Templates by BIGtheme NET

Alma … temos uma ou somos uma?

 

 

 

 

Alma, ânimo, anima, animus, o que anima a vida.

E vida é uma só, um só fenômeno, apesar de sua diversidade. Como uma árvore com milhares, infinitas folhas do lado de fora, lado visível, (corpo, forma física), mas uma só raiz, origem e mistério do lado de dentro, invisível (alma).

Alma se tem?
Ou… Alma se é?
Alma eu sou?
Ou… Alma nós somos?

O Universo múltiplo e fragmentado do lado de fora, totalmente diversificado, encontra sua entrada para o Universo da Singularidade única pela porta da Alma.

A própria raiz da palavra UNIVERSO sugere isso, a Diversidade da Unidade.

E COSMOS, palavra ligada a Cosmética, Beleza, Ordem e Harmonia, outra característica do Universo que nos rodeia, sempre perfeito e belo em suas concepções.

E uma outra questão: a palavra ALMA, relacionada a ANIMA, tem relação direta, em todas as culturas do passado, com A RESPIRAÇÃO, O SOPRO.

Aliás, Espírito e Respiração são termos sinônimos em diversos idiomas.

Então, ter uma alma é questão de ter um fôlego, de ter atividade respiratória.

O que explica porque, na cosmologia antiga dos quatro elementos, o AR prevalecia sobre o elemento FOGO, e sobre todos os outros, por ser o portador de ALMA, de vida e de consciência.

…E o Senhor Deus soprou fôlego em suas narinas… e o homem se tornou CRIATURA VIVA!

Talvez seja um padrão entre todas as formas extraterrestres a dependência estrita do AR (Oxigênio e outros gases) para manutenção da vida. Somente formas muito primitivas se sustentariam de forma anaeróbica, isto é, sem precisar de ar para sobreviver.

Ao respirar, nos ingerimos de Espírito… de Deus… de vida!
Será que estamos dando a devida importância ao fato?

A Evolução nos levaria a respiração. E é fato incontestável que todas as práticas e disciplinas dos mestres atuais e antigos se apoiam inteiramente no controle da respiração como forma mais fácil, acessível e eficiente de se obter poder, saúde, controle do corpo e expansão do psiquismo, devido a clara e inegável relação direta existente entre a atividade nervosa do cérebro e a função respiratória.

O controle da respiração está para a meditação como as duas pernas estão para o caminhar…

Será por essa tão simples e singular razão, a razão de se respirar muito mal, que a humanidade atual está tão frágil, doente, vitimizada e inconsciente?

A perda da capacidade de INGERIR ESPÍRITO em um processo respiratório adequado?

Creio eu que sim!

Apesar de o homem TER um corpo e SER uma alma (e aqui há enorme diferença!), infelizmente vivemos em um tempo em que a ordem vital destes fatores foi invertida, já que a concepção mais comum é a de que o homem É O CORPO e, quem sabe, TENHA uma alma, coisa que no entanto deixou de ser importante para a maioria, confinada ao pragmatismo de uma filosofia absurdamente materialista e que criou um pensamento linear imerso na mais profunda ignorância, cuja diretriz vital é aquela que define toda a importância ao que se TEM, e não mais ao que se É.

E acreditem, essa pequena mudança do referencial da existência dentro da consciência humana é a grande causadora de todas as desgraças do homem moderno, bem como do antigo, todas as vezes em que o argumento dos cinco sentidos falava mais alto que a voz do coração ao ponto do ensurdecimento.

E de repente… não mais que de repente, um simples menino empinando o seu papagaio, saboreando o fluxo dos ventos em sua inocente brincadeira, está vivenciando a realidade do espírito muito mais do que muitos de nós, perdidos em leituras e pensamentos….

E de repente, soltar a alma ao vento como um simples menino solta o seu papagaio nas alturas seria um exercício mais gratificante para a nossa espiritualidade real… bem menos teórica… e bem mais divertida!

Enquanto o papagaio voa nas alturas… o menino vibra na planície, totalmente feliz porque parece voar junto com o papagaio… será que um dia poderemos nós aqui em baixo experimentar a mesma realidade alegre do nosso espírito voando lá em cima, ligado a nós aqui em baixo pelo fio de nossas ações e pensamentos?

E fazer da nossa alma como esse mesmo papagaio ou pipa que, amarrado aos fios da conexão física, conseguimos elevar até as alturas do Sol divino na mais feliz das diversões da vida?

 

JP em 10.09.2019

Comentários