Templates by BIGtheme NET

A Porta do Céu

 

“Certo dia, apareceu a um buscador da Verdade a Porta do Céu.

Contudo, ele olhou para a Porta e a achou muito pequena para que pudesse passar.

Nesse momento, a Porta diminuiu ainda mais, de modo que o buscador da Verdade desistiu dela.

Outro dia, apareceu a outro buscador da Verdade a mesma Porta do Céu.

E em vez de achar a Porta muito pequena, para que pudesse passar, este buscador achou que ele é que era grande demais para passar por ela.

Ele não viu o erro de tamanho na Porta do Céu, mas no tamanho dele mesmo.

E nesse instante, a Porta do Céu se alargou, e com folga ele pôde cruzá-la”.

Qual a moral da parábola?

Se a Porta do Céu representa todo ensinamento religioso que procura nos conduzir a Verdade, e se o Céu é essa Verdade, essa experiência direta da Verdade, pergunta:

O que era grande no primeiro buscador para que a Porta pequena diminuísse ainda mais, impedindo a sua passagem?
E o que era grande no segundo, para que a mesma Porta aumentasse, permitindo a sua passagem?

***********************************************************************************************

RESPOSTA:

O que era grande no primeiro buscador era o Orgulho, que enxergou o erro na Porta do Céu e não em si mesmo.

E no segundo, o que era grande era a Humildade, que contemplou a mesma situação de forma inversa, ou seja, viu o erro de tamanho em si e não na Porta do Céu.

Moral da História:

enquanto ficarmos culpando Deus ou o destino e não aos nossos próprios erros como causas secretas dos nossos fracassos, a Porta do Céu, que é a Ajuda que existe sempre, diminuirá. Não por ela mesma. Mas porque aos olhos do orgulhoso ela sempre parecerá pequena e insuficiente.

E assim, sempre vai ficando menor, cada vez menor.

Não aos olhos do humilde, que a verá sempre grande, talvez grande demais para o seu merecimento.

E isso a torna ainda maior.

Tudo é uma questão de como os nossos olhos avaliam as situações.

Com orgulho ou com humildade.

Com prepotência ou com gratidão.

JP em 11.06.2019

 

Comentários