Templates by BIGtheme NET

Ajna – o Terceiro Olho – o Ponto Nervoso do Inconsciente

Os dois olhos comuns são os principais pólos nervosos da razão consciente, mas o que a Neurologia desconhece é que na região da testa ou entrecenho, existe um ponto sensível que foi apagado na raça humana, chamado de Ajna ou terceiro olho, o antigo Sexto sentido das coisas.

Por isso é exatamente aí que o Apocalipse declara que o sistema da Besta colocaria um lacre nas pessoas, para deixá-las cegas e controláveis, ao passo que este Olho ou campo psíquico seria aberto naquelas pessoas que se conectassem com a Mente Divina, por pura ressonância.

 

AJNA, no sânscrito, tem significados perfeitamente coerentes a essa ideia:


“o Saber, o Obedecer, o Seguir”, e também, mais literalmente que metaforicamente: “Comandar”, “Controlar”!!!
Este é o sentido do controle, e se estiver cego, implica em controle exterior, mas se estiver ativo, auto-controle consciente.

 

Reparando na imagem hindú, ele apresenta-se (o chakra) como um Olho, e dentro dele se escreveu o mantra OM, que é exatamente uma das chaves mais importantes a serem trabalhadas sobre este campo sensorial, para que abra e entre na percepção oculta das coisas.

Portanto, meditar e usar este mantra todos os dias, por vários minutos, seria muito mais salutar do que passarmos horas e horas na frente dos monitores de TV e computador.

Se temos que usar as mídias, que usemos. Mas nunca deixemos de ligar também a nossa mídia principal, que é aquele visor que está na testa, totalmente apagado e desativado.


Ele é que nos conecta com a Internet Divina ou Mente Infinita.
Um crop circle a altura de sua mensagem (da parte dos seres do Bem e da Luz):

DESPERTEM!

Apareceu no dia 16 de agosto do ano de 2014, Inglaterra. Reparem nos detalhes do Olho central, até Íris e pupila eles colocaram lá.

E a mensagem prossegue nos números, porque este Olho foi cercado por raios luminosos (representando o Sol) que contam 3 camadas de 24 raios, o que soma 72, o número de Deus, o número dos Anjos (Gênios) da Cabala, e o ângulo interno do Pentagrama, donde tiramos o número da Criação ou proporção áurea Fi.

A mensagem foi endereçada para o mundo e pelo seu conteúdo, se deduz que vem dos seres do Bem, que trabalham pelo nosso despertar da consciência.

Ela tem relação direta com os argumentos sobre o Terceiro Olho, tanto em relação ao Chakra AJNA da testa, como em relação ao Olho Intuitivo da Glândula Pineal, no vórtice da cabeça, e é como se este crop circle mostrasse a visão do topo da cabeça, vista de cima ou por cima, com a glândula Pineal em atividade,gerando a coroa de luz ao redor, coroa esta que atrai e emite luz ao redor, luz psíquica de intuição, consciência espiritual e genialidade.

 

Ela tem relação direta com os argumentos sobre o Terceiro Olho.

Despertar e se aliar ao lado branco da força é a única saída.

Quem dorme não pode lutar. Quem não luta é controlado.

Eis uma verdade válida para todas as políticas!

Nesta região da testa é que há uma enervação especial (plexo frontal) que, estando desativado em nosso aparelho sensorial, nos torna vulneráveis aos programas de condicionamento coletivo. Despertar e reativar essa enervação especial recolocará no lugar a ponte nervosa entre o consciente e o Inconsciente da mente, o que equivale a um renascer de uma consciência nutrida por novos valores alinhados com a Realidade factual das coisas.

Verdadeiramente, o autoconhecimento começa a partir deste sentido, o sexto sentido da antiguidade do homem, quando ele passa a conhecer mais sobre si mesmo nos domínios do inconsciente e da “memória ancestral”, acessando um verdadeiro “registro akáshico” dele mesmo em suas células, em seu DNA.

Porque o DNA é fruto da evolução de milhões de anos, e ele não escreve somente a nossa condição atual biológica não: ele é como um edifício moderno mas com vários pisos sobrepostos, suas antigas fundações evolutivas já esquecidas por todos nós e depositadas nos arquivos da mente inconsciente. Está tudo lá, número por número e letra por letra.

Abrir este e outros sentidos ocultos nos permite aumentar o grau das conexões mentais, que se tornam mais amplas e sintonizadas com o universo real e, ao mesmo tempo, filtrar tudo o que os olhos vêem e o cérebro assimila. Porque a saúde da alma depende diretamente da qualidade do alimento intelectual que ingerimos pela boca dos olhos (e ouvidos) e que o estômago do cérebro digere.

A Neurologia trabalha com apenas o conhecimento dos cinco sentidos, e tende a por o rótulo de fantasia bioquímica a tudo o que escape desse diminuto leque sensorial do homem moderno, tão estreito e tão bombardeado por todos esses venenos misturados à cultura.

Mas ela deveria saber da existência do sexto (Ajna, centro da testa) e sétimo sentidos (Pineal, coronário) que realmente nos transformam em homens despertos e habilitados à vida em sociedade cósmica e fraterna.

Neste e somente neste estado que poderemos algum dia viver em pleno estado de amor, diante do qual nenhum poder ou posse terrenas farão qualquer sentido, e que se fazem muito sentido, é somente para aqueles desprovidos de amor, onde a cobiça se apossou do coração, que é a doença mórbida da alma viciada em ter e ter, e tirar dos que têm para ter cada vez mais, o contrário exato do amor, cuja profissão é dar e ser feliz no ato de servir, quando então o Universo torna abundante a sua vida nesta, que é a melhor das missões e profissões que se pode eleger na existência.

E para completar o tema:

Hino de Adoração ao Cordeiro (Durer)

¶ E olhei, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que em suas testas tinham escrito o nome de seu Pai.
E ouvi uma voz do céu, como a voz de muitas águas, e como a voz de um grande trovão; e ouvi uma voz de harpistas, que tocavam com as suas harpas.
E cantavam um como cântico novo diante do trono, e diante dos quatro animais e dos anciãos; e ninguém podia aprender aquele cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil que foram comprados da terra.
Estes são os que não estão contaminados com mulheres; porque são virgens. Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vá. Estes são os que dentre os homens foram comprados como primícias para Deus e para o Cordeiro.
E na sua boca não se achou engano; porque são irrepreensíveis diante do trono de Deus.

Apocalipse 14:1-5

(***)

Analisando este outro trecho importantíssimo do Apocalipse, vemos a referência outra vez ao sinal da testa, onde os Filhos de Deus, o trigo separado do joio e comprado da Terra, traziam o nome de Deus, e apesar de serem culturas opostas, o hinduísmo colocou exatamente na testa, ou no chakra Ajna, o nome do Deus universal segundo as suas tradições mais antigas, que é OM (lê-se AUM).

Novamente, vemos um padrão, e a colocação do nome de (ou do) deus na testa, ponto sensível de controle das massas ou do auto-controle dos despertos, que se fazem unidos ao seu deus interior: isso é o sentido de trazer este nome escrito ali, ou seja, o terceiro olho ou visão abertos, porque como seguir a liderança de Cristo se alguém está cego? É preciso consciência. Porque na nossa inconsciência é que seguimos o Mal e nos deixamos sem saber nos dominar por ele.

Cento e quarenta e quatro Mil é o número preciso da egrégora dos espíritos que o Cordeiro precisa para reiniciar o sistema, deletar a memória suja e operar o planeta com novos dados e programas, conforme a Vontade do Pai Universal e não segundo o capricho de tiranos e o gosto de elites.

Fala-se em harpas e cânticos de louvor, a ajuntando com o número 144000 numa outra perspectiva, temos aí uma frequência e uma vibração associadas a este ponto do cérebro.

Portanto, outra chave que pode ser extraída aqui, no Apocalipse cristão, bate com as teorias dos mantrans hindus, que declaram que eles, os chakras, podem ser acionados por meio de frequências, vozes, entoações especiais e notas musicais adequadas.

A este chakra costuma-se associar o azul real, ou azul pavão, e as notas entre Si bemol e Si.

Agora, comparem a estrutura do cérebro em corte, e a analogia com a imagem de proteção egípcia conhecida como Olho de Hòrus. No campo central do cérebro, ligado aos plexos nervosos, temos duas glândulas importantes e que se conectam: a glândula hipófise e a glândula pineal, ambas vinculadas a toda essa neurologia de ordem superior e que, na cabeça dos iluminados, fazem cair por terra todas as teorias furadas da Neurociência moderna (aquele ramo cético e negacionista em relação às realidades espirituais).

E Hórus era o deus da luz, das asas de falcão peregrino, o ser mais veloz da Terra, aquele que olha para o Sol.

Design-chakra-cabeça-cérebro-pineal-e-o-falcão-Horus

 

Dá pra entender toda essa analogia, afinal.

Então, são aqui três culturas fazendo menção ao mesmo Olho espiritual: Cristã, Hindú e egípcia. Se há padrão, há verdade envolvida.

Eles conheciam todos os departamentos do cérebro, tanto os que regulam a esfera da vida prática e material como os que regulam a esfera da vida espiritual e invisível.

Mas a neurologia oficial regrediu nesse aspecto.

O número 144, que tem outras ramificações, muitas, ele dá as medidas


(144, 12×12) da cidade santa e é dito como número do homem iluminado e de Anjo.
É o dobro de 72, que é o ângulo do Pentagrama e origem da razão áurea do universo. E mais, esse valor, transformado em frequência, equivale a um Apótoma pitagórico é um intervalo harmônico de 2187/2048.Quis dizer, um apótoma pitagórico aproximado, em relação ao tom fundamental mais próximo de 144000 hz, que seria um Dó agudo de 131.072 hz.

Tem códigos aí, os números têm códigos que foram repetidos em todas as culturas, 144 ou doze por doze é praticamente universal.

JP em 17.05.2019

Comentários