Templates by BIGtheme NET

A Estrada do Sol

 

Querido buscador

Se eu fosse voce, não me preocuparia tanto assim, em nosso tempo, com quais livros ler, quais instituições frequentar e quais mestres ouvir e seguir.

Bem, o mundo deu o melhor de sua História e estamos prestes a virar a página mais temida do futuro, aquela que nos encontra no presente debaixo de uma Nova Ordem Mundial?


Isso é fato.


Como estar na luz em tempos de trevas?


Como estar debaixo da Lei em tempos de transgressão legalizada?


O que fazer? Para onde ir?


QUO VADIS, DOMINE?


O Mestre dos mestres nos alertou sobre esse tempo.


Daniel fala no aumento da ciência, na multiplicação da espe
culação e na pêrda da verdade essencial da vida, a verdade divina.


Os evangelhos falam em mares bramindo lá fora, rumores de guerras, nações cada vez mais armadas até os dentes, quais feras mais e mais agressivas e prestes a pularem umas nos pescoços das outras, traiçoeiramente e sem aviso…


O Mestre dos mestres nos ensinou o que deveríamos fazer nestes tempos.


Falou até em uma Páscoa universal, quando toda sobriedade, modéstia, simplicidade e ausência de opulência materialista, carnal e mundana deveriam guiar nossas vidas, e que as 10 letras da palavra mágica SACRIFÍCIO fossem escritas em ouro ao lado das  8 letras de outra palavra mágica, a GRATIDÃO, para que tudo se fizesse em nossas vidas conforme a Vontade do Mais Alto.


As pessoas, infelizmente, tendem a repelir tanto a Gratidão quanto o Sacrifício, justamente porque o que move suas almas é a cobiça, é o orgulho, é a luxúria, o apego ao que é material e carnal, enfraquecendo com isso os sentidos da alma sobre tudo o que é divino e espiritual.

Não se pode servir a dois senhores!


Aliás, as três feras que perseguiam o poeta DANTE ALIGHIERI na selva escura, que era sua própria vida, e que ele retratou, respectivamente, como sendo uma loba magra, um leão e uma pantera.


A urgência dos tempos é tamanha que temos até um EVANGELHO ETERNO sendo pregado na Terra desde os idos da década e 1980, com a linguagem universal dos SÍMBOLOS, prometido no Apocalipse 14 e escrito pelo Dedo de Deus nas plantações do mundo inteiro.


Os símbolos falam mais do que palavras.


Os sinais do nosso tempo são mais eloquentes do que qualquer cientista em sua plataforma de pesquisas.


O coração diz a verdade lá dentro, atirando a nossa alma numa procura, numa busca, qual o sedento pela água em um deserto de pó, solidão e agonia dos seus passos incertos… para onde viaja a Nave-Terra?


Qual será a sua próxima estação depois que dobrar a esquina do amanhã?


Nibiru, Nêmesis, Guerras, doenças, escravidão mundial, 666 e a Besta, chips nas mãos e testas, e tudo sobre o Fim dos tempos, mega-terremotos, mega-vulcões, catástrofes assoladoras, corrupção e sordidez em avanço dentro dos sistemas de poder e nas instituições religiosas, crimes e criminalidade, perversões sexuais de todos os tipos, mentiras, mediocridade, cultura morta e vazia, era dos zumbis, era dos robôs, era dos autômatos, era dos filhos da máquina e do ateísmo…


Para onde ir?


O que fazer?


Em quem acreditar?


Como não sentir o coração afundando nesse poço sem fundo?


Com tantas incertezas lá fora, o mundo de um segundo atrás não é o mesmo mundo de um segundo a frente, e a cada soma de segundos, minutos, horas e dias, nos vêm a sensação de que estamos dentro de uma panela de pressão esquentando e prestes a explodir.


Diante deste cenário, como progredir numa estrada de Auto-Conhecimento?


São tantos os caminhos e conceitos postos nas ruas, nas lojas, nas ordens e templos, nas instituições… são tantos gurus e neo-gurus, pregando evangelhos extraterrestres e mediúnicos das Plêiades, de Sirius, de Arcturus e do infinito mundo imaginário das estrelas… são tantos mestres auto-declarados, suas visões e promessas, suas certezas e títulos… que fica difícil ainda lembrar-se da voz do Mestre dos mestres no meio de uma bancada tão numerosa de pretensos guias da luz.


Não que eu os condene, não que eu os absolva.


O que eu condeno e não absolvo é o esquecimento do Sol, que ainda brilha, para se catar minúsculas estrelas de variedades modernas disputando no cenário holístico mundial.


Voce já deve saber de que Sol estou a falar… aquele Sol que nunca deixou de brilhar… aquela luz da qual todas as luzes menores saíram e devem-lhe reverência.


Aquele Sol que nos disse que, quando este tempo chegasse, deveríamos apenas estar recolhidos em nós mesmos, em nossa própria alma, em nosso quarto ou canto particular e conversar com Deus, o Pai, como um filho conversa com seu pai ou sua mãe, em busca de instrução e força.


Que tantas teorias não nos deixem dogmáticos!


Que tanta erudição não afogue o nosso coração num oceano de intelectualidades que se mostrará fútil naqueles dias.


Volto a lembrar sobre o que disse o Sol:


A menos que vos torneis como estas crianças, não entrareis no Reino do Pai.


Sim, chegou a hora de nos recolhermos à criança interior, e se voce é um destes que ainda a possui viva, celebre! Porque voce é um privilegiado. Já que, quando a trombeta do Anjo do Sol começar a soar sobre a Terra, apenas as crianças a escutarão… e saberão para onde ir.


Isso me lembra particularmente o filme PRESSÁGIO.


Assim sendo, o caminho agora pede recolhimento e simplicidade.
Pede que voce abandone toda a carga inútil para seguir uma estrada com pés leves e coração tranquilo. E jamais ouse olhar para trás!
Para que o Sal do esquecimento não corroa suas fibras espirituais!
Fique no que é simples e puro.

Fique no que é modesto e sóbrio.


Se o templo tem duas colunas, elas significam PUREZA E HUMILDADE na escala de valores dos Anjos da Lua e do Sol.
Sem pureza e sem humildade, ninguém verá aquela Luz e ninguém será chamado de FILHO De DEUS.


Livros, o mundo está cheio deles. Gurus e mestres, se tornando moda e profissão de lucro e honra para muitos.


Mas não é por ai que aqueles pés do Sol andaram um dia, e nunca andarão.


Os pés do Sol pisam em lugares desconhecidos deste mundo, onde não é possível nem lucrar e nem esculpir nomes e títulos na areia das vaidades.


Os pés do Sol caminham nas estradas das crianças, dentro de suas melhores histórias de imaginação sadia e viva.


Aquelas que brotam no pensamento quando alcançamos a Comunhão com o Senhor em nossos quartos, em nossos corações.


Ainda que ninguém saiba quem é voce, ainda que pareça que ninguém neste mundo se importa com tua vida e tua consciência, está absolutamente normal que seja assim… mas saiba que muitos se importam, aqueles muitos que caminham na mesma estrada do Sol que tu caminhas.


Este é o caminho, a verdade e a vida.


Sem gurus e templos, sem mestres e ritos, sem quaisquer aditivos externos, que podem até impressionar quem está do lado de fora mas nada significam para Ele, o Deus em ti, do lado de dentro, que não se deixa nem se impressionar e nem subornar por tolas manifestações que simulam coisas que não são.


Não se esqueça, Ele tem o teu coração na palma de Sua Mão.
Basta reler os evangelhos. Basta extrair as linhas puras e simples do Sermão da Montanha.


Basta estudar a fundo os 21 capítulos de João.


Está tudo ali. Mesmo.


Ainda que 2000 anos tenham se passado, e a ciência se multiplicado ao ponto de sua Torre de Babel alcançar já as estrelas, o básico continua o mesmo. A regra ainda não mudou. Dez mandamentos? Claro, eles não perderam sua eficácia.


Mas, melhor do que dez, Jesus nos deu dois, somente dois:


AMA A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS
AMA A TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMO.


Para que livros, mestres, gurus, templos e todo o resto se o básico é isso, o básico que poucos têm diante do coração e jamais se preocuparam em tentar viver em sua vida, tão coberta que está por tantas fantasias místicas e interesses desviando-lhe da Estrada do Sol?


E então?


Não te disse que o caminho é muito simples?


Pratique isso quando e onde puder, com quem puder, e procure viver a vida na esfera da simplicidade, da modéstia, da frugalidade, da verdade, da franqueza, da pureza, da fé.


Tenho certeza que o Mestre dos mestres te sorrirá quando voce começar a olhar o Sol com outros olhos.


E nesse dia, compreenderá a Estrada do Sol que ensinei aqui.
O homem jamais precisou de CIÊNCIA para compreender a Verdade.


Essa é a maior mentira pregada na Era da ciência.
O homem só precisou de uma coisa: honestidade.
Coisa que a ciência não pode ensinar a ninguém.


A prova está em todos esses eruditos e diplomados que assumem o poder no mundo. É só olhar o que estão fazendo com o mundo e a humanidade, e se perceberá que honestidade e caráter não se ensina nas universidades.


E justamente por estar buscando a CIÊNCIA antes da CONSCIÊNCIA, é que a humanidade está afundando cada vez mais.
Afinal, cegos guias de cegos e todos acabarão caindo no abismo.
Assim disse o Mestre dos mestres.
E assim será.


Porque o Sol falou na voz dele, e ensinou a Estrada do Sol…por onde andam os simples, as crianças, e os que não precisam de nada além de olhos abertos para ver a luz… até porque todo o resto será inútil para quem ainda não têm tais olhos…


E quando o Sol finalmente brilhar na estrada da tua vida, ela te levará naturalmente para as desejadas praias da Reunião… não hás de te preocupar com nada, se os teus pés andarem por essa estrada… será teu coração te guiando, não mais tua mente. Será tua fé te levando, não mais teu desejo.


Será tua criança caminhando… não mais o antigo ser que deixaste para trás quando ainda eras cego diante do Sol… e o Sol cuidará de ti!

” “Graças te dou, ó Pai, Senhor dos céus e da terra, pois escondeste estas coisas dos sábios e cultos, e as revelaste aos pequeninos”
MATEUS 11: 25


Que caiam os deuses pequenos que nos fazem perder as estradas do Sol…

 

JP em 12.06.2019

Comentários