Templates by BIGtheme NET

As dores de parto da Terra

 

Além, muito além das interpretações cristãs do evento grandioso do Apocalipse 12, temos que compreender que a Mulher e a Mãe é a própria Terra, porque a Terra é a nossa Mãe: dela é que nascem religiões, nações, pessoas, todas as formas de vida.

Num aspecto mais transcendente, o que nasce agora desta Mulher é uma nova consciência (a Criança), simbolizando um salto evolutivo no pensamento e no espírito de determinados grupos de pessoas, independente de seus credos religiosos, raças e outros denominadores separatistas: porque o que nasce em cada um deles é justamente o fator conciliador, o fator da consciência espiritual madura que, acontecendo do lado de dentro, os empurrará na direção de uma Grande Reunião do lado de fora, por pura Lei de Atração aplicada às afinidades envolvidas:

a Família Original é o Filho desta Mulher.
A Consciência original da humanidade é o Filho desta Mulher.
Ela tem o Sol nas vestes e a Lua aos pés.

Essa consciência espiritual será refeita em vestes carnais de energia tais que poderão se conectar com as elevadas frequências do Universo. A Lua aos pés significa que a natureza inferior, animal e instintiva, será suplantada pela pureza e castidade reassumida pela raça, já que vivemos num franco processo de degeneração moral.

As doze estrelas sobre sua cabeça nos ilustram a simbologia do círculo, ou seja, um CICLO QUE SE COMPLETA.

E as religiões, doutrinas, filosofias e conhecimentos de tal natureza, que pretendem espiritualizar o homem, todos eles terão cumprido o seu papel-SEMENTE no passado, porque o que chega em nosso tempo, vencido o ciclo 12, é o fruto de toda semente plantada ontem.

Doze é o número do espaço circular celeste, as doze constelações.

Doze é o número dos meses do ano, cumprindo nas estações a missão de plantar na humanidade a semente da Verdade, germinar a flor da virtude e produzir o fruto das boas ações a serem ceifadas antes do Inverno que chega.

A Mulher dá a Luz… pense nisso. Luz, doutrina, conhecimento, Verdade.

Na antiguidade, Mulheres divinas e sagradas portavam a Sabedoria celeste.

A Mulher sempre foi a personificação da Sabedoria, tanto que foi para Eva, e não Adão, que a serpente ofereceu o fruto do conhecimento proibido.

Sofia, do grego, Sabedoria, é nome de Mulher.

Nuit, Isis, as estrelas, a Luz, o guia da alma na matéria.

Tara, Tora, Maria, a sagrada instrutora do Menino Deus.

 

E quem precisará de mais provas para saber que o Arcano II mostra a Casa da Luz com o Evangelho da Verdade sobre seu colo, o colo da Grande Mãe?

É como se a Terra – planeta – fosse um depósito de inúmeras doutrinas vindas do Universo trazidas por seres elevados com a proposta de um laboratório de sementes espirituais de vida que precisavam ser irrigadas com o conhecimento da Verdade para germinarem e darem fruto.

Agora que a colheita se aproxima, os trabalhadores do Jardim retornam, não mais para plantar… somente para colher tudo o que foi plantado.

E por isso, temos a percepção de que todas as religiões, doutrinas, escolas espiritualistas e filosofias tentem a regressar ao ponto de origem, ao átomo primordial da Verdade que se dispersou, se fragmentou e assumiu diversas formas, correntes religiosas, mitologias e concepções místicas que, embora diferentes, estão repletas de analogias, demonstrando a sua origem comum.

E em praticamente todas as culturas antigas, quem assina o Nome da Sabedoria e do mais Alto Conhecimento das Estrelas são deusas, são mães, são mulheres sagradas… e por tal razão, é contra a Mãe que o Dragão investe… por causa desse simbolismo envolvido.

E se a Doutrina é o alimento que a Mãe oferece, o que é a Criança senão que a consciência espiritual que nasce a partir deste santo alimento para a alma? Agora, calcule se este alimento for contaminado, pervertido, assassinado, conforme os movimentos contrários das Trevas têm feito com tenacidade ao longo dos séculos…

Onde encontra lugar o Ateísmo em tal esquema?

O ateísmo não é um estado de consciência, mas tão somente, um estado de ignorância.

E Ele vem rugindo como um Dragão devorador contra a Mulher… e contra o Filho que ela há de gerar…

Mas o Dragão, a Mentira e a Maldade personificadas, a antítese eterna da Criança, é toda soma de ódios, materialismos e falsidades cultivadas no mundo agora reunidas, a se voltarem ferozmente contra essa nova casta de seres humanos nascendo nesse dia, todos eles que serão investidos pelo Poder do Cristo segundo as sagradas Leis da Egrégora atuando aqui.

A Mulher, no entanto, vai dar luz à Luz!

Doze estrelas cercaram a cabeça de Gaia, e isso quer dizer que a universalidade de todas as doutrinas e religiões puras e legítimas deram volta ao mundo em todos estes séculos, e JÁ CUMPRIRAM O SEU PAPEL, a ser consumado no nascimento da Criança.

Com exceção das duas testemunhas, não virão mais gurus, mestres e deuses aqui fornecer novo ensinamento, porque ele já foi oferecido em abundância… nenhum professor ensina para sempre. Uma hora chega o momento do exame final.

Nenhum agricultor semeia todo o tempo. Uma hora ele dará pausa e colherá a terra de seus frutos, posta para descansar em seguida.

Não há como evitar tamanho nascimento preconizado a séculos por todos aqueles profetas e videntes que puderam partilhar o projeto de Deus para o mundo.

Quem nasce agora é a Criança dentro de nós.
Quem nasce agora é a Verdade dentro de nós.

O “VIGIAI E ORAI” foram instrumentos dados para todos nós, para que pudéssemos estar do lado de fora da maternidade no dia e hora determinados, para que estivéssemos sintonizados com este solene momento do início da colheita espiritual da humanidade plantada nos primórdios no seio de Gaia.

E por tudo isso, a medida que se aproxima o grande momento, a Terra geme, a Terra sofre, a Terra padece debaixo de toda sorte de tragédias, sejam climáticas, sejam sociais… porque a hora do parto da Mulher chegou.

A Terra é a Mulher, a nossa Mãe.

As dores de parto do mundo anunciam que o Grande Nascimento se aproxima. É preciso que seja assim.

E se Ela, a Grande Mãe Gaia, tudo sofreu e suportou, foi por nós, todos nós, os seus filhos humanos.

Para nos presentear agora que esta Criança de Luz e Verdade nos Olhos, Poder e Majestade no Nome, Glória e Beleza na Face.

Essa Criança-Cristo que já começou a chorar e a sorrir no coração de cada ser sensível à sua chegada.

E depois que ela nascer, as dores cessarão, e a Mulher nos afagará como nunca antes… com todo o seu amor preparado para esse dia.

Porque, da mesma forma como todos nós somos filhos de um mesmo Pai que está nos céus, somos todos, sem exceção, filhos da Terra, da mesma Gaia que agora dará Luz a nós mesmos, numa geração realmente espiritual e fraterna como eles, Pai e Mãe, sempre desejaram de nós, de todos nós…

E no final, o Pai entrega a semente da vida, mas quem dá Luz aos nossos olhos é Ela, sempre Ela, a Mãe de todos nós…!
Essa é a nota mais elevada da interpretação do Apocalipse 12…

 

*******************************

O Apocalipse 12 aconteceu como padrão cósmico de configuração planetária em 23 de setembro de 2017, e no mundo astral, ele projetou uma assinatura vibracional de um grandioso evento que, lá, já aconteceu (lembrando a defasagem dos tempos entre as dimensões diferentes).

E tudo indica que a partir deste ano, o evento do Apocalipse 12 começa a se cristalizar no mundo físico.

Todos nós teremos a chance de escolher participar do raro nascimento desta Criança de consciência cósmica renovada para a humanidade, trazendo o sentido perdido da ciência e da doutrina unificadas na singular expressão única que a todos interessa:
A Verdade!

JP em 07.06.2019

Comentários