Templates by BIGtheme NET

A revolução silenciosa de Vênus

Reflexões
Ora, se partirmos para essa alegação, de que Jesus é mito, criação romana, então Enki é mito, criação suméria, Osíris é mito, criação dos egípcios, Hermes é mito, criação dos gregos, e Buda é mito, criação dos indianos, e Quetzalcoatl é mito, criação dos mexicanos
e assim por diante, de tal forma que, na nossa ignorância devido ao estado de adormecimento espiritual, vamos interpretar todos os deuses da antiguidade como mitos, invencionices dos povos para criar status de poder em torno de suas raças e culturas, e no andar da carruagem, o que vai suceder é que, daqui uns dois mil anos, a raça humana superior que aqui habitará irá dizer, uns aos outros, que nós, os humanos selvagens e violentos, também somos mitos
porque dificilmente irão acreditar que gente como a gente, um dia existiu e teimou em existir sobre a Face da Terra.

É mais fácil alegar que tudo o que não vemos ou compreendemos é mito do que admitirmos nossa ignorância e adormecimento acerca da realidade onipresente e eterna da História Secreta deste mundo?

Só porque o pobre homem mencionou a Cristo, de leve (Valiant Thor) um monte de gente cai matando, desacreditando o fato?
Mais uma vez, problemas de consciência. Se estamos num mundo tridimensional e ele é constituído por hierarquias de poder, e niveis e níveis de consciência, pessoas do bem e pessoas do mal, e líderes mundiais, basta transportar essa realidade para o nível espiritual, em outras dimensões e entender que entidades como Cristo, Satã, deuses e demônios, Anjos a serviço do Bem Maior e outros espíritos contrários, terão a mesma realidade, que assiste a realidade de seres físicos, igualmente hieratizados e lutando ora pela Verdade e pela Justiça, ora contra elas.


Estamos com a consciência muito baixa, vendo só até o plano tridimensional, e muito mal, ainda por cima, e daí, tudo o que não vemos e compreendemos além daí, chamamos de mito, loucura, crendice, imaginação, etc.
Para o cego, a luz é mito?

Tudo o que escapa do alcance de nossa visão tridimensional, transformamos em mito? Nem ao menos nos damos ao trabalho de explorar mais a fundo antes de julgar tão depressa e atirar no escuro os conceitos que estão na zona escura da nossa compreensão?
Isso é crescimento ou retrocesso mental?

Valiant Thor tem todas as condições de ser ariano-venusiano real entre nós, porque não foi o único, muitos relatos mencionam estes seres loiros em diversos setores, até nos campos dos crops circles já foram vistos, inspecionando os trabalhos.
Thor é um nome que evoca a nossa ancestralidade ariana-venusiana e é perfeitamente real.
Os extraterrestres são anjos a serviço do Cristo. E os grays e toda essa casta caída, a serviço do Anticristo. É tudo real, neste e em outros planos de percepção, visíveis e invisíveis para nós. Estes seres se movem muito além do enquadramento religioso que a sociedade criou em torno deles. Basta ver a articulação dos poderes no mundo visível da política e da ciência e transportar isso para o plano que não vemos, mesmo nesta dimensão (física) ou em outras dimensões invisíveis (espirituais), muito além dos conceitos dogmáticos que a humanidade ajuntou a esses seres a despeito deles mesmos e da vontade deles.

Está faltando humildade ao arrogante raciocínio e pequenino raciocínio da mente intelectual predominante do nosso tempo. Porque tudo o que escapa ao seu conceitualismo, o raciocínio destrói em vez de tentar compreender. E assim vai se fossilizando cada vez mais nos seus auto-conceitos tridimensionais, e degenerando as super-faculdades originais da mente iluminada cada vez mais dependente da máquina para saber de alguma coisa que seja.

Religião como a conhecemos e interpretamos é uma coisa e religião como essência de caminho, disciplina, prática, trabalho e conduta interna que visa nos RELIGAR AO TODO, é outra coisa muito diferente. Religião como a conhecemos, banalizada pelo fanatismo e manchada pela corrupção das instituições que pretenderam monopolizar suas verdades ao longo dos séculos é uma coisa, mas religião como atividade espiritual consciente calibrada com a atividade do Todo, do Programa secreto da Terra, e do trabalho das Hierarquias ocultas para construir um modelo de reino perfeito neste mundo, é outra.

Antes de criticar a Bíblia, Jesus Cristo, Virgem Maria e religiões de modo geral, temos que fazer antes uma profunda transformação de conceitos, sabendo bem separar as coisas. Então, se assim fosse, vou fazer a lista das coisas que a ciência fez de erradas, de absurdas
como bomba atômica, como destruição da natureza, modificação genética, tecnologia hipnótica, mídias mentirosas, armas de destruição, e um monte de coisas e anunciar aqui que Ciência é uma besteira, uma invenção humana com finalidades totalmente irracionais e negativas. E que o mundo seria (e seria mesmo) bem melhor se essa ciência destruidora não existisse. Porque essa ciência tem trazido tantos males para a humanidade (ou muito mais)
do que a religião que muitos adoram denegrir.

O mal da ignorância é a generalização.


Jesus Cristo nunca foi religioso no sentido de apenas abrigar crenças na mente. Religiosos são os homens que tentam compreendê-lo e, quem sabe, um dia se tornarem um pouquinho parecidos com ele em bondade, justiça e amor. Se isso acontecesse, a religião já teria servido para alguma coisa nesse mundo tenebroso.

A Verdade é universal, certamente, mas a forma como a consciência capta essa verdade, esta sim, é individual. Verdade ou Realidade é uma coisa só, Onipresente, como o Sol, o mesmo, iluminando toda a Terra, mas cada um capta esse Sol da sua forma, no seu grau de visão e compreensão. É essa visão de consciência que cada um deve construir para si, sem ser religioso, carola, dogmático, teórico da letra morta, essa visão que nos torna mais lúcidos, mais lógicos, mais equilibrados, mais justos, mais amorosos, verdadeiros, tolerantes, humildes, enfim, mais humanos. Se a religião que compreendo busca construir isso no homem for rotulada como negativa, então eu já não sei mais o que é positivo, bom e justo para o homem moderno.

A mente é um órgão enganoso se não tiver a consciência no controle. Consciência é a faculdade da alma de estar conectada ao Todo ou Grande Realidade e a mente é a tradutora desta Realidade via cinco sentidos (e olha que existem outros sete sentidos ocultos e apagados na mente da raça atual, totalizando doze, como os doze apóstolos de Cristo, a consciência pura…)

O que ocorre é que, sem consciência, a mente se enreda de pensamentos ilusórios e conceitos imaginários desconectados da Grande Realidade, e então, alguns escritores e pensadores de vanguarda, lidando com assuntos como Cristo e a temática bíblica de um modo geral, assumem a liberdade de raciocinar sobre tudo isso, criando dessa forma um sem-número de teorias e idéias sobre esse universo, e publicam livros, e se tornam famosos, e ganham fama e dinheiro divulgando suas conclusões ignorantes, e muitos, seduzidos por isso, simpatizam com tais teorias e idéias e acabam assumindo como seus próprios raciocínios e entendimentos e concluem como eles, que Deus não existe e Cristo é invenção romana.

O que distingue a consciência desperta da mente raciocinativa é que a consciência desperta se move segundo a própria percepção direta e lúcida da Grande Realidade, enquanto a mente raciocinativa geralmente vibra em sintonia com outras mentes cujo pensamento se lhe assemelha, e como diapasões, as idéias assim se comunicam, numa corrente, e os pensadores equivocados, estes que escrevem livros e postulam teorias cheias de erros, se tornam os formadores de opinião para muitos.

O VISÍVEL É A LINGUAGEM DO INVISÍVEL

A tridimensionalidade é a casca, o molde material das realidades invisíveis, o molde material passa, é transformado, e a realidade invisível permanece. A Grande Realidade é disposta em camadas, e o mundo tridimensional é uma delas, não é a única, é uma camada densa, mas não a mais densa de todas, existem outras densidades abaixo de nós, assim como existem outras sutilezas acima de nós. Essas camadas da Grande Realidade foram chamadas pelos sábios antigos de Eons ou Sefirot, e para os modernos, o nome dimensões cai melhor mas são a mesma coisa. E para cada dimensão, Eon ou sefirá é que existe uma faixa específica de percepção da consciência aplicada sobre tal ou qual zona, área ou chacra do cérebro, em sua grande parte inativa por falta de uso.

E nessa linha é que deflagramos a arrogância dos modernos doutores da lei, escribas e fariseus diante do homem-Deus Jesus.

Porque tanto Jesus como Buda, como Enki, como Sanat, como Ishtar, como Quetzalcoatl, como Pacal Votan, como Osíris, e como tantos outros que hoje tendemos a reputar como mitos, são todos eles seres muito acima do nosso nível de compreensão, pra começar, imortais, e pra terminar, dotados de corpos internos, veículos e poderes mentais de tal grau que os habilitam a viver e se mover em multidimensões dentro da mesma Realidade, e todos estes seres encarnam diferentes graus de poder e manifestação da Grande Realidade, e assim, se tornarm deuses humanizados perante religiões e culturas que inauguram em tal ou qual parte e época da Terra e de outros mundos, mas no conjunto ativo, atuam como Deus, a Grande Realidade, da mesma forma que o conjunto ativo das células do corpo atuam como uma só vida, coesa e perfeitamente harmônica. Sim, o visível como expressão do invisível, e só com essa certeza, poderíamos aprender muito mais sobre a natureza de Deus e do Universo real do que muitos e muitos livros de pensadores até agora puderam falar. Só observando a Natureza, Deus visível, como tanto falou Leonardo da Vinci.

Mas o fato é que nós, caídos na terceira dimensão material, luciférica e cheia de sofrimento, Roda do Samsara, retorno eterno do ir e vir da alma em aprendizagem, assumimos postura superior em relação a eles, e os julgamos conforme as nossas réguas, padrões e referenciais de existência limitada e mortal. Aqui está a raiz da arrogância e da prepotência que atira o homem cada vez mais para baixo, porque em vez de assumir a sua inferioridade condicional em relação aos mestres e até lhes pedir ajuda de força, luz e entendimento, não, usamos as nossas réguas e regras para medí-los e nossa grande e genial conclusão é esta:

EUREKA! CRISTO NÃO EXISTE!
UM SER IMORTAL QUE ANDOU SOBRE AS ÁGUAS, CUROU DOENTES E RESSUSCITOU NUNCA PODERIA EXISTIR!

Realmente, não pela nossa lógica, régua e conjunto de regras, padrões e normas todas em conformidade com a nossa existência mortal, finita e limitadíssima na apertada esfera tridimensional. Mas o humilde sente que eles existem, pede ajuda aos mestres recebe força, luz e entendimento e pode ascender muito nesta vida, e em outras e quanto mais abra o coração para essa humilde recepção e acolhida, mais bem receberá do Alto e daqueles que se movem por lá, além e acima da nossa compreensão.

É com essa base que eu digo que Jesus é real é mais real do que imaginamos, muito mais real do que nós mesmos. O homem predestinado que foi ele, recebeu o conhecimento dos antigos
e praticou a religião viva, se reintegrando ao Pai, e para cumprir sua missão, que iria durar séculos e séculos sobre a Terra, precisaria dum corpo imortal, então, levou o seu corpo ao fogo alquimista do INRI, esse mesmo fogo da forja dos espíritos construtores de armas e instrumentos para os divinos, e ressuscitou por meio dela, e hoje assume corpo imortal para realizar o seu trabalho elevado ao Principado da Hierarquia pelo alto sacrifício consumado.

E o que resta aos adormecidos mortais? Especular a vida inteira e morrer no final?
Com que pretensão nos levantamos para medir e julgar os caminhos do Filho de Deus?
Com que arrogância tantos PH Ds se acham habilitados a compreender os caminhos, segredos e poderes destes super seres humanos que hoje comungam da Luz Infinita, batizados que foram pela sabedoria dos antigos, essa mesma que as corporações científicas e culturais modernas ridicularizam para que percam valor e interesse diante da opinião pública? Para todo arrogante que eu encontro pela frente, sempre deixo essa máxima como objeto de reflexão:

A MORADA FINAL DE TODA A ARROGÂNCIA É SEMPRE A SEPULTURA.

Em tempo, aqui está um dos maiores problemas advindos da dependência exagerada da máquina e da existência tecnológica: subestimar os poderes imensos contidos na mais perfeita de todas as máquinas, o corpo físico e o cérebro, este que, em atividade maximizada pelo poder da consciência desperta e guiada pelos ditames da sabedoria dos antigos, do Alto procedente podem transformar o homem mortal, caído e cego num ser divino, num mestre imortal cheio de poderes, repleto de bondade, sabedoria e liberdade, este novo Hércules que quebra a roda das reencarnações e assume a forma de anjo ou ser divino nas altas esferas após sua morte.


Coisas que nunca vimos e nem sequer consideramos a possibilidade de que existam.
Só porque nunca vimos!
Temos que parar de humanizar a Deus e as coisas divinas, sagradas e incompreensíveis, é a única forma de nos tornarmos abertos à Realidade que nos abarca sem mais resistir a ela. Mas a humanidade está tentando aprender ainda.

Deuses, demônios, homens do bem e do mal, extraterrestres do bem e do mal, visível mostrando o invisível. Não temos aqui embaixo os donos do mundo tentando escravizar a humanidade? Qual a dificuldade em transportar esses conceitos para o mundo espiritual invisível e admitir as duas hierarquias, Cristo e Satã em maiores e mais profundos trabalhos, dentro do mesmo padrão de procedimento?


Nos falta humildade para compreender a nossa posição inferior no universo das multidimensões e pedir ajuda aos de cima, como quem, caido num buraco, estende a mão e pede que outro o puxe lá do alto onde está com a sua mão.

Os mestres que passaram por este mundo foram essa mão a nós estendida no buraco da nossa condição inferior, mas nós é que arrogamos superioridade e queremos destruir todos os deuses e os ensinamentos que nos deixaram?

Eu ainda fico com Leonardo da Vinci que fazia da Natureza (Visível) a sua mestra e religião (Invisível).

Antigamente, o homem evoluído tinha por lei de Vida a prática espiritual e por filosofia o Andar, Pensar, Sentir e Agir conforme o Todo, o que significa o Todo (Deus) guiando o indivíduo (homem). E a Harmonia era a resultante direta desse estado de coisas.
Mas hoje, o homem caiu no estado de cegueira (ainda que confunda racionalidade com consciência mas são coisas completamente distintas, porque tem muito bandido e assassino por aí com alto grau de erudição, canudo, faculdade e tudo mais, o que significa que erudição não implica em evolução moral e nem consciência) e cego, se fechou em seu mundo particular, porque perdeu o sentido do Todo, e perdendo isso, criou uma nova religião e filosofia para seguir, o Egoísmo, que invertendo as coisas, coloca o ego (homem) ditando regras para o Todo (Deus). E é claro que, nesse estado de coisas, a Entropia passa a tomar conta do sistema, e a entropia nada mais é do que a Natureza tentando se reorganizar
desejosa de voltar ao estado de Harmonia original.

Esse é o trabalho da Fraternidade Branca, da qual Jesus é o maior Hierarca: trazer de volta a Harmonia, ensinando aos homens a religião original, que nada mais é do que o indivíduo ligado ao Universo. Não há porque complicar e nem misturar as coisas, e rotular as religiões e os mestres por causa dos exemplos ruins das Instituições ao longo dos séculos.


Se assim valesse essa regra, eu pegaria o exemplo dos maus cientistas, os que usam a ciência e o conhecimento para manipular, mentir, destruir a natureza e amparar os militares com poderes bélicos e também concluiria que a ciência é inútil e não presta para nada.

Mas o único réu em toda essa história é o ser humano movido pelo egoísmo, seja ele religioso, cientista, político, artista e tudo mais. Só quando a humanidade perceba essa verdade é que poderá começar a ascender, auxiliada pelos irmãos dos degraus superiores da existência. Porque eles estão lá, com toda certeza, mas nós perdemos a capacidade de vê-los e ouví-los, porque o egoísmo nos tornou entupidos demais de nós mesmos e de nossos conceitos. Lúcifer ou Satã caiu lá de cima por causa do orgulho. Eis a herança má que nos deixou e nos contamina até nos genes.

E sobre Leonardo da Vinci, os biógrafos dizem que ele passava horas e horas meditando para captar “luzes de inspiração” para a sua obra, e se Vênus, na Cabala, abarca o raio da arte e da beleza, com certeza a mente do grande Leonardo se conectava à mente dos Venusianos
tanto em corpo físico como anjos, estes que cuidam das artes, da Harmonia, da genética e dos planos relacionados com a evolução da vida neste planeta de um modo geral.

As religiões antigas tem praticamente um denominador comum sobre Vênus (a civilização) ser a madrinha da Terra. Tanto que antiquíssimas escrituras védicas falam de Sanat Kumará
e uma comitiva de altos espíritos de Vênus descendo onde hoje é o deserto do Gobi há milhões de anos, para tentar consertar os estragos que os anjos caídos começaram a fazer naquela época, estragos que beiram a destruição atual. E se diz que os venusianos nunca saíram do controle, estão nos bastidores de tudo, e que Sanat, seu líder, migrou para Agarthi, reino interior, mas numa dimensão elevada, hiperespaço não sujeito aos rigores do calor e da pressão intraterrestres da terceira coordenada material.


E é nesse reino que Jesus assumiu o principado da raça humana e o cargo de administrar a transição. Nem Enki, nem Krishna, nem Osíris, esse cargo cabe a Jesus de Nazaré, e isso não é uma questão de crer ou não crer. É factual.

Mas ainda assim, amado e odiado, louvado e desprezado, ele é invencível e por mais que queiram os ateus, seu nome nunca será esquecido ou apagado, pelo contrário, brilha e se eleva cada vez mais no meio dessas promovidas guerras ideológicas das quais Ele ainda é o protagonista. Ainda que ele só tenha vindo ensinar o amor e ensinar o respeito ao próximo.

Não consigo entender porque muitas mentes reagem com tanta violência a isso.

De qualquer forma, o erro mais grave é sempre o da generalização, claro, todos sabemos sobre os erros grosseiros das instituições religiosas ao longo dos tempos, não por elas mesmas, mas pela ação humana errada. Como erraram e erram também os homens que professam ciência, e medicina, e política, enfim. Porque ninguém é perfeito, mas se o erro inocente é perdoável, o erro proposital não. Assim sendo, não podemos generalizar e esquecer as coisas boas que as religiões fazem ensinando ao homem o altruísmo e a prática do respeito por toda a vida e mesmo as coisas boas que muitas instituições religiosas e grupos livres de pessoas, cristãs ou não-cristãs realizam em nome desse altruísmo como grupos de ajuda a deficientes físicos ou mentais e grupos e centros de auxílio a drogados e dependentes químicos e alcólatras e também grupos diversos de assistência aos pobres, moradores de rua, meninas gestantes, etc.

Coisa que eu nunca vi ateu nenhum fazer é isso, se reunir com outros ateus para ajudar o próximo, na maioria das vezes são cristãos ou outros religiosos que se reúnem para isso
porque altruísmo é a religião que praticam,em vez do egoísmo que só se preocupa consigo mesmo, enquanto atira pedras e mais pedras nas religiões. Vamos ver de quantos grupos de assistência aos desamparados os ateus costumam participar?


O principal alvo das religiões é a prática do altruísmo e do respeito a toda vida que existe no semelhante e na natureza, aspectos visíveis do Deus Invisível Universal chamado Amor. Eu posso estar errado, mas se alguém conhece uma entidade filantrópica formada por ateus, gostaria mesmo de conhecer, mas acho meio impossível, porque o altruísmo é uma idéia muito antiga das religiões, e nessa era moderna ateísta, o egoísmo é o Ídolo da Abominação que está levando o homem a cometer atrocidades e barbaridades tais e se superando todos os dias.

Mas religião que falo não se trata de cultos, crenças, crendices, misticismos, religião no sentido literal é Yoga, é TAO, é Zen, é centro, é Realidade do Todo em mim, em ti, em todos nós, é felicidade, é paz, é equilíbrio, respeito, amor, é tudo aquilo que o espírito pode dar ao homem em sua existência física passageira se ele souber como despertar todos os adormecidos potenciais do corpo e da mente, é saber que tem muita coisa além dos cinco sentidos e da terceira dimensão para se saber, ver, conhecer e experimentar e isso não é nem mérito exclusivo das religiões porque a Física Moderna já postula a existência de um universo multidimensional e dá total fundamento às minhas palavras, ainda que eu jamais tocasse em assuntos religiosos aqui.

Outra coisa, a tendência a gerar crenças é um fenômeno inerente à mentalidade humana mas não necessariamente e somente vinculado ao aspecto religioso. Todo auto-conceito firmado na mente que segue não a consciência desperta mas a tendência cultural global e coletiva, até por inferência dessa tendência, pode se tornar uma crença, uma convicção cega e compulsiva
baseada num conceito culturalmente aceito.

Nesse ponto, o ateísmo é também uma crença e como tal, usa as mesmas armas da imposição ideológica e até da ofensa e intolerância contra outras “crenças” quando sua imagem conceitual é ameaçada. O homem que segue a consciência desperta respeita todas as ideologias porque sabe que o mundo é cheio de gente de níveis e níveis distintos de consciência e cada qual se ajeita segundo os valores concordantes com o seu próprio nível e que forçar a visão de um para outro é tolice, apenas quando o outro se mostra livre e aberto para o novo o que significa que a consciência está pronta para aprender mais e saltar níveis mais altos de compreensão do Universo.

Vejamos a linguagem da natureza, temos diferentes espécies vegetais e suas sementes adaptadas para uma diversidade de solos e climas, jogar sementes em solos e climas que não correspondem à sua natureza própria com certeza implicará no fim destas mesmas sementes.

As almas são como sementes plantadas na Terra, um imenso jardim e devemos ser tolerantes com as escolhas que cada um toma para si. Intolerância é sinal de egoísmo, ausência de considerar o outro lado (altruísmo).
Por fim, a falsa bandeira que a ciência moderna eleva hoje, se desligando do aspecto espiritual da vida procede de uma manobra muito antiga de espíritos rebeldes e caídos,
explico porque.


No passado evoluído da humanidade, de modo algum religião e ciência andavam separadas, muito pelo contrário, todas estas disciplinas acadêmicas que hoje temos das Universidades
contendo Física, Química, Biologia, Genética, Medicina, Matemática, Música, Geometria, Idiomas, Harmonia, Arte, Pintura, escultura, engenharia, astronomia, astrologia, cosmologia, Psicologia, Filosofia, enfim, tudo, andava de forma indissociável ao ensino espiritual, e porque?

Porque os mestres do Universo, que trouxeram todo esse conhecimento para a humanidade no passado, trouxeram estas coisas para preparar a nossa mente com uma visão mais aberta, ampla e preparada para o Universo eterno e suas dimensões desconhecidas e seus espíritos, reinos, Hierarquias, Leis, planos e propósitos. Mas vieram os espíritos caídos, os lucíferes rebeldes ao plano de Cristo e dos Anjos, e hierarquias da Luz e tomaram apenas o conhecimento dos mestres (roubaram mesmo) e para aprisionar a humanidade, aplicaram-nos somente ao culto da existência tridimensional para que então os escravos humanos, cegos e surdos, não pudessem ver mais e nem contactar mais com os elevados espíritos transdimensionais, e assim sendo, se aplicariam somente à vida em seu aspecto tridimensional, e foi o que aconteceu, e hoje as pessoas estudam todas aquelas disciplinas não mais para aprimorar a mente espiritual e recobrar a conectividade com o Todo
mas somente para reforçar os conceitos materialistas (porque aquelas disciplinas valem tanto para o mundo físico como para o espiritual) e então seguir o programa das falsas ideologias que se misturaram com os mestres do passado e os propósitos da Luz Maior.

A ciência moderna, com todas as suas disciplinas, foi trazida ao mundo pelos mestres espirituais, mas hoje, essa mesma ciência nega o espiritual e cospe na cara dos mestres
(cospe no prato que comeu) e tridimensionalizou o conhecimento e nessa tridimensionalização do conhecimento não houve mais espaço para o espiritual da vida.

E essa é a prisão de Lúcifer e o reino tenebroso de Satã em que todos estamos presos cheios de políticos e cientistas ateus cumprindo a mesma regra, até que a humanidade se torne miserável, dependente e cega, sem forças para lutar e quebrar o sistema e quanto mais miserável e alienada, melhor, porque é mais fácil dominar, manipular e manter aceso o consumismo capitalista que enche os cofres de todos eles.


O Inferno começa dentro de nós, com essa falsa percepção a de que o mundo é somente o que cabe dentro da tridimensionalidade, e a de que a verdade é tão somente os conceitos saídos dessa falsa percepção.

CONHECEI A VERDADE
E A VERDADE VOS LIBERTARÁ.
AMAI-VOS UNS AOS OUTROS
DAI A PRÓXIMO AQUILO QUE GOSTARIAS DE RECEBER DELE
etc…

JESUS CRISTO

Um ser de mentira nunca poderia ter dito maiores verdades que estas. Porque é tão odiado e desprezado? Alguém poderia me explicar? Porque já estou desistindo de tentar entender algumas mentes desta moderna humanidade. Todos os deuses e elevados espíritos desse mundo são mestres que tem no Sol o seu arquétipo e portanto, todos os mestres assumem o papel dos deuses solares de sua época, porque o Sol representa isso, a manifestação divina de luz e vida. Portanto, Krishna foi um deus solar, Cristo é um deus solar, como Rá e Osíris, e Hórus, como Quetzalcoatl, como Mitra e tantos outros.


O Zodíaco é a grande matriz do universo, as estrelas influem em todos os processos vitais e psíquicos, mas seres desta natureza assumem conexões maiores com o Sol e as estrelas
por isso são anunciados por estrelas e geralmente o Sol baliza a maioria dos arquétipos associados à sua divina personalidade.
Sansão e Salomão, por exemplo, nomes da Bíblia associados ao Sol e que poderiam ser interpretados homens solares. Isso explica a lista de arquétipos que associam tais mestres ao Sol.

Mas como sempre, os PH Ds querem avaliar os caminhos dos mestres usando sua própria régua mortal e limitada de entendimento, não entendendo como o Sol e as supernovas podem interferir na cosmologia destes deuses na Terra, desde sua encarnação até sua crucificação e ressurreição. Bem, vão continuar sem entender.


Mas tudo isso é código da Sabedoria antiga que identifica os arqúétipos culturais associados a estes homens extraordinários. Em muitas culturas, os homens divinos são mesmo arquétipos das estrelas e cada Anjo, segundo o livro de Enoque, tinha por morada uma estrela. O que resta dizer é que existe toda uma sabedoria, cultura e ciência desconhecida destes seres muito avançados e acima do nosso entendimento e essa sabedoria vai continuar inatingível atrás do símbolo e dos véus protegentes a salvo da ignorância militante
e do ateísmo que novamente quer crucificar Cristo. E é bom que ele fique em cima de sua nuvem porque, se descer, será novamente crucificado.
Brincadeiras a parte, a Verdade é o que permanece, independente do que conceituamos a respeito dela. O Sol vai continuar no mesmo lugar, mesmo para os cegos que nunca o viram
e nunca o verão.

1 Apareceu no céu um sinal extraordinário: uma mulher VESTIDA DO SOL, com a lua debaixo dos seus pés e uma coroa de doze estrelas sobre a cabeça.
2 Ela estava grávida e gritava de dor, pois estava para dar à luz.
3 Então apareceu no céu outro sinal: um enorme dragão vermelho com sete cabeças e dez chifres, tendo sobre as cabeças sete coroas.
4 Sua cauda arrastou consigo um terço das estrelas do céu, lançando-as na terra. O dragão pôs-se diante da mulher que estava para dar à luz, para devorar o seu filho no momento em que nascesse.
5 Ela deu à luz um filho, um homem, que governará todas as nações com cetro de ferro. Seu filho foi arrebatado para junto de Deus e de seu trono.
Apocalipse 12
********
Só não decifra agora a identidade secreta deste Dragão quem não quiser.
Dele falou a Virgem de Fátima, mostrando a fúria do Sol para o mundo e até hoje, ciência não explicou o evento de Fátima; ah sim, explicou:
alucinação coletiva dos portugueses embriagados de vinho…

Lista dos religiosos mais famosos da humanidade

Roger Bacon, Rafael, Botticelli, Michelângelo, Leonardo da Vinci, Isaac Newton, Albert Einstein, Alessandro Volta, Pitágoras, Sócrates, Platão, Gauss, Marconi, Joule, Fleming, Edison, Pasteur, Lavoisier … e tantos outros.
Será que a religiosidade foi o que emburreceu tanto esses aí?
Só para finalizar e até dando minha opinião sobre o venusiano em questão, Valiant Thor,
repito a citação acima:

“Ele indicou que sua raça vivia no subsolo e que muitos dos planetas através do universo suportam a vida desta mesma forma. Ele também mencionou sobre muitos alienígenas que aterrissariam no mundo todo, afim de ajudar a Terra a resolver seus insuperáveis problemas. Ele declarou que um grupo de um sistema planetário distante estaria vindo para ajudar e fornecer dados em prol do progresso da Terra.

Valiant Thor falou sobre a presença de Cristo no universo e que era emocionante ver que os ensinamentos avançados de Cristo continuavam…”

*************************************************************************

Só com este último parágrafo, foi que realmente me dei conta que Valiant Thor é um legítimo ariano-venusiano ajudando a humanidade, aliás, como muitos outros além dele e em toda parte
passando muito despercebidos pelas pessoas geralmente clicadas em seus celulares online.

Raiz e geração de Davi ligada a Vênus aos arianos-venusianos que deram origem a raça branca (semítica) que é a raça que praticamente domina o cenário das Escrituras sagradas. Raça que esteve entre os nórdicos, e entre os indianos do norte, e iranianos, e se expandiram silenciosamente pelas famílias européias, misturando sua genética à deles sem ter que recorrer a abduções malignas e sequestros com requintes de terror e crueldade porque eram seres muito parecidos com humanos como o moço da foto.
Assim se deu a hibridação venusiana entre os terrestres e a raiz de Davi encontra a sua geração em Cristo. E Cristo é de descendência ariana-venusiana. E depois, seguiu lá pelas bandas da França sob o signo da flor de Lis. Brasão dos reis merovíngeos, e que, segundo a tradição, foi entregue ao rei Clóvis por um Anjo. O mesmo anjo que anunciou Maria!


E qual é o símbolo sagrado de Maria e mesmo de José? A flor de lis! O lírio branco que, na simbologia dos mistérios, o três corresponde a ordem do planeta Vênus na Cabala, nesta série: Lua-Mercúrio-Vênus.

Daí seguiram outras teorias conspiracionistas falando da descendência real de Cristo e outros parâmetros expostos por Dan Brown e o segredo templário, e o tesouro que eles guardavam, o graal, linhagem sagrada…tem muita coisa realmente cifrada na Bíblia.

Não falo que a Bíblia tem muito mais informação e conhecimento do que aparenta?

Flor de Lis, Galicismo para Lírio, o mesmo Lírio de José e Maria e a geração sagrada que partiu para a França. Jesus tem a herança venusiana, os antigos hebreus tinham genética venusiana pura. A França da flor de lis, a mesma França das espetaculares aparições de Maria no século 19 para manter a unidade da Igreja contra os ataques da Revolução francesa e as ordens secretas nos bastidores.
Lírio, representando a pureza da semente, a semente de José e Maria, a semente donde Cristo descende, a semente ariana-venusiana misturada à humana desde os primórdios sem que ninguém percebesse, sem sequestros, sem abduções e laboratórios fazendo as pessoas de cobaias, como ratos assustados, apenas se misturando com os seres humanos e gerando neles filhos e filhas
porque eles, os venusianos são geneticamente compatíveis.

Mas não era qualquer pessoa que eles fecundavam, eles mesmos estudavam atentamente cada pessoa e selecionavam alguns do nosso meio e então criavam seus híbridos. A tradição templária que protege os descendentes da Flor de Lis está por trás da guarda de todos estes segredos. E este é outro assunto que se tornou alvo de chacota dos intelectuais influenciados pelo Dragão, mas nem por isso são inverossímeis, são bastante reais.

A Bíblia escreve muitos detalhes sobre a corrente hereditária dos hebreus antigos e os arianos-venusianos por trás de tudo.


Sabemos que o próprio Jesus se colocou contra, totalmente contra os partidarismos religiosos dos judeus na época, representados pelo colégio dos fariseus e liderados pelo sumo sacerdote da época, Caifás, porque viu ali toda a política suja e manipuladora que se escondia atrás da religião e era usada como instrumento de domínio do povo sofrido e ignorante.

E foi para este povo que Jesus se voltou, causando então a fúria do “clero” da época e o capítulo 23 de Mateus mostra todas as duras críticas que Jesus fez ao sistema religioso daquele tempo.

Cristo trouxe a verdade e os homens construíram um muro em volta dela, construíram prédios e instituições, e perceberam logo que aquele conhecimento que Cristo trouxe era poderoso,
poderia manipular facilmente os pobres e fracos e ainda faturarem por cima!


A mesmíssima e severa crítica o mestre Jesus lançou contra as instituições religiosas faturando alto quando entrou no templo e expulsou os vendilhões de lá de dentro:

ISSO É A CASA DE MEU PAI, CASA DE ORAÇÃO, E NÃO LUGAR DE MERCADORES!

Bem, sendo eterna a verdade, esse ensinamento ainda vale em nosso tempo!


Essas são apenas algumas demonstrações de que Jesus nunca foi católico e nem judaico,
ele foi ele mesmo, o Filho de Deus, o amor encarnado! A verdade manifestada!
Acho que até os ateus podem compreender essa clara diferença entre joio e trigo.

EU SOU A RAIZ E A GERAÇÃO DE DAVI
A RESPLANDECENTE ESTRELA DA MANHÃ!

Grande Cristo!
Grandes Filhos do Sol, conforme os incas, filhos da chama, conforme os teósofos, filhos de Deus, conforme a Bíblia, e filhos da luz, conforme os manuscritos dos essênios!
Sol, o Pai real e arquetípico de todos eles.

Cristo já não é um homem, é uma força da criação, um poder vivo e real da natureza, um pensamento de verdade, grandeza e ciência que está na raiz de todos os nossos alicerces conceituais, aqueles que nós nunca vemos lá nas profundezas do nosso Inconsciente coletivo
onde os deuses se movem, nos instruem e nos acompanham, universo fantástico, multidimensional onde os espíritos do amor e da verdade, esses legítimos filhos do Sol
se movem todos os dias com Ele, para continuar irradiando verdade e vida para todos, mesmo os que não lhe acreditam!

E sobre Jesus ser moreno, tipicamente da etnia judia, conforme o senso comum nos induz a crer, temos uma carta de Pilatos na época e a descrição que ele deu de Jesus, bem ariana-venusiana. Cabelos cor de amêndoas e olhos claros (provavelmente azuis) tipologia ariana-venusiana! Davi é descrito como ruivo, e de belos olhos, talvez azuis. Davi, um ariano?

Os não crentes costumam se focar mais no lado esquerdo do cérebro, a razão, e como valorizam mais o concreto do que o abstrato, tem mais dificuldades para aceitar o reino das imagens não plasmadas, não físicas, já os religiosos tem uma tendência maior de se aplicarem ao lado direito do cérebro e se tornam mais imaginativos e intuitivos, porém, perdem em senso de razão e critério e muitas vezes pecam pelo excesso de crença que os levam a caminhos muito errados e perigosos.

De qualquer forma, a Deusa Concórdia ensina que o equilíbrio seria o caminho e o que destaca aqueles grandes cientistas e pensadores é o fato de encontrarem um uso equilibrado dos hemisférios cerebrais tornando assim mais completas, precisas e abrangentes as suas percepções. Mas ainda assim, o respeito ao livre-arbítrio é coisa fundamental para os dois lados, Cristo nunca persuadiu ninguém a crer na sua mensagem, persuasivo é o amor que, ao lado da paciência, remove montanhas e muda corações.


E por mais que tente se argumentar em torno das coisas divinas e espirituais, elas não podem ser provadas, e mesmo que eu tirasse uma foto e apresentasse ao cético ele duvidaria, porque nenhuma prova, seja ela qual for, convencerá alguém que já está pré-convencido do contrário.

Os crops circles são um bom exemplo, provas materiais de um contato alienígena avançado (que promete resoluções sensacionais para 2014) mas poucos acreditam e preferem apoiar a crença na existência alien nuns chuviscos de radar que podem ser metade verdadeiros e metade não verdadeiros.


Os caminhos do espírito não podem ser provados materialmente, o próprio Jesus ensina a respeito, quando adverte Tomé:

VOCE CREU PORQUE VIU
BEM-AVENTURADO TODO AQUELE QUE CRE SEM VER.

A experiência religiosa é absolutamente íntima, nem deveríamos expor muito os nossos relatos pessoais, porque isso é com certeza expor intimidades da alma. Para quem nunca teve, por exemplo, uma maravilhosa experiência de projeção astral lúcida e do outro lado, viu e tocou realidades incríveis, cidades superiores com espíritos servidores e viu lá embaixo abismos de negra densidade onde se arrastam almas pregadas ainda nas ilusões da matéria e do vício jamais acreditará nos relatos de pessoas que tiveram tais contatos, ainda que nas EQM *experiências de quase-morte, esses relatos sejam praticamente um denominador comum, e a projeção astral se torna uma espécie de ensaio consciente da morte.

Os céticos vão pedir fotos, gravações, registros, mas mesmo que eles pudessem ser disponibilizados, seriam duvidosos para eles e reuniriam para si a mesma posição que a ciência defende para fenômenos do tipo, ou seja, fenômenos alucinatórios da bioquímica do cérebro, ainda que as pessoas tragam relatos premonitórios de tudo o que viram. 


Mas será esforço vão tentar provar a experiência íntima, não podemos arrancar os olhos do fundo das órbitas e dar para que os outros enxerguem através deles, no máximo, podemos dar os modelos e exortar as pessoas à prática.

Mas se eles tivessem tais olhos experimentados, veriam que o outro lado é pura pulsação crística, e que o homem Jesus foi um espírito que encarnou e manifestou essa pulsação crística em grau mais exaltado sobre a Terra.

Esses pensadores inclinados ao ceticismo que nega a existência de Cristo apenas transferiram sua visão ao tema cristão, mas a meu ver, é empresa arriscada tirar conclusões precipitadas e participar da demolição de um edifício que jamais será derrubado, a fé.


Mesmo com o advento da tecnologia, a fé continua firme e forte em muitos corações, e não pode ser destruída, muda sim de roupagem, focaliza-se em outras expressões de verdade, mas nunca poderá ser cancelada no coração, porque ela é inerente ao coração humano, é tão inerente quanto o pensamento é ao cérebro e diversos estudos de revistas científicas já concluiram isso, que a fé é um atributo inerente da alma, como a vontade de viver é do corpo, e o pensamento é da mente. A fé é a vontade da alma.

E curioso que até os que se dizem ateus, muitas vezes tem essa fé, até mais que os religiosos, mas não direcionada de forma necessariamente religiosa, mas vertem essa fé na vida, nos sentimentos, nas amizades, no trabalho, enfim.

Basta redirecionar a fé para o pólo do espírito, que é donde ela vem, e então essa energia encontrará seu caminho mais nobre e ascendente no curso da existência.

E nunca, nunca mesmo condenar ou criticar quem repele nossa fé espiritual ou religiosa, se eu critiquei o ateísmo, é porque ele se instalou já na Terra como modelo cultural tal como nunca houve antes na História e assim sendo, se torna um objeto de estudo comportamental das raças.

E todos saem no prejuízo, se privando da iluminadora sabedoria da Virgem Maria, amada Mãe da Luz, a Santa Sofia ou Torá, e na sabedoria secreta, a Grande Mãe é o Vaso da Sabedoria.


Ela é o Mar de fusão de raças e consciências e, por isso, seu nome é Myr-Iam, que no hebraico, significa MAR DE AMARGURA, e isso fica compreensível, diante da grande dificuldade para a Fraternidade Branca criar na Terra uma raça evoluída tanto em termos genéticos como em termos conscienciais.

Quanto à nossa ancestralidade ariana-venusiana, por mais que as pessoas reajam à idéia, é fato sim, os hebreus antigos herdaram essa semente em grau muito elevado, mas de forma geral, ela se apresenta em todas as raças, vermelha, negra, amarela, e quem estuda o fenômeno das etnias, sabe que todas as raças procederam de uma semente original, e mesmo a Bíblia, com a imagem de Noé e seus três filhos, apresenta a semente original sendo quadripartida, migrando para as quatro direções da Terra naqueles tempos e edificando civilizações a parte, porque à Natureza interessa a diferenciação a partir da unidade, e nesse Big Bang racial, com certeza partimos de uma semente original, e essa semente está vinculada aos venusianos, e Parravicini falou sobre isso tudo.

De modo algum essa teoria pode implicar e mesmo justificar racismo e anti-semitismo.


Os judeus tem sido perseguidos e odiados, uma espécie de Karma pelo que fizeram com Jesus e o apóstolo João é implacável contra os judeus da época em seu evangelho.

Mas temos que aceitar a verdade dos fatos, realmente houveram raças mais privilegiadas que outras no passado da humanidade, coisas que talvez nosso senso comum de Justiça não aceite
mas isso não vai mudar o fato, contudo, a idéia dos extraterrestres a esse respeito é a recriação no futuro de uma mesma raça evoluída e unificada, bem como um sistema cultural e cognoscitivo, até para evitar tantas disputas e cismas que sempre aparecem quando dois ou mais partidos dividem o mesmo espaço, mas para chegar a essa super raça unificada e super conhecimento futuro, precisaram desse crisol de raças e culturas, dessa mistura universal de diversidades, como que misturando tudo numa alquimia incompreensível para nós até alcançar a liga ideal.

Mas tem aquele outro lado, o bem e o mal. Quanto mais elevado um poder ou conhecimento ou uma raça, mais responsabilidade e compromisso ela assume, até porque, se ela cair
será também mais intensa no mal. Cristo fez essa advertência quando disse:

O MAIOR ENTRE VÓS SEJA O SERVO DE TODOS.

Não podemos negar, a raça hebréia tinha muito poder, recebeu um conhecimento diferenciado, a Cabala, e com ela, fez muitos prodígios, só que hoje, vemos o resultado da inversão.
Hitler tinha uma sede nos judeus porque tinha, no fundo, medo deles, temia-os, porque via o quão poderosos eram, a influência que exerciam e exercem entre as nações, os hebreus antigos receberam não somente uma semente especializada de Vênus, mas também um conhecimento especializado, e ele tem relação direta com a Cabala, o segredo das forças contidas nos símbolos, nomes e números, além dos tremendos conhecimentos escondidos nas Escrituras. Algo inimaginável, como se a Bíblia contivesse um fractal do Universo, e todas as leis, chaves e mistérios codificadas em passagens aparentemente pueris e inocentes, mas tudo, disfarce.

Leonardo da Vinci se diz ter sido um dos guardiões do Grande Segredo Templário e suas obras, como a Bíblia, em grande parte codificam esse segredo. Se reparar na Madona das Rochas, verá ali uma mulher com atributos arianos-venusianos, bem como muitos meninos Jesus que ele pintou, aloirados. E o que dizer desse João Evangelista, que se inclina opostamente a Jesus e lhe forma a letra V? Mesmo com o desgaste da pintura, podemos ver um ser feminino com cabelos ruivos. Isso não condiz com a tipologia judaica da época.


Grande parte das obras de Leonardo guarda o segredo da ancestralidade ariana-venusiana da humanidade, e isso deveria mesmo ser de grande interesse para os pesquisadores sobre Extraterrestres, muitos livros de teosofia e sabedoria antiga falam da estreita conexão entre venusianos e terrestres da antiguidade, e o símbolo de Vênus é o mais presente em todas as culturas, ele é a CRUZ.

Leonardo da Vinci, Rafael, Boticelli, muitos artistas da antiguidade se vincularam aos templários e receberam segredos e fundos para a sua obra.


É muita coisa interessante que não tem nada a ver com religião, e sim com uma exploração mais profunda da sabedoria antiga não institucional, que estou certo, veio de extraterrestres e portanto tem tudo a ver com a temática geral do tema Ufológico.

Posso resumir da seguinte forma e os partidários do ateísmo haverão de me compreender porque tentarei usar a psicologia do SE COLOCAR NO LUGAR DO OUTRO. Da mesma forma que as crendices, carolices e farsas religiosas incomodam profundamente os ateus, o ateísmo militante me incomoda profundamente, no mesmo grau.


E este é o ponto: por que deveríamos nos incomodar?
O que existe de fato no espelho da postura alheia que tanto nos incomoda?

Investigando a psicologia dualística, ação e reação, descubro que o que nos incomoda do outro lado é algo que ameaça o nosso próprio lado. O que incomoda o ateísmo é o medo de os religiosos estarem com a razão e todo o edifício conceitual construído por anos e anos de reflexões vir abaixo por apenas uma única revelação feita em menos de um minuto.

Por outro lado, o que incomoda os religiosos no ateísmo é a eterna ameaça da demolição da sua crença, construída igualmente por anos e anos de sentimento religioso.

Aí é que está! Porque um e outro deveriam se incomodar?


se provado está que um precisa do outro da mesma forma que a perna direita precisa da esquerda para andar e o hemisfério direito do cérebro, do esquerdo precisa para pensar?

Aqui vale bem a regra de ouro do Budismo, do Taoísmo, da Sublime Indiferença quando se está centralizado no Ser, e a roda que eternamente gira e tudo muda deixa de ser problema, deixa de afetar nossa alma via cinco sentidos. O estado budista da serenidade ideal, a serenidade perfeita de um Cristo que, massacrado por toda uma Jerusalém em fúria, instigada pelo colégio dos fariseus, subiu o calvário com um sorriso e ainda perdoou os seus ofensores da Cruz. Da mesma forma que se deu com Buda, meditando serenamente debaixo da figueira e completamente indiferente aos exércitos de Mara, procurando roubar-lhe o estado de contemplação interior divina que o arremessava para a comunhão com o Infinito.

Isso parece um feito inimaginável para a nossa psicologia reativa e reacionista dos tempos atuais. Mas creio que pode ser conquistado um tal estado de serena contemplação interior que por nada ou ninguém é afetado, quando centrada em sua íntima convicção.


Indiferente à lisonja e à ofensa, seguro em si mesmo das coisas que aprendeu, experimentou e construiu nesses termos e são termos tão íntimos que jamais poderiam ser apreciados por terceiros, por mais amigos e cúmplices que eles sejam de nós mesmos.
Nesse ponto, a prática espiritual se torna o exercício mais íntimo da alma humana, mais íntimo que a própria sexualidade, embora a Doutrina religiosa, de modo geral, tenha sua eficácia como ensino e partilha fraternal.

Isso é mais uma filosofia de vida que uma religião, mas até é religião, quando religião é compreendida como religare, união íntima com Deus, o que realmente permitiu que Jesus tivesse a dignidade de um herói e a coragem de um mártir, quando passou por todas aquelas coisas, e mesmo com o universo relativo de Jerusalém e dos judeus contra ele, o Universo absoluto de Elohim, os deuses congregados lá das alturas, estava com ele e era nele, e isso, e somente isso, explica a sua marcha serena para a morte e sua vitória triunfal na ressurreição.


Ficar no centro, ter a consciência interna como referência e não as variações e flutuações de cultura e pensamento da época, transitórios e mutáveis em essência eis o caminho do TAO.
Porque o coração pode até doar amor e conhecimento ao próximo mas não pode ocupar o vazio de outros corações. Cada um sabe o que tem e sente e é a partir dessa certeza íntima, e dessa fé interior que deve construir o seu refúgio, a sua percepção de Deus, da Verdade e do Universo.

E sobre qual religião seguir? Crenças pueris não podem ser desprezadas na cartilha do aprendizado, é a mesma didática para as crianças aprendendo suas primeiras letras.

Os seres elevados do Universo sabem que as religiões serviram como a nossa cartilha e se para muitos ela é atrasada e até questionável, para outros ainda é fundamental.

Isso deveria nos conter todo juízo temerário e precipitado.
É claro que muitas mentes avançaram a ponto de sair da cartilha e essas mesmas mentes serão levadas a procurar o conhecimento superior.
Essas mentes são as que reconstruirão o mundo, depois que os medíocres sairem de cena, deixando um mundo em ruínas, principalmente no aspecto do conhecimento.

JP em 27.05.2019

Comentários