Templates by BIGtheme NET

A Árvore dos Frutos da Iluminação

 

A Árvore dos frutos da Luz

Hoje, na madrugada, tive uma visão do céu noturno: eis que, formada por nuvens brilhantes, aparecia uma grande Árvore no céu, toda iluminada, e em vez de frutos, eu a ví coberta por runas, símbolos e inscrições.

 

Alguém registrou tudo em câmera e imagem
(***)

 

É fundamental conhecer a diferença entre as duas árvores que, até hoje, estão a disposição da humanidade! Uma ensina através de erros e se chama ÁRVORE DA EXPERIÊNCIA, e a outra ensina através da conexão direta com a Verdade e se chama ÁRVORE DA ILUMINAÇÃO!

Uma breve análise.
O Mito de Odin

Essa visão de hoje me reportou ao mito do deus Odin, o pai dos deuses nas mitologias nórdicas, equivalente ao Júpiter romano e Zeus grego. Pois bem, dizem os mitos que quando Odin permaneceu em ato de penitência por nove dias dependurado numa árvore (a Árvore de Yggdrail, Árvore da Vida na mitologia nórdica) ele teve um vislumbre das runas, e conheceu as leis que regem o Universo expostas por aquelas runas que ele viu, de cabeça para baixo.

 

Isso nos reporta ao arcano XII do Taro, chamado O DEPENDURADO, que significa o Sacrifício iluminador, e na medida em que a alma perde ou renuncia a tudo o que for de ordem material e pessoal, passa a ganhar muito nas esferas da ordem divina e espiritual.

 

 

Nove dias dependurado, outro arcano aparece, o Arcano 9, que significa O EREMITA, aquela alma antiga que se desligou de tudo e cultivou, na própria individualidade explorada, a iluminação do Autoconhecimento, que é a porta para a expansão de sua consciência no Universo-Deus pelo caminho da reintegração (ou comunhão).

Nascer pela segunda vez.

 

Cabeça de Buda gigante por Figueira em Wat Mahathat.

 

 

Alcançar a visão dos frutos da Luz na Árvore Cósmica da Vida, e seus sefirotes, e seus números, e suas leis, e seus conhecimentos, é saber colocar a mente num nível de vibração que se conecta diretamente com a informação em estado puro sem mais a necessidade do raciocínio interferindo, como um vidro embaçado que tira a nitidez das paisagens da janela ensolarada… a mente consegue entrar num tal modo de funcionamento que consegue sorver, da Sexta Dimensão, as informações em estado PURO, como numa meditação eficiente, não precisando mais recorrer a tanta especulação teórica para ter alguma sensação de conhecimento.

 

 

 

É como se a mente se esvaziasse de todo conceito e auto-conceito, sentindo derramar sobre si as cascatas de luz incriada desde as dimensões mais altas do Cosmos, num processo mais intuitivo que dedutivo, sem os obstáculos da mente inferior bloqueando o processo.

 

Buda meditou sob a Figueira e alcançou Iluminação após ingerir os frutos da Luz Incriada desta Árvore, a partir do momento em que esvaziou-se de todo EGO, de todo desejo e de toda ilusão decorrente, porque, em sua disciplina, apenas preparou a sua alma para aqueles frutos de BODDHI, a Árvore da Luz, diferente da outra Árvore, aquela chamada Árvore da Ciência, que significa acesso ao conhecimento por experiência (tentativa e erro) e não por iluminação direta.

 

Paraiso Terrestre – Jacob Savery

 

A árvore da ciência contida no Éden significa a alma humana aprendendo através dos erros cometidos, no valor da experiência, mas a árvore da luz não tem relação com esta, porque significa a alma ausente de erros, ausente de si mesma, entrando em contato direto com a Informação Universal e Impessoal sem qualquer tipo de obstáculo mental nascido das ilusões projetadas pela Individualidade limitadora atuando nos canais dos cinco sentidos da razão.

 

 

A mente aqui se torna como um graal, uma taça limpa que consegue receber a informação na fonte, sem mais ter que recorrer aos processos inferiores do raciocínio e da especulação duvidosa. Ver a luz como ela é, diferente de conceituar sobre a luz que não se vê.

 

 

Não se trata mais de experimentar e errar infinitas vezes para se conhecer alguma coisa, mas o contrário, aprender a não errar mais, apenas se alinhar com a marcha da Ordem Cósmica e entrar em sintonia com a Verdade Universal diluída na Luz Incriada que a tudo permeia, desde as dimensões superiores, nos faltando apenas os sentidos de acesso a todo este conhecimento.

 

E nesse dia, tanto Odin pendurado na Yggdrasil como Buda sob a Figueira BODDHI, contemplaram as leis, as ciências, os conhecimentos e os caminhos da INFORMAÇÃO do Universo em seu estado puro, algo que, na analogia com a Árvore sefirótica da Cabala, se relaciona a Sefirá de Urano, a Luz (Hochmah), a Sabedoria.

A Luz da Sabedoria Universal atravessa a alma do Iluminado, por dentro e por fora, sem nenhum tipo de embaraço ou obstáculo á sua vibração contínua, que é traduzida em tempo integral pela mente como informação sorvida diretamente da Fonte, como um Livro que nunca mais se fecha diante dos seus olhos, que agora, se abriram…

 

 

 

Nesse dia, cessamos o processo de conceituar sobre tudo o que ignoramos, e aprendemos apenas a abrir os olhos da mente superior, e ver as coisas como elas realmente são, e não como pensamos, supomos ou especulamos que sejam.

 

Porque recobraremos a perdida INTUIÇÃO, e ela é que estará no controle do raciocínio e do pensamento, ocupando o trono de Sofia, a Luz, desde sua queda do mais alto Éon dos céus.

 

E uma voz gritará no meio do céu:
A VERDADE TE LIBERTOU!

(***)

 

Fico a imaginar que o Universo se abriu por inteiro aos OLHOS DA ALMA DE JESUS CRISTO naquelas agoniantes três horas em que ele ficou dependurado numa cruz… o que justifica a sentença que declara que, entre todos os Mestres, justamente foi JESUS CRISTO o que mais se elevou no Seio da Luz Incriada, nas dimensões espirituais de Keter, o Pai, e seus Serafins, os seres mais próximos da Presença Divina Infinita…por isso, ele é o Ser mais Iluminado que já pisou neste mundo… porque o seu sacrifício foi o maior de todos!

(***)

Ps: senti, de algum modo, relação entre esta visão e os crops circles chegando.

Comentários