Templates by BIGtheme NET

A Realidade Astral do adormecimento

 

 

 

 

O Status astral das pessoas profundamente identificadas com o aspecto materialista da vida…

 

Quando a gente sai no astral, percorre o Limbo e vê todas as pessoas que estão, naquele momento, dormindo em suas camas, todas elas, estão sonhando profundamente ali. Paradas, em seus cantos, pouco se mexem, apenas ficam como que olhando para o nada, olhos vidrados, apenas projetando em sua mente visões e cenas do cotidiano de suas vidas físicas e normais, como que embriagadas, anestesiadas, paralisadas, como que letárgicas,,, quase imóveis num canto ou circulando como zumbis entre si mas sem se dar conta de coisa alguma, porque estão mergulhadas dentro de seu mundo interior de sonhos e projeções psíquicas, e não adianta nem dar empurrões, que elas não acordam, porque esse despertar tem que vir de dentro, não de fora.
Ficam sonhando com seus comércios, seus prazeres, seus carros, seus empregos, namorados/as, desejos, enfim, recriando tudo o que vivem no físico e cobiçam no físico enquanto acordadas, transportando todas essas memórias de vigília para o astral através de seus pensamentos não transformados… e outro perigo real é que, nesse estado de adormecimento, as almas das pessoas são facilmente sugestionáveis e influenciáveis em seus pensamentos por entidades negativas circulando… é comum acontecer desse tipo de infecção psíquica nesse estado de adormecimento…

E tudo isso ali, sem lucro líquido algum para a consciência …se fosse possível estalar os dedos e elas despertarem desse Salão do Sonho, elas então teriam medo no começo, mas depois perceberiam que estão diante do Portal da Quinta Dimensão (Mental) e aí sim, poderiam fazer jornadas muito produtivas de conhecimento e escalar maiores graus de consciência. Mas isso é difícil, exige um trabalho duro de despertar na parte física a ser transportado para os planos astral/mental, trabalho esse que poucos sustentam no tempo… muitos sequer lembram dessas coisas em seus sonhos quando retornam nas suas camas pela manhã. Essa é a realidade, pelo menos, na ótica de um viajante astral.

Há, no entanto, uma exceção: o caso das almas que alcançam estados de lucidez e despertar do outro lado mas não recordam ao voltar para o corpo físico. Com treinamento, podem conquistar essa conexão consciente entre os dois mundos.


Estas almas são aquelas que, como nós, não fazem das ilusões mundanas e desejos banais o seu centro de gravidade, mas sim, os valores da busca espiritual, os quais, vividos intensamente no plano físico, são transportados com igual vigor ao plano astral, todas as noites, enquanto nosso corpo dorme, e por isso, acontecem vários “despertares” da consciência do outro lado, os quais, no caso, só precisam de técnicas específicas para que conquistemos a arte de trazer as belas e instrutivas recordações luminosas do outro lado, na hora em que o corpo físico acorda.
Riscos de acordar no Astral?

Não porque, quando se realiza a experiência, se estará acordado e no controle. Quem faz essas viagens dormindo é que corre riscos, por exemplo, de ser manipulado. Sim, essa parte da teoria espírita veio da teosofia mais antiga ainda que o espiritismo, e que ele interceptou, embora deixando várias lacunas, como a existência de sete corpos do Ser, que ele reduziu só ao “perespírito”. Mas nada o espiritismo ensinou sobre esse mistério da vida astral, uma lamentável lacuna dentro da verdadeira doutrina da qual essa seita se originou, como tantas outras, e suas tantas deturpações.

Porém a alma humana possui sete veículos completos, porque sete são as dimensões fundamentais do universo.

Na Sefirá-EON do Quarto céu, pertencente ao Sol, se encontra a órbita que se relaciona com a dimensão mental, acima da faixa astral, mas ambas na zona 5D.

O interessante dessa dimensão é que voce lê todas as informações que investiga na tela do céu como se fosse em um livro aberto. Os antigos chamavam os céus de azul safira porque Safir vem da raiz SFR, livro, número ou dimensão (EON).

No mundo mental, é tudo simbologia pura que voce tem que compreender, o tal idioma dos arquétipos, fica acima do Astral, plano das emoções que tomam forma.

 

De minha parte, a teoria que me preocupa mais é aquela que eu capturo na prática. Lembra que eu te disse em filtrar teorias e conceitos aqui? Temos que ser objetivos, isso é também ser inteligente. Rodar em teorias mortas não é inteligente. O melhor laboratório é a mente desperta e no controle das funções comuns e superiores. Nela não há espaço para especulações teóricas.

 

Muitos têm medo de atraírem entidades negativas se despertarem no Mundo Astral.


Pode ter certeza que no astral nós atrairemos entidades compatíveis com nossas vibrações internas. A cultura moderna prega e divulga todo tipo de informação negativa, filmes, vídeos, games, moda, estilo, pode reparar, tudo direcionado para o Infra, o negativo, vampiros, zumbis, demônios, ets grays etc etc… as pessoas ficam alimentando o subconsciente desse lixo todo e depois dormem e não entendem o porquê dos pesadelos. A tática do sistema é essa mesma, enredar todas as pessoas nas Infra-dimensões quando dormem e impedir que qualquer um suba às dimensões superiores do despertar da consciência. Outra coisa que costuma gerar pesadelos: comer muito a noite, ou comer coisas pesadas para a digestão, como carne, ou ingerir álcool (drogas nem se fala, é passaporte direto para as infra-dimensões).
Atrairemos no astral as vibrações que mais se destacam dentro de nós.
Pessoas de consciência pura recebem proteção. Mas temos que tomar cuidado com hábitos e imagens mentais que estamos atirando no subconsciente aqui no plano físico, elas são como ímãs ou magnetos que vão atrair no astral conforme o que os pensamentos e desejos estão esculpindo aqui no físico… o que também é uma excelente forma de seu autoconhecer porque, no astral, nossos pensamentos ficam desnudos… e nem todo mundo tem coragem para encarar isso de frente! Contudo, temos que saber que o Lado negro sempre tenta derrubar almas que buscam o despertar, e sua ordem é atirar todo mundo para baixo, para o adormecimento.

Daí os ataques que costumam aparecer no começo, mas que podem ser combatidos e vencidos com os procedimentos certos, a começar pela não nutrição do MAL que há em nós e por nossa escolha aqui no mundo físico.

Por trás de cada passo do medo há um rastro de culpa.
Quem não tem culpa, não costuma ter medo.

O medo não atrai nada, na verdade, ele só te dá a impressão de que o inimigo é mais forte. Eu sempre chamo o medo de lente de aumento que, nos nossos olhos, faz o mosquito parecer um dragão. O Universo é bondade, é luz. O mal é exceção a regra, o Bem é total. Só fazer o bem e confiar no bem. O medo do desconhecido logo passa quando a gente se acostuma com ele e transforma o desconhecido em “conhecido”.

Eu costumo usar a sétima corda para vibrar o Astral.

Mantras também ajudam bastante, caindo direto na glândula pineal e abrindo a porta do chakra coronário. Impulsiona bem. Ou então, trabalhar com o chakra umbilical, é ele que alimenta com energias vitais o corpo astral, e garante uma boa decolagem e movimento do outro lado.
Seja qual a prática eleita, o importante é praticar e de modo algum deixar o sonho da matéria criar véus sobre véus de ilusão sobre a consciência que cairá mais pesada e adormecida do que uma pedra imóvel nos campos por séculos de existência reencarnante sobre o mesmo status aprisionado…
JP em 11.09.2019

Comentários