Templates by BIGtheme NET

Os Mistérios da Pedra da Gávea

184937Na localização geográfica, a montanha fica entre a Barra da Tijuca e São Conrado, e a 842 metros de altitude está seu cume. O mais interessante é a formação do rochedo, que parece ser de um homem barbudo que olha, lá embaixo, a cidade. Seu nome, Gávea, remonta à época das grandes navegações, quando os portugueses que aqui chegaram notaram que ela era um observatório perfeito das caravelas que chegavam. O batismo da Pedra da Gávea remonta a expedição do capitão Gaspar de Lemos, iniciada em 1501, de que participou igualmente Américo Vespúcio, e na qual também o Rio de Janeiro recebeu sua denominação.

Foi a primeira montanha carioca a ser batizada com um nome em português, após ter sido avistada, no primeiro dia de janeiro de 1502, pelos seus marujos, que reconheceram em sua silhueta o formato de um cesto de gávea, dando origem ao termo usado para toda a região.

 

 

Teoria da tumba de um importante rei fenício…
Existe no Rio de Janeiro o mito bem difundido de que o local seria uma tumba fenícia. O início se deu no século 19, quando algumas marcas numa rocha no cume da montanha chamaram atenção de Dom Pedro I, apesar de seu pai, Dom João VI, já ter recebido um relatório de um padre falando sobre as “marcas estranhas”. Até 1839, pesquisas oficiais foram conduzidas, e no dia 23 de março, em sua oitava seção extraordinária, o Instituto Histórico e Geográfico do Brasil decidiu que a Pedra da Gávea deveria ser extensamente analisada, e ordenou então o estudo do local e suas inscrições.

Em 1963, o arqueólogo Bernardo Silva Ramos tentou fazer a tradução assim, cuja transliteração foi: “LAABHTEJBARRIZDABNAISINEOFRUZT”. Que lidas ao contrário seriam: “TZUR FOENISIAN BADZIR RAB JETHBAAL”. Ou seria uma tradução mais ou menos assim: “TIRO, FENÍCIA, BADEZIR PRIMOGÊNITO DE JETHBAAL”.

inscri

Após o primeiro relatório, ninguém voltou a falar oficialmente sobre a Pedra da Gávea até 1931, quando um grupo de excursionistas formou uma expedição para achar a suposta tumba de um rei fenício que subiu ao trono em 856 a.C. Algumas escavações amadoras foram feitas sem sucesso.

Dois anos depois, em 1933, um grupo de escaladores do Rio organizou uma expedição gigantesca com 85 membros, o qual teve a participação do professor Alfredo dos Anjos, um historiador importante. Em 20 de janeiro de 1937, este mesmo clube organizou outra expedição, desta vez com um número ainda maior de participantes, com o objetivo de explorar a face e os olhos da cabeça até o topo, usando cordas.

Esta foi a primeira vez que alguém explorava aquela parte da rocha depois dos fenícios, se a lenda está correta.

pedra

Há teorias que falam de um mundo subterrâneo de Agartha, cuja capital seria Shambala. Uma das entradas desse mundo, no Brasil, estaria na Pedra da Gávea. Outra entrada estaria em Sete Cidades, no Piauí, e haveria uma terceira na Serra do Roncador. Dizem que alpinistas viram estranhas luzes esverdeadas no local em que estaria o portal desse mundo desconhecido.

As duas entradas principais seriam nos polos norte e sul da Terra. Mas isso é assunto para ser pesquisado mais profundamente.

Abaixo um trecho do filme “Roberto Carlos e o Diamante Cor de Rosa”, que fala um pouco sobre os mistérios da Pedra da Gávea e dos Fenícios.

Comentários