todos os setores do círculo projetado da coroa, eles são em número 18, ou seja, a mesma quantidade de setores do anel externo é a quantidade do círculo da coroa completado do Alien!

Detalhe: o crop circle de Stanton St Bernard, com três Luas ou três padrões de eclipses, do dia 24.08.2019, mostra uma conexão aqui, porque o Arcano Lua, no Taro, é 18! E sabemos que o cérebro é um órgão lunar, de recepção de energia, fazendo contraponto com as energias solares (positivas) que sobem desde o cóccix, o núcleo da energia instintiva do corpo físico. Sol e Lua, nessa questão de polaridades, se ajustam nas extremidades positiva e negativa da coluna vertebral, como terminais de energia magnética nervosa, colocando o cóccix no pólo positivo (solar) e o cérebro no pólo negativo (lunar), e visualizando o campo magnético gerado nesses circuitos nervosos entrelaçados, teremos o pólo sul na cabeça, e o pólo norte no cóccix (Kundalini) e, por extensão, nos pés, o fio-terra de descargas de energias excedentes do nosso corpo com o ambiente onde pisamos.

Dezoito é um múltiplo de nove, (9n), e 18+18 = 36, outro múltiplo, que eu relacionei anteriormente à frequência-chave da Egrégora mental e o raio de mercúrio, uma frequência ou tonalidade musical que tem especial relação com a expansão da energia mental particularmente na direção dos contatos com outras mentes, desde telepatias até a construção de egrégoras propriamente ditas

Mais uma vez, Aliens respondem aos mistérios evocados, e nos entregam chaves para nos ajudar a despertar a mente e estabelecer contatos conscientes e maduros com eles. E eu não aconselharia de outra forma!

Quem não viu a publicação, pode ver aqui, e me parece que o crop circle está confirmando tudo.

O Segredo do Templo e a Chave das Egrégoras

JP em 19.09.2019

Chave de expansão do poder mental do crop circle

Falando um pouco mais sobre o “crop circle perdido” de agosto de 2019, que só foi registrado por um drone já na sua fase “fantasma” (apenas suas impressões sobre o campo após a colheita) e que talvez tenha sido o último crop circle real da temporada de 2019, e não aquele anterior, de 3 Luas, do dia 24.08.2019, eis que, em outro arco de interpretações, esse modelo (como os outros modelos de face Alien coroada) está claramente expressando chaves de poder mental, em números que eu publiquei anteriormente aqui (para quem está lembrando, as chaves do Templo e da Egrégora mental baseada nos múltiplos de 9 (9n Hz), e relacionados com os ângulos do Pentagrama (18°, 36°, 72°, 144°)

Primeiro, notemos que o anel externo tem 18 setores, enquanto a coroa, com 11 setores, possui 12 raios. Uma imagem de relação com o chakra coronário, a glândula pineal ativada e o despertar dos poderes da mente nos arcos da experiência paranormal.

Porém, me veio a ideia de expandir os 12 raios da coroa do Alien, e o resultado foi surpreendente.

Primeiro, se eu traçar um círculo completo na totalidade da coroa, ele cruzará a BOCA do Alienígena, o que nos dá associação entre mente e o poder da palavra, por exemplo, nas orações e nos mantras, com poder de expansão da energia mental e como chaves auxiliares da concentração.

O grande poder do chakra da laringe está na função de amplificação da vibração mental através do uso dos sons na garganta, que podem sintonizar com todas as frequências alinhadas com cada ckahra ou departamento cerebral ou físico a ser trabalhado por meio da ressonância de amplificação.

Segundo, o cruzamento de todos os raios projetados acontece exatamente na altura da TESTA do Alien, onde repousa o Terceiro Olho ou Chakra Ajna, que significa CONTROLE, e que tem plena relação com a força da concentração.

E terceiro, considerando todos os setores do círculo projetado da coroa, eles são em número 18, ou seja, a mesma quantidade de setores do anel externo é a quantidade do círculo da coroa completado do Alien!

Detalhe: o crop circle de Stanton St Bernard, com três Luas ou três padrões de eclipses, do dia 24.08.2019, mostra uma conexão aqui, porque o Arcano Lua, no Taro, é 18! E sabemos que o cérebro é um órgão lunar, de recepção de energia, fazendo contraponto com as energias solares (positivas) que sobem desde o cóccix, o núcleo da energia instintiva do corpo físico. Sol e Lua, nessa questão de polaridades, se ajustam nas extremidades positiva e negativa da coluna vertebral, como um terminal de energia magnética nervosa, colocando o cóccix no pólo positivo (solar) e o cérebro no pólo negativo (lunar), e visualizando o campo magnético gerado nesses circuitos nervosos entrelaçados, teremos o pólo sul na cabeça, e o pólo norte no cóccix (Kundalini) e, por extensão, nos pés, o fio-terra de descargas de energias excedentes do nosso corpo com o ambiente onde pisamos.

Dezoito é um múltiplo de nove, (9n), e 18+18 = 36, outro múltiplo, que eu relacionei anteriormente à frequência-chave da Egrégora mental e o raio de mercúrio, uma frequência ou tonalidade musical que tem especial relação com a expansão da energia mental particularmente na direção dos contatos com outras mentes, desde telepatias até a construção de egrégoras propriamente ditas

Mais uma vez, Aliens respondem aos mistérios evocados, e nos entregam chaves para nos ajudar a despertar a mente e estabelecer contatos conscientes e maduros com eles. E eu não aconselharia de outra forma!

Quem não viu a publicação, pode ver aqui, e me parece que o crop circle está confirmando tudo.

JP em 22.09.2019

Referências crop circle ao objeto Nêmesis P-7X

Vamos começar uma retrospectiva sobre os crops circles mais importantes deste ano, salientando a mensagem embutida relacionada ao misterioso Objeto P 7X que, com toda certeza, se ainda não é do conhecimento da maioria dos astrônomos do mundo, já é do conhecimento dos Extraterrestres, desde sempre!
E eles estão procurando nos alertar muito antes desta temporada de 2019.
Na verdade, eu já estimei que, desde 1990, os pictogramas crop circle da Inglaterra já se referem ao nosso Sol como um sistema binário!
Então, ano que vem, completa-se 30 anos de alertas crop circle sobre esta nova realidade do nosso sistema solar, possuidor de uma estrela irmã que está chegando.

Agora, olhe para as linhas do crop circle de Yarnbury Castle, 3 de julho de 2019.
Eu mesmo associei a um RELÓGIO ou cronômetro, quando vi, algo CONTANDO O TEMPO (estimativa de chegada de Nêmesis e os impactos mais fortes para a Terra).
Esse crop circle tinha um objeto afastado no campo, e se ele representava uma determinada configuração planetária ao redor do eixo central, claramente representando um eclipse (no caso, lunar, porque vemos a Lua crescente no topo do eixo central, a Terra no centro e o Sol, no outro lado), vemos objetos ao redor, no círculo externo, como que indicando um padrão astronômico ou configuração planetária.

E, de uma forma muito simples, contamos 7 círculos pequenos nessa configuração.
E podemos traçar facilmente a letra X neste modelo, e o X vai cruzar exatamente o ponto que indica o nosso planeta.
Então, temos aqui um código 7X.
Juntando com o objeto afastado, P, temos P 7X.
Porque esta é a denominação que Nêmesis está recebendo os astrônomos envolvidos com esse estudo.

Existe uma configuração astronômica que vai materializar esse desenho, ainda este ano, falaremos dela amanhã.

JP em 15.10.2019

O Objeto Nêmesis P 7X no cenário astronômico do próximo eclipse solar de 2019

Este ano, de forma atípica, teremos um terceiro eclipse solar poderoso, no dia 26 de dezembro, e este eclipse, por incrível que pareça, vai acontecer na mesma região zodiacal de posição do objeto Nêmesis P 7X, o que irá gerar uma tremenda energia gravitacional no período. E talvez já estejamos começando a sentir os primeiros impactos dessa energia por agora.

Um acúmulo relativamente raro de astros, porque, numa mesma direção do ponto de observação da Terra, estarão Marte, Mercúrio, Sol e Lua eclipsados, Júpiter, Vênus e Saturno. Um pouco mais afastados, mas também do mesmo lado, Netuno e Plutão. No slide, o mapa zodiacal e o mapa do céu mostram esse arranjo.
O objeto P 7X se posicionará muito próximo do eclipse solar, entre Vênus e Saturno.

Reparamos, por fim, que o padrão dos sete objetos do crop circle de Yarnbury Castle, 3 de julho, estudado ontem, aparece nesse arranjo planetário, com a Terra no centro da referência dos mapas.

No último alinhamento com Saturno, no começo de outubro, tivemos impactos sobre a Terra.
E neste agrupamento de dezembro, dia 26, junto com o terceiro eclipse solar de 2019, poderemos ter impactos ainda mais poderosos, sísmicos, vulcânicos, magnéticos, solares e muito mais.
Note que o eixo central do crop circle ilustra um eclipse lunar.

De qualquer forma, o crop circle está associando os eclipses com uma determinada época do ano onde este padrão de arranjo planetário vai acontecer. E talvez uma mensagem subjacente de impactos poderosos na Terra, por causa desses eixos cruzados em forma de X junto dos sete pontos (aliás, formando 7X, código que identifica o segundo Sol estudado).

JP em 16.10.2019

Crops circles 2019 e o objeto P 7X
A Roda em movimento de Belmore Lane
O Astro que se aproxima depressa

Eis um típico crop circle que, por trazer um símbolo muito amplo e pouco específico, dá margem a diversas interpretações paralelas, muitas delas, desconexas.
Porém, como eu sempre defendi a interpretação não isolada, mas em conjuntos, em busca de uma visão-síntese que contemple a mensagem como um todo, e não como peças isoladas e conceitos fragmentados, eu também vejo nesse modelo um anúncio daquele OBJETO QUE se move depressa e acelera, como a Roda de um carro.
Na época, também observei interpretações relacionadas ao CARRO (a Roda de oito raios) que tanto me levaram a concepções ufológicas quanto astronômicas deste objeto (por exemplo, o Carro do Sol alcançando o solstício de 21 de Junho, quando apareceu o crop circle da FORMIGA).
No Oriente, a Roda do Tempo (ou Roda de Samsara) é representada com Oito Raios.
Então, temos aqui uma indicação do tempo.
E a Roda do Samsara também fala de ciclos, de eventos que se repetem.
Se o Objeto P 7X é um astro cíclico, que participa do nosso sistema solar (binário) como outra estrela, então ele é cíclico, ou seja, reaparece num tempo determinado nas beiradas do Sol.
O número total de setores do crop circle é 16, sendo 8 internos e 8 externos.
Entre outras coisas, pode estar dando indicações específicas sobre o objeto P 7X, dotado de grande massa interna e movimento acelerado (o que se espera de um planeta-cometa, como é chamado).
Ou talvez, fazendo 11.06.2019 (data crop circle) + 16 meses = outubro 2020.
Uma suposta época em que, provavelmente, comece a aparecer no céu a olho nú?
Só o tempo dirá. E ele dirá depressa, já é quase 2020.
Mal posso esperar pelo que chega na próxima temporada crop circle (2020), completando um ciclo de Saturno (30 anos) significando, expressamente, A COLHEITA.

JP em 18.10.2019

Mais um crop circle fantasma

E como os céticos explicariam isso?
Essa formação, de Rodfield Lane, UK, 16 de Julho, já foi colhida faz algum tempo, e por baixo da plantação colhida, fica a marca do crop circle, como uma tatuagem na pele do terreno.
Às vezes, essa imagem persiste por muitas estações, não sendo removida depois.
Existem imagens fantasmas de crops circles que permanecem por muitos anos, reaparecendo depois que a neve derrete nos campos.


Pergunte aos céticos como é possível que seres humanos que apenas amassam plantas possam criar esse efeito “fantasma” das imagens na superfície da terra?


Contudo, uma alta e desconhecida tecnologia extraterrestre. essa pode criar, e cria!


Provavelmente, o mesmo tipo de energia que apenas dobra as plantas nas formações geométricas é o que gera essa mudança de cores das plantas tocadas pela energia, distinguindo-as das outras plantas que não foram inclinadas, deixando uma marca de algum tipo de radiação no solo que permanece por muitos anos ali!
Crops circles, um belo mistério, do começo ao fim!

JP em 27.10.2019

A singularidade do mês de dezembro 2019 segundo os crops circles

Vários elementos estão destacando o mês de dezembro de 2019, e o primeiro deles, um terceiro eclipse solar total anual, já que o comum é que cada ano tenha dois eclipses solares (e seus complementares eclipses lunares).

A distância entre a Terra e o Sol no periélio é de aproximadamente 147,1 milhões de quilômetros. Isto ocorre uma vez por ano, por volta de quatorze dias após o solstício de dezembro, próximo do dia 4 de janeiro.

O crop circle (alto) de 19 de agosto destacou o periélio no modelo simples de sistema solar (Sol, Lua, Terra).
E repare que a imagem não está centralizada, antes, está deslocada mais para um lado, representando justamente o eixo desigual da Terra em relação ao Sol, afélio (ponto mais afastado) e o periélio (ponto mais próximo).

O Solstício de dezembro acontece em 21 de dezembro, quando começa o Verão no Hemisfério Sul e o Inverno no Hemisfério Norte (e adianto que virão novos recordes de temperaturas extremas em ambos os Hemisférios).

O Eclipse solar total será no dia 26 de dezembro, cinco dias depois.
E o Periélio, ponto da Terra de maior aproximação do Sol, em 4 de janeiro, 15 dias depois de 21 de dezembro.
Observe as doze janelas no anel da borda do crop circle, todas tem um traço interno, e esse traço, em numeração maia, vale 5. Cinco dias depois do Solstício de dezembro, será o Eclipse solar, e quinze dias depois (5+5+5), o periélio.

Parecem coordenadas de tempo e eventos localizados neste mês de dezembro, aliás, o mês doze, e doze janelas tem o anel do crop circle, como que marcando os meses do ano, e focalizando o último mês, dezembro.

Também se reparou que um alinhamento numérico estilo 12:12:12 acontece no dia 12.12.2019, somando os dígitos, e o último deles aconteceu em 12.12.1920, há 99 anos.

De qualquer forma, considerando não só o eclipse como também o importante agrupamento planetário em dezembro, nas constelações de Sagitário e Capricórnio, onde o objeto P 7X atualmente se localiza, temos que prestar atenção em todos os efeitos posteriores, e que, penso, mudarão significativamente o status planetário no ano de 2020.

Seremos testemunhas oculares de todas essas mudanças aceleradas na cauda do planeta-cometa!

JP em 02.12.2019

Nêmesis e as 4 estrelas no crop circle

Um dos mais belos crops circles de 2019 apareceu na Inglaterra no dia primeiro de julho, em Hampshire, mostrando, num gráfico baseado num dodecágono (polígono regular de 12 lados), uma espécie de grande estrela *ou UFO estilizado, cercado de quatro estrelas (pentagramas) nos setores destacados.

Além de outras interpretações conduzidas na época, acrescento uma nova visão hoje.

Uma relação com o objeto P 7X no eclipse solar e agrupamento planetário de dezembro 2019.

Até porque a geometria escolhida (dodecágono) tem doze lados, e rima com aquele outro crop circle (do dia 19 de agosto, em Etchilhampton Hill), que mostra o eclipse solar (e um terceiro objeto) cercado por um anel com doze janelas (mês doze).
Como se, de alguma forma, o eclipse solar denunciasse o misterioso “objeto”.

Houve outro crop circle, do dia 08 de julho 2019, também na Inglaterra, que parece estender o significado daquele primeiro crop circle, mostrando um sistema vibrante de quatro setores: os quatro astros reunidos no quadrante do céu gerando vibrações gravitacionais amplificadas no mês em curso?

Agora, vamos conferir duas datas próximas, que reúnem esses argumentos astronômicos:
Dia 12.12.2019 (Lua Cheia) e dia 26.12.2019 (Lua Nova, Eclipse solar).

Parece que as “quatro estrelas” (objetos) indicados realmente estarão agrupados numa mesma região do céu, entre o final da constelação de Escorpião e o começo da constelação de Capricórnio, região onde, atualmente, transita o objeto P 7X:

Em 12.12.2019
1. Vênus, 2. Saturno, 3. Júpiter, 4. Sol (5. Mercúrio, mais afastado)

Em 26.1.2019
1. Vênus, 2. Saturno, 3-4. Sol-Lua (5. Mercúrio, mais afastado)

Se bem que Júpiter, na segunda data, ainda continua nas vizinhanças de Capricórnio, causando influências.

Talvez seja este mais uma mensagem crop circle descrevendo o padrão astronômico de “quatro estrelas” reunidas ao objeto P 7X no mês de dezembro, nas duas datas que significam dois alinhamentos, a Lua Cheia e o Eclipse solar.

Ps: o dia 12.12.2019 forma o código numérico 12:12:12, e sempre me recordo das aparições na França, das conexões com a Virgem Maria, o Apocalipse 12 e os grandes eventos ali previstos para a humanidade…. incluindo a chegada do “Dragão Vermelho” nos céus do mundo!!

JP em 05.12.2019

Alinhamentos planetários em julho, agrupamento planetário em dezembro

Tanto o fabuloso crop circle formiga quanto aquela série de crops circles franceses parecem ter destacado dois momentos singulares em termos astronômicos no ano de 2019: o alinhamento planetário de julho e o agrupamento planetário de dezembro, que não são, evidentemente, a mesma coisa.

Planetas podem se alinhar sem estar agrupados num determinado setor do céu, e o inverso disso, planetas podem se agrupar em determinado setor do céu sem estar alinhados segundo um eixo gravitacional.
Mas ambos os fenômenos criam perturbações gravitacionais propagantes, quando acontecem.
E nos dois casos, em julho e em dezembro, um eclipse solar total aparece junto para intensificar ainda mais o processo.
No caso do agrupamento de dezembro, ele se dará na mesma região onde, atualmente, transita o objeto P 7X.

No caso do estilo da formiga, ele representou, com seus cinco objetos em fila, tanto o alinhamento de julho (interpretado antes) como o agrupamento de dezembro (verificado agora) e o disco maior, com o disco menor se aproximando dele, parece representar a lua se movendo na direção do Sol para cobrí-lo totalmente no dia 26 próximo.

Curiosamente, será um eclipse solar anular, e o círculo ao lado da formiga é um Anel, exatamente como o disco solar eclipsado.

Os planetas Vênus, Saturno, Júpiter e Mercúrio se reúnem com o Sol e a Lua naquele dia, e o número de círculos do corpo da formiga é o mesmo: e é claro que essa formiga alterada (porque uma formiga comum só tem três partes corporais, cabeça, tórax e abdomen) só pode significar um cenário celeste, como um típico marcador astronômico).

É possível que o eclipse solar, escurecendo o céu, interrompa por algumas horas o período do ocultamento do céu pelo Sol (entre dezembro e abril) e possibilite imagens do objeto P 7X por telescópios aqui na Terra.

Continuamos acompanhando e mapeando tudo.

JP em 06.12.2019

O Anel de Júpiter

Um eclipse singular é esperado no dia 26 de dezembro próximo, por algumas razões, e além de todos os impactos de energia previstos no período, haverá um sinal particular nos céus.

Será um raro eclipse anular do Sol, e o anel de fogo brilhará ao lado do planeta Júpiter, que estará numa conjunção de cerca de 1° (grau) de arco em relação ao Anel de fogo do Eclipse, ou seja, algo muito próximo.

Estarão bem debaixo das estrelas do Triângulo de Verão do Hemisfério Norte, Deneb (Cisne), Altair (Aquila) e Vega (Lira).

Alguns crops circles, especialmente os dois últimos, parecem mesmo destacar não só o terceiro eclipse solar do ano, mas também o fato dele ser um eclipse anular (que acontece quando a Lua passa perto do seu apogeu, ou ponto de menor aproximação orbital da Terra), e o mais recente eclipse anular aconteceu em 26 de fevereiro de 2017.

E além disso, os crops circles mostram um objeto acompanhante deste eclipse, que de um lado, pode representar o objeto P 7X (suposto Nêmesis, segundo Sol) e também representar o planeta Júpiter, que surgirá como estrela brilhante do lado do anel de fogo solar.

Alguns crops circles destacaram o Anel em torno de imagens simbolizando o referido eclipse.
Acredito que teremos muitas surpresas nesse período.
Vamos comentando e analisando no correr dos próximos dias!

JP em 08.12.2019

Conexão crop circle 11-11 e o CERN (LHC)

Revendo o primeiro crop circle oficial da temporada, que apareceu na Inglaterra, dia 22 de maio deste ano de 2019, já começa pontuando 11-11 na data, dia 22 (11+11).

Poucos estudiosos puseram atenção no fato de que este eixo de 3 círculos alinhados, dentro de um grande anel, apresentaram, nos círculos externos, linhas de construção quebradas, como que escrevendo ali o 11-11 e algum tipo de evento singular acontecendo. Há uma semelhança aqui com o CERN-LHC e partículas sendo aceleradas nas extremidades, as quais, colidindo, criam cenários estranhos e paradoxais da Física, os quais os cientistas usam para investigar novas partículas e dimensões paralelas… e isso sugere que, a cada novo capítulo da história planetária, este mundo e humanidade estão mergulhando cada vez mais em estados paradoxais anunciados por uma enorme quantidade de sinais cósmicos, cercando mais e mais as nossas fronteiras e anunciando algo de que ninguém parece mais duvidar –

Uma grande transformação está a caminho… E cada vez mais, os fatores cósmicos alinhados dentro desse cenário paradoxal estão apertando todos os botões de START para iniciarem, sem mais delongas, o processo inteiro.

Conexão crop circle 11-11 e o eclipse anular

Revendo o primeiro crop circle oficial da temporada, que apareceu na Inglaterra, dia 22 de maio deste ano de 2019, já começa pontuando 11-11 na data, dia 22 (11+11).

Poucos estudiosos puseram atenção no fato de que este eixo de 3 círculos alinhados, dentro de um grande anel, apresentaram, nos círculos externos, linhas de construção quebradas, como que escrevendo ali o 11-11 e algum tipo de evento singular acontecendo.

Um eclipse, lunar ou solar, pode ser definido como um alinhamento no mesmo plano orbital de 3 objetos-
SOL-TERRA-LUA

E no caso do eclipse solar tão comentado do dia 26 de dezembro próximo, que será do tipo anular, algo me parece declarar que este eclipse, e novos eventos cosmológicos a frente, criarão cada vez mais estes cenários paradoxais no planeta, acionando energias que sequer suspeitamos existirem, conectadas a outras realidades e dimensões que, no conjunto, também participam da transformação global em curso, cujos principais gatilhos estão por vir.

O ano de 2020 parece indicar um grande gatilho temporal prestes a ser disparado…

JP em 16.12.2019

O Eclipse místico e a Cidade de doze portas

Falando ainda sobre o raro eclipse solar anular de 26 de dezembro de 2019, fartamente ilustrado por crops circles daquela temporada (2019), eu não tinha visto ainda, em todos estes anos de estudo, um eclipse solar tão poderoso e tão alinhado com outros planetas como este porém, com um impacto sísmico e vulcânico tão baixo.

E só posso entender que, pelo menos, este eclipse em especial, diferente dos outros, gerou uma energia que foi desviada totalmente para outros propósitos, a saber, propósitos místicos, pela própria configuração do evento e sua relação com o planeta Júpiter, o significador astronômico do Sexto Anjo do Apocalipse e a relação direta com profecias anunciadas e evocadas para este ano, em curso desde 2018 e o aniversário de 70 anos de Israel.

Especialmente traduzido para esta linha de análise, o crop circle de doze portas, do dia 19 de agosto de 2019, esclarece portanto a direção deste sinal astronômico como mais um elo da cadeia de eventos cósmicos e mudanças planetárias e proféticas em curso na Terra.

Voltando ao dito crop circle: ele trouxe a representação do Eclipse anular e um objeto misterioso diante dele: que pode ser tanto o planeta Júpiter na conjunção realizada naquele dia, como também o misterioso objeto P 7X catalogado por astrônomos liberais e desligados do círculo oficial da Astronomia.

No caso do planeta Júpiter, sabemos que, na análise da cabala gnóstica antiga, ele é plenamente relacionado a divindade pessoal de Jesus Cristo. E comoo eclipse foi em forma de anel, bem do lado do planeta Júpiter, e num dia 26 (número maior da Cabala por designar a soma do nome do Tetragrama sagrado YHWH) a primeira análise a ser detalhada é a de uma aliança (anel) realizada com o planeta Júpiter e os desígnos do Sexto Anjo, conforme esboça o Apocalipse, que passarão a valer significativamente no ano de 2020, Julgamento em dobro.

Olhando para aquele crop circle, ele mostrou um eclipse cercado por um anel com doze portas abertas, e dentro de cada uma destas portas, um traço, o qual, vertido pelo código morse (já usado em vários crops circles anteriores) produz a letra T: o Tau, a Cruz, o sinal marcado nas testas dos 144 mil escolhidos, conforme o Apocalipse 14: “… e os 144 mil foram vistos em pé no alto do monte Sion…”
Sion ou Tsion, no hebraico, significa marco, coluna, sinal!
Sion, o sinal do Tau (cruz) nas testas!
A mesma marca que Moisés instruiu os hebreus, na noite anterior ao Êxodo, que passassem nas suas portas e entradas, com sangue de Cordeiro, numa analogia precisa com a Páscoa cristã, simbolizando a passagem por uma porta aberta, da escravidão para a liberdade, da morte para a imortalidade.

Enquanto isso, Mateus 24 declara que os Espíritos da Hierarquia Maior se espalhariam pelos quatro cantos da Terra para reunir os escolhidos desde as quatro direções, e que eles recomporiam as doze tribos de Israel.
Temos doze portas, alegorizando não somente isso, mas também a estrutura da Jerusalém celeste, de doze portas, conforme o Apocalipse 21.

Há também o vínculo com os valores do Apocalipse 12 (aliás, 12 é um número expressivo nos enredos simbólicos do Apocalipse) e sabemos que o Grande Sinal ali anunciado aconteceu de fato no dia 23 de setembro de 2017, quando doze astros mais o Sol e a Lua se encontraram no signo de Virgem.
Então, podemos atribuir a este eclipse mais um sinal marcante no desenrolar das profecias que, na Terra, ficam a espera de marcadores astronômicos para serem realizadas, numa espécie de Astrologia de caráter espiritual, semelhante aquela que vinculou o Nascimento de Cristo a uma rara estrela que fez aparição nos céus de Israel há 2000 anos.

Sabendo que a Criança profetizada para o nosso tempo (no mesmo Apocalipse 12) representa esse núcleo espiritual nascido e consolidado na Terra, de número 144.000, e que se a Criança é arrebatada ao Trono de Deus antes da guerra promovida pelo Sistema, o arrebatamento dos 144 mil é a mesma coisa aqui interpretada, movimentos perigosos na Terra criando cenários cada vez mais iminentes de uma guerra mundial só confirmam as dores de Parto da Grande Mãe chamada a Igreja que foge para o deserto (retiro), entendendo que esta Igreja não é outra coisa, nem templo de pedra ou instituição qualquer deste mundo corrompido, senão que aquele grupo reunido no monte Sion, irmanado pela fé na Verdade crística que pratica na sua vida de ações e pensamentos.

Através de um anúncio solene, eu fui notificado que aquele eclipse do dia 26 de dezembro de 2019 marcou o início da abertura da cidade de doze portas, ou seja, a preparação do refúgio dos eleitos, em diversas partes do mundo localizadas ocultamente, porque os ventos da ameaça já começaram a soprar, e a tendência é que sempre piorem, a cada novo ano velho de erros repetidos dos loucos no poder.

A Célula da Igreja celestial já está na Terra, exercendo o seu poder.
E ela rechaça todas as instituições corrompidas em seu Nome, porque se abre como redes, em todos os mares das multidões, começando a pescaria.

Bases secretas espalhadas em diversas partes da Terra cumprirão o papel de deserto ou refúgio daquela Mulher, depois que ela tiver dado a luz, e o Dragão vermelho iniciar sua perseguição, contra ela e seus outros filhos que não foram arrebatados, devendo esperar mais tempo.

O deserto ou refúgio na Terra oculta por três anos e meio servirá de preparação para todos os eleitos antes de subirem fora deste mundo, já que ele será totalmente renovado pelo fogo em pouco tempo.
Crops circles já deram mensagens amplas a respeito de todas estas coisas.
O relógio do Destino corre contra a maldade, mas corre a favor da virtude cristã legítima.

E virá o mais poderoso eclipse dos últimos tempos: em 21 de Junho de 2020, em pleno Solstício.

Ele também será altamente profético, no sentido de desatar muitos eventos planetários.

E cada sinal, e cada fenômeno astronômico, e cada eclipse e alinhamentos, no mais, são como engrenanens de um desconhecido relógio para nós articulando eventos na Terra que, por falta de conhecimento, não temos como prever e nem evitar.

E ainda falta o sinal que apareceu depois daquele da Virgem coroada de doze estrelas: o Grande Dragão vermelho voando no meio do céu.
Ele é um dos motivos para que a cidade-refúgio comece a abrir suas doze portas para receber os filhos das doze tribos espalhados pelo mundo.
Podemos dizer que o eclipse de 26.12.2019 foi um início para tudo isso.

Mas ninguém confunda as coisas achando que a Igreja das doze portas tem relação com igrejas mundanas, cheias de corrupção e materialismo. Elas serão as últimas a entrarem por suas portas sagradas… e talvez nem entrem… muitos foram chamados, mas poucos serão escolhidos. Bendito o ser que encontrou a Deus no Templo interno através das portas do despertar…

JP em 09.01.2020

O poderoso eclipse anular de 21.06.2020 em leituras crop circle

Na distância de um ciclo metônico lunar (de 19 anos), entre o eclipse solar de 21.06.2001 e o eclipse solar (anular) próximo, de 21.06.2020, quando os eclipses caem no mesmo dia do calendário e acontecem na mesma região do céu, um magnífico crop circle, há 19 anos, portanto, marcou aquela data com uma mensagem impactante.

Aliás, o ano de 2001 foi impactante em vários sentidos dentro do fenômeno crop circle na Inglaterra, porque em agosto, diante do radiotelescópio de Chilbolton, a resposta de Arecibo (1974) foi enviada pelos Irmãos superiores, a qual eu pessoalmente interpretei como sendo uma resposta de Sirianos, dada a estrutura geral da matriz informativa enviada.

Pois bem, em 21 de Junho de 2001, debaixo de um poderoso eclipse que passou sobre a Inglaterra, próximo do meio-dia, um expressivo crop circle surge, trazendo o Sol nascendo por detrás de uma pirâmide, e esse sol emanava 14 raios, sete de cada lado, anunciando a revelação da pirâmide, no conjunto simbólico.

No Egito Antigo, o deus Sol assumia várias encarnações, e se o deus Rá era a principal delas, o deus Kephri, materializado pelo escaravelho, era a face do Sol ao amanhecer, significando expressamente a ressurreição (o retorno dos mortos), da mesma forma que o Sol da noite ressurgia no novo dia.

O fato de Osíris ter sido morto pelo irmão e rival Seth (Satan) e ter seu corpo por ele desmembrado em 14 pedaços, faz uma alusão direta com essa imagem do crop circle. Sol com 14 raios renascendo na manhã, com toda certeza, é uma alegoria à ressurreição de Osíris, que, segundo os mesmos mitos egípcios, voltaria do Amenti (céus) para julgar a humanidade: o mesmo contexto do Cristianismo, porque Cristo foi igualmente entregue a morte por Satan, encarnado na pessoa de Caifás, o Sumo Sacerdote, e ressurgiu no terceiro dia.

São símbolos paralelos, e a pirâmide, tanto para os egípcios como para os maias e outras culturas que delas se valeram em suas teurgias, não eram tumbas para os mortos, e sim, máquinas de ressurreição para os mesmos mortos ali depositados (ou não – porque muitas pirâmides do Egito não continham múmias).

A tecnologia e magia das pirâmides combinadas, e articuladas aos desconhecidos poderes dos eclipses e grandes alinhamentos cósmicos capazes de acionar seus mecanismos secretos (o poder da Forma geométrica) era capaz não só de conservar múmias em estado de hibernação como também de prover o choque do despertar destas múmias para a vida, desde que suas almas recebessem julgamento favorável nas regiões celestiais antes de pleitearem pela ressurreição, e essas passagens são encontradas fartamente nos textos das pirâmides.

A Câmara do Rei, dentro da Grande Pirâmide, era um local para esse tipo de experimento. Múmias não ficavam guardadas ali permanentemente, outros templos as guardavam. Porém, para lá eram conduzidas nestes dias especiais de alinhamentos cósmicos previstos por seus sacerdotes-astrólogos. Por isso, múmia alguma foi encontrada nesses lugares.

O fato curioso é que entramos no ano 2020, cujo argumento numerológico central se relaciona ao Julgamento da ressurreição (Arcano 20 do Tarô), fazendo uma conexão direta com os mitos e os segredos dos deuses solares da antiguidade, Osíris, Quetzalcoatl, Órion, etc, mortos pelo sacrifício e ressurgidos depois pelo Tribunal da Justiça cósmica, mitos estes que Jesus reviveu em carne e osso na sua obra que transcende toda lenda para se tornar realidade.

Ano passado, o crop circle importante da formiga apareceu no mesmo dia do Solstício, 21 de Junho, o dia mais sagrado para os povos antigos do Hemisfério Norte, e não me parece uma mensagem casual, a julgar que, neste ano, precisamente no mesmo dia 21 de Junho, teremos mais um eclipse poderoso, do tipo anular, e que repete o eclipse de 19 anos atrás, em 2001, quando apareceu aquela bela mensagem crop circle de ressurreição.

Na mesma Bíblia, capítulo 20 de João, o evangelista narra com detalhes os eventos em torno da ressurreição de Cristo, e no capítulo 20 do Apocalipse, o mesmo evangelista menciona o Grande Juízo da Humanidade, quando vivos e mortos serão chamados ao Tribunal de Deus para acerto de contas.

E no arcano 20, o tema é a ressurreição para o grande Julgamento. E estamos em 2020.
E se de um lado se fala muito em tempos de arrebatamento, de outro sabemos que os primeiros a serem arrebatados por Cristo seriam os mortos, e não os vivos.

Olhando para a mensagem da formiga, que muito já discutimos, ela parece que está do lado de sua toca, ou saindo, ou entrando. A toca lembra exatamente a forma do eclipse anular, que projeta um anel de fogo ao redor do Sol obscurecido pela Lua.

A formiga entra na toca quando chega o longo Inverno, o que, para muitos que possuem Bunkers ao redor do mundo, parece ser uma verdade na qual investem muito dinheiro.
Mas se a formiga sai da toca, podemos interpretar isso como um tipo de ressurreição, porque lá dentro do formigueiro, a larva está incubando antes de se transformar em formiga, numa analogia com a metamorfose da borboleta, que é a ressurreição da alma.

Também evocando os mitos hopis que anunciam que existe uma civilização poderosa vivendo no subterrâneo, e amiga da humanidade, chamada Povo Formiga, e que em todos os finais de ciclo, resgatam pessoas escolhidas da superfície antes da grande catástrofe, para que elas continuem numa nova civilização no futuro.

São eventos que parecem se encaixar com precisão a cada novo lance da História acelerada da Terra.

JP em 14.01.2020

A Agenda profética dos alinhamentos cósmicos desde 2012

Agora em 2020, e fazendo um balanço geral da mensagem crop circle da atípica temporada 2019 (com amostras muito reduzidas na Inglaterra, e ao mesmo tempo, amostras numerosas na França), e percebendo que, no conjunto, os objetos revelaram repetidas vezes, e de formas diferentes mas paralelas, aqueles modelos de alinhamentos planetários e grandes ondas de energia sendo geradas na direção da Terra, sendo parte dessa energia movida no sentido das transformações materiais e mentais (13) e outra parte, movida no sentido de um renascimento espiritual (20), satisfazendo assim o eixo central da tônica do Calendário maia (13×20), e todos aqueles grandes alinhamentos que, entre julho e dezembro/2019 e tocando janeiro/2020, configuraram poderosas energias como que fecundando a Terra em seu núcleo-ovo, dentro de uma cosmologia espiritual que obteve suporte nestes mesmos alinhamentos astronômicos raros e suas energias geradas, num fenômeno a mais que cumpre, de modo geral, o mecanismo de leitura do calendário maia, e que, combinado com o Apocalipse 12 e a escatologia de Mateus, associou grandes sinais cósmicos no céu com grandes eventos espirituais, históricos e geofísicos na Terra, culminando com o nascimento daquela Criança do mesmo Apocalipse 12, tema muito comentado no ano passado por nossas análises.

Essa mesma Criança, num sentido cosmológico e impessoal, é o resultado de milenares evoluções planetárias na direção de uma ascensão da consciência humana, camada por camada de cada metamorfose imposta por ciclos de matéria e energia aplicados sobre as almas em experiência física ao longo de muitas eras, e os maias, como os antigos brâmanes, ensinaram que a raça atual é a quinta, já se extinguindo para dar lugar à sexta raça, não antes de um período de tempestades (19) que antecedem o brotar da nova flor solar de Ahau (20).

Porém, a má notícia é que o nascimento desta Criança, fruto da lenta construção cósmica aplicada sobre consciências em experiência de evolução nos ciclos do planeta, motivaria a fúria do Dragão Vermelho, este que também seria identificado por um fabuloso sinal no céu, logo após a aparição da Virgem coroada por doze estrelas.

Mas em que escala de tempo?

A agenda profética a que me refiro aqui é a contida no Apocalipse 12.
Eis os eventos descritos na ordem:

1. A Virgem é vista vestida de Sol, pisando a Lua e coroada com doze estrelas, e grávida, gritava de dor, prestes a dar a luz.

2. Um grande dragão vermelho é visto no céu, e se coloca ameaçador diante da mulher, desejando devorar o seu filho tão logo ele nascesse.

3. A mulher dá luz ao seu filho homem, que foi arrebatado ao Trono de Deus e assume hierarquia (cetro de ferro).

4. Miguel e seus Anjos batalham contra o Dragão e seus Anjos, e eles foram precipitados na Terra.

5. O dragão e seus anjos caídos passaram a perseguir a mulher, não podendo mais fazer nada contra o filho arrebatado.

6. Deus dá duas asas de águia para a mulher, que foge para o deserto (retiro).
A fuga da mulher para o deserto é outra forma de dizer: arrebatamento dos 144 mil, entendendo nesta mulher (a Virgem) a reunião dos virgens filhos de Deus do cenário mundial antes do Dragão instalar o caos.

E o dragão, bem o sabemos, pode representar tanto um objeto astronômico (o segundo Sol, Nêmesis, derrubando com sua cauda de fogo muitas estrelas) como o sistema do Anticristo, Nova Ordem Mundial e todo o resto, tentando derrubar os seres espirituais legítimos marcados por Cristo na Terra, e por isso ele foi chamado de Anticristo por João em primeiro.
7. Não podendo alcançar a mulher, o Dragão inicia guerra contra o mundo, em especial, contra os filhos de Deus ainda no mundo.

Me pareceu encontrar um sentido cronológico nestes eventos, os quais, de forma precisa, puderam ser associados a eventos astronômicos, todos eles, como se os eventos astronômicos, dotados de energias específicas de influência sobre o mundo, construíssem os enredos proféticos anunciados há milhares de anos, por profetas que, tendo a visão das engrenagens das rodas cósmicas, dotados de uma ciência extraordinária, sabiam de antemão o que cada comando e alinhamento astronômico produziria no mundo da forma, muito antes deles acontecerem no tempo.

De forma similar, se hoje é meia noite, eu saberei que, amanhã, quando o relógio der meio dia, o Sol estará no meio do céu, por um prévio conhecimento de mecânica básica de rotação planetária (gerando as 24 horas).

E se o sistema solar é essa roda com rodas, e engrenagens planetárias gerando tempos cósmicos e eventos programados, tudo começou, e podemos iniciar tudo precisamente no dia 21.12.2012.

O Verbo de ELOHIM (Deus Criador) flui de forma misteriosa por trás destes alinhamentos e arranjos planetários, materializando as coisas que devem ser segundo o Karma e a Vontade do Criador, e usando toda essa energia cósmica gerada na concretização dos eventos, daí o motivo de muitas profecias bíblicas e não bíblicas geralmente estarem associadas a grandes eventos astronômicos.

Exemplo bem conhecido é o nascimento do Messias profetizado séculos antes por uma nova estrela anunciada.
A estrela de Belém.

Ou seja, muita coisa já vem acontecendo pra valer desde 2012, e embora os céticos atribuam tudo ao acaso, os despertos já conseguem estabelecer uma boa relação de causa e efeito ao jogo das coisas neste pequeno cenário de fundo material chamado civilização, cenário esse se criando cada vez mais de acordo com tudo o que foi anunciado pelas profecias, ou a arte de ver os ponteiros do relógio cósmico nos futuros arranjos e saber ler o que eles significarão quando se alinharem conforme a visão revelada.

Eis um resumo da agenda:

1) 21.12.2012
O ponto de partida, o disparo mais poderoso do alinhamento dos ponteiros do relógio do sistema solar, que se alinhou por inteiro com o núcleo da Galáxia, trono de Hunab Khu, o deus UM dos Maias. Aqui, o calendário acionou o mecanismo central no 13×20, gatilho das transformações para renovações, morte para renascimento, etc.

2) 21.08.2017
Neste dia, aconteceu um eclipse solar muito poderoso, 33 dias antes do sinal da Mulher vestida de Sol e toda a cronologia do Apocalipse 12. Esse eclipse abalou o mundo com terremotos, furacões, vulcões e recuo da maré em várias praias dos países litorâneos, um grande sinal que muitos já esqueceram. Foi como a trombeta do Anjo do Sol anunciando as coisas futuras a todos os habitantes da Terra.

3) 23.09.2017
Aqui começou a leitura astronômica exata do Apocalipse 12, no rastro do calendário maia já anunciado antes, em 2012, como o princípio das dores de parto da Mãe-Terra e a nova consciência. No céu, foi visto na constelação de Virgem um arranjo planetário que só se repetiria em cerca de 5000 anos… portanto, único em nossa história registrada.
Na cabeça de Virgem doze astros reunidos. E o Sol no meio do seu corpo, e a Lua aos seus pés.

4) 14.05.2018
Neste dia, Israel, a nação traidora, completou 70 anos. A convergência com as profecias de Mateus 24-25, com as citações do capítulo 9 de Daniel e os sete últimos anos da civilização. Ou seja, logo após o sinal da Virgem, conforme o capítulo 12 do Apocalipse, o dragão se manifestaria. Isso pode estabelecer a relação do Anticristo humano com Israel. Porque, se Israel matou Cristo e o nega até hoje, está assumindo postura anticrística até o momento. Os rabinos ensinam, sem exceção, que é preferível a morte do que aceitar Jesus Cristo por messias.

A data-limite de Israel e, portanto, estendida à humanidade, estaria computada entre 2018 e 2025/6.
E foi a partir de 2018, coincidência ou não, que eu comecei a notar o destaque para o objeto P 7X (suposto segundo Sol) em publicações de astrônomos liberais (um candidato ao dragão em aspecto astronômico).

5) Ano 2019, entre julho e dezembro
Logo após a manifestação do Anticristo no céu, vem, na cronologia do Apocalipse 12, o nascimento da Criança profetizada pelos alinhamentos e sinais. E foi exatamente em 2019 que a temporada crop circle fez diversas referências a este nascimento do tipo cósmico, associando a ele os alinhamentos planetários do período, incluindo eclipses e o suposto segundo Sol no céu, se movendo ainda furtivamente, incorporando energia gravitacional ao sistema solar abalado, embora os cientistas digam que tudo é apenas por causa de muito CO2 na atmosfera (a eterna desculpa do aquecimento global – mas aquecimento global provoca vulcões em série e perturbações no campo magnético, caros cientistas?)

Portanto, esse período de grandes alinhamentos entre julho e o fim de 2019, e começo de 2020, disparou as energias do comando 13 do calendário maia, alinhamentos nos túneis do tempo, preparando o cenário para as energias do comando 20, Ahau, a criança, o retorno de Cristo, salto da nova consciência, etc. Tudo isso ajuda a compreender a misteriosa cosmologia de ELOHIM, o Verbo de Deus, que se move por trás das energias dos astros estimuladas por raros alinhamentos, justificando o motivo de os profetas da antiguidade (raros da modernidade) associar sinais celestes a eventos planetários e históricos.

6) Estamos em 2020
O que vem depois do nascimento da Criança, anunciado pela mensagem dos Anjos (Aliens) nos crops circles 2019?
A Hierarquia do Sol, Miguel, faz o Dragão despencar da Terra.
Aqui temos uma visão cosmológica, além de uma visão espiritual. O segundo Sol vai encarar de frente o Sol de Miguel, como um cometa rebelde, e seguirá despencando asteroides na Terra, com risco de colisão e catástrofe, coisa sempre anunciada por cientistas e astrônomos oficiais.

Na visão espiritual, o Anticristo vai perder a força nas dimensões superiores, mas será atirado na Terra para cumprir os sete anos finais da profecia, em especial, os últimos 3.5 anos, em conjunção com o tempo verificado do arrebatamento, antes das tribulações já postas se tornarem mais severas.

Depois disso, a mulher terá que fugir ao deserto (arrebatamento) porque o Dragão vermelho vai perseguí-la para tragá-la (em parte, os efeitos planetários da energia do segundo Sol, e em parte, os efeitos sociais da Nova Ordem Mundial postas em prática nos tempos do Anticristo humano e o falso profeta.

E o texto do Apocalipse 12 termina claramente falando em guerra.
Começamos o ano de 2020 já com alarme de tensão bélica entre USA e Iran.
Trump mal esperou o ano começar para lançar a primeira bomba.
Guerras de grandes proporções sempre começam assim, e exemplifico com a Primeira Guerra mundial, que começou com o assassinato de um príncipe.

E se a criança já nasceu na faixa dos alinhamentos de 2019, parece que de 2020 em diante o resto da profecia daquele Apocalipse 12 seguirá, e por enquanto, o próximo evento astronômico de importância que eu encontrei será o grande eclipse anular do dia do Solstício, 21 de Junho de 2020.
Enquanto isso, os astrônomos liberais continuam marcando o movimento do objeto P 7X, que pode se tornar visível a qualquer momento (porque está em rota de aproximação do Sol, como um cometa).

E o que vier, finalmente motivará o chamado e tomada dos 144 mil filhos virgens da Mulher virgem como eles, puros, imaculados, não contaminados por torpezas carnais e sem mentira nos lábios, vivendo na vida os ensinamentos de Cristo na prática, não somente na teoria e dentro de igrejas para causar impressão nos outros.

O jardineiro conhece o fruto bom e saber distinguir do fruto mau.
E se tudo correr como o previsto, este ano será marcado pela separação do joio e do trigo.

Por isso o eclipse marcante de 26.12.2019 me pareceu associado a uma preparação do retiro para onde aquela Mulher irá fugir, já praticamente abrindo suas portas, porque eles sabem o que virá e está chegando ao mundo assumidamente materialista e extremamente anti-cristão em muitos pontos, o que torna a humanidade alinhada com o Anticristo, e não com o Cristo.

O que foi plantado, tudo o que foi plantado, já deu fruto.
Ano 2020, julgamento em dobro. E tudo terá que ser colhido.
Não tem como voltar atrás no processo da semente que já virou fruto.
Quem plantou terá que comer os frutos do que plantou.
Os astros se alinham no céu para criar tempos de plantio e tempos de colheita.
Próximo está o Shabat (repouso) da Terra.
Mas Shabat (Sétimo Dia) também se traduz como Extinção.
Para que, após o Shabat, venha novo Gênesis…

JP em 16.01.2020

Comentários